expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Eleições Presidenciais 2016 – De vento em popa, marcadas por algumas calmarias e calemas -Até com candidaturas inspiradas pelo poder divino - Em declarações à RTP-África, o ex-Presidente de Moçambique Armando Guebuza, que chefia a missão de observação da União Africana (UA) , manifestou-se confiante na Experiência das autoridades santomenses - Imprensa local e portuguesa – toma posições

Jorge Trabulo Marques - Jornalista -  Informação e análise

S. Tomé e Príncipe – Eleições 2016 - Armando Quebuza, confiante de que o processo eleitoral, decorra com normalidade

Em declarações à RTP-África, o ex-Presidente de Moçambique Armando Guebuza, que chefia a missão de observação da União Africana (UA) às presidenciais em São Tomé e Príncipe, marcadas para o próximo dia 17,  recebido pelo Presidente da Comissão Eleitoral, manifestou-se confiante na Experiência das autoridades santomenses e deixa uma mensagem ao povo destas ilhas, para que, juntos, façamos democracia.

O Ex-Presidente Armando Guebuza é uma personalidade distinta e respeitável. E, por isso, o seu nome é uma boa garantia para chefiar a referida missão - Por outro lado, a mensagem que procurou transmitir ao  Povo Santomense é de facto um  excelente estímulo. No entanto, embora sendo politicamente correta e positiva, não significa que seja totalmente tranquilizadora;  isto, porque, aquilo que Povo não quer é chapeladas -  este é o papel dos observadores: - evitar manipulações ou boicotes e denunciá-los. Não é tanto,  ouvir dos observadores, que o Povo deve confiar na experiência das autoridades  mas acreditar no zelo e eficácia do trabalho dos observadores  - É isso que o Povo espera, que cumpram capazmente a sua missão  - Pois, ´como se compreenderá, nem toda a gente vota - nem mesmo todas as autoridades - , se dispõe a votar mas têm a sua posição politica.


CAMPANHA DE VENTO EM POPA - MARCADA ENTRE A CALMARIA E A CALEMA 

S. Tomé é um meio pequeno e pacifico e a violência não mora nestas maravilhosas ilhas - Porém,  com a abertura das urnas das eleições presidenciais, quase à vista, a voz sob de tom e exaspera paixões - Mas nada que possa comparar-se aos demais países de África, onde as campanhas eleitorais, são bem mais turbulentas - E nem a paz e a tranquilidade assenta arrais ao longo de todo o ano

PAPEL DA IMPRENSA  LOCAL - Os órgãos de comunicação social, sob a tutela Estatal, salvo os tempos de antena, não dão grandes margens à oposição  - A privada - quer no papel ou  on line - também faz a apologia dos seus candidatos  - Salvo o  http://www.telanon.info/- ainda assim o mais equilibrado e prestigiado  - Resta a liberdade de expressão na Internet: porém, aqui também as posições, se mostram demasiado sectárias  

E surgem já denúncias, em plena campanha, de que algo não vai bem - "Numa deliberação enviada a redacção do Jornal Téla Nón para a devida publicação, o Conselho Superior de Imprensa (CSI), dá conta que recebeu um recurso do Gabinete de Campanha da Drª Maria das Neves contra a TVS e a Rádio Nacional.

Tudo porque os dois órgãos de comunicação social do Estado, negaram a referida candidata o direito de resposta em relação a duas situações de autêntica propaganda política que a Rádio Nacional e a TVS realizaram a favor do seu candidato as eleições presidenciais, e em prejuízo de outras candidaturas nomeadamente a candidatura de Maria das Neves"  ExcertCSI denuncia TVS e RNl desta vez em plena campanha .
IMPRENSA PORTUGUESA  TOMA  POSIÇÃO - A imprensa portuguesa também parece estar envolvida na campanha eleitoral,  tal como sucedera nas últimas eleições legislativas, tomando  posição politica  - Omitindo candidatos e destacando outros ou até denegrindo-os - Tem-se notado no destaque de algumas noticias e até com temas à margem da campanha mas com um fim político bem determinado  - Há gente que escreve nos jornais, em Portugal,  tem influência politica nos mesmos e vem a S. Tomé  participar em campanhas eleitorais - Ou não foi isso que se passou nas eleições de Outubro de 2014? 

