expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Patrice Trovoada, o absolutismo do “empresário Misterioso” nascido no Gabão, está a querer deixar S. Tomé a ferro e fogo. – A radiografia de um político ao estilo dos sorrisos do marketing dos novos mercadores do liberalismo selvagem, com práticas do velho ditador africano, autoritário e ambicioso - Faz das Ilhas a grande coutada da sua tribo familiar: controlando todas as instituições e agora em vias da Chefia da Nação - Emitindo a moeda que lhe apetece e deixando cair a banca que não lhe sirva os desígnios.

RADIOGRAFIA DE UM INADAPTADO AOS HUMILDES COSTUMES E À ANCESTRAL TRANQUILIDADE DAS ILHAS VERDES DO EQUADOR – Que está a provocar uma vaga de medo e de terror,  um certo mal-estar geral em largos sectores da população, que não se revê na politica da sua cor  -  E, como a tribo Trovoada, desde o modesto posto de Chefe e Director Geral do Balneário Municipal, de Miguel Trovoada Júnior, no período colonial, em 1963, que, aliás, acabaria por ser afastado por padecer  de Oligofrenias e psicopatias constitucionais ,ascende aos mais altos cargos da Nação Santomense, em Miguel Trovoada (pai) e Patrice Trovoada  (filho)


(Chalé  do Administrador da Roça Perseverança ou Ribeira Peixe -  pormenores mais à frente)



Dizem cidadãos santomenses, em comentários  on line, a que mais à frente, me refiro  e não só de agora: 18/04/2016 "Meus caros estamos perante um crime, à semelhança do que vem acontecendo em vários casos envolvendo este governo. Acho que o Patrice Trovoada anda a brincar com o fogo. Ele entende que controla tudo neste país. Tribunais, a Procuradoria Geral da República, Órgãos de Comunicação Social, Assembleia Nacional e o Governo. Mas acredito que vai chegar um tempo em que tudo isso irá parar. Para isso os partidos políticos da oposição têm de fazer o seu trabalho". 


"O Governo Facção de ADI transformou-se em governo de tapar buraco, mas que nem tapar buraco está a conseguir, e também só passa vida complicar a vida do povo sem explicar.
Governadora Carmo Trovoada e administradora Massary sobrinha do ministro de administração interna) fizeram contrato com empresas sem autorização legislativa "

"Ele sempre que faz algo neste país fá-lo com pouca ou nenhuma transparência. Em quase tudo. Patrice Trovoada cultiva esta cultura de segredo e pouca transparência que pode ser interpretada com corrupção. Eu não consigo perceber esta forma de trabalhar na política. O país não é dele nem do país dele. Ele é somente primeiro-ministro. Neste caso não custa nada informar as pessoas sobre aquilo que ele pretende fazer, como vai fazer e com que meios vai fazer. Em casa dele e da mulher dele ele pode fazer aquilo que lhe interessa sem informar nada a ninguém. Mas o país não é a casa dele ainda. E quando ele faz estas coisas é óbvio que isto dá espaço para as pessoas interpretarem como corrupção ou outra coisa qualquer. Qual a necessidade, por exemplo, para Patrice Trovoada comprar tantos barcos para fazer ligação entre as duas ilhas e não existir no orçamento nem em lado nenhum as despesas relacionadas com a aquisição destes barcos. Os barcos são dele? São do país? Quem pagou? Pagou como?"

POR JORGE TRABULO MARQUES - Jornalista - Informação e Análise - Desde há 46 anos


Numa altura, em  que “os apoiantes da candidatura da Maria das Neves e partidos políticos da oposição desencadearam na tarde da última quinta-feira, 4 de Agosto, uma grandiosa manifestação que reuniu milhares de apoiantes e simpatizantes do MLSTP/PSD, PCD e MDFM/PL.
“Segundo o teor da Carta Petição em que a nossa redacção teve acesso, o objectivo do manifesto, exorta anulação das Eleições Presidenciais realizadas no dia 17 de Julho de 2016, e bem como uma tomada de posição por Sua Excelência o Presidente da República e Comandante em Chefe das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe.” Jornal Transparência


O Povo de S. Tomé e Príncipe, sofreu muito ao longo de séculos - Pelos vistos, há gente que desconhece essa memória e que tem saudades de antigamente, juntando-se aos novos neocolonialistas, disfarçados de Messias - Veja-se este documento dos anos 50, que defendia à entrada da Piscina Municipal, uma tabuleta para vedar a entrada a negros e até a alguns brancos http://www.odisseiasnosmares.com/2015/01/sao-tome-39-anos-depois-memoria.html




PATRICE - O NATIVO GABONÊS QUE ESTÁ A DEIXAR S. TOMÉ EM POLVOROSA




O partido da  Acção  Democrática e Independente (ADI, com maioria absoluta no poder) , criado  em 1994 pelo então presidente Miguel Trovoada, parece manter  os mesmos tiques arbitrários, conflituosos  e autoritários do seu fundador: dir-se-ia, que, atualmente, é mais uma dinastia da clã ou da família Trovoada, defendendo interesses sectoraiais,  indivulalistas  ou de grupo, que propriamente um partido democrático e pluralista, com uma visão de bem-estar social, de âmbito vasto e consistente para o Povo santomense - Em que quem é arrecada é Trovoada; quem não vira neste apelido não petisca. 



