expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

EM S. TOMÉ - EPILOGO ELEITORAL - Fraude eleitoral “constitucionalmente limpa” e “sem falhas” – Embaixador congolês Baudouin Hamuli Kabarhuza, a residir no Gabão, diz que o processo se fez no respeito da Lei - Repórteres da rádio, em apelo ao voto nas mesas de voto e ao arrepio da lei, declararam publicamente que não viram nem entrevistaram nenhum observador, nem nos arredores da capital nem pelos confins das ilhas .


Chefe da missão da CEEAC, o embaixador Baudoin Hamuli   RFI/ Liliana Henriques

"Na sua declaração lida pelo chefe da missão da CEEAC, o embaixador Baudoin Hamuli, considera que “os membros das instituições encarregues da eleição dominam os procedimentos eleitorais” e que “nenhum incidente podendo afectar o desenrolar da votação foi notificado”. São Tomé: CEEAC considera que 2ª volta fez-se no respeito da lei - RFI

A PATRICE NÃO LHE FALTAM PADRINHOS PARA BRANQUEAR  A ELEIÇÃO DO  PRESIDENTE DA REPÚBLICA AÇÃO DEMOCRÁTICA INDEPENDENTE  - QUE AINDA NÃO RECEBEU PARABÉNS DE NENHUM CHEFE DE ESTADO  


Patrice Trovoada, depois de, na 1ª volta, ter-se valido de Armando Emílio Guebuza, que, em declarações à Angop, em Luanda, considerara que  as eleições em São Tomé e Príncipe foram  livres e  transparentes,  sim, vindas do  ex-presidente moçambicano, que a Embaixada Americana, em Maputo, acusara de estar envolvido num suposto caso de corrupção e tráfico de influências. EUA associam Guebuza ao narcotráfico internacional,  eis que, desta vez, não vai ao sul de África e à contra-costa, voltada ao Índico,  mas ao lado e muito mais perto, ao país onde nasceu: servindo-se agora da muleta do embaixador congolês Baudouin Hamuli Kabarhuza, Diretor de Assuntos Políticos da  Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), com sede em Libreville ( Gabão), 

E, afinal, que   interesses representa este Sr. Baudouin Hamuli Kabarhuza? - Os pornográficos da República Democrática do Congo (RDC) !  – De um enorme país que, apesar de seus vastos recursos naturais, é um dos países mais pobres do mundo, onde a esmagadora maioria da população, vive  em condições desumanas,

Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista  - Informação e Análise - Desde há 46 anos

 "RESPEITO PELA LEI" - Diz o comunicado   . A COMEÇAR PELAS  REPORTAGENS DA RÁDIO - PROIBIDAS POR LEI



 A missão da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) em São Tomé e Príncipe, considerou, num comunicado lido à imprensa, que a 2ª volta  das eleições Presidenciais de domingo, que elegeram Evaristo Carvalho, respeitaram  a lei
Elegendo o Candidato apoiado pelo Partido do Governo e o único a concorrer - Isto porque,  o atual Presidente, Manuel Pinto da Costa, se recusou  a participar num processo eleitoral, que, "por tão viciado seria caucioná-lo"

Mais uma enorme falsidade: –É dito que a referida eleição teve uma participação de cerca de 46% dos eleitores, cerca  de 42 mil votos, respeitou a lei. Todos estes números não oferecem a menor credibilidade

EVARISTO CARVALHO – ELEITO PRESIDENTE – SEM SURPRESA E SEM ENTUSIASMO GERAL - COM RESULTADOS, MAIS DE QUE DUVIDOSOS

Evaristo Carvalho, único candidato à segunda volta das eleições,  eleito  novo presidente de São Tomé e Príncipe – Com um discurso também sem novidade:São Tomé e Príncipe, precisa de uma nova era de trabalho, uma nova era de mãos dadas com a coesão política e a estabilidade governativa todos temos que trabalhar para fazer o nosso país avançar», frisou o Presidente da República Eleito.

Em Angola, com 3.914 eleitores, somente votaram 155 eleitores – Em Portugal, pouco mais de uma centena.

