expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Eleições 17 de Julho 2016 – Presidente Manuel Pinto da Costa – Ausculta cidadãos para avançar com a sua recandidatura, como independente – O Fundador da Nação São-Tomense, distancia-se do aparelho partidário e da intriga de políticos-empresários

Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista

Manuel Pinto da Costa, Presidente da República Democrática de S. Tomé e Príncipe, ainda não anunciou oficialmente a sua recandidatura, porque as suas altas funções de Chefe de Estado, exigem muita dedicação e  lhe roubam muito do seu tempo, mas tudo indica que deverá fazê-lo, quando achar oportuno  – Por um lado, porque a própria Constituição lhe confere esse legítimo direito – e, sendo ele, ainda hoje, o mesmo lutador de sempre, empenhado  em servir o seu país, dificilmente poderia alhear-se e abdicar desse intrínseco apelo, de corresponder a esse dever patriótico; por outro lado,  porque,  certamente, deverá ter compreendido que a base de apoio, de prestigio e confiança, que goza junto da população, continua a ser  enormíssima e deverá ultrapassar largamente a das formações  partidárias – Tanto assim que deverão ser mais as pessoas que pensam pela sua própria cabeça das  que vão atrás do que lhes é  recomendado pelos Partidos, tal o descrédito em que vão caindo – E, fazendo fé no que é dito pela voz popular, muitos que  dão o voto a Partidos, é porque lho pagaram ou lhe prometeram um emprego.


Os ideais, pelos quais lutaram os fundadores da nacionalidade são-tomense, praticamente desapareceram do léxico partidário, em favor de jogos de interesses individuais ou de grupos: de enrouquecimento ilícito, corrupto. Mas esse fenómeno é transversal a nível global; o liberalismo egoísta e selvagem, que despudoradamente, se apoderou do património das Nações, em prejuízo da esmagadora maioria das populações: dai o desemprego de milhões de seres humanos, o agravar das desigualdades sociais, os ricos serem cada vez mais ricos e os pobres mais pobres e o número destes não parar de aumentar 

FUNDADOR DA NAÇÃO SÃO-TOMENSE 

Homem de coragem e de fé, o lutador, o  líder histórico, que o Povo de S. Tomé e Príncipe, verdadeiramente conhece, desde a primeira hora em que, a bandeira Nacional, foi hasteada na Praça da Independência – Desde aquele já distante dia, em que, no Palácio do Povo, foi empossado na difícil missão  de primeiro Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe.

Os São-Tomenses, podem orgulhar-se e  dar graças a Deus, por ainda poderem continuar a  contar com a  determinação, com o  esforço, a inteligência e a coragem,  do seu Presidente Mnauel Pinto da Costa, e na plenitude das suas faculdades, não obstante as tão gigantescas tarefas a que, árdua e denodadamente,  se tem sacrificado   - De patriota honesto, corajoso, dedicado e íntegro -   Em  servir a sua Amada Pátria – Em prol de um ideal, que  vem prosseguindo, desde os seus tempos de estudante, desde há mais de meio século (1961), altura em  que abraçou os ideais nacionalistas africanos, com outros antifascistas e anticolonialistas

Sem dúvida, a figura mais prestigiada internacionalmente –  Das raras que ainda podem lograr alguma credibilidade e confiança, tanto a credores, como a investidores, num pequeno país que, dada a sua condição insular e à pesada  herança  colonial, continua ainda muito dependente da ajuda externa 

As palavras, que a seguir reproduzo,  foram pronunciadas pelo Presidente da República. Manuel Pinto da Costa, no 12 de Julho de 2015 – E, vendo bem,  é dos raraos cidadãos São-Tomenses, a quem se deve  a legitimidade de as pronunciar:   

“O nosso maior sucesso foi termos adquirido uma identidade, podermos ter as nossas próprias opções e até cometer os nossos próprios erros”…
É na nossa identidade, que começámos a reconstruir nas quatro décadas que levamos de independência que reside a chave para o sucesso de São Tomé e Príncipe, recusando a nacionalização do pessimismo, da crítica destrutiva, do desânimo, da inércia e do isolamento insular que nos empurra constantemente para nós próprios.”