Tal não significa, no entanto,  que não haja nas suas fileiras, pessoas competentes e bem intencionadas, verdadeiros democratas e que até o desejem ver a milhas: isso acontece em todos os partidos. O mau é que,  num pais pequeno e pobre, mas também  como nos países grandes e ricos,  e em partidos da bagunça liberal, só ascende ao topo da hierarquia e da sua liderança, não quem merece e quem quer, mas quem tem poder financeiro para se promover, quem pode arregimentar ou comprar votos: e,a  clã Trovoada, que já no tempo colonial era das famílias protegidas pelo regime,  actualmente é das  mais bem colocadas na sociedade santomense -

Maria do  Carmo Trovoada Pires de Carvalho Silveira,, formada na juventude do MLSTP; quando partido único, tendo logrado  ser Primeira-ministra do governo do MLSTP/PSD, após o que exerceu a função de governadora do Banco Central, voltando a ser chamada em 2011, pelo então primeiro Governo de Patrice Trovoada, sendo, atualmente, além de Governadora do  Banco Central, simultaneamente administradora da Massay, é prima carnal de Patrice Trovoada e sobrinha do ministro de administração interna - Por seu turno, a Ministra da Saúde, Maria dos Santos Trovoada,  (julgo que das pessoas da clâ Trovoada, a mais simples e competente), é também prima de Patrice Trovoada - Bom, mas não é  intenção deste meu artigo escalpelizar todo esse enredo familiar mas denunciar a  promiscuidade a que tudo isto pode conduzir

Mas este petisco não é para todos

 -"Meus caros estamos perante um crime, à semelhança do que vem acontecendo em vários casos envolvendo este governo. Acho que o Patrice Trovoada anda a brincar com o fogo. Ele entende que controla tudo neste país. Tribunais, a Procuradoria Geral da Republica, Órgãos de Comunicação Social, Assembleia Nacional e o Governo. Mas acredito que vai chegar um tempo em que tudo isso irá parar. Para isso os partidos políticos da oposição têm de fazer o seu trabalho. 




Estas palavras não são minhas mas do comentário de um santomense, a propósito de "procedimento alegadamente inconstitucional, e pouco transparente adoptado pelo Banco Central para emissão de novas notas da moeda nacional, a dobra."

(...) no momento em que o país se prepara para eleger o Presidente da República, acto político de transcendental importância, o Governo que legislou em matéria de reforma monetária, contratou duas empresas britânicas, nomeadamente a “Royal Mint” e a “De la Rue”, para produzirem a nova família da dobra.

Fonte do Téla Nón, considerou a contratação directa das duas empresas britânicas como sendo um acto ilegal, tendo em conta que a lei obriga a abertura de um concurso público internacional para o efeito. (..) O escândalo vigia o Banco Central, porque pelo que o Téla Nòn sabe as duas empresas britânicas contratadas pelo Governo, já receberam o pagamento pela emissão das novas notas de dobraEscândalo espreita o Banco Central | Téla Nón.... É só despejar ou então entornar o que já lá está : São Tomé e Príncipe: Banco Central intervém no Banco Equador ..... Três bancos comerciais já submetidos a intervenção dBanco do Equador faliu e não há compradores –

QUEM SAI AOS SEUS NÃO OS DESMENTE

Patrice Trovoada,  filho do fundador, atual líder da ADI e Primeiro-ministro, é justamente a imagem desse absolutismo monárquico, que demonstra ter-se  instalado em todas as instituições da Nação Santomense, em todos os sectores da Administração Pública - 

Refere um artigo publicado no Diário de Noticias, com o titulo" Empresário misterioso chega ao poder em São Tomé, publicado em 7 de Agosto 2010 , que Patrice Trovoada, só começou a estar presente em São Tomé a partir de 1991, quando o seu pai foi eleito Presidente. Antes disso viveu sempre fora do país. Completou o ensino primário na sua terra natal, o secundário em Lisboa e foi em França que terminou a licenciatura em Economia, iniciada na Roménia.

