expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Presidente da República recebe jornalista português Jorge Marques



Por Adilson Castro – Jornalista - In Jornal Transparência - JT: 19.08.2015





"O conceituado jornalista investigador Jorge Trabulo Marques, encontrou-se esta terça-feira pelas 11 horas com o Presidente da República de São Tomé e Príncipe, Manuel Pinto da Costa, no seu gabinete no Palácio Presidencial.

Tratou-se de uma visita privada, na qual o jornalista Jorge Marques, no último dia da sua estadia, aproveitou para apresentar ao Chefe de Estado Santomense, os espólios que  descobriu na Ilha de São Tomé, nomeadamente, os restos de uma espada e um punhal antigo  - Este ainda no interior da baínha, a cerca de cinco metros de profundidade no mar são-tomense na região norte do Arquipélago.


O Presidente da República Manuel Pinto da Costa,  que teve em suas mãos, as referidas peças arqueológicas, que atentamente admirou e apreciou, sem, todavia, se pronunciar sobre a sua origem ou antiguidade, considerando, tal como  o investigador, que as  mesmas devam ser objeto de  estudo aprofundado  por especialistas

Jorge Marques, que, na última segunda-feira, já havia sido recebido em audiência pelo Ministro  da Educação Cultura e Ciência, Olinto Daio, para lhe fazer a  entrega formal do espólio da sua exposição,  intitulada “Sobreviver no Mar dos Tornados- 38 Dias à Deriva numa Piroga”, que doara ao Museu Nacional e esteve patente, de 28 a 30 de Julho, no  Centro Cultural Português,  aproveitou, ainda  a ocasião, para lhe mostrar e lhe pedir que ficasse  ao cuidado do seu Ministério, a salvaguarda e o estudo dos materiais arqueológicos, atrás especificados, que pôde recolher nas suas pesquisas, que, entretanto, ainda gostaria de mostrar a outras entidades e, por fim, devolver. - O que, de resto, acabaria por efetuar, ao Dr. António Mendes, Diretor do seu Gabinete,  após a audiência concedida pelo Sr. Presidente da República





Recorde-se que, o jornalista português e investigador, Jorge Trabulo Marques, deixou esta terça-feira a capital são-tomense no voo de TAP a Portugal, depois de ter permanecido durante um mês em São Tomé e Príncipe.

Por: Adilson Castro- JT



Nenhum comentário :