expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 21 de julho de 2016

S. Tomé e Príncipe, eleições 2016 – 2º Volta eleitoral - Evaristo Carvalho e Manuel Pinto da Costa, vão disputar o 2º escrutínio –Tribunal Constitucional desfaz dúvidas - Repete-se o cenário de 2011 - Com ambos a disputarem o mais alto Cargo da Nação - Candidata Maria das Neves – Para atingir, faltou-me um golpe d'asa...

Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e Análise 




Tribunal Constitucional já se pronunciou e desfez todas as dúvidas  - Em comunicado oficial, pronunciou-se publicamente sobre os dois candidatos "admitidos como os mais votados ao segundo sufrágio - Manuel do Espírito Santo Pinto da Costa e Evaristo do Espírito Santo  Carvalho


Recuperou-se verdade, que parecia escapar.se nas mexidas dos últimos cordelinhos dos bastidores políticos, ou seja, de que, Evaristo de Carvalho, o candidato, apoiado pela ADI; embora  indiscutivelmente o vencedor das Eleições Presidenciais, mas sem maioria absoluta, terá de disputar a 2ª volta com Manuel Pinto da Costa, atual Presidente da República, o candidato que ficou na segunda posição, agora em 17 de Julho de 2016,  mas logrou sair vencedor na demanda de há 5 anos

Tal como tive ocasião de referir,  "a vitória de Evaristo de Carvalho, se fosse por maioria simples, mesmo que substancial, não me surpreenderia, pois,  mal tomei conhecimento  dos primeiros resultados nas secções da  Lusófona e,  posteriormente dos que iam sendo divulgados, na Internet, para logo admitir que ia ser o incontestável vencedor destas eleições, Porém, longe de imaginar que ia ganhar, por maioria absoluta, ou seja, por uma diferença, tão magra, num universo de 111.222 eleitores registados

NÃO ME ENGANEI NO COMENTÁRIO 

"Não é que o resultado divulgado, a favor de Evaristo de Carvalho, seja insólito mas dir-se-ia  - face ao peso de outros dos candidatos -  ser quase o mesmo que  acertar no euro-milhões. Aliás, julgo que tal resultado, nunca sucedeu na história das eleições presidenciais, nestas Ilhas.





Estava acompanhar a leitura dos resultados, através da Rádio Nacional, e constatei que, quando era suposto transmitiram os escassos resultados que faltavam, numa altura em que os resultados indicavam uma diferença de pouco mais de uma centena de votos, a separarem Maria das Neves de Manuel Pinto da Costa, sim, que a votação em Evaristo de Carvalho, conduziria a  uma segunda volta,  estranhamente,  tal informação foi  silenciada: porque razão isso aconteceu, é uma pergunta que já vi exposta, por santomenses, no facebook e que também, pessoalmente, me intrigou.

Nunca é bom deitarem-se foguetes antes da festa – Até ao lavar dos últimos cestos é vindima,  esta foi também uma das minhas afirmações, prevendo a vitória do Candidato Evaristo de Carvalho, mas sem maioria absoluta  e nova disputa - 

A realidade eleitoral era bem diferente, da que foi amplamente divulgada  - De que Evaristo Carvalho será o próximo Presidente de São Tomé e Príncipe. O candidato apoiado pelo Governo da Ação Democrática Independente (ADI) obteve 50,1% dos votos na primeira volta das eleições presidenciais deste domingo (17.07), segundo resultados provisórios da Comissão Eleitoral Nacional. O atual Presidente, Manuel Pinto da Costa, que concorria a um segundo mandato, obteve 24,8% dos votos e Maria das Neves, apoiada pela oposição, 24,1%. -  Evaristo Carvalho eleito Presidente de São Tomé e Príncipe - PÚBLICO

AGORA A CAMPANHA VOLTA À ESTRADA E ESPERA-SE QUE AINDA MAIS ENTUSIÁSTICA  - MAS COM O MESMO  CIVISMO E MUITO FLOGÁ  - Oportunidade soberana para que, o maior partido da oposição, que tão dividido tem andado, se unir em torno da figura mais carismática e prestigiada internacionalmente, aquela que  está na origem da nacionalidade da Nação São-Tomense e também do actual Partido MLSTP-PSD - Pois é importante, que, no quadro democrático destas maravilhosas ilhas, haja  pelo menos dois grandes partidos em confronto - Pois só assim é  possível haver algum contrabalanço e governação democrática




Manuel Pinto da Costa, o homem, que desde os seus tempos de estudante, se bateu pela libertação de S. Tomé e Príncipe, do domínio colonial, considerado o pai da nacionalidade,  a  grande e prestigiada figura histórica de referência da pátria santomense, que, com  um punhado de corajosos e determinados patriotas, esteve na origem dos primeiros passos para a construção e consolidação de um Pais livre e independente, vai disputar a derradeira etapa das eleições. 