 POR SUSPEITA DE METER A MÃO NA SALGADEIRA 

"Em São Tomé ocupou o cargo de conselheiro para os assuntos petrolíferos do actual Presidente, Fradique Menezes, até ser afastado em 2005, sob suspeita de usar a sua posição em benefício próprio. Foi também Menezes que, no início de 2008, o nomeou primeiro-ministro pela primeira vez, funções que na altura assumiu por apenas três meses." - DN Empresário misterioso chega ao poder em São Tomé

Como atrás referi, estou em crer, que, na Acção Democrática Independente,   há pessoas, com melhores capacidades (pessoalmente tive o prazer de falar como algumas delas), com talento e prestigio,  que poderiam dar provas de melhor Governação, propiciando outros diálogos com oposição, menos crispações e não conduzir o país a um beco sem saída, a um clima de confronto, cujas consequências, poderão ser muito graves.

 PARA A HISTÓRIA DA PROMISCUIDADE POLITICA

Patrice Trovoada, por certo, que não vai acabar o mandato e, desta vez, nem sequer deverá  ser a oposição a fazê-lo cair no Parlamento, mas a escapar-se, armado em vítima, depois de deixar o país ingovernável e de pantanas, que é para onde caminha e, mais tarde,  fazer  nova investida, não por amor a S. Tomé e Principie, de que parece não ter cultivado profundos laços de afecto, pois, além de não ter aqui  nascido e nem passado a adolescência e parte da sua juventude), dá mais ares de correr, não em busca de soluções para servir as populações,  mas - é corrente dizer-se  -  como homem de negócios em constantes viagens pelo estrangeiro: Patrice só cá esteve 75 dias em 2015- 

NUMA TERRA EM QUE "SOMOS TODOS PRIMOS" - MAS HÁ OS  PRIMOS  QUE SÃO MAIS DO QUE PRIMOS 

Comunidade da Ribeira Peixe
S. Tomé e Príncipe, com uma população, que não chega. às 200 mil almas, onde se diz que “todos são primos”, todos têm laços familiares que encontram  num  passado comum, basta ver o número de habitantes (nativos)que existiam nos anos 20 ou 30 do século passado, isto para já não se recuar umas décadas  mais atrás. 

Com  os progressos da independência, na área da saúde e da educação, a redução da mortalidade infantil e o combate ao paludismo e a outras doenças endémicas, a população mais que triplicou, passando dos 70 mil habitantes para quase duas  centenas de milhares. Mas o mal não está tanto, no vinculo familiar, próximo ou mais afastado, pelo contrário, mas nos compadrios, nas promoções, que ascendem pelo vinculo partidário e familiar de que pela competência e mérito..

Naturalmente que, S. Tomé e Príncipe, não é  a mesma coisa que as chamadas castas na .Índia, sistema de organização social que classificava e ainda hoje classifica as pessoas segundo a cor da pele e o grupo em que nasciam. Como já alguém afirmou, parece incrível que esse tipo de ideia ainda exista no mundo em que vivemos, apesar dos grandes avanços da humanidade, mas dir-se-ia que, o que, de algum modo se passa nestas maravilhosas ilhas,  lhe é quase afim.

E, pelos vistos, alguns membros  da  tribo Trovoada,  pretendem impor-se, não tanto pelo seu mérito, por ter um passado de relevantes demonstrações intelectuais e sociais, mas tão somente levados por orgulho, vaidade e ambição: obviamente que não se pode generalizar, mas, ao que consta é que, por onde passa, gente de Trovoada, mais parece haver  tempestade que de calmaria


No caso específico do percurso político de Miguel Trovoada, não me parece que seja um belo exemplo politico a seguir: conflituoso, autoritário e arrogante, na Governação de S. Tomé e Príncipe e péssimo nos lugares que desempenhou fora do seu país, nomeadamente na Guiné-Bissau  - Recebeu-me no seu gabinete, depois da Independência, e, pela troca de impressões havida, apercebi-me logo que,  mais tarde ou mais cedo, ele iria chocar com o Presidente Manuel Pinto da Costa, mais humanista e idealista convicto.

Perguntou-me a minha opinião, nestes termos: "Camarada, Jorge! O nosso camarada, Pinto da Costa,  quer que S. Tomé adira ao  Movimento Não Alinhado –  "Trovoada, que era de tendência liberal, já mais enamorado pelo fascínio do el-dourado  americano, manifestava a sua discordância achando que era uma cedência  aos comunistas -  Bom, lá falámos um pouco sobre o assunto, ficando com a impressão de que não tardaria por ali haver algumas fissuras - E não me enganei,
Neste interessante artigo do Téla Nó, são explicadas - As versões de Pinto e de Trovoada sobre os acontecimentos de 1978 ..

