expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 28 de julho de 2016

S. Tomé e Príncipe - Eleições Presidenciais 2016 E a Justiça sob o poder absoluto da “Bandeira” de José – Antigo membro da KGB , formado nos quadros da ex.URSS,, antigo membro dos serviços secretos são-tomenses, no período de partido único, responsável pelo envio de várias centenas de cidadãos prós calabouços – O Juiz que não quer em STP “a justiça desejada” - M. Pinto da Costa, que recusou concorrer à 2ª volta, diz que há risco de "ruturas fratricidas" no país





Eleições Presidenciais 2016 -  Maria das Neves programou para noite, de hoje, uma vigília defronte ao Tribunal Constitucional, protestando contra as "atitudes indecentes" desse órgão que gere o processo eleitoral, sob a presidência do poder absoluto da  “Bandeira” de José –

Maria das Neves «Fraude Gigantesca» - declarou à imprensa Maria das Neves «Fraude Gigantesca» | Téla Nón



Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise


José Bandeira, – O Juiz que não quer em STP  “a justiça desejada” palavras suas - Está sendo fator de um clima de grande instabilidade   - Ele que é também o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Presidente do Tribunal Constitucional, Presidente do Conselho de Administração dos Tribunais, que, em 31 e Julho, de 2013, dissolveu por despacho emanado para  ele mesmo   se auto-nomear o seu Presidente  (cujo ato foi então  considerado, como um assalto ao Poder) além de ser o juiz mais poderoso de S. Tomé e Príncipe, ele passou a ser também o aliado da confiança politica do atual Governo de maioria absoluta, liderado por Patrice Trovoada, gerando um clima de enorme suspeição, de grande instabilidade politica e social e  justificados  receios - 



Postes de descarregados na manhã eleitoral
Apontado como tendo feito  vista grossa "às gravíssimas irregularidades" denunciadas ´´ até pelo Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, acerca da forma como decorreram as eleições para as Presidenciais,  que tiveram o seu primeiro escrutínio no passado dia 17 de Agosto 

Pois, não esquecer que o Presidente da Comissão Eleitoral, em declarações à RTP-África, reconheceu que ocorreram falhas gravíssimas e demonstrou algumas dessas falhas – Enquanto o Juiz José Bandeira, Presidente do TC, diz que, "nós órgãos institucionais, não vimos, não nos apercebemos, não temos em mão, quaisquer razões, quaisquer elementos que nos indiquem que tivessem havido vícios"

A POLICIA TEM COMO MISSÃO EVITAR O CRIME E A FRAUDE E OS TRIBUNAIS JULGAR OS INFRATORES -  O antigo chefe das secretas, atual Presidente do  Supremo Tribunal de Justiça e do Constitucional, parece ter errado na profissão.

Resultados da proPresidente do Supremo Tribunal de Justiça, Presidente do Tribunal Constitucional, Presidente do Conselho de Administração dos Tribunais, que, em 31 e Julho, de 2013, dissolveu por despacho emanado para  ele mesmo para logo  se auto-nomear o seu Presidente  (cujo ato foi então  considerado, como um assalto ao Poder) além de ser o juiz mais poderoso de S. Tomé e Príncipe, ele passou a ser também o aliado da confiança politica do atual Governo de maioria absoluta, liderado por Patrice Trovoada, gerando um clima de enorme suspeição, de grande instabilidade politica e social e  justificados  receios




Qualquer bolseiro estrangeiro, que estudasse na antiga União Soviética, além de ser obrigatoriamente da confiança política do regime ditatorial, recebia formação da KGB, tinha de ser seu colaborador, tanto interna, como externamente:

 Foram vários os quadros dos antigos movimentos de Libertação das ex-colónias portuguesas, que  foram submetidos a esse nepotismo  para receberem apoio militar  - Naturalmente, que  com a finalidade, após a independência, de darem a contrapartida dos seus recursos naturais – E foi isso que sucedeu, em detrimento do país colonizador, que também não soube preparar uma elite e antecipar-se a ao oportunismo politico das grandes potências imperialistas – fossem comunistas ou capitalistas.

Aos líderes dos Movimentos de Libertação, também não restava outra alternativa, face à persistência de uma politica cega,  que teimava em  silenciar o grito da liberdade com a força das armas, do orgulhosamente sós. 