O caricato é que o é o próprio Presidente da CEN,  ao anunciar os resultados, aponta  42.058 obtidos por Evaristo, com  54% de abstenção, omitindo o correspondente número de eleitores que se abstiveram. Mas os tais 54% referem-se ao universo de 111.222 eleitores.

NESTES TERMOS:  "2ªVOLTA DAS PRESIDENCIAIS 07-08-2016 Nº DE ELEITORES – 111.222 Nº VOTANTES – 51.173 EVARISTO CARVALHO – 42.058 VOTOS BRANCOS – 1.548 VOTOS NULOS – 7.567 ABSTENÇÃO – 54,0%

S. Tomé - "Processo eleitoral  constitucionalmente limpo”, “sem fraude”  mas com repórteres  de rádio nas Assembleias  apelarem  ao voto,  ao arrepio da  lei

Ouça neste video as  declarações de  Ambrósio, de Patrice e do Evaristo e alguns apontamentos registados em direto da artilharia de reportagem nas mesas de voto para pressionar o eleitorado a saír de suas casas e dar legalidade a um processo altamente manipulado e fraudolento


Primeiro-Ministro, Patrice Trovoada, diz que as eleições em S. Tomé constituíram um “processo constitucionalmente limpo” – Em sintonia, com, Ambrósio Quaresma, Porta-voz da Comissão Eleitoral Nacional, que, numa das conferências de imprensa de apelo ao voto, ao longo do período do escrutínio, declarou: “da forma, como está montado o processo eleitoral, não há condições para falhas em S. Tomé e Príncipe. Vai tudo decorrer com toda a normalidade” – De resto, na mesma tónica da bateria de repórteres da rádio, com entrevistas a eleitores e a membros das mesas de voto, procedimento não permitido pela lei eleitoral


Ambrósio, começou por recordar as palavras, na VTS, de véspera,  do Presidente. Alberto Pereira "para que as pessoas nas mesas de voto tenham muita atenção de forma que não aconteçam as pequenas falhas que aconteceram da 1ª volta” – Esqueceu-se foi de lembrar os deveres  da lei eleitoral, que diz claramente: Artigo 133.º Deveres dos Profissionais de Comunicação Social) Os profissionais de comunicação social que, no exercício das suas funções, se desloquem às assembleias de voto não podem: Colher imagens e aproximar-se das câmaras de voto de forma que possam comprometer o segredo de voto; Obter outros elementos de reportagem no interior da assembleia de voto ou no seu exterior até à distância de 500 metros que igualmente possam comprometer o segredo do voto; De qualquer outro modo perturbar o acto eleitoral

PATRÍCIO (AUTORITÁRIO) MANDA COMUNICADO À RTP-ÁFRICA - Talvez a pensar que está a dirigir-se à RDP-África onde conta com fiéis emissários 

 Patrice Trovoada, tem o seus emissários políticos na RDP-África, em Lisboa, que trabalham simultaneamente para a TVS e aquela estação portuguesa, porém, até agora tem-lhe escapado  o controlo da RTP-África. Vejam-se algumas passagens do teor do comunicado, que lhe mandou à redação:

"Na verdade, contrariamente às informações publicamente divulgadas pela Comissão Eleitoral Nacional e pelo Comando Geral da Polícia Nacional, a RTP África divulgou nos seus blocos informativos o seguinte: I – Que o novo Presidente da República, Evaristo Carvalho, fora eleito apenas por 46% de votos, o que constitui uma mera apreciação parcial e subjectiva da estação, na medida em que fora provisoriamente tornado público pela Comissão Eleitoral Nacional que o referido candidato foi eleito por 82% dos votos expressos”

24/04/2013 -  “A INTOXICAÇÃO PARTIDÁRIA DA RDP-ÁFRICA (…) Em 2010, a RDP África comete, talvez, um erro colossal (…)ao conceber que o seu correspondente desde São Tomé e Príncipe, Óscar Medeiros, pudesse desempenhar em simultâneo o serviço de informador da estação e o de director da televisão pública, ao serviço dos Governos, a RDP África assinava com o acto a certidão de divórcio do seu servir, não porque a competência do jornalista caísse degraus, mas tão e somente, foi-lhe submetido ao incómodo de ser jogador e juiz em causa própria. (…) A juntar a política do Governo que o jornalista em questão enquanto director de televisão pública tinha de publicitar e passar imagem de fidelidade na sua outra missão de informar com rigor na RDP África, os ouvintes da rádio ficaram também servos de outros espaços radiofónicos claramente solidários com a agenda governativa das ilhas, ao contrário, do já longo caminho da considerada imparcialidade A intoxicação partidária da RDP África (artigo de opinião de José Cardoso) ...