NO TEMPO COLONIAL, OS EMPREGOS PÚBLICOS NÃO ERAM CONCEDIDOS A QUALQUER NEGRO  -  UM DOS TROVOADAS, FOI UM DOS CONTEMPLADOS  - MAS CAIU EM DESGRAÇA - Acusado de ter faltado ao serviço e por padecer  de Oligofrenias e psicopatias constitucionais - 

Em Maio de 1963, um santomense de apelido Trovoada, ascendia pelo menos a Chefe e Director Geral do Balneário Municipal – Mas, pelos vistos, com alguns embaraços  pelo meio para lograr a sua reforma,

Nuns documentos que consultei, há uns anos pude encontrar  uns registos, algo curiosos, que guardei, supondo tratar-se  de Miguel Trovada, mas já vi que se referia a outra pessoa da sua familia: 

- o  nome completo do pai de Patrice Trovoada, é,( Miguel Trovoada ) Miguel dos Anjos da Cunha Lisboa Trovoada, pelo que, a breve resenha que aqui trago, se refere a Miguel Trovoada Júnior, de cujos documentos cito algumas passagens

EXPOSIÇÃO DE MIGUEL TROVOADA JÚNIOR - Excelentíssimo Senhor Inspetor Geral da Câmara Municipal de S. Tomé

Miguel Trovoada Júnior solteiro, maior, funcionário Municipal, Chefe e Director Geral do Balneário Municipal com trinta anos prováveis dessa função com documentos   do seu comportamento exemplar juntos do processo que está correndo os seus  trâmites neste repartição, além do seu desempenho nas diversas repartições  do Estado com quinze anos de trabalho prestado à Nação perfazendo os seus 45 anos. (excerto)


(…) Acontece que até ao presente os senhores dirigentes da Câmara como Senhor António Aprígio Malveiro e os demais empregados seus subordinados envolvidos na maior malícia e progonostidade a pessoa do requerente por forma nenhuma querem-lhe aposentar, convencidos de que já não haverá outra Superioridade que lhes possa suplantar; e por isso o requerente  P. roga a Excelência a maior revisão em geral nos presentes processos e fá-los submeter às necessárias providenciais ministeriais.

RESPOSTA  A MIGUEL TROVOADA JÚNIOR - Foi guarda , assalariado , do Balneário Municipal e dispensado em 1956, devido ao seu  procedimento quando em serviço.

Existe, efetivamente, na Câmara, um processo, em que o reclamante solicita à Câmara a sua aposentação.

 (...) Analisando o processo de MIGUEL TROVOADA JÚNIOR, verificou-se que foi dispensado do serviço da Câmara em Junho da 1956, altura em que contava, conforme elementos posteriormente obtidos, de efectivo serviço, 13 anos e, 6 meses e 10 dias, e havia feito descontos para aposentação correspondente a 6 anos, 4 meses  e 13 dias.


Em Março de 1958, a seu pedido foi presente à Junte de Saúde da Província, que o considerou incapaz para todo o serviço, nos termos do n;. 170 de Tabela, que diz, 170 - Oligofrenias e psicopatias constitucionais.(Já em Dezembro de 1951 foi presente " Junta de Saúde de Província que emitiu a seguinte opinião: as perturbações psíquicas apresentadas em actos de exposições de revidação  de pretensos direitos  ou outros de  natureza semelhante

NA GUINÉ-BISSAU, TROVOADA ANTECEDIDO DE MIGUEL NÃO É APELIDO DESEJADO

Anos 40 - Creche da Roça Ribeira Peixe
Sexta-feira, 29 de abril de 2016 – MIGUEL TROVOADA, abandonou hoje Bissau com o rótulo de prostituto. Na passada terça-feira, foi despedir-se do primeiro-ministro Carlos Correia e ouviu das boas. Segundo uma fonte do DC, Carlos Correia tomou-o de ponta: "Você é um ingrato! Quando aqui se exilou, demos-lhe casa, carro, milhões e um passaporte diplomático para correr mundo, e trata-nos assim!"

(…) Miguel Trovoada queria - disse bem, QUERIA!!! - permanecer como representante do SG da ONU na Guiné-Bissau...mas com residência em São Tomé e Príncipe ONDE SE PREPARA PARA SE CANDIDATAR às próximas ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS (o filho dele, Patrice, nascido no Gabão, é o actual primeiro-ministro de STP). Serão, por assim dizer, uma espécie de Putin/Medvedev - sucedem-se nos cargos a cada eleição... – Excerto de http://ditaduradoconsenso.blogspot.pt/2016/04/opiniao-aas-trovoada-um-prostituto-em.html
Miguel Trovoada é pessoa não grata na Guiné Bissau......