No 12 de Julho de 2015 

MANIFESTAÇÕES DE ENCORAJAMENTO E SIMPATIA -  COMEÇARAM  EM  BÔBÔ FORRO 

  « Foi num gesto de encorajamento e apoio,que a população de Bôbô-Kativo com mais de 400 pessoas, solicitou a presença de Pinto da Costa na sua localidade para um encontro, afim de falarem sobre as eleições presidenciais de 17 de Julho que se avizinham, manifestando assim o desejo de ver o atual presidente da república a fazer mais um mandato de cinco anos a frente dos destinos do país,sendo este o único capaz de garantir a paz, estabilidade, coesão nacional e magistratura de influência,rumo ao tão almejado desenvolvimento que todos santomenses desejam”.


BIOGRAFIA DE MANUEL PINTO DA COSTA  - 2011 - Ganhou as eleições de 7 de Agosto último com 52,88% dos votos expressos nas urnas. 20 anos depois regressa ao cargo que deixou em 1991.
.
Manuel Pinto da Costa, foi o primeiro Presidente de São Tomé e Príncipe.

Doutor em economia pela Faculdade de Berlim, antiga República Democrática Alemã, Manuel Pinto da Costa, membro fundador do Comité de Libertação de São Tomé e Príncipe, primeira organização independentista são-tomense, acabou por ser figura de consenso no seio dos nacionalistas radicados no estrangeiro, para dirigir a nova organização política o MLSTP e consequentemente o novo país independente.



A sua influência na luta pela libertação de São Tomé e Príncipe começou a ser exercida ainda como estudante. Na década de 60 foi eleito secretário para informação e propaganda da União Geral dos Estudantes da África Negra, sedeada em Rabat Marrocos.

Durante 15 anos presidiu os destinos de São Tomé e Príncipe, de 12 de Julho 1975 à 3 de Abril de 1991.
Foi um dos primeiros líderes africanos a implementar reformas com vista a mudança do regime mono partidário para a democracia pluralista. Em 1989 sob Presidência de Pinto da Costa o povo foi chamado para referendar a nova constituição política.

Em 1996 concorre às eleições Presidenciais e foi derrotado pelo seu arqui-rival Miguel Trovoada que disputava o segundo mandato.

Em 2001, concorreu às eleições Presidenciais. Miguel Trovoada que estava no final do segundo mandato, lançou Fradique de Menezes como candidato para o suceder. Pinto da Costa sofreu mais uma derrota.

Foto de campanha de Manuel Pinto da Costa
Acto contínuo Pinto da Costa, sofreu pressões no seio do seu partido o MLSTP/PSD para deixar a liderança, face a derrota nas presidenciais de 2001. Assim o fez pouco tempo depois. Passou a ser simples militante de base do MLSTP.

Distante do partido acabou por atrair gentes de várias tendências políticas, que em 2011, pedem a sua comparência como candidato às eleições presidenciais de Julho. Agora é chamado pelos seus apoiantes de Pai Grande.

Vencedor da primeira volta das eleições presidenciais com mais de 35% dos votos expressos, Pinto da Costa teve como adversário na segunda volta, o Presidente da Assembleia Nacional, Evaristo de Carvalho apoiado pelo Governo de Patrice Trovoada. Ganhou com 52,88% dos votos contra 47,12% de Evaristo de Carvalho. Resultado eleitoral que foi confirmado pelo Tribunal Constitucional.
Uma vitória eleitoral, que vai de encontro a proposta de unidade nacional, apresentada ao eleitorado pelo então candidato. Tudo porque na segunda volta as propostas de Pinto da Costa, convenceram a maior parte da classe política são-tomense. Dos 10 candidatos que foram derrotados na primeira volta, quase todos uniram-se as ideias de Pinto da Costa na segunda volta das eleições presidenciais. - Abel Veiga




Foto de-global.pt
 Evaristo Carvalho, antigo quadro da Brigada de Fomento Agro-Pecuário, onde exerceu o cargo de chefe da secretaria, conta no seu currículo, além dessa interessante experiência, pouco comum, a um são-tomense, no período colonial, o facto de,  em duas ocasiões (Julho a Outubro de 1994 e de Setembro de 2001 a Março de 2002),  ter desempenhado as funções de Primeiro-Ministro ou seja,  o politico a quem fora confiada a missão de preencher os espaços vazios na ação governativa, devido à demissão dos Governos, que estavam em exercício. 

Recordo, com orgulho e prazer, os tempos em que ambos trabalhávamos na Brigada de Fomento Agro-Pecuário - Essa relação de amizade, de companheirismo e camaradagem, penso que se mantém inalterável.

