expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 14 de março de 2016

Wildiley Barroca – Diplomata, poeta, jornalista e declamador - Uma estrela na liderança da juventude santomense, com brilho internacional – Que tem na constelação da poesia na Alda do Espírito Santo, que declama na televisão, “o verdadeiro sentido da vida e a fonte inspiradora dos seus versos



“Transcende-te / Rasgando o silêncio dos tempos “ – Vai longe o voo do quem assim pensa! – E quem assim pensa, nos versos que escreve, é o jovem diplomata santomense, com projeção internacional; poeta, jornalista e declamador – Uma figura elegante, simpática, culta  e ao mesmo tempo discreta, que,   um agradável acaso, trouxe ao meu encontro - Sim, tive  o grado prazer de conhecer pessoalmente, na minha ultima estadia em São Tomé.

Atual Presidente do Conselho Nacional da Juventude de São Tomé e Príncipe e Embaixador da Juventude Africana em funções na União Pan-africana da Juventude onde exerce a função de Vice-presidente, Coordenador para Africa Central. Representante do Parlamento Mundial da Juventude para a Água em São Tomé 

Seu pai  é um empresário de sucesso, que reside e trabalha na Bélgica; o filho, também nascido na maravilhosa Ilha de São Tomé, pelos vistos, vai pelo mesmo caminho: é já uma estrela na liderança da juventude santomense: com justificado mérito e provas dadas,  logrando  harmonizar a vida executiva, usando até mesmo alguns dos seus termos, com o sonho poético, 

"Transcende-te /Rasgando o silêncio dos tempos/ e as vicissitudes de aurora e de todos os tempos… /cavalgamos afanosamente cantando em canto dos encantos /o desencanto em pranto do nosso encanto sem canto…/ a tecnologia, design e o entretenimento/ serão esteios de sustento para a aposta ao desenvolvimento/serão esteios de sustento para a aposta ao desenvolvimento/ deste benquisto país insular em crescimento…/por isso, faz acontecer… / oh! gente moça de agora, /onde tudo passa sem demora" - Excerto 

Como se depreenderá, no fundo, a poesia de Barroca, é também baseada na ação: fazendo com que, cada palavra, ganhe força, expressão,  sentido - Passando do jogo utópico ao real:

Daí estas suas linhas de orientação: “Sensibilizar, informar, mobilizar a juventude, promover, estimular e coordenar as actividades da juventude Africana como parte da sua participação para fortalecer a capacidade em posições de tomada de decisão, liderança e boa governação, desenvolvimento político, económico, social e cultural do continente.

O JOVEM TALENTOSO QUE FEZ SÃO TOMÉ CONQUISTAR A VICE-PRESIDÊNCIA DA UPJ

Em 28 e 29 de Novembro de 2014 – segundo noticia então divulgada pelo Téla Nón - São Tomé e Príncipe, subia  de posição nas eleições da União Pan Africana da Juventude, graças ao desempenho do jovem Wildiley Barroca, que, na qualidade de  candidato em representação do país, passava de  Assessor para Comunicação e Relações Públicas, às funções de Vice-presidente da UPJ, Coordenador-geral para África Central – Isto pelo facto de, nas eleições da UPJ realizadas no Birchwood Hotel, Or Tambo Conference Centre em Joanesburgo – África do Sul, Wildiley Barroca ter vencido  o gabonês,  Andy Roland Nziengui Nziengui com vinte votos a favor e oito contra.-  São Tomé e Príncipe conquista a vice-presidência da UPJ 


ADMIRADO E RESPEITADO PELA JUVENTUDE DO SEU PAÍS

 Este o teor de um dos comentários, à noticia então publicada pelo Téla Nón, que exprime a admiração e o respeito que os jovens satomenses, têm pelo seu compatriota - 

“´Meu Caro: felicidades é o que nos tens proporcionado desde que nos conhecemos sempre esse Barroca dedicado, comprometido com as causas, com a juventude, com o bem estar-social , cultural e sobretudo com a saúde da leitura, da cultura da literatura, ,amante das artes plásticas, inseparável dos poemas, e amigos de todos, te amamos todos e esperamos que este governo saiba reconhecer e merecer os teus esforços um bem haja meu caro que Deus ti proteja ti dê mais sabedoria. Viva a intelectualidade santomense, viva a dinâmica dos jovens , viva STP

De facto, embora, ainda jovem,  o seu currículo, diz-nos, que, o seu percurso e seu engajamento permitiu-lhe ser recebido por Sua Excelência o Presidente da República Democrática do Congo Joseph Kabila Kabangue, bem como o seu Ministro dos Negócios Estrangeiros, Ministro da Juventude e o Primeiro-Ministro de Congo, depois de um Atelier de Elaboração do Plano de Acção da União Panafricana da Juventude realizado em Kinshasa - Republica Democrática do Congo.