COM RESIDÊNCIA EM ANTIGA CASA DO PATRÃO COLONIAL - ROÇA RIBEIRA PEIXE - OU PERSEVERANÇA  - O POLITICO QUE MAIS ÓDIO VERTEU CONTRA OS COLONOS - É HOJE O SEU MAIOR ALIADO 


Compreende-se que Miguel Trovoada não aprecie os cheiros desta sanzala - pocilga
Miguel Trovoada - Foi dos dirigentes que, no pós a independência, mais inflamados ataques deferiu ao antigo regime colonial  - Embora, nalguns aspetos, não tivesse dito nenhuma mentira, o que não se compreende é que ele seja hoje um dos mais fiéis aliados das antigas forças coloniais, mais conservadoras e esteja até a servir-se da sua herança colonial:  - É sempre assim, os extremos tocam-se -   é o caso de José Ribeiro e Castro, filho do antigo  Governador de Angola,  Fernando Augusto Santos e Castro  propagandista-mor  das teses Patricianas.

OUÇA AS PALAVRAS DE TROVOADA, NESTE VÍDEO VERTIDAS DE RESSENTIMENTO E ÓDIO - 1975 


COMO ELE SE CONTRADIZ – TROVOADA UM DOS POLÍTICOS QUE  MAIS ÓDIO VERTEU CONTRA O PAÍS COLONIZADOR E SE OPÔS AO REFERENDO EM 23 DE AGOSTO DE 1990 PELA ABERTURA AO SISTEMA MULTIPARTIDÁRIO 

11/06/2015 Em entrevista à DW África, o ex-Presidente são-tomense assume que houve erros desastrosos após a independência - cometidos por inexperiência governativa e devido à fragilidade da estrutura económica.


Sabíamos perfeitamente que a independência não era a meta final, era uma etapa. Mas os mecanismos do desenvolvimento foram mais difíceis.  Trovoada sublinha que o poder deve ser um instrumento de realização das aspirações do povo são-tomense e não para a satisfação de pequenos interesses pessoais ou de grupos.″A independência não era a meta final, era uma etapa″, diz Miguel 

QUEM NÃO SABE CUIDAR DO QUE É SEU MUITO MENOS DE UM PAÍS - MAS OXALÁ ALI FAÇA OBRAS DEPOIS DE LER ESTE ARTIGO

Ao fundo o Chalé do Administrador


NA ROÇA RIBEIRA PEIXE - – SENZALAS-POCILGAS LADEIAM ANTIGO CHALÉ COLONIAL. HÁ UNS ANOS ADQUIRIDO POR  MIGUEL TROVOADA 

Quem não sabe cuidar do que é seu menos de um país: pelos vistos, tal pai, tal filho - 

Era a chamada "casa do patrão", situada no mesmo terreiro, junto a um modesto chalé dos quartos dos empregados de mato, onde também residi uns meses na condição de escravo, como os demais - E que, há uns tempos, fora adquirida pelo antigo Primeiro-ministro e Presidente da República, Miguel Trovoada, quando se fizeram algumas privatizações -


Não é esse aspeto que está em causa mas o estado de péssima degradação em que se encontra aquele antigo património arquitetónico, envolvente - O administrador-geral era raro lá pernoitar com a esposa e filhos, pois a residência habitual era na sede da Roça Uba-Budo, propriedades da mesma empresa - Da Companhia Agricola Ultramarina 
Chalé do Adminsitrador

Quando agora ali voltei, além de ter ficado profundamente chocado pela degradação das sanzalas, do edifício do feitor-geral, dos escritório, armazéns  e outras instalações tecnológicas, para já não falar do estado de ruínas e lastimoso em que ficou  o hospital, sim, pois, em boa verdade, o que mais me surpreendeu,  foi ter visto uma enorme cerca em torno da antiga casa do administrador, que, segundo  o que ali me foi dito, era agora a residência de campo de Miguel Trovoada, mas não estava habitável - Mais parecendo, que o antigo terreiro, se havia  transformado num pequeno campo de concentração à margem da  pequena comunidade de cabo-verdianos, tongas, angolares e alguns forros, que ali vivem em miseráveis condições de insalubridade nas suas degradadas cubatas: 





Mau gosto  o de isolar a residência daquele pacifico e sacrificado punhado de seres humanos! -  Por causa dos roubos ou de fechar os olhos à miséria à volta? 


Naturalmente que só por um certo snobismo e arrogância que caracteriza a personalidade de Miguel Trovoada,  demasiado plebeu para sentir-se à vontade ao lado de gente pobre.

- Confesso que me deixou muito chocado e decepcionado: quem não sabe gerir o que é seu  (e como o adquiriu?, como lhe foi parar às mãos?) - naturalmente que muito menos terá  competência para estar à frente da Governação de um país -  E foi o que demonstrou, enquanto governante e por onde tem passado.

