expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sábado, 16 de julho de 2016

S. Tomé e Príncipe - Eleições Presidenciais 2016 – Terminou 1ª volta, com entusiasmo, debate e civismo - Hoje, reflexão: amanhã decisão – Campanhas de Evaristo de Carvalho e Maria das Neves, as mais dispendiosas – Presidente Manuel Pinto da Costa, aposta na imagem e no currículo à Nação - Hélder Barros e Manuel do Rosário, no pelotão da retaguarda – Comícios de encerramento, de arromba, poderão ter sido barómetro – Gastaram-se alguns milhões, num país pobre -

Por Jorge Trabulo Marques - Informação e análise  (Actualização) Refere noticia da RTP que  Há fortes suspeitas de atos de corrupção durante a campanha, como a compra de votos, no país, mergulhado numa crise económica” -  RTP Decorrem as eleições presidenciais em São Tomé e Príncipe ...Dia de eleições presidenciais em São Tomé e Príncipe

Terminou a campanha eleitoral para eleger o Presidente da República democrática de S. Tomé e Príncipe  - E, uma vez mais, com provas de elevado civismo  - Até agora, não consta que tivesse havido qualquer tipo de incidentes ou de confrontos – Salvo da isenção dos órgãos, sob a tutela do Estado, sobre os quais têm-se feito algumas criticas CSI denuncia TVS e RN desta vez em plena campanha eleitoral | T –   No total, o país tem 111.222 eleitores registados, com a grande maioria (39.209) registados na capital e dez mil na diáspora. Além de São Tomé e Príncipe, estão instaladas mesas de voto em Portugal (4.240 eleitores registados), Angola (3.914), Gabão (1.676) e Guiné Equatorial (228). As urnas abrem às 07:00 locais (08:00 em Lisboa) e encerram às 18:00 (19:00 em Lisboa).

CAMPANHAS DE EVARISTO DE CARVALHO E DE MARIA DAS NEVES  - AS MAIS DISPENDIOSAS 

"A candidatura de Pinto da Costa às eleições de domingo 17 de Julho, é considerada como a mais pobre em termos logísticos, em comparação com os adversários Maria das Neves e Evaristo Carvalho.


Praticamente não há cartazes do candidato nas ruas, e são muito poucas as tshirts, que ostentam o seu rosto e o pedido de voto. Mesmo assim, os seus apoiantes estiveram firmes na Praça Yon Gato, para provar que Pinto da Costa, continua a ter popularidade, e confiança política  de milhares de São-tomenses.  - Refere o Téla Nón



As eleições em S. Tomé e Príncipe, ao contrário do que se passa, noutros países, são momentos de debate, de exaltação mas também de festa e de convívio e não de violência e confronto físico – Pelo que nos é possível analisar, ficamos com a ideia de que se teriam gasto uns largos milhões de dobras – o mais adequado, talvez seja mesmo dizer, largos milhares de dólares  - O que,  de algum modo, é uma manifesta heresia, uma blasfémia,  num dos países mais pobres e pequenos de África.


É bem possível  que, muito desse dinheiro, também tivesse dado entrada nos bolsos dos que foram bater palmas nos comícios.  Sim, porque, com o fim das ideologias, o que conta é quem faz promessas mirabolantes, dá empregos e  joga ou acena com os cifrões –- E, normalmente, é o poder económico e o político, que lhe é afim. Cidadão desempregado, está-se nas tintas para o folclore: é por isso, que, não obstante a legião de milhões de desempregados na Europa, esta é dominada pelos partidos da selvajaria liberal Desemprego de longa duração com "níveis preocupantes" na Europa


Se o voto fosse decidido pelos número de cartazes expostos, bandeirinhas de t-charts, que foram gratuitamente distribuídas, sim, pelo  folclore vistoso do marketing, talvez até nem fosse necessário ir a votos, mas o Povo de S. Tomé e Príncipe,  embora aproveite bem o flogá eleitoral, não é parvo e saberá, naturalmente, se não lhe tocarem as voltas, com chapeladas, em quem haverá de confiar o seu voto.

