expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Primeiro-ministro de Cabo-Verde, em S. Tomé para uma visita de quatro dias “A forte comunidade cabo-verdiana residente em São Tomé e Príncipe é fator de aproximação entre os governos”

(foto da RNSTP) “A forte comunidade cabo-verdiana residente em São Tomé e Príncipe é  fator de aproximação entre os governos” no reforço das novas formas de cooperação – Disse . José Maria Neves aos jornalistas, no encontro oficial com Patrice Trovoada, que agradeceu ao seu homólogo o apoio na dinamização dessa cooperação


Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, dois arquipélagos que se erguem nos mares do Atlântico – Cabo Verde,  um pouco mais acima do Equador, junto ao trópico de câncer - com laços históricos comuns, continuam a mostrar às suas populações e à comunidade internacional, através dos seus Governantes e Chefes de Estado, que, entre os seus povos, há toda a vantagem em reforçar, ainda mais, os laços de cooperação e desenvolvimento económico

Em Julho do ano passado, foi a visita do Presidente  Jorge Carlos Fonseca, que aproveitou para se associar às comemorações do 40º aniversário, que, depois, de 21 a 24 de Janeiro último,  foi correspondida pela visita do Presidente Manuel Pinto da Costa

Ambos não deixam de sublinhar, nas suas visitas, que  o reforço dessa aproximação entre Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, se deve à existência de uma expressiva comunidade de cabo-verdianos e seus descendentes, radicados naquele país”,
E foram justamente estas as palavras agora proferidas, tanto pelo Primeiro-Ministro de Cabo Verde, como pelo seu homólogo, Patrice Trovoada
José Maria Neves afirmou que Cabo Verde está a desenvolver relações sólidas e a repensar novas áreas de cooperação com São Tomé e Príncipe. " Estamos a encontrar novas áreas de cooperação, desde a formação profissional, ensino superior, ciência e inovação, pescas e agricultura".
Já o primeiro-ministro de São Tomé Patrice admitiu as vantagens em cooperar com Cabo Verde e reconheceu que o país está mais avançado em vários domínios e isso tem trazido  vantagens para o país. " No clima de negócios e na área da capacidade de formação de quadros e temos beneficiado, no âmbito dessa cooperação, do apoio de Cabo Verde

Na agenda dos próximos dias, de  José Maria Neves, contam visitas a vários distritos do país, junto a comunidade residente no arquipélago

Nenhum comentário :