Entrada da Administração
Patrice Trovoada, filho de Miguel Trovoada, talvez porque  nem sequer nasceu em S. Tomé, nem tão pouco, no período da juventude, aqui viveu, período decisivo para moldar  carácter e a personalidade de uma vida: segundo se diz, ele até, no seio dos seus, se fecha e não se expande. ( DN - pessoa muito fechada no seio da sua família, não costuma juntar-se com as pessoas nos bairros, nem participar em convívios". Por não ter ligações fortes à terra) conquanto, publicamente, revele faceta contrária: a do homem afável, sorridente e extrovertido - Claro, é o seu hábil marketing.

O EMIGRANTE AMBICIOSO PARA O QUAL TODOS OS CAMINHOS LHE PARECEM LEGAIS

É corrente dizer-se que é mais ambicioso de que o seu pai: em vez de herdar algumas das suas qualidades,  exibe os seus piores defeitos - : ou seja, próprios  do emigrante ambicioso, que sai da sua terra natal, que, é o Gabão, deixa África  e cedo parte para a Europa, nomeadamente, em Portugal, onde estuda e adquire formação académica, talvez já a pensar em tornar-se. mais tarde,  num empresário e politico poderoso, seja por que via for, seja por que meios for, de que propriamente o de abraçar ideais, em  servir os interesses coletivos da terra do seu pai e de seus avós paternos.  


No meu modesto ponto de vista, conquanto não seja psicólogo, mas o jornalista que entrevistou, centenas de pessoas: desde os mais perigosos assassinos, mesmo no interior das cadeias,  em casa ou nos gabinetes de trabalho das mais importantes personalidades  da vida, política, económica, religiosa e cultural, sim, valendo-me  do que tenho observado e  da  minha experiência profissional, creio tratar-se de uma pessoa, mais esperta de que inteligente, mais autoritária de que tolerante  e dialogante, mais vaidosa e cínica, de que íntegra e verdadeira. Patrice, não é tanto o que mostra ser por detrás daqueles seus rasgados sorrisos, mais teatrais de que intrínsecos e naturais,mas o que esconde e deseja ser: que é o de uma vaidade e ambição, sem limites; mais talhado ao marketing dos negócios pessoais de que  a servir ideais coletivos,  tal como qualquer  chico esperto, que por este caminho enverede, confesso que me   desiludiu, completamente: ainda cheguei a acreditar que ele era o homem certo no tempo certo, o tal “messias”, tão desejado, de que tanto se tem falado, que pudesse propiciar melhores condições de vida a um dos países, com índices de pobreza extremas, com pensões de 20 euros, que nem sequer permitem que o reformado possa comprar por inteiro uma vulgar caixa de comprimidos para as dores de cabeça ou insónias.

Ora, o que, em boa verdade, descortino, em Trovoada, filho,  não é tanto o homem dado à ação,  preocupado em dar curso a projetos de futuro, mas o do foguetório,  o da festa imediata, que joga  mais na arte malabarista das aparências de que em construir pontes e alicerces para o futuro da população.
MAIS SORRIDENTE QUE  IDI AMINI DADÁ  

Penso que é mais a faceta do politico ditador da América latina, que no que pensa é enriquecer, sim, onde o liberalismo selvagem há muito é senhor absoluto, que nem sequer é o do africano,  que, no fundo, até tem uma certa tradição humanista do soba, do zeloso e orgulhoso chefe da tribo, mas daqueles países onde todas estas tradições, na América Latina,  há muito foram barbaramente espezinhadas e destruídas pelo s desmandos criminosos da  colonização, enquanto, em África, mesmo no tempo colonial, tal estrutura  - de cariz régio -   de algum modo, ainda foi resistindo e persistindo:


Em S. Tomé, tratando-se de uma população oriunda da escravatura, de várias proveniências, salvo a etnia angolar, não teve esse passado; unicamente se cultivaram profundos laços familiares; dai ser  um dos países mais tranquilos e pacíficos de África, não obstante todo um rosário de privações, humilhações e vicissitudes por que passou ao longo dos séculos da colonização: quem aqui nasceu foi moldado por essa amálgama de sentimentos e de virtualidades - O dizer-se que o santomense é preguiço, este foi um anátema criado pelo colonizador, querendo obrigar a trabalhar à força uma população humilde e pacata, que não era ambiciosa, porque também nem precisava de o ser, visto encontrar, à sua volta, no seu ambiente idílico e paradisíaco, , todos os recursos para sobreviver e desfrutar tranquilamente com  o prodígios das belezas e dos frutos da Mãe-natureza.