Fundador do Parlamento Nacional da Juventude para Agua (PNJA - STP); Fundador e primeiro ponto focal da Rede dos Jovens para Floresta da Africa Central (REJEFAC - S. Tomé), e também o primeiro jovem Santomense a fazer parte do Parlamento Mundial da Juventude para Agua (PMJA). Foi eleito presidente da União Literária e Artística Juvenil (ULAJE Club UNESCO) uma organização juvenil fundada pela poetisa Aida Espírito Santo, autora do Hino Nacional de São Tomé e Príncipe. Ele é também Presidente e fundador de uma Fundação que tem o seu nome, e que debruça suas acções no empreendedorismo social e acções humanitárias.

Autor do livro" Apuros da minh'alma errante". Tem o Bacharel em Secretariado Internacional, e é Licenciando em Direito.

No plano nacional, tem participado em quase todos os eventos nacionais ligados a juventude, em Seminários e Workshops de Juventude e destaque a participação na Elaboração da Estratégia Nacional para a Juventude em São Tomé e Príncipe bem como as actividades de comemoração do dia 5 de Novembro - dia da Juventude Santomense.

No que se refere à esfera internacional, foi selecionado para participar na Cerimonia de Lançamento da Estratégia Panafricana da Juventude para o Desenvolvimento Sustentável em Nairobi - Quénia em 2013, tem participado em reuniões internacionais de jovens, destacando a Cimeira de Jovens Líderes Africa Europa - Bruxelas 2014, Atelier de Constituição do Conselho Regional da Juventude da CEEAC em Malabo - Guiné Equatorial e Yaoundé - Camarões 2013, e VI Bienal dos Jovens Criadores da CPLP em Salvador - Bahia, Dezembro de 2013; na Conferencia da União Africana - Silencing

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE – ILHAS DE POETAS

A beleza natural de São Tomé e Príncipe é meio caminho andado para ser-se poeta – e estas ilhas têm grandes poetas: desde um  Costa Alegre, a Francisco José Tenreiro, passando por Francisco Stockler, Alda do Espírito Santo, Conceição Lima, a Olinda Beja, entre outros, são nomes de elevada craveira, que atestam uma extraordinária literatura poética

Mas, como é compreensível,  a poesia  tem as suas gradações e os seus vários níveis, tal como a tela do pintor: não basta versejar ou rimar ou até usar uma linguagem hermética ou complicada, é preciso algo mais, que até  pode ser expresso em linguagem simples  – E, realmente, essa centelha que distingue os grandes poetas, penso já são os sinais que é possível descobrir na  poesia de Wildiley Barroca

ALDA DO ESPÍRITO SANTO  - A MUSA INSPIRADORA DE WILDILEY BARROCA

Numa troca de emails, que travámos, disse-me que a poesia de Alda do Espírito Santo,  lhe ensinou “o verdadeiro sentido da vida: Eu convivi muito tempo com a Poetisa Alda Espírito Santo, uma mulher que ensinou-me o verdadeiro sentido da vida, e hoje desmedidamente reconheço o quão importante foi esta convivência de largos anos que hoje tem-me edificado e preparado para a vida. 

Os poemas "Lá no Agua grande" " Ilha Nua" de Alda Espírito que passa na TVS, sou eu que os declamo. 

À Alda Espírito Santo

Mãe, mulher de coração,
Muala Men gaín,
A tua sábia obra literária
Nos une na mais esfuziante euforia
E convida-nos a cair firme nesta poética folia.
Os teus versos de sapiência
A nós, é uma honra relembrá-los.
Pois nos alimenta a Santomensidade
Sentir e fazer sentir os teus primores…
O que constitui para o nosso país
Princípio de muitos valores.
Nesta festança
Que une gentes que te prezam
Alda amiga,
Fazemos de todo o nosso coração,
Porque reconhecemos a singularidade da tua pessoa,
Reconhecemos ainda as tuas contribuições dadas por amor
À juventude, crianças e mulheres da nossa terra,
Na edificação de um país sem desumanidade
Em que apelidaste “ É Nosso o Solo Sagrado da Terra”.
E nesta solene efeméride
Onde os nossos corações
Tomados por muita euforia,
Saúda esfuziantemente este teu dia
Apesar de certa melancolia.
Nesta hora de grande euforia
Queremos expressar com fervor a nossa vereda

Que durante a longa caminhada de procedimentos
Recebemos com gracejo, vastos conhecimentos.
É com muita reverência e ardor
Que a ti dedicamos este poema sentido
Em nome do fruto do teu anseio,
Demonstrando sem pios caracterizadores
A tua nobre individualidade.
(27 de Março de 2010)

São Tomé e Príncipe
Puro, belo e virgem
É esse país na sua origem.
País de Marcelo e Tenreiro
Com a imagem do mundo verdadeiro.
São Tomé e Príncipe.
País de gáudio e harmonia,
Povos batalhadores em simpatia
E um sistema excêntrico de democracia.