Pelo que nos foi possível analisar e ver através das  imagens divulgadas,  as campanhas mais dispendiosas, terão sido as de Evaristo Carvalho, apoiado pela ADI, partido do Governo e a campanha de Maria das Neves, apoiada pelo partido da oposição e o partido de Fradique Menezes: - E a de Maria das Neves, apoiada pelo     MLSTP-PSD,

Por seu turno, a  campanha de Manuel Pinto da Costa, segundo o que pudemos apurar, parece ter sido a menos  dispendiosa  - Sem o apoio e a estrutura de qualquer máquina partidária, ao contrário de outros candidatos, confiante na credibilidade e no prestigio da sua imagem, nacional e internacionalmente, optou por fazer valer mais a força dos seus argumentos,  a  folha de serviços do seu passado e do seu currículo, como fundador da nacionalidade, do que no esbanjamento perdulário   - Mesmo assim,  nos seus comícios, terão colhido apreços de grandes manifestações populares

DOS OITO À PARTIDA, VÃO CINCO ÀS URNAS - E SÓ DOIS PODERÃO  DISPUTAR A CORRIDA FINAL 


Eram oito à partida -  O Supremo Tribunal de Justiça, rejeitou a candidatura de Gilberto Gil Umbelina por não  preencher todas as formalidades obrigatórias. Por seu turno,  a Comissão Eleitoral Nacional, o Tribunal Constitucional decidiu anular a candidatura do economista Estanislau Afonso, envolvido em "diversas queixas-crime". Comissão Eleitoral afastou Estanislau Afonso da eleição presidencial  Enquanto, o ex-primeiro-ministro, Vera Cruz, decidiu retirar-se  da corrida eleitoral por, no  seu ponto de vista, não se estarem reunidas as condições que  lhe permitissem  continuar a “sustentá-la na perspetiva de um bom resultado»,



Foto de-global.pt
A votos,  a 17 de Julho, vão, portanto,  Manuel Pinto da Costa,  Evaristo de Carvalho, Maria das Neves, Hélder Barros e Manuel do Rosário – Caso nenhum dos cinco candidatos conquiste a maior absoluta, o que é inevitável, estarão depois na corrida, apenas duas candidaturas.

As imagens do encerramento dos comícios dos principais candidatos, que correm no Facebook, de Manuel Pinto da Costa, Evaristo de Carvalho e Maria das Neves, há-as para todos os gostos – Quem as edita, buscou dar o melhor revelo à candidatura da sua preferência – Todavia, para um observador atento – e mais distante das paixões eleitoralistas, reconhecerá, certamente, já algumas pistas para formar a sua opinião.

Obviamente, que, da nossa parte, não a vamos aqui expor publicamente, senão deixar alguma informação e fotos, que fomos buscar à Internet,  unicamente como registo documental jornalístico, de que propriamente para influenciar, seja  quem for 


TÉLA NÓN – ACOMPANHOU A FESTA ENCERRAMENTO DAS TRÊS PRINCIPAIS CANDIDATURAS – E DISSE

Pinto da Costa povo encheu a Praça Yon Gato

No fecho da campanha eleitoral para as eleições presidenciais deste domingo, o Presidente da República em exercício e candidato a um segundo mandato, recebeu banho de multidão na Praça Yon Gato.
A candidatura de Pinto da Costa às eleições de domingo 17 de Julho, é considerada como a mais pobre em termos logísticos, em comparação com os adversários Maria das Neves e Evaristo Carvalho.
Praticamente não há cartazes do candidato nas ruas, e são muito poucas as tshirts, que ostentam o seu rosto e o pedido de voto. Mesmo assim, os seus apoiantes estiveram firmes na Praça Yon Gato, para provar que Pinto da Costa, continua a ter popularidade, e confiança política  de milhares de São-tomenses. Por Pinto da Costa povo encheu a Praça Yon Gato | Téla Nón

ADI inundou largo do Estádio 12 de Julho por Evaristo


O espaço diante do Estádio Nacional 12 de Julho foi pequeno para receber tantos homens, mulheres e jovens que envergaram as camisolas do partido no poder, a ADI e da campanha de Evaristo Carvalho. Comício-Festa encerrou a campanha presidencial do partido liderado pelo primeiro ministro Patrice Trovoada, que a par de Evaristo Carvalho foi um dos principais actores do comício.