CINCO NA DISPUTA E PELA MESMA ORDEM DO SORTEIO - À EXCEPÇÃO  DE MANUEL ROSÁRIO QUE ASCENDE DO 7º LUGAR PARA QUINTO

Téla Nón - Manuel Pinto da Costa  - diz ser o único a cumprir com a estabilidade em 25 anos de Democracia - A questão da estabilidade tem sido central na campanha eleitoral para as eleições presidenciais. Pinto da Costa diz que ele é o único Presidente da República que cumpriu a promessa de garantir a estabilidade. «Todos os candidatos falam de estabilidade mas em 25 anos de democracia só eu cumpri a promessa que fiz aos eleitores», afirmou Pinto da Costa.

Numa conversa com populares na roça Vista Alegre, distrito de Mé-Zochi, o candidato sublinhou, mais uma vez, que no próximo domingo não está em causa a escolha de um novo governo mas sim do Presidente da República. «O Presidente não governa. O governo foi escolhido pelo povo e essa escolha é para ser respeitada» disse Pinto da Costa.

O Presidente que se candidata a um segundo mandato recordou que «nos 25 anos de democracia, entre 1991 e 2011 o país teve 16 primeiros-ministros e outros tantos governos quando devia ter tido apenas 5», acrescentando que no seu mandato de 5 anos «a legislatura chegou ao fim com apenas dois chefes de governo». Pinto diz ser o único a cumprir com a estabilidade em 25 anos de 

Manuel Pinto da Costa, líder histórico do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe,  pai da Pátria São-Tomense, o qual, após cinco anos como mais alto magistrado da Nação, uma vez mais concorre, como figura supra-partidária  e à margem das querelas e intrigas das atuais cúpulas do Partido, de que foi o  principal fundador  e guia  -

Manuel Pinto da Costa nasceu em S.Tomé a 5 de Agosto de 1937.Doutor em economia pela Faculdade de Berlim, antiga República Democrática Alemã, Manuel Pinto da Costa, membro fundador do Comité de Libertação de São Tomé e Príncipe, primeira organização independentista são-tomense, acabou por ser figura de consenso no seio dos nacionalistas radicados no estrangeiro, para dirigir a nova organização política o MLSTP e consequentemente o novo país independente.

A sua influência na luta pela libertação de São Tomé e Príncipe começou a ser exercida ainda como estudante. Na década de 60 foi eleito secretário para informação e propaganda da União Geral dos Estudantes da África Negra, sediada em Rabat Marrocos.

Durante 15 anos presidiu os destinos de São Tomé e Príncipe, de 12 de Julho 1975 à 3 de Abril de 1991.
Foi um dos primeiros líderes africanos a implementar reformas com vista a mudança do regime mono partidário para a democracia pluralista. Em 1989 sob Presidência de Pinto da Costa o povo foi chamado para referendar a nova constituição política. - Excerto do site do apoio à sua candidatura http://vozdesaotomeeprincipe.blogspot.pt/2016/06/biografia-resumida-de-manuel-pinto-da.

Foto de-global.pt
Lusa - Evaristo Carvalho promete estabilidade em São Tomé O candidato presidencial são-tomense às eleições de 17 de julho Evaristo Carvalho apresentou-se hoje como um "defensor da estabilidade", numa campanha que está fortemente colada ao Governo, liderado pelo primeiro-ministro, Patrice Trovoada.

Apoiado pela Ação Democrática Independente (ADI), Evaristo Carvalho reagiu hoje às promessas do atual Presidente e recandidato Pinto da Costa, que se comprometeu em dialogar com os outros órgãos de soberania.

Em resposta, Evaristo Carvalho apresentou-se como o "candidato da estabilidade original", porque é apoiante do atual Executivo, "desde sempre"..

Antes de falar o candidato, no cimo de uma carrinha de caixa aberta, com colunas que ecoavam por toda a Roça Diogo Vaz, foi a vez do secretário-geral da ADI, Levi Nazaré.  – Excerto da Lusa   - Noticia divulgada pela imprensa portuguesa Evaristo Carvalho promete estabilidade em São Tom

Evaristo de Carvalho, surge no 2º lugar  da lista do sorteio – Curiosamente, pela mesma ordem em que deram entrada as candidaturas no Supremo Tribunal de Justiça – O antigo primeiro-ministro, em duas ocasiões, concorre com  o apoio do atual partido maioritário, a Acção Democrática Independente (ADI).