20/11/2014 José Ribeiro e Castro participa no programa Debate Africano [na imagem, da esquerda para a direita: Jorge Gonçalves, Eduardo Fernandes (Guiné-Bissau), José Ribeiro e Castro, Adolfo Maria (Angola), Abílio Neto (São Tomé e Príncipe) e José Luís Hopffer de Almada (Cabo Verde) e, a partir de Braga, intervém Sheila Khan (Moçambique)] - RDP África (16nov14) RDP África - José Ribeiro e Castro (completo) - 17.10.14 - YouTube

DONDE VÊM OS MILHÕES PARA PAGAR O ALUGUER DE JATO PRIVADO E AOS EXPEDIENTES DESTES COMISSÁRIOS?


06/10/2014 A bordo de um jato privado, proveniente de Portugal via Angola, Patrice Trovoada, candidato a primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe pelo partido de oposição Acção Democrática Independente (ADI), desembarcou em São Tomé, na última sexta-feira (03.10), acompanhado de quatro deputados portugueses. Em STP, Trovoada luta por maioria absoluta | São Tomé e Príncipe 

PÚBLICO - "Amanhã, 7 de Agosto, Evaristo Carvalho deverá ser eleito Presidente da República de São Tomé e Príncipe. É a consolidação de uma mudança de ciclo, facto da maior relevância a que as autoridades portuguesas deverão dar o melhor acolhimento e destaque. Evaristo Carvalho não é novato nestas andanças, mas um dos mais experientes políticos são-tomenses. Começou com Miguel Trovoada, um dos dois grandes nomes históricos da política do país. E seguiu longa e dedicada carreira: deputado, ministro, duas vezes primeiro-ministro, Presidente da Assembleia Nacional. São Tomé e Príncipe: mudança e estabilidade | Público 

JOSÉ RIBEIRO E CASTRO 10/10/2014 - 03:25 É importante que as eleições sejam um virar de página, gerando uma maioria estável e duradoura e um novo clima de relação entre as principais forças e actores políticos.São Tomé, à porta do futuro - PÚBLICO
  
 


NO VÍDEO A COMÉDIA NO 1º ATO -  QUE CREDIBILIDADE PODE EXIGIR-SE DE  ÁS DECLARAÇÕES  LEVIANAS DESTES  IRRESPONSÁVEIS?

Só o facto da vitória de Evaristo Carvalho, ter sido anunciada  pelo Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, Alberto Pereira, na madrugada de 18 de Julho, e, logo a seguir celebrada com festa de arromba na sede de campanha, com a participação   do Primeiro-Ministro,  Patrice Trovoada,, era o bastante para  classificar  todo este processo eleitoral,   além de  fraudulento, de manifestamente  caricato ou  rocambolesco . 

O  2º acto,  terminou neste último domingo - E, se o anterior, havido   sido marcado por "gravíssimas irregularidades", segundo  declarações posteriores   do Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, o que dizer do epílogo - Quando a Governo envia para as mesas de voto uma brigada de repórteres de rádio, em manifesto procedimento contrário à Lei Eleitoral 

 DEZ OBSERVADORES MAS NENHUM DOS REPÓRTER OS TOPOU OU  LOGROU FALAR COM   ELES NO TERRENO

 Segundo a missão da CEEAC que abrangeu uma dezena de pessoas no exame do escrutínio em cerca de 40 mesas de voto repartidas nos distritos de Água Grande, Cantagalo, Mé zóchi, Lobata e Lembá., estas eleições realizaram-se no “no respeito da lei”.

