expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Gabão a ferro e o fogo – A mesma comédia fraudulenta de S. Tomé e Príncipe - Ali Bongo Ondimba, aliado de Patrice Trovoada, diz ter ganho as eleições por 49,80% dos votos contra 48,23% para seu rival, Jean Ping – França e EUA pedem recontagem credível - A diferença é que, nas Ilhas Verdes do Equador, o povo é sereno e sofredor - Até quando?


O que acaba de ocorrer no Gabão, velho aliado da tribo Trovoada, é praticamente a  cópia tirada a papel químico da monumental fraude que elege Evaristo Carvalho, como alavanca mansa para que o património natural de São Tomé e Príncipe, acabe por ser deitado à ganância insaciável das  feras internas e externas, sob mordaça do controlo absoluto das rádios, TVs e imprensa.

A grande diferença é que, o povo das maravilhosas Ilhas Verdes do Equador, que é ordeiro e pacifico por natureza,  habituado mais a sofrer de que a reagir ao longo dos séculos,  vive aprisionado entre o verde da paisagem e o azul do mar - Mas até quando esta padre podre?

Segundo é referido pela imprensa francesa, Ali Bongo Ondimba, ganhou a eleição presidencial, sobre o candidato, Jean Ping, por 49,80% dos votos contra 48,23%

Em qualquer parte do Globo, o liberalismo selvagem, velho aliado do colonialismo, cada vez se torna mais despudorado e sem vergonha: no Brasil, um tenebroso Michel Temer, com a sua corte de corruptos, logra assaltar o poder sem tão pouco ir às urnas -  A democracia, já lá vai, agora é a NOVA ORDEM DA ROUBALHEIRA À ESCALA MUNDIAL, que impõe a sua vontade à margem das leis

"Com apenas 1 milhão de habitantes, Gabão deveria ser um país próspero por causa das suas imensas riquezas naturais. O presidente Bongo preferiu, no entanto, gastar o dinheiro do país para comprar as boas graças da elite francesa e para corromper a oposição interna." - Esta parece também ser a cartilha seguida pelo nativo gabonês, Patrce Émery Trovoada



Oposição liderada por Jean Ping rejeita resultados da comissão eleitoral e exige recontagem dos votos na província com relatada participação 99,93%

Confrontos entre apoiantes da oposição e forças de segurança eclodiu na capital do Gabão  na quarta-feira depois de Ali Bongo, o presidente em exercício, foi controversa declarado o vencedor da eleição de sábado, estendendo-se a regra de uma das mais longas dinastias políticas de África para mais de 50 anos    Violence erupts after Gabon election as incumbent Ali Bongo named ...

FRANÇA E ESTADOS UNIDOS DE LUPA ASSESTADA NA SOPA  GABONEZA, QUE PODERÁ TRANSFORMAR- SE NUM CALDO ENTORNADO  DE CONSEQUÊNCIAS IMPREVISÍVEIS

Quem detém as armas e o poder económico é a família Bongo mas longe de ter a seu lado a voz do Povo, pelo que não vai ser fácil refrear a indignação popular.

Referem as noticias que Paris apela à publicação de resultados e EUA  expressa preocupação
“Após o anúncio em disputa, a França solicitou a publicação dos resultados de todas as pesquisas

 Gabão. De acordo com o Ministro das Relações Exteriores, Jean-Marc Ayrault:
"As condições do anúncio dos resultados das eleições presidenciais no Gabão são uma preocupação. França reitera a sua preocupação com a transparência. Consideramos que é necessário que os resultados de todas as assembleias de voto são publicadas. "

O chefe da diplomacia francesa também chamado na quinta-feira de manhã na paragem "o mais rápido possível" confrontação, expressando "grave preocupação"com as tensões consecutivos para o anúncio dos resultados. "Como parte de um processo eleitoral, não há lugar para a violência ", acrescentou." por isso, apela a todas as partes a exercer a máxima moderação para evitar mais mortes.

"Refletindo a vontade do povo"

Washington também expressou profunda preocupação. "As eleições devem refelctir   a vontade do povo de uma forma credível", disse o porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby, invocando forças de segurança a respeitar direitos dos cidadãos e manifestantes a mante a calma.

"Instamos o governo do Gabão para publicar os resultados de cada assembleia de voto", disse ele. "Isso vai ajudar o povo do Gabão, bem como a comunidade internacional a  ter confiança no fato de que a contagem dos votos anunciou é justo ", observou ainda o Sr. Kirby. Qualquer um que queira desafiar os resultados devem o fazer de forma pacífica e respeitando o sistema jurídico do Gabão

Depois de quatro dias de longa espera