Porém, instauradas as liberdades democráticas, em Portugal, com a revolução do 25 de Abril  e concedida à Independência às suas colónias, esperava-se que também houvesse, nos então novos países, uma menor subserviência às orientações do imperialismo soviético,  o que não sucedeu, continuando a ser meras presas dos seus interesses, pelo menos até à chamada queda do Muro de Berlim, depois disso, passaram  à cobiça  de vários destinatários e quadrantes políticos, naturalmente, dando uma fatia de pão para usurparem o salpicão das suas riquezas naturais.


FALHAS GRAVÍSSIMAS QUE A MIOPIA DE BANDEIRA NÃO ENXERGOU





JUIZ JOSÉ BANDEIRA – CURSOU NA URSS, DEPOIS DA INDEPENDÊNCIA, COM MENTALIDADE E FORMAÇÃO POLICIAL - ELE NÃO QUER A “A JUSTIÇA DESEJADA” - Afirmação dele próprio.

Ele não tem nem a craveira nem  o prestigio dos heróis fundadores do nacionalismo santomense, daqueles que, no tempo da ditadura colonial, sacrificaram as suas vidas e o seu futuro, partindo para a luta clandestina, tanto interna como externamente, bem pelo contrário, embora formado na ex-URSS, após a independência, é das tais figuras que cresce pelo oportunismo e subserviência, pelas aparências dos falsos valores e da hipocrisia, pelo egoísmo pessoal, vaidade e ambição – Ascendeu a Juiz, não tanto para julgar mas para reprimir

DE PRESIDENTE DE TRIBUNAL REGIONAL DO PRÍNCIPE A JUIZ DO TRIBUNAL DE PRIMEIRA INSTÂNCIA – A SEGUIR NUM  PULO PINCHA AO COMANDO DE TRÊS DAS QUATRO PRINCIPAIS INSTÂNCIAS SUPERIORES JUDICIAIS

Juiz Tribunal da Regional do Príncipe, donde transitou pata Juiz do Tribunal da Primeira Instância. Depois, num ápice ascendeu a três dos quatro mais altos cargos  na magistratura judicial são-tomense. 

No seu horizonte, de vistas curtas mas de estômago largo, não vê a justiça, na verdadeira aceção da palavra, mas o instrumento da via repressiva policial – Esta parece ser a mentalidade do homem mais poderoso da Justiça da República Democrática de S. Tomé e Príncipe: ele não logrou evoluir para outra maneira de pensar, que  não fosse a de um espírito autoritário e antidemocrático.  : Sempre defendi a existência em São Tomé e Príncipe de uma justiça possível e não a desejada. 03/11/2010  Finalmente José Bandeira foi investido como Juiz Conselheiro do 

Maria das Neves inconformada com o procedimento de José Bandeira

Evaristo Carvalho
Maria das Neves
Antes de saber o pronunciamento do pedido de impugnação, que dirigiu o TC, em conjunto com Manuel Pinto da Costa, que foi indeferido, São Tomé/Eleições: STJ indefere pedido de impugnação de primeira  a candidata acusou o Presidente do Tribunal Constitucional José Bandeira de ter tomado partido para o candidato Evaristo de Carvalho apoiado pelo ADI.

A candidata disse que reagiu desta forma, por causa das declarações surpreendentes de José Bandeira, que apesar de ter em mãos um processo de impugnação das eleições, veio anunciar que o acto eleitoral de 17 de Julho foi livre justo e transparente

AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ - JOSÉ BANDEIRA, DE CARCEREIRO-MOR DE MIGUEL TROVOADA, A FIEL JUSTICEIRO DA POLITICA DO FILHO, PATRICE TROVOADA

Como é do conhecimento público, as relações, entre Miguel Trovoada e Manuel Pinto da Costa, começaram de braços levantados, unidos na fundação do MLSTP e nos primeiros passos da Independência de S. Tomé e Príncipe, mas não tardaram a deteriorar-se: Trovoada, adepto das politicas liberais e neo-colonialistas, tal como ainda hoje o demonstra, enquanto, Pinto da Costa, um  político  convicto dos ideais humanistas e socializantes - Manuel Pinto da Costa, empossado como 1º Presidente da República Democrática de STP e Miguel Trovoada, como Primeiro-ministro, de 12 de Julho de 1975 a Março de 1979 – Por esta altura, as relações deterioram-se: quando o Presidente Pinto da  Costa aboliu o cargo de primeiro-ministro, vários meses depois, Trovoada foi acusado de conspirar contra o governo, tendo sido preso e detido vários meses, após que se exilou em França, na sequência também de algumas pressões dos países capitalistas.