São Tomé: CEEAC considera que 2ª volta fez-se no respeito da lei 


O estranho, é que, nos vários apontamentos de reportagem, de apelo ao voto, feitos diretamente do interior das Assembleias(o que é contrário à lei eleitora)l,  através de um batalhão de repórteres nos mais variadíssimos pontos das duas ilhas, nenhum dos enviados,  entrevistando eleitores e membros das mesas de voto, ninguém  entrevista qualquer  observador, chegando, mesmo, um deles, a afirmar nem sequer os ter visto

Além disso, apesar da tónica de reportagem ser a de que o escrutínio estava a decorrer "num ambiente de normalidade" (claro, pelo facto de haver pouca gente a ir às urnas),  houve também quem explicasse como  a ausência de delegados da oposição, haviam fora “indevidamente” resolvida – O que contradiz com as afirmações do Primeiro-Ministro, Patrice Trovoada, que veio afirmar que os delegados, indicados pelos  partidos ou candidatos,  não faltaram

A SINA QUE PERSISTE” - Diz o santomense Adelino Cardoso Cassandra  - De férias na sua terra

Tudo o que tem acontecido, cá em S. Tomé e Príncipe, que culminou com a recente trapalhada, na primeira volta das eleições presidenciais, e, posteriormente, com a eleição do novo presidente da república, é algo que qualquer observador, minimamente atento, da nossa realidade, poderia antecipar sem qualquer esforço analítico extraordinário. Fui alertando que o orçamento do cidadão, (alguém ainda se lembra dele?) não era nem mais nem menos do que o início da campanha para as recentes eleições presidenciais que, transformou o país numa autêntica festa contínua, desbaratando fundos e recursos públicos, num país pobre como o nosso que passa a vida a pedir dinheiro ao exterior.

A festa continuou com a construção de “campos de futebol” em todos os distritos, de qualidade duvidosa, alguns dos quais já se encontram em estado de total abandono, sem qualquer projeto, a montante, para o desenvolvimento do desporto, federado ou escolar, que alimentasse este propósito.
Pelo meio, a correr, levou-se água e eletricidade para algumas comunidades, sem qualquer projeto organizado e transversal que garantisse tais ambições, tendo como resultado a penúria destes bens noutras localidades que já usufruíam deste autêntico privilégio.
Mais tarde, comprou-se, sabe-se lá com que meios financeiros, uma quantidade de barcos cujo destino ou objetivo ninguém descortina até hoje.

Para dar a “coisa” um ar de internacionalização e responsabilidade inventaram “STP IN – London” cujo conteúdo se assemelha a uma história de Carochinha para entreter crianças com necessidades educativas especiais. Vociferaram, com energia e empenho militante, que tal “coisa” iria contribuir para a construção de um novo país e, como tal, embrulharam-na com um nome pomposo “Agenda de Transformação de S.Tomé e Príncipe 2030” e garantiram-nos que já existia investimento garantido para quase tudo. Com papas e bolos, num corrupio invulgar pelo país, foram convencendo a plebe da veracidade dos propósitos relacionados com a implementação da referida agenda, prometendo tudo a todos, e transformando a administração e empresas públicas num autêntico centro de reabilitação da ignorância e mediocridade, salvo raras exceções.

Quem passou dois anos fazendo este caminho delapidando, de forma imperdoável, nalguns casos, os bens públicos, sem garantia de sustentabilidade do país no futuro, num contexto que não se produz nada, não coibindo de afirmar, publicamente, que a intenção subjacente era “acabar com o PCD e o MLSTP, como fizeram com o MDFM”, nunca iria “entregar o ouro ao bandido” num processo eleitoral como este em que o primeiro-ministro foi a figura central substituindo-se ao próprio candidato.
Eu nunca tive dúvidas sobre isto! Todos os passos do Patrice Trovoada e da sua entourage, desde o princípio, denunciavam este propósito e até os nossos magistrados superiores, entraram na referida festa, vestidos a rigor, como, oportunamente, a ordem dos advogados, nos alertara em comunicado.
Inicialmente, pensei, que se tratava de pura ignorância, a verbalização, por parte de algumas pessoas afetas ao ADI, da intenção de acabar com os partidos políticos da oposição. Mais tarde, quando comecei a ouvir e ler o mesmo, vindo de pessoas, aparentemente instruídas e com responsabilidades, como assessores, conselheiros e alguns deputados do ADI, as coisas começaram a se compor, pelo menos para mim, como um objetivo politico a cumprir, compaginável, aliás, com a praxis política evidenciada.

