expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Em S. Tomé – Jovem delinquente que assaltou o Palácio Presidencial, um perigo à solta - Posto no dia seguinte em liberdade por ser considerado inimputável por razões mentais, reincide num assalto a uma residência particular no Bairro Madre de Deus, provocando um enorme susto na proprietária, ao encontrá-lo na sua casa de banho

Jorge Trabulo Marques - Jornalista Profissional
Algumas horas depois, do MP, ter decido soltar Digelson Sousa Pontes, o jovem santomense, de 20 anos, que, a meio da manhã de ontem, invadiu o Palácio Presidencial, logrando iludir a vigilância militar, o mesmo volta à actividade criminosa, igualmente da forma mais insólita.

Concluído o inquérito da Polícia de Investigação Criminal, que o remeteu ao Ministério Público, o juiz decide pela sua soltura, por considerar seu ato do âmbito do foro mental

Solto, durante a tarde, eis que, por volta das 20 horas, não perde pela demora: não para invadir um palácio presidencial mas para assaltar uma casa particular no Bairro Madre de Deus,, que só não foi concretizado por a proprietária ter surpreendido o assaltante na sua casa, o qual, ao ver logrados os seus intentos criminosos, foge e deixe a mochila- 

Escusado será dizer que, assaltos desta natureza, mesmo que não inteiramente consumados, não deixam ser encontros de grave perturbação psicológica e emocional - E foi justamente o que sucedeu - Deixando a senhora em estado de choque  -  O jovem assaltante, mora relativamente próximo, e, tendo conseguido saltar o muro do seu quintal, enfiou-se no interior da sua casa de  banho, local onde foi encontrado. 

Por ser vizinho, e, como a ocorrência, do assalto Presidencial, no dia de ontem, ocupara os telejornais, a proprietária da casa assaltada, não teve qualquer dificuldade em identificar o assaltante e de o associar ao insólito episódio.

Alertadas as autoridades, estas decidem comunicar aos pais do jovem, a ocorrência, tendo a mãe conduzido o filho do hospital, onde ficou internado para assistência psiquiátrica


Como se compreenderá, Digelson Sousa Pontes, de 20 anos, já não é nenhuma criança, pelo que, embora sendo considerado irresponsável pelos seus actos, a verdade é que, a avaliar por ações criminosas anteriores – nomeadamente de vários assaltos e roubos, pelas quais já foi detido várias vezes, não deixa, porém, de ser um fator gravemente perturbador numa cidade, onde, apesar do fenómeno da criminalidade, já não ser de todo inocente, é sempre gerador de intranquilidade e perturbação


Assim sendo, urge que as entidades competentes, encarem estas ações, não como episódicas ou consequência de qualquer imbróglio  de natureza política, mas promovendo aprofundados inquéritos e com a frontalidade desejável: 

Pois, se se comprovar que , de facto, o jovem delinquente, assalta e rouba, devido a motivos de ordem psicológica - e, pelos vistos, parece ser o mais provável, dado ser de família bem colocada na sociedade santomense – então que se tomem as devidas providências e se decida, não pela sua soltura mas pelo seu internamento psiquiátrico: a bem da sua saúde mental, da protecção familiar, que nestas circunstâncias é ainda a que mais sofre e da tranquilidade pública

.


(título de um livro de minha autoria)

Por exemplo, o que se passou, no dia se ontem, na invasão do Gabinete Presidencial, - se a sua loucura, fosse lavada a cabo noutro país africano, dificilmente escaparia com vida - Mas foi numa terra que é por natureza maravilhosa e de gente pacifica


De recordar , que, já no passado mês de Janeiro, o referido jovem foi apontado como tendo feito parte do grupo de jovens adolescentes, que agrediram uma das suas vítimas com uma pedra na cabeça -http://www.telanon.info/…/criminalidade-os-6-rapazes-do-li…/

Então de que se espera?

Ontem, foi no Gabinete do Presidente da República e quem, nos garantirá que, daqui uns dias não faça o mesmo no Gabinete do Primeiro-ministro ou no lar anónimo de uma qualquer família ordeira e pacifica. 

JOVEM COM CADASTRO
De recordar que, quando invadiu o Palácio, “ além de um computador, transportava passaportes e uma bíblia sagrada, só foi notada quando estava na escada que dá cesso ao salão nobre do palácio presidencial e ao Gabinete do Presidente da República.

O segurança que esbarrou com o jovem na escada, disse que o cidadão manifestou interesse em falar com o Chefe de Estado. Logo de seguida o Jovem agride o segurança e penetra no salão nobre do Palácio. «Ele tentou entrar no gabinete do Presidente», declarou o segurança Jovem que assaltou o Palácio Presidencial tem cadastro ..