Curiosamente, naquela altura, o atual  juiz mais poderoso da Justiça de S. Tomé e Príncipe era  o carcereiro-Mor das Prisões – 

Por sinal, agora parece também ser  o juiz mais fiel e aliado às ambições  políticas de Patrice Trovoada – Nada de surpreendente, em certas mentalidades, que só vêm a promoção pessoal e os seus interesses mesquinhos e imediatos: é que, depois do 25 de Abril, muitos fascistas – inclusivamente o inspetor da PIDE-DGS, em STP, também viraram democrata:- Nogueira Branco,   até esteve na base  da fundação do chamado Partido Democrático, mas de cariz declaradamente  de feição colonialista 

Pois consta no  currículo de Bandeira: -  “Antigo membro dos serviços secretos são-tomenses, no período de partido único, José Bandeira, formado em direito na ex-União Soviética, regressou a São Tomé e Príncipe em Outubro de 1989. Foi indicado pelo governo da altura para participar no processo de preparação de transição do regime monolítico para o multipartidário em 1991.

Na nova República aberta em 1991, acabou por ser nomeado para criar a Polícia de Investigação Criminal, tendo desempenhado as funções de diretor da instituição durante 11 anos – Este é o currículo do omnipotente juiz que preside a três dos quatro principais tribunais da República Democrática de S. Tomé e Príncipe  - Um dos quais em que ele mesmo se auto-proclamou seu presidente, sem nomeação formaléla Nón -03/11/2010 Finalmente José Bandeira foi investido como Juiz Conselheiro do .

No ambiente de grande instabilidade, que entretanto se gerou, na vida politica e social das Ilhas Verdes do Equador, com o desfecho da 1ª volta das eleições presidenciais, marcadas por gravíssimas irregularidades, quer no período eleitoral, quer no dia do escrutínio, José Bandeira, não topa nada de anormal, senão meros erros emocionais  – Mesmo depois do Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, ter vindo apontar  “gravíssimas irregularidades 

A Justiça sob o poder absoluto da  “Bandeira” de José –  Antigo membro da KGB , formado nos quadros da ex.URSS,, antigo membro dos serviços secretos são-tomenses, no período de partido único, responsável pelo envio de várias centenas de cidadãos prós calabouços – O Juiz que não quer em STP  “a justiça desejada” Está sendo fator de um clima de  instabilidade - Presidente Manuel Pinto da Costa, alerta para 



UM JUIZ AO SERVIÇO DO PODER POLITICO DA GOVERNAÇÃO - Em sintonia com maioria absoluta de Patrice Trovoada, classifica de  livres, e transparentes, as eleições presidenciais, que a CEN, diz ter sido manchada por  gravíssimas irregularidades - 

"Não vimos, não apercebemos não temos em mão qualquer elemento que posa indicar vícios nesse processo».

“José Bandeira Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, afirmou na última segunda feira que as eleições foram livres, e transparentes e quando questionado sobre as acusações que os outros candidatos fazem ao processo eleitoral como sendo viciado, o Juiz Presidente do Tribunal Constitucional, garantiu que ele e os seus pares não viram qualquer vício durante a fase de apuramento geral. «Não vimos, não apercebemos não temos em mão qualquer elemento que posa indicar vícios nesse processo».

No entanto 24 horas depois destas declarações de José Bandeira, o Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, Alberto Pereira veio anunciar que foram registadas muitas falhas e gravíssimas, durante o acto eleitoral de 17 de Julho.  Mais importante ainda é o facto do Presidente da CEN ter destacado algumas das falhas ditas por ele como sendo gravíssimas. PR do TC diz que ele e os seus pares não viram vícios | Téla Nón


GOVERNO MANDA INSTALAR POSTES DE ELECTRICIDADE NA MANHàELEITORAL DA  PEQUENA POVOAÇÃO DE MARIA LUISA  - Apanhado em flagrante delito - Procedimento contrário à lei eleitoral - 



Autores: Manuel do Espírito Santo Pinto da Costa  -   Maria das Neves de Ceita Baptista de Sousa

QUEM NÃO FOR DO PARTIDO ADI,  FICA  ADIADO: NÃO TEM EMPREGO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - Tem que ir procurar banana no mato 

É sabido, que, quem não for apoiante da ADI, não encontra emprego nos órgãos do Estado: a rádio e a televisão, públicas, estão totalmente sob o controlo Governamental: o saneamento dos vários serviços do Estado, foi deliberadamente tomado pela máquina do partido da maioria: desde o porteiro, ao Diretor, só gente da ADI é que tem lugar na Administração Pública – Um procedimento despótico e autoritário, nunca vistos, na vida pacífica e pacata das maravilhosas Ilhas Verdes do Equador – Nem no tempo de Partido único, entre 1975 e 1991: aliás, diga-se o que disser,  foi o da Ordem e da Estabilidade – Cometeram-se muitos erros, mesmo assim fez-se muita coisa: depois disso, foram Governos, atrás de Governos.