São Tomé e Príncipe.
País de nome Santo
No coro dos céus e das alianças pardais
Pela manhã o cantar das aves
Faz sorrir a malta desta gesta
Que vive sempre em festa
São Tomé e príncipe.

Juventude
A juventude da minha éra
O porvir vos espera.
Juventude de ilusões e pretensões,
Estendem-se em desafio sem igual
Para o poder público de agora.
Almejando transformações nas suas preces e anseios.
Nós queremos oportunidades,
Queremos mostrar que somos gente,
Gente que a terra hoje demanda
Para seguir o percurso do desenvolvimento
Deste harmónico e dilecto São Tomé e Príncipe.
Nós queremos que em nós
Renasça a confiança e esperança,

Que podemos levar adiante
Este benquisto país de bonança.
Nós queremos mostrar à malta, esta dita façanha,
Que somos competentes para encaminhar sem manha,
O porvir que este país nos consagra
Nos campos que nos forem atribuídos.
A juventude da minha éra
O porvir vos espera.
Santo!
Oh! Santo de todos os santos
Na profundeza dos gritos e dos prantos,
No engrandecer do bem e da prosperidade
Trazei alegria e felicidade.
Na redução dos nossos pecados

Santificando-nos dos males carnais e espirituais,
Sobretudo das mulheres.
Oh! Santo de todos os santos
Tu antes viste-nos nascer
E porque hoje nos repudias?
Oh! Santo de todos os santos
Porquê que a imoralidade e iniquidade
Toma conta do teu povo juvenil...?
Oh! Santo de todos os santos
Livrai-nos dos males da carne
Dos hábitos malignos e dos vícios repugnantes
E de tudo que a nós traz arteirices
E sobretudo das mulheres…
Oh! Santo de todos os santos!


À Dona Alda Espírito Santo
Nada sei!
Apenas sei o que me ensinaste,
Se p’ra ti sou inteligente
Para muitos sou ninguém.
Não foi no mês de Agosto
E nem na corte do Rei!?
Foi nas rugas do teu rosto
Que aprendi tudo que sei.

Nada sou!

Mesmo que eu falasse todas línguas
Até mesmo as dos anjos,
Mas se o meu coração for pérfido, nada sou.
Mesmo se tivesse dom das línguas
Conhecesse todos os vocábulos de fomento ao diálogo,
Mas se o meu coração for pérfido, nada sou.
Mesmo se aos pobres eu ajudar
Obras de caridade eu fazer
Com esforço ao dedicar …
Mas se o meu coração for pérfido, nada sou.
Mesmo se me atufassem de fama,
Me concedessem os melhores dos elogios
Mas se o meu coração for pérfido, nada sou.
Mesmo se tirar o melindre
Das coisas más nos seus actos
E tornar-me puro no cariz…
Com a perfídia no meu coração, nada sou.
Nada sou se o meu coração for pérfido!
Estes versos inspirados em dias de sorte, volvidos de uma
imensurável utopia, são de uma forma muito especial dedicados a
todas as senhoras da terra, principalmente as que são merecedoras
de tamanha metáfora.

Hoje chorei!
Hoje chorei, e indigente está o meu coração…
Nos momentos ruins e de fraquezas
Lembro-me do colo da tia Alda
E desses berros de incentivo a aprendizagem,
Desse olhar que por vezes rompem a vontade de continuar.
E outro que por vezes nos faz seguir sem manhã
O destino que a nós é consagrado.
Hoje chorei, e indigente está o meu coração…
Não quererei mais verter nesses olhos meus,
Lágrimas de uma melancólica lembrança
Lágrimas que não secarão tão cedo,
Lágrimas que carregarei pelo resto da minha vida.
Hoje chorei, e indigente está o meu coração...
Rogo a Deus nessa chuva de lágrimas
Que me dê forças para continuar,
Continuar a vencer as agruras da vida
E criar junto dos jovens da minha terra
Um porvir novo para o nosso benquisto país insular.

Nenhum comentário :