ELEGE-SE UM PRESIDENTE E NÃO UM PARTIDO

Como é sabido, no próximo ato eleitoral de 17 de julho, o eleitor não vota em Partidos mas em pessoas – Na personalidade que, se lhe afigure a mais independente das querelas e interesses partidários, a mais honesta, a mais experiente e prestigiada. Em cuja figura possa confiar – A cujo passado, currículo e o seu perfil, lhe haja demonstrado relevantes serviços  à Nação – E, dentre os candidatos, que se perfilam a esse alto cargo, em quem escolher? – Ora esta é uma decisão que caberá a cada cidadão-eleitor

“PINTO DA COSTA AUSCULTA POPULARES”

Refere a informação do site de apoio à sua recandidatura, o seguinte:

“As eleições para presidente da república estão marcadas para  17 de Julho próximo em São Tomé e Príncipe. Já são conhecidos pelo menos quatro candidatos, a saber, Maria das Neves, Evaristo Carvalho do ADI, Estanislau Afonso e Gilberto Gil Umbelina.

Manuel Pinto da Costa, atual presidente da república que ganhou as eleições de 2011, tem sido encorajado, tem recebido convites e manifestação de apoio de várias personalidades importantes do país e do estrangeiro, bem como diversas franjas da população são-tomense para concorrer para mais um mandato de cinco anos a frente dos destinos de São Tomé e Príncipe.

Para confirmar essas vontades da população, Pinto das Costa tem vindo a efectuar uma série de encontros em diversos distritos do país.

O objectivo é confirmar os desejos expressos pela população, empresários, comerciantes, agricultores, taxistas, motoqueiros e outros elementos da população e obter garantias se deve ou não avançar para mais um desafio a frente dos destinos do país.
O Distrito de Cantagalo, é um importante polo de desenvolvimento do país e onde abarca uma grande comunidade da população. 
Este fim-de-semana, o presidente são-tomense esteve na cidade de santana, capital do Distrito de Cantagalo a convite de responsáveis políticos locais e da população. Ouviu apelos para avançar nesta corrida porque, como disse um elemento da população, Pinto da Costa é a esperança de um futuro mais risonho.
http://vozdesaotomeeprincipe.blogspot.pt/2016/05/pinto-da-costa-ausculta-populares.html

Aurélio Martins - WEB 
 AURÉLIO  - “O  EMPRESÁRIO-IMPERADOR” - APRESENTOU-SE A LIDERAR O MLSTP-PSD, COMO RENOVADOR MAS  VAI  DEIXÁ-LO ESFRANGALHADO

Proprietário de empresas são-Tomenses em vários domínios, desde a hotelaria até segurança privada" - Atual dirigente do MLSTP-PSD  - Apresentou-se nas eleições Presidenciais de 2011, contra o líder Histórico, Manuel Pinto da Costa e nem sequer  passou das primárias - Nas últimas legislativas deixou o Partido num frangalho. Tendo sofrido a mais humilhante derrota  da sua história - Ambicioso e manipulador dos media, tendo instituído um prémio de jornalismo para conquistar a simpatia nesta área. Agora, não concorre mas dá o apoio à empresária, Maria das Neves, vice-Presidente da A.N, a ex-Primeira. ministra, demitida por Presidente Fradique Meneses, em 2004, devido a acusações pelo Ministério Público de envolvimento num escândalo financeiro, por destacadas personalidades da classe política Destacadas personalidades do Estado de São Tomé e Príncipe  (reservo mais pormenores em postagem a editar)
  
  Atente-se nesta recomendação, Aureliana, que dirigiu ao Presidente da República, depois de insinuar que não se devia candidatar "Todos aqueles que pretendam candidatar-se passarão por um crivo do tribunal depois de depositarem as documentações exigidas por lei para se verificar que se cumprem os requisitos legais para concorrerem ao cargo. 