Ora, no meu ponto de vista, Patrice Trovoada, conquanto tenha origem paternal  em S. Tomé, para todos os efeitos, é mais um adotado de que um nado e criado, logo, portanto, mantendo a  postura, mais do estrangeiro ambicioso e sem escrúpulos, que emigra, não para servir o país que o acolhe mas para servir.se dele, para se encher - E é o que parece saltar à evidência, com as várias acusações que tem recaído sobre o seu percurso. 


PATRICE - UM PERIGO PARA O NORMAL FUNCIONAMENTO DA DEMOCRACIA EM STP

É DITO QUE mandou emprestar 30 milhões de dólares à empresa chinesa China International Fund Limited,  - Empréstimo  realizado a margem de todas as leis da República, com destaque para a Lei-quadro da Dívida Pública, que tem como um dos objectivos regular os processos de endividamento público, garantindo as necessidades financeiras do Estado Patrice mandou emprestar 30 milhões de dólares a uma empresa .


07/06/2013 Forte suspeita de lavagem de dinheiro recai sobre  Patrice Trovoada “A pessoa em causa também assina o recibo confirmando a recepção do montante em cash. Levou o dinheiro para o Gabão, para ser depositado na conta número 81011146011-03, devidamente especificada no recibo. O LEITOR DEVE CONSULTAR O RECIBO QUE INDICIA LAVAGEM DE DINHEIRO CLIQUE –RECIBO DA TRANSACÇÃO  Téla Nón - Forte suspeita de lavagem de dinheiro recai sobre o ex-Primeiro ...


  Patrice Trovoada recebido em Portugal por Marcelo Rebelo de Sousa Expurga de Juizes, que não são da sua confiança politica, referindo que poderão ser uteis noutras actividades, como se fosse a ele a substituir-se à palavra dos tribunais Patrice- “Juízes medíocres podem ser úteis noutros sectores”  a toda uma série de arbitrariedade e de prepotências,  protagonizadas no decurso das eleições presidenciais, e m curso, ao ponto do um inesperado apagão ter impedido que o discurso do Sr. Presidente da República, fosse transmitido integralmente na televisão do Estado? 

QUE DIRÁ  DE TUDO ISTO, UM TAL ADVOGADO, POLITICO, CONSULTOR, LOBISTA, ESCRIBA DOS JORNAIS  E  COMENTADOR TELEVISIVO E DA RÁDIO? - Filho do Governador de Angola De seu nome José Ribeiro e Castro! - Que se farta de faturar  na RDP e RTP - que tem servido de "guarda-costas a Patrice Trovoada - 

 "Mas a vossa deslocação a S. Tomé não foi bem recebida pelas autoridades do país? - pergunta da jornalista a Ribeiro e Castro"

"Enquanto estivemos lá, decorreu tudo muito bem, não houve nenhum problema; pelo contrário, até recebemos sinais de grande afetividade das pessoas! Correu bastante bem, aliás estavam lá bastantes jornalistas; deixámos lá uma mensagem a CPLP, que tinha funções de observação e retirámos, aliás, animados, que é a expressão que usámos, que tudo podia correr bem. E, portanto, como nós desejávamos, o dia 12 de Outubro, fosse um virar de página na politica santomense! E, portanto, como nós desejámos, que fosse um ato de grande civismo, como efetivamente foi da parte da população, e, portanto, que pudesse ser um grande marco para o futuro de S. Tomé.

- Mas o Presidente da República de S. Tomé e Príncipe, acusou-vos de ingerência nos assuntos internos e teve uma declaração, muito forte e vou citar: disse que era uma autêntica vergonha, que tenham contribuído para sujar o nome de S. Tomé e Príncipe Presença de deputados portugueses em São Tomé "é uma vergonha"   -Ver texto desenvolvido em  S. TOMÉ E PRÍNCIPE - ODISSEIAS NOS MARES E TERRAS

(atualização - 06-08-2016( As últimas de um fidalgo interesseiro: Quanto é que toca, mercenário jornaleiro? São Tomé espera por nós e bem merece a nossa ajuda, compreensão e apoio, no quadro importantíssimo da região do Golfo.
Amanhã, 7 de Agosto, Evaristo Carvalho deverá ser eleito Presidente da República de São Tomé e Príncipe. É a consolidação de uma mudança de ciclo, facto da maior relevância a que as autoridades portuguesas deverão dar o melhor acolhimento e destaque. Evaristo Carvalho não é novato nestas andanças, mas um dos mais experientes políticos são-tomenses. Começou com Miguel Trovoada, um dos dois grandes nomes históricos da política do país. E seguiu longa e dedicada carreira: deputado, ministro, duas vezes primeiro-ministro, Presidente da Assembleia Nacional. São Tomé e Príncipe: mudança e estabilidade | Público 