Não sendo apologista por qualquer tipo de ditadura, porém,  a democracia capitalista, tal como tem sido praticada, nomeadamente sob o comando do liberalismo selvagem,  também não me parece que seja a mais adequada  a proporcionar o bem estar geral, justiça social às massas populares, bem pelo contrário – Assenta numa falsa ilusão: no poder do mais forte, do poder económico, ainda  mais perverso, egoísta, desumano, anti-social e  injusto de que o poder absoluto nalgumas  ditaduras: não reprime por delito de expressão, mas  quem controla  a comunicação social e a justiça, são os partidos associados ao grande poder económico – Os melhores empregos, são dados, não em função do mérito mas da subserviência partidária - Este é o atual ambiente, que se vive em S. Tomé - Na Ilha do  Príncipe, é um pouco diferente, graças ao poder da autonomia regional, onde a ADI, não é maioritária - José Cassandra, é um democrata, amigo do Povo 

Presidente cessante alerta para risco de "ruturas fratricidas" no país

S. Tomé e Príncipe, considerado um dos países mais pacíficos e maravilhosos de África, onde a vida politica democrática, pese o facto de ter conhecido vários governos, sem poderem concluir a sua legislatura, depois dos sucessivos ensaios do chamado multipartidarismo, vinha decorrendo, com paz e normalidade, não obstante duas tentativas frustradas de golpes de Estado – Mas o que é isso, comparado, por exemplo, com o sangue derramado na Guiné-Bissau, Angola e Moçambique! – No entanto, face ao ambiente de instabilidade, entretanto gerado, no desfecho da 1ª volta das eleições presidenciais, começam a pesar nuvens de tempestade em torno dos horizontes dos seus mares, que poderão vir a ser mais preocupantes de que os tornados, que, de vez em quando entram pela terra adentro.

O Presidente são-tomense, Manuel Pinto da Costa, também candidato que recusa participar na segunda volta das eleições presidenciais de 07 de agosto, disse hoje que o seu país pode estar a correr o risco de "ruturas fratricidas".

"Vive-se hoje uma situação em que se deve poupar o país de uma rutura fratricida. É importante agir com serenidade e sentido de Estado. Foi a maneira como sempre pautei os meus atos", disse o chefe de Estado, num encontro no palácio presidencial com os representantes das missões diplomáticas acreditadas no país.

"De facto, neste momento particular da conjuntura política vivida no país, após a primeira volta das eleições e as peripécias que se lhe seguiram, impõe-se que sejam clarificadas algumas questões diretamente relacionadas com o período em que vivemos para que possamos encarar o futuro como um tempo mais promissor do que o presente", acrescentou o chefe de Estado.
Num discurso perante o corpo diplomático, Manuel Pinto da Costa considerou que "as instituições democráticas têm que dar prova de responsabilidade a todos os níveis e a todo o momento. A autoridade democrática é uma questão de regra e de escrupuloso cumprimento e sentido de serviço público".

Pinto da Costa considerou que "o que pode hoje estar em causa é, sobretudo, a consolidação do regime democrático".

"Hoje há dificuldades no horizonte. Por isso, precisamos de conjugar esforços para evitar que os problemas que atualmente enfrentamos ponham em causa as principais conquistas alcançadas até ao presente momento", disse o chefe de Estado são-tomense.

"Infelizmente, a nossa democracia ainda não atingiu patamares que garantam níveis mais elevados de qualidade no seu funcionamento. Não é aceitável deixar-se que as finalidades das instituições cedam aos interesses mesquinhos e as estratégias individuais ou de grupos", acrescentou.

Num discurso de seis páginas, Pinto da Costa sublinhou face ao processo conturbado das eleições presidenciais de 17 de julho, o país está "a viver um período difícil que é preciso saber ultrapassar".
"Vamos ter que colocar os interesses pessoais ou partidários longe dos interesses do Estado e da Nação", concluiu.

Vamos ter que colocar os interesses pessoais ou partidários longe dos interesses do Estado e da Nação", concluiu.