A liderança partidária, nos tempos que correm, é cada vez mais uma posição cobiçada por empresários, ambiciosos e sem escrúpulos, que procuram transformar os Partidos, nas suas alavancas de negócios pessoais -  Isto, porque, "Em são Tomé e Príncipe, os deputados e os membros do governo não estão sujeitos a apresentar uma declaração de interesses,  Diz Leopoldo Marques,  A CORRUPÇÃO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE(artigo de opinião) | Tél E depois ainda se arrogam de  proferir sentenças, quando, afinal, eles é que deviam ser os escrutinados e sentenciados - Obviamente que tinha de prestar o seu apoio à empresária Maria das Neves, que também tem navegado em torno do poder lamacento e turbulento do sector politico-empresarial

Mas, como é possível que, Governos ou financiadores estrangeiros, possam confiar milhões de dólares em políticos-empresários - e diga-se, fracassados - que mal sabem gerir os seus negócios, quanto mais Governar um País!

27/09/2015 “São Tomé e Príncipe está classificado como um país de alto risco de stress da dívida pública e o atraso dos pagamentos estatais constitui um grave problema para o governo do primeiro-ministro Patrice Trovoada que não esconde a sua preocupação” – E, porque existe  essa desconfiança? Naturalmente que por razões de ordem política. Quem empresta, não o empresa à toa e faz as suas avaliações – Do que se prometeu fazer e não se fez  ou como foi aplicado



Tal como  é do conhecimento público,   alguns  dos atuais dirigentes de topo do MLSTP-PSD, a quem o seu fundador, deu as mãos, além de já terem traído os ideais do Partido, seduzidos pelo individualismo  liberalista, mais empenhados pelos seus interesses pessoais ou de grupo de que a servir os da  comunidade, uma vez mais procuram impor uma candidata  da sua corte,  relegando a carismática e prestigiada figura de Manuel Pinto da Costa.

Este é o propósito de Aurélio Martins, dirigente do MLSTP-PSD, como se só a lhe  competisse  pronunciar-se  em nome da  figura emblemática,  fundadora da nacionalidade e do Partido  – E   vai de publicamente desaconselhá-lo    a candidatar-se  – Porque, segundo as suas declarações à C.S, “uma candidatura forte”, é a da empresária e  vice-presidente da AR,  Maria das Neves, ou seja, uma das  personalidades que foi indiciada, enquanto Primeira-ministra,  de estar envolvida no mesmo rol de  graves acusações pelo uso indevido de fundos do Banco Alimentar, que deviam ser aplicados na melhoria das condições de vida das populações, mas desviados a favor de políticos, empresários,  homens de negócios. - Maria  das Neves, escudou-se na imunidade parlamentar, enquanto pôde, recusando-se a colaborar imediatamente, com a Justiça, levando a que o  processo se arrastasse por vários anos  - Alguns cabecilhas do seu Governo foram condenados a pesadas penas. - Ora, aí temos a explicação para este solidariedade "institucional Destacadas personalidades do Estado de São Tomé e Príncip

A DIÁSPORA TAMBÉM CONFIA NO PRESIDENTE MANUEL PINTO DA COSTA

Esse amplo reconhecimento foi explícito, tanto no interior do país, como na diáspora, nas anteriores eleições, e, por certo, vai reforçar-se, ainda mais - . Assim o revelaram as noticias, na altura: “O eleitorado reconhece a prestação do apoio de Angola ao seu país e a maturidade do candidato em causa, por isso almeja também pelo reforço dos laços de amizade entre os dois países a da sua ligação com outros países da Comunidade dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e CPLP.
Demonstrou-o na eleição anterior, mesmo a contragosto de alguns dirigentes do seu Partido, que, uma vez mais se reúnem em torno de uma candidata, que com ela fizeram parte do mesmo elenco governativo,  até hoje  considerado o maior escândalo da corrupção. Por certo, novamente movidos pelas mesmas vaidades e desígnios, de ambições pessoais e de grupo de que em prol dos interesses da comunidade  -  

.






Nenhum comentário :