CONTROLO ABSOLUTO DA COMUNICAÇÃO SOCIAL 



No passado dia 27 de Julho de 2016,  o Presidente da República em Exercício reuniu-se com o corpo diplomático acreditado em São Tomé e Príncipe, para explicar as razões da sua decisão em não participar na segunda volta das eleições presidenciais –  «Como puderam observar, durante toda a fase de campanha eleitoral a actuação do Governo, particularmente a do senhor Primeiro Ministro enquanto líder da formação política que apoia uma das candidaturas às referidas eleições, foi centrada em ataques sistemáticos, intrigas de pequena política, insultos e desrespeito, no ódio ao candidato Manuel Pinto da Costa, para além de outros comportamentos pouco dignificantes da vida política em democracia», declarou Manuel Pinto da Costa na recepção ao corpo diplomático no Palácio do Povo

Onde para o arquivo do dia 26?
O discurso foi gravado pela reportagem da TVS, a televisão sob controlo governamental, só que, na hora do telejornal,  mal a peça jornalística, começara a  ser difundida, um inesperado apagão, não permitiu a sua audiência – Nestes casos, o  habitual    - tratando-se, mormente de um discurso do mais alto magistrado da Nação – era que a peça de reportagem  fosse transmitida no dia seguinte
.

Tal não aconteceu, ou que a mesma fosse posta nos registos da TVS, para consulta popular, tal também não se verificou: consultei, por várias vezes, o arquivo e   o que  se notou  foi a  ausência do registo desse dia, tal como o  documenta o vídeo e as imagens: é o que pode dizer-se, um salto no calendário, supressão ou omissão deliberada de um procedimento, que poderá  suscitar sérias apreensões e agravar ainda mais o clima de conflitualidade institucional 

Paradoxalmente, no dia seguinte, ao discurso do Presidente da República, quem preenche, grande parte do telejornal, é o espaço tomado por uma conferência de imprensa do Primeiro-Ministro, que, sob o pretexto de responder às questões dos jornalistas no âmbito das Eleições Presidenciais de 17 de Julho, com a 2ª volta a realizar-se no dia 7 de Agosto, passa o tempo a deferir constantes ataques ou a justificar anteriores afirmações criticas ao Presidente da República e a promover o seu candidato

CIDADÃOS SANTOMENSES INDIGNADOS  COM A DITADURA DE PATRICE - EIS OUTRO  DOS MUITOS EXEMPLOS  



(…) ao constatar através dos órgãos de comunicação social nacional que a comunicação de um Presidente da República, embora candidato, não tenha no meu país a atenção requerida que se dá a comunicações de um “simples” presidente da Comissão Eleitoral e ao presidente do Supremo Tribunal (com um tempo ridiculamente longo), fecha-se-me o coração e morre dentro de mim um pouco mais a esperança de um país verdadeiramente livre, equilibrado e justo. Ou, pelo menos, a caminhar para lá. Disso nem sinais.
Outro mais, a minha outra tão grande indignação é sentir que no meu país, ”ludibriando” o que é o essencial, o presidente do Supremo Tribunal, como órgão independente de Estado de que se espera total isenção, para além de cumprir com as suas obrigações constitucionais que nesse ato seria tão só de apresentar à Nação os resultados finais das eleições e confirmar a data da segunda volta, em representação dos seus pares e dos professores de matemática, focaliza a atenção nas felicitações à comunicação social, ao branqueamento das acusações dos candidatos e na antecipação da justeza de um resultado que foi colocado em causa por uma grande parte da sociedade civil, pelos partidos políticos MLSTP/PSD, PCD-GR, MDFM e UDD, pelos candidatos Dr. Manuel Pinto da Costa e Drª Maria das neves e pelo próprio Presidente da República em pleno exercício das suas funções. Na minha opinião, inaceitável!
Num ato ainda mais sem apego à consciência e à responsabilidade dos atos, o presidente da Comissão Eleitoral, o mesmo que de uma forma geral todos pediram a sua demissão, em conferência de imprensa, depois de reconhecer que houve “erros graves” – eu diria mesmo gravíssimos – nas eleições sob a sua sacrossanta presidência, tal como Pilatos, lava as suas mãos e numa atitude nada digna de um quadro jovem e com futuro promissor prefere culpar a sociedade civil, depositando nela, para além das culpas o tituto de anti-patriótas e responsáveis pela má imagem do país além-fronteiras. Saberá o Presidente da Comissão Eleitoral o que são “erros graves” num processo eleitoral?
Assim, uma vez mais, sem querer retirar para mim os louros de um ato em que muitos participaram e deram a sua melhor contribuição, deixo aqui os seguintes apelos e recomendações:
1. "À mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta"; Excerto

Liberato Mata Moniz

Nenhum comentário :