Pinto da Costa, foi o primeiro nome citado por Patrice Trovoada. «Pinto da Costa diz que ele quer acabar com a pobreza. Homem ficou 15 anos e não acabou com a pobreza. Vocês deram-lhe mais 5 anos e não acabou com a pobreza. Ele quer acabar com quem? Pinto da Costa quer acabar primeiro comigo, segundo com o ADI, e terceiro ele quer acabar com o povo», declarou o Chefe do Governo e Presidente da ADI no palco do comício.
Patrice Trovoada recebeu aplausos calorosos.ADI inundou largo do Estádio 12 de Julho por Evaristo | Téla Nón



Praça da Independência foi de Maria das Neves

A candidata apoiada pelos partidos MLSTP e MDFM, fechou a sua campanha eleitoral na Praça da Independência. Num comício – festival, Maria das Neves manifestou-se confiante na vitória.
falou da degradação das condições de vida no país. «O nosso país não está a avançar. dois caminhos no dia 17 Julho. um caminho de continuidade. quem quiser que o país continue assim vote nos homens que estão na lista. Quem quiser ver o país a mudar pega nesta mulher que esta na lista», afirmou.Praça da Independência foi de Maria das Neves | Téla Nón
Téla Nón

SEM A DISTRIBUIÇÃO DE MILHÕES DOBRAS – SIM, UM EURO VALE 20 MIL - NÃO É FÁCIL MOBILIZAR MEIOS E PROPAGANDA

É costume dizer-se que, quem tem dinheiro, é que toca viola  - Na politica, também é assim – Tanto nos países ricos, como nos países pobres  : - É preciso dinheiro para fazer uma boa campanha – Donde ele vem, é um segredo que fica entre as paredes dos gabinetes: algum, é institucional, outro de apoiantes ou dos frutos colhidos da mistura lodosa dos negócios com a política.

 As massas, de um modo geral, pensam mais pelo que ouvem, dos que lhes é dito  pela propaganda, do que pela sua própria cabeça – Daí o grande  controlo dos meios de comunicação social pelo grande poder económico e pelos políticos que lhes são fiéis. Em S. Tomé, a rádio e a televisão, são do Estado – o Partido no poder, é que  faz o seu controlo.

Mas também há muito quem reflita seriamente em quem vai confiar o seu voto: mesmo  nos casos em que o dinheiro é distribuído, tal como no final da missa dos defuntos: - sim, aceite a gorjetazinha ou esmolinha  (o povinho, claro está) e depois vá votar na figura da sua preferência.

Os santomenses, além de ser um povo pacífico, é um povo alegre e reflexivo, aprendeu a refletir através das muitas adversidades ao longo de gerações e não é fácil de ir com duas cantigas. Claro que muita gente é facilmente induzida pelo ruido das campanhas, mas outra há que, até pode ir a todos os comícios, entrar no flogá de cada candidato, e depois decidir  à sua maneira - O pior que poderá acontecer, num ato eleitoral, não é tanto o grau de  abstenções ou o número de votantes, mas os boicotes ou manipulações -  Acontecem em toda a parte. 

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE – UM DOS PAÍSES MAIS PEQUENOS E MAIS POBRES DE ÁFRICA – NÃO TEM A VIOLÊNCIA NEM A EXTREMA MISÉRIA  DE OUTRAS NAÇÕES - MAS NA POLÍTICA NÃO FALTAM IMITAÇÕES.


Em S. Tomé e Príncipe, a Natureza é bela e fértil, há frutos por todo o lado e durante o ano inteiro, dificilmente alguém morre de fome, no entanto, sofre as carências de bens essenciais, nomeadamente dos que são importados, e sobretudo na compra de medicamentos, já que, a generalidade média das pensões, ronda os 20 a 30 euros mensais e o ordenado mínimo, à volta dos 60


Políticos destes, que vão para a política, unicamente para trampolim dos seus interesses pessoais, há-os em todos os partidos, em todas as lideranças e em toda a parte  - E, nos tempos que correm, vai sendo cada vez mais difícil, separar o trigo do joio: nos famigerados tempos em que as ideologias fascistas e nazistas,  estavam na mó de cima, os políticos desses ideários, aperfilhavam essas doutrinas, por convicção; estavam convictos de que essa era o caminho politico que deviam seguir. Agora, as convicções vão-se esbatendo, os egoísmo pessoais, sobrepõem-se aos ideais e a politica, vai-se transformando-se num jogo de cifrões, ao estilo de Durão Barroso – O mundo é dominado pelo liberalismo, mais desenfreado, egoísta e selvagem, cruel e desumano, gerando milhões de desempregados e provocando crescentes injustiças e desigualdades sociais.


Nenhum comentário :