Pinto da Costa anunciou que recusa disputar a segunda volta das presidenciais, prevista para 07 de agosto, por considerar que "participar num processo eleitoral tão viciado seria caucioná-lo".
O Tribunal Constitucional anunciou que Evaristo Carvalho, candidato apoiado pelo partido no Governo, a Ação Democrática Independente (ADI), concorrerá sozinho à segunda volta das presidenciais, caso Manuel Pinto da Costa, que ficou em segundo lugar na primeira volta, formalize a desistência.
No entanto, hoje, uma fonte daquele tribunal referiu que a desistência de Pinto da Costa não foi formalizada, o que significa que oficialmente ainda é candidato à segunda volta.

Os resultados provisórios divulgados logo após as eleições de 17 de julho deram a vitória a Evaristo Carvalho à primeira volta, mas os resultados oficiais ditaram a necessidade de uma segunda volta.
Segundo esses resultados, Evaristo Carvalho obteve 34.522 votos, o que corresponde a 49,88% dos votos expressos, seguido de Manuel Pinto da Costa com 17.188 votos (24,83%) e Maria das Neves com 16.828 (24,31%).
Num universo de 111.222 votantes, foram às urnas 71.524 eleitores, com uma abstenção de 35,69%.
MYB // VM Lusa

“Que Deus abençoe São Tomé e Príncipe”

Comentário de leitor no Téla Nón - “Pela Primeira Vez” o nosso país entra para a história de Estados que realizam eleições que são tidas e declaradas como sendo injustas e fraudulentas por uma parte dos intervenientes que representam uma faixa considerável da população.

Em muitos países e paragens este cenário constituiria motivo mais doque suficiente para o início de um conflito belicista entre duas partes opostas. Deus continue, por favor, a abençoar STP para que não haja uma “Primeira Vez” de conflito bélico nestas ilhas .Em todas as eleições realizadas em STP, a faixa vencida vem aceitando os resultados apesar de pequenas irregularidades. Desta vez, os vencidos consideram que roubaram ou falsearam os seus votos. Logo, esperava-se das autoridades competentes mais e melhor ponderação e moderação na tarefa de “explicar sem complicar”.- Excerto de  “Que Deus abençoe São Tomé e Príncipe” | Téla Nón

UM JUIZ MAIS POLÉMICO DE QUE CONSENSUAL 

Ataque dos Tribunais ao Governo provoca reunião dos Órgãos de soberania Publicado em 16 Mai 2014,

16 Mai 2014  Pinto da Costa, Presidente da República, Chefe de Estado e com competências de defender o normal funcionamento das instituições do Estado, convocou para esta sexta – feira, uma reunião entre os 4 órgãos de soberania.

(...) O Téla Nón apurou que a situação de confronto verbal duro e aberto do órgão de soberania os Tribunais na pessoa do seu Presidente José Bandeira, contra o Governo de Gabriel Costa, na abertura do ano judicial, forçou a convocação da reunião de concertação no Palácio do Povo, esta sexta – feira. Ataque dos Tribunais ao Governo provoca reunião dos Órgãos de 

Governo de Gabriel Costa maltratado pelos Tribunais

12/05/2014 - Tudo aconteceu na última sexta – feira na abertura do novo ano judicial. O Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, José Bandeira, atacou duramente o Governo por causa do dinheiro resultante da venda do combustível que estava armazenado no navio “Governo de Gabriel Costa maltratado pelos Tribunais | Téla Nón


 CULPA É SEMPRE DOS OUTROS – “Aproveitamentos calculados, indevidos e maliciosos” - Diz Bandeira 

19 de Maio 2014 - José Bandeira, Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, aproveitou a presença da imprensa no Palácio do Povo na última sexta – feira, para reagir ao que considerou ser aproveitamentos que algumas pessoas decidiram fazer do seu discurso no acto de abertura do ano judicial.. Aproveitamentos calculados, indevidos e maliciosos | Téla Nón


EXPURGA CONTROVERSA DE JUÍZES  E À MARGEM DA CONSTITUIÇÃO QUE IMPUNHA O SIGILO LEGAL E NÃO FOI OBSERVADO  Juízes classificados como medíocres foram suspensos


O Presidente do Supremo Tribunal de Justiça e do Conselho Superior de Magistratura Judicial, José Bandeira, convocou a reunião do Conselho Superior de Magistratura Judicial, logo depois do artigo publicado pelo Téla Nón no dia 9 de Maio, alertando a opinião pública, para a necessária publicitação do resultado da inspecção aos magistrados judiciais realizada por peritos portugueses no ano passado. Excerto de Associação dos Magistrados Judiciais denuncia ... - Téla Nón …Patrice- “Juízes medíocres podem ser úteis noutros sectores” |…. …. CEN desmente eleição do novo Presidente da República ... - Téla Nón



Nenhum comentário :