POLÉMICA E INDIGNAÇÃO NO FACEBOOK - MAL FOI DADA A NOTICIA

Comments
José Augusto Margarido Já nem li tudo, mas se fosse eu que fizesse parte da justiça não lhe ficava a boca doce. Era o que faltava. Nunca percebi porque estes espeluncas são tão defendidos pela justiça em todo o mundo, em vez de cortarem o mal pela raiz para darem exemplo a outros que pensem em fazer o mesmo...
GostoResponder4 h
Jorge Trabulo Marques Pois, Meu Caro José - Mas estamos na terra do leve leve -- Além disso, de um meio muito pequeno - - Em todo o lado é assim, mas nos pequenos meios urbanos, onde todos se conhecem, quem é que vai julgar quem?
GostoResponder14 hEditado
José Augusto Margarido Jorge Trabulo Marques mas cá no nosso país fazem o mesmo.... os reclusos são muito defendidos a não ser os altamente perigosos...
GostoResponder3 h
Jorge Trabulo Marques Em todo o lado assim, ´o delinquente costuma ser mais defendido que a vitima - Eu conheço bem esse meio, como jornalista - Entrevistei até delinquentes dos mais perigosos em Portugal. - Espero é que a vivenda, onde me encontro, não vá pelo mesmo caminho: - é noite e perscruto todos os silêncios em redor - Nas noites anteriores, eu não tinha essa preocupação; eu ontem dei-me conta da ocorrência e, confesso que fiquei algo assustado, quando, alguém do outro lado da linha, com quem pretendia falar, me respondeu que de momento não me podia atender, visto ter que agir numa situação de emergência, devido à entrada de um estranho no Palácio, pelo que imediatamente encerrei as janelas; visto a vivenda se situar no interior do perímetro do Palácio - graças a uma cortesia Presidencial, pois de outro modo era-me impossível pagar o alojamento e desenvolver o trabalho de investigação que estou a desenvolver - de achados históricos e do projecto de uma regata de canoas, que entretanto apresentei ao PM - Para ficar mais dez dias, já tive de desembolsar quase 400 euros à TAP -Ainda não dei um mergulho na praia e já estou aqui há um mês, cheio de dores, devido à violenta queda no Pico Cão Pequeno sempre muito ocupado - Agora ao fim da tarde, na esplanada da Avenida, tive um encontro de duas horas com o Secretário da Embaixada da Guiné Equatorial, pessoa muito minha amiga, simpática e comunicativa, que gosta de S. Tomé e de Portugal, que já conheço de anteriores estadias - Isto depois de já ter sido recebido na sua Embaixada pelo Sr. Embaixador António Ebale e de uma visita de cortesia à Embaixada da Nigéria
GostoResponder12 hEditado
José Augusto Margarido A sua vida é um risco cheio de aventuras como já tive ocasião de dizer. Espero que mais tarde ou mais cedo venha a ser distinguido pelo seu meritório, no caminho da aventura e descoberta !...
GostoResponder2 h
Jorge Trabulo Marques Meu Caro, José - Creia que, depois do que ontem sucedeu, e ontem só me fui deitar por volta das quatro da manhã, levantando-me às nove, se calhar hoje vou pelo mesmo caminho, confesso que me sinto algo intranquilo - E, nos outros dias e na minha anterior estadia, eu sentia-me, quase como um Príncipe, visto serem bem lindos os jardins do interior do Palácio e bem confortáveis as vivendas de hospedagem transitória - Sei que posso contar com vigilância militar mas estou sozinho e a casa tem vários quartos e janelas e as falhas de luz são constantes - mas para quem andou no mar perdido, está mentalizado para tudo - Mas, no fim de contas, estou bem - tivesse eu saúde - Tenho ar condicionado e aqui os mosquitos, não têm hipóteses de me chatear
GostoResponder2 hEditado
Jorge Trabulo Marques


Escreve uma resposta...
Alcistines Paixão Eu admiro ainda como é possível um indivíduo entrar num edifício protegido por militares entrar na sala do PR e o juiz ainda li deixá em liberdade...
GostoResponder4 h
Jorge Trabulo Marques O Palácio é apenas vigiado pelo olho humano - Dispõe de video-vigilância mas nem sempre funciona; há constantes falhas de electricidade na cidade e, conquanto disponha de um gerador de corrente alternativo, não é fácil resolver a dificuldade imediatamente. - O que vale é que, S. Tomé, é uma ilha tradicionalmente pacifica - basta dizer que aqui não houve a luta armada - de outro modo, nem o turista se arriscaria a visitar a ilha, já que o policiamento, se bem existente, longe de se sentir a sua presença ou ter o aparato das grandes cidades europeias.
GostoResponder4 hEditado
Jorge Trabulo Marques


Escreve uma resposta...
Elizabete Cruz Invés de trabalhar não,vagabundo.
GostoResponder4 h
Jorge Trabulo Marques A avaliar pelo comportamento dos seus delitos, trata-se de um jovem com perturbações mentais. Curiosamente, já tive oportunidade de o conhecer, sentado frente ao seu computador, numa esplanada, frente ao jardins do Palácio, onde me encontro instalado - Chamou-me a atenção a bizarria dos seus auscultadores, enquanto teclava. Porém, longe de imaginar que seria capaz de tais loucuras. Se bem que, na sua página do facebook, conquanto não aparente qualquer tipo de delinquência, bem pelo contrário mas de um jovem moderno e pacato, pai de uma filha, que afaga carinhosamente ao colo e que edita imagens pacifistas e de índole cristãhttps://www.facebook.com/Djelson.j não deixa todavia de evidenciar algumas contradições: diz que vive em Lisboa mas reside em S. Tomé - Um certo ar exibicionista, nalgumas fotos, também nada tem de anormal, visto ser próprio da sua juventude e da sua classe social

Nenhum comentário :