expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 1 de novembro de 2011

DIA DOS FINADOS - AOS MORTOS NO MAR...AOS MILHARES DE VIDAS QUE FORAM TRAGADAS PELA VIOLÊNCIA DAS ONDAS SALGADAS OU SENTIRAM O TORMENTO IMENSO DA SUA AFRONTA NAS VASTAS PLANÍCIES OCEÂNICAS



 

25ª DIA
"Sinto-me muito cansado, cheio de sede. Estou sem água das chuvas.. Mas vai-se aguentando com paciência... Vai-se aguentando!..."

(...)Sim,  leve e doce é  o silêncio neste dia de calma!...
Todavia,  grande é a dor e o tormento,
nestas longas horas solitárias!...
Nestes longos momentos de  ausência
e de infinito cansaço da minha alma!..


Se ao  menos, em todos os pontos do imenso círculo,
 que se estende a perder vista à minha volta
se escancarassem  todas as janelas do mundo?!...
Se abrissem todas as portas dos recantos da Terra?!...
- Para que eu, de tão longe, pudesse  ver- vos....
 – ó remota e tranquila  aldeia donde  nasci!... –
alcandorada e de asas abertas, como ave branquinha,
pousada  nas graníticas  quebradas
do longínquo planalto!...

– Oh, como eu gostaria  de te  ver e que tu me vísseis,
 também a mim, com os teus próprios olhos,  sempre abertos
 à Terra inteira  e perpétuamente voltados
 ao  imenso Universo!!..

- Sim, estou arredado de tudo!... Ninguém  sabe onde estou!...
Ainda se ao menos pudesses imaginar  o caminho por onde eu ando
- ó amável saudade! -  ou pudesses adivinhar  o errático destino
que eu trilho e para aonde eu vou?!... – oh, acredita!..
 já me sentiria  muito  feliz!...Mesmo que algum tornado
me fizesse  desaparecer no meio do seu torvelinho!!.. – oh, testemunho
querido do meu berço!-  Tenho a certeza  que, nesse crucial  momento,
eu  não estaria tão sozinho!. Creio que os vossos olhos
estariam tão turvos de sal e  rasos do mar como os meus!...

.



(...)Descansa coração, angustiado!... Descansa!..
Sê paciente, acalma-te!... Não desesperes!...
Afinal não é isto o que tu procuras?
Não é isto o que tu queres?!...
Não foi esta a missão a que te impuseste?!...
- Transcende-te e ultrapassa os limites do impossível!
Não é este o teu sonho?!.. Oh, sim... aproxima
as tuas batidas  com as do coração dos anjos
e, tal como eles, torna-te invisível!...
-Eu sei... Eu sei!...coração amigo!...
No fundo é o que tu desejas... e  tens conseguido!...
Sim, não vês que o vínculo que há em ti
entre o passado e o presente
é o mesmo que a distância
que vai agora de ti ao futuro?
...inexistente!...
 
 
EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE - NÃO RARAS VEZES A TRAGÉDIA BATE À PORTA DAS POBRES PALHOTAS
DOS CORAJOSOS PESCADORES DAS FRÁGEIS PIROGAS - FUI 
TESTEMUNHA DE ALGUNS DESSES INFAUSTOS EPISÓDIOS
 
 

TÃO FREQUENTES NAQUELAS MARAVILHOSAS ILHAS DO MEIO DO MUNDO

Pescadores são-tomenses desaparecidos podem ter morrido 
20 Janeiro 2005

"As autoridades marítimas
são-tomenses receiam pelas vidas dos dois pescadores da zona de Neves
ainda desaparecidos, que faziam parte dum grupo inicial de seis que
se perderam no mar devido à bruma.

No último fim-de-semana, o nevoeiro atenuou e permitiu a um avião da
força aérea portuguesa fazer uma missão de busca e salvamento para
localizar os seis homens.

Mas algumas fotografias tiradas pelo avião mostram pelo menos duas
canoas, ambas partidas ao meio.
 
 (...)Ainda traumatizados, António Filipe e seu filho Geraldo recordam os
momentos aflitivos que viveram no mar.

Dizem ter passado momentos angustiantes no mar durante sete dias e
sete noites sem comida nem água e obrigados, por isso, a comer peixe
cru e a beber ou a água do mar ou a própria urina.

Tinham partido para o mar a 10 de Janeiro passado, mas o manto de pó
branco que encobria os céus são-tomenses impediu-os de reconhecer o
caminho de volta à casa".

 
Desamparados e sem saber o que fazer, deixaram-se levar pela
corrente das águas, pois, as várias tentativas para encontrar terra
firme, esgotou as últimas reservas de combustível que tinham na
piroga, explicaram.

Na segunda-feira, e depois de o nevoeiro ter atenuado e aberto um
pouco os céus das ilhas, António e Geraldo Filipe avistaram terra
firme, mas já muito longe de casa. A corrente marítima  empurrou-os
de Neves para o ilhéu das Rolas, do Norte para o Sul da ilha de São
Tomé.

António Filipe que há  mais de 40 anos se dedica à pesca, diz agora
que vai largar a profissão, enquanto que o filho, ainda jovem,
promete continuar a desafiar o mar porque, argumenta, é daí onde
retira o sustento.
 
 .
 

Nenhum comentário :