Acabei de chegar ao país, de férias, e ao quinto dia deixei de ver e ouvir a televisão e rádio públicas que mais se assemelham aos da Correia do Norte. Nunca tinha visto, desde a instauração da democracia no país, a nossa televisão e rádio públicas com uma intervenção tão desprezável e rasca, ao nível de: conteúdos; diversidade em termos de representatividade opinativa e reflexiva; competência e imparcialidade comunicativa, etc. Tudo isto é feito em nome do projeto de “acabar com o PCD e o MLSTP como acabaram com o MDFM”.

Ninguém consegue explicar a estas pessoas que, vivendo-se num Estado de Direito Democrático, supostamente, a ideia de acabar com os partidos políticos da oposição é um autêntico contrassenso.- Téla Nón –Excerto do  Texto de Adelino Cardoso Cassandra
Santo António do Príncipe, 8 de Agosto de 2016 A Sina que Persiste | Téla Nón

  Empresário misterioso chega ao poder em São Tomé
07/08/2010 -Filho de um ex-Presidente, passou parte da vida longe de São Tomé. Acaba de ser eleito primeiro-ministro. Empresário misterioso chega ao poder em São Tomé





Eleições Presidenciais -  PROSSEGUE  A COMÉDIA  AO MAIS ALTO NÍVEL DO LIBERALISMO INTERNACIONAL - Angola não confia em Patrice e este vira-se para  os países francófonos do Golfo - A visita do senegalês Abdoulaye Bathily, representante da ONU, parece ser um desses indicadores 

Em 5 de Junho de 2005, há um ano, o Governo do Burundi rejeitou o novo mediador da ONU  para acabar com a crise na Nação Centro Africana, o Representante Especial da ONU para a África Central, Abdoulaye Bathily acusando-o de parcialidade. Burundi rejects new UN mediator over negative elections report ... - Agora parece ser a  tábua de salvação  de Patrice para fazer valer méritos democráticos que não tem revelado. 


"ONU felicita governo e considera “São-Tomé e Príncipe um exemplo de democracia"


STP-PRESS

São-Tomé, 03 Agos (STP-Press) – O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada recebeu esta manhã o representante do secretário-geral das Nações Unidas, ONU, Abdoulaye Bathily, que felicitou o governo e reafirmou que “São-Tomé e Príncipe é um exemplo da democracia em África”.

(…) Quanto ao processo eleitoral em São-Tomé e Príncipe, o representante do secretário-geral das Nações Unidas declarou que “ São-Tomé e Príncipe tem sido um exemplo da democracia em África e na organização do processo eleitoral”, tendo sublinhado “esperar que a 2º volta das presidenciais de domingo, dia 7 possa decorrer de forma pacífica”. – Excerto de .STP - PRESS


ONU SOB DOMÍNIO LIBERAL 

Depois dos escândalos, que marcaram o escrutínio da 1ª volta das eleições presidenciais, com as gravissimas irregularidades, que levariam, o Presidente da República em exercício, Manuel Pinto da Costa, a  recusar-se  a "continuar a participar num processo eleitoral tão viciado, considerando que  seria caucioná-lo,  Patrice Trovoada, pretendendo dar credibilidade um Governo, que começa a cair em desgraça e a ser fortemente contestado pela população, num ambiente, senão de confronto, porque o Povo é pacifico, mas de um grande mal-estar social, mobiliza as suas influencias diplomáticas externas e , na derradeira semana do último escrutino, marcado para  domingo, 7 de Agosto,  recebe a visita do senegalês, Abdoulaye Bathily, representante da ONU

Pois, nestas coisas, o conta não é tanto a realidade da situação social e económica, que  se vem degradando, com bancos a falir e empresas insolventes - pese um certo folclore de inaugurações, com as televisões e as rádios, em serviço exclusivo da propaganda governamental - , mas salvar as aparências e dar um cunho de legalidade democrática, a um governo, que só tem dado mostras de arrogância e de autoritarismo. 

Nenhum comentário :