Evaristo Carvalho, antigo quadro da Brigada de Fomento Agro-Pecuário, onde exerceu o cargo de chefe da secretaria, conta no seu currículo, além dessa interessante experiência, pouco comum, a um são-tomense, no período colonial, o facto de,  em duas ocasiões (Julho a Outubro de 1994 e de Setembro de 2001 a Março de 2002),  ter desempenhado as funções de Primeiro-Ministro ou seja,  o politico a quem fora confiada a missão de preencher os espaços vazios na ação governativa, devido à demissão dos Governos, que estavam em exercício.

Evaristo Carvalho, tido como pessoa afável mas discreta, e, conquanto não possa arvorar  o passado histórico do fundador da nacionalidade da Pátria São-Tomense, porém, atendendo às suas qualidades humanas e políticas, poder-se-á talvez dizer que, esta curiosa coincidência do sorteio os destacar no topo da lista, quem sabe se não será o primeiro sinal de  ambos virem de novo a disputar a segunda volta na derradeira fase de apuramento – Tem a palavra o cidadão eleitor.

Jornal Transparência - "LÍDERES PARTIDÁRIOS QUEBRAM SILÊNCIO E DÃO APOIO DIRECTO"

JT: 12.07.2016 – "A campanha de Maria das Neves às Presidenciais de 2016 entra numa nova fase com apoio directo e pessoas de figuras de peso dos partidos apoiantes da candidata. Com efeito, o Presidente do MLSTP/PSD, Aurélio Martins, o Presidente interino do MDFM/PL, Manuel de Deus Lima, e a Líder das Mulheres Democratas, ala feminina do PCD, Maria de Cristo Carvalho subiram o palco na cidade da Trindade para mobilizarem os seus militantes e simpatizantes de modo a emprestarem maior entusiasmo a movimentação de apoio a eleição de Maria das Neves no dia 17 de Julho. –Refere o Jornal Transparência

 Maria das Neves,  natural de S. Tomé - Formada em economia, militante do partido MLSTP, ocupou em 2002 o cargo de Ministra da Economia, Pescas, Turismo, e Comércio no governo de unidade nacional liderado pelo seu partido o MLSTP/PSD. Em 2003 saltou para a Chefia do Governo de Unidade Nacional, tornando-se na primeira mulher são-tomense a ocupar o cargo de Primeira Ministra e Chefe do Governo.

Segundo o seu mandatário, Danilo santos,  a candidatura é independente, mas com apoio do partido MLSTP  e de outras forças vivas do país. Esperança Renovada para o país é uma das promessas da cidadã que quer ser primeira mulher Presidente de São Tomé e Príncipe.


APELO À CALMA  - Hélder Barros: “Já chega dos conflitos que têm prevalecido ao longo destas décadas
“Antigo alto funcionário da Organização das Nações Unidas (ONU), Hélder Barros tenta chegar ao Palácio do Povo pela segunda vez consecutiva, depois de ter concorrido nas eleições de 2011, como independente.

“Já chega dos conflitos que têm prevalecido ao longo destas décadas de independência”, afirma o candidato. “Se nós conseguirmos ultrapassar essas divergências, que eu acho secundárias, então iremos todos juntos, numa só frente para, de facto, atacarmos os problemas que são reais e que são problemas de todos, os problemas de subdesenvolvimento.

Para Hélder Barros, o país está abaixo do nível esperado de desenvolvimento devido à “baixa natalidade e ao problema do saneamento público”. Hélder Barros: “Já chega dos conflitos que têm prevalecido ao longo .

ENVIADO POR DEUS - Manuel do Rosário anunciou que é o candidato “indicado por Deus” às eleições presidenciais
Manuel Fernandes Vaz do Rosário, biólogo de formação e natural de Changra, distrito de Lobata, anunciou a sua candidatura às eleições Presidenciais de 17 de Julho.
Entre outras funções, Manuel do Rosário, foi diretor da escola secundária de Desejada, em Lobata, e considera-se um candidato “indicado por Deus”, fortemente católico, e espera ajuda divina para chegar ao cadeirão presidencial.

Manuel do Rosário, que é igualmente, agricultor, anunciou na sua apresentação que se vencer as eleições tudo fará para “abolir o regime de laicidade vigente”, para anualmente, “sujeitar o país a um dia dedicado à oração”, por forma a proteger São Tomé e Príncipe, e espera o apoio de todos os cidadãos para ser bem sucedido, e promete, caso ganhe, trabalhar com todos para garantir a paz e estabilidade política no país. Manuel do Rosário anunciou que é o candidato “indicado por Deus 

Nenhum comentário :