 CURIOSA COINCIDÊNCIA - QUE BATEU CERTO 

DIZIA EU NA ALTURA EM QUE APRESENTOU A SUA CANDIDATURA  - Evaristo de Carvalho, tido como pessoa afável mas discreta, e, conquanto não possa arvorar  o passado histórico do fundador da nacionalidade da Pátria São-Tomense, porém, atendendo às suas qualidades humanas e políticas, poder-se-á talvez dizer que, esta coincidência de ambos serem agora os primeiros a responder às formalidades requeridas pela Constituição da República,  e ainda pelo facto de nas eleições de 2011, o resultado eleitoral  os ter  juntado no apuramento da segunda volta, quem sabe se estes curiosos acasos, não os voltará  de novo  a reunir na disputa eleitoral das  duas semanas que antecedem o apuramento da 2ª volta.  Ver-se-á, pois, nestas coisas, o que conta é a  vontade expressa nos votos dos São-tomenses, que se apresentarem nas urnas no dia 17


Desde então e até 1991, Evaristo Carvalho, exerceu cargos directivos e públicos de relevante importância política e administrativa do regime na gestão de São Tomé e Príncipe que lhe notabilizaram e enriqueceram os seus conhecimentos, a produzirem-se numa mais-valia do “mais velho” na IIª República.

O QUE É DITO DE EVARISTO DE CARVALHO - "Em divergência com o regime ditatorial, Evaristo Carvalho abandona o MLSTP em 1982. Após uma tentativa de reconciliação com a Nação e até com os nacionais exilados, em 1985, o regime abre-se a várias sensibilidades. Evaristo Carvalho regressa deste modo pela porta de Assembleia Nacional na condição de deputado independente.

Desde então e até 1991, Evaristo Carvalho, exerceu cargos directivos e públicos de relevante importância política e administrativa do regime na gestão de São Tomé e Príncipe que lhe notabilizaram e enriqueceram os seus conhecimentos, a produzirem-se numa mais-valia do “mais velho” na IIª República.


Figura muito próxima de Miguel Trovoada, Evaristo Carvalho não sofreu qualquer vendaval após as guerras   do Governo do PCD com o Presidente da República em definir a sua posição no novo cenário democrático. Recorrendo aos factos históricos, Evaristo Carvalho e Daniel Daio, foram os dois emissários do Grupo de Reflexão, que se deslocaram a Lisboa em 1990 para oferecerem ao Miguel Trovoada o lugar de candidato presidencial da oposição, em detrimento de Guadalupe de Ceita que mobilizava e se afigurava como o homem forte para a concorrência a eventual intenção de Pinto da Costa de ir ao voto democrático. Daí que, quando o Presidente Trovoada se viu na necessidade de aquartelar os seus homens e formar o exército para os grandes combates, já que perdera a base de apoio da Mudança e a pensar na sua reeleição em 1996, Evaristo Carvalho, que tinha deixado o lugar de deputado do PCD no Parlamento e exercia as funções de secretário-geral do gabinete do PR, foi a figura a quem Trovoada confiou a missão da chefia do Governo de iniciativa presidencial.

A missão de Evaristo Carvalho para a harmonia presidencial não entrou em reforma com a presidência de Fradique Menezes, eleito com o apoio de Miguel Trovoada em 2001. Assim, o novo Presidente da República, na sua primeira missão na chefia do Estado que consistiu em demitir o Governo legítimo de Guilherme Pósser do MLSTP/PSD, refugiou-se também nos bons préstimos de Evaristo Carvalho, enquanto dirigente do ADI para assegurar o VIº Governo (Gestão) no período de Setembro de 2001 a Março de 2002.
«O meu amigo, o meu conselheiro, o meu irmão, o mais velho, o meu camarada Evaristo do Espírito Santo Carvalho, é o nosso candidato às eleições presidenciais!» Elogios de Patrice Trovoada no anúncio do candidato do ADI as eleições de 17 de Julho. - Abel Veiga  E agora…! Quem é Evaristo Carvalh


Candidata Maria das Neves – Quase a dois passos  do sonho: Um pouco mais de sol - eu era brasa, Um pouco mais de azul - eu era além. Para atingir, faltou-me um golpe d'asa... 

CAMPANHA DE MARIA DAS NEVES . A UM PASSO DO VOO DE ÁGUIA  - QUEM SABE SE NÃO REALIZARÁ O SONHO  EM 2021! - Pois há terceira poderá mesmo ser de vez - 

Fez uma campanha, muito entusiástica - E até foi rainha na Ilha do Príncipe e em Angola  -  Na contagem inicial, até lhe davam folgada vantagem os resultados sobre Manuel Pinto da Costa, embora já distanciando-se de Evaristo de Carvalho- Mas depois foi perdendo terreno, embora sempre com a meta à vista - Não se pode dizer que foi uma candidata derrotada, bem pelo contrário , pois logrou um resultado bem superior ao de 2011 e esteve quase na meta da chegada. 
Maria das Neves - Téla Nón 




Não se deu por conformada e recorreu ao Tribunal Constitucional,  contestando os  resultados e pedindo a   anulação do ato eleitoral.  "Em círculos eleitorais onde uma grande maioria dos eleitores não exerceu o seu direito de voto, foi anunciado um número exacerbado de votos em detrimento da nossa candidatura", afirmou Danilo Santos, salientando que o recurso será entregue ainda hoje no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) de São Tomé e Príncipe. 






Nenhum comentário :