expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

domingo, 9 de agosto de 2015

Fundação Manuel Pinto da Costa – promove 1ª Edição da Corrida Pedestre, que contou com a participação de algumas centenas de atletas masculinos e femininos

Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista
A fundação Manuel Pinto da Costa, do atual Presente  da República de São Tomé e Príncipe, realizou, na manhã deste último sábado, a 1ª Edição da Corrida Pedestre, que contou com a participação de algumas centenas de atletas, masculinos e femininos, ganha pelo fundista internacional da Ilha do Príncipe, Ilídio Vaz e a meia-fundista, Dulce Conceição, de São Tomé. 
A prova, com a data de 5 de Agosto, dia do aniversário de Manuel Pinto da Costa, só agora pôde ser realizada, por se encontrar na Guiné Equatorial, onde foi participar nas comemorações do chamado Golpe da Liberdade – Também, não pôde estar presente, no momento da partida, desta competição,  e mesmo testar a sua forma física, com os demais atletas inscritos, por razões de saúde (devido a uma gripe, segundo confessou à TVS), compareceu, no entanto, à entrega dos troféus.
Com muita pena nossa, apenas nos foi possível assistir à partida, desta louvável e concorrida maratona, frente ao Banco Patrocinador e ao lado da Praça da Independência, isto, porque, logo a seguir tivemos que nos dirigir para um estudo de investigação arqueológico, em certos pontos do litoral a Norte de S. Tomé, na companhia de Cosme Pires dos Santos,  companheiro da escalada do Pico Cão grande, que finalmente pudemos localizar, em Folha Fede, na zona de Trindade
Segundo refere o Telanon,  "Cada um dos atletas levou para casa mil dólares como prémio por ter cortado a meta num percurso de 10 quilómetros.
Para além da prova de competição dos dez mil metros, também houve uma outra prova de marcha para incentivar a boa constituição física e apoiar o desporto em São Tomé e Príncipe.
 (..)Para o Administrador do Banco Internacional de São Tomé e Príncipe, Acácio Elba Bonfim, a instituição bancária sempre apostou na vertente desportiva e em tudo que é positivo para São Tomé e Príncipe. «O desporto é algo que deve ser sempre incentivado e todos devem praticar o desporto, onde cada um prática o que poder. O atletismo é uma atividade de massa e vamos fazer sempre cumprindo uma tradição. Serve para mobilizar as pessoas e incentivar a vida», declarou Acácio Bonfim. Excerto de Ilídio Vaz e Dulce Conceição ganharam a II corrida pedestre 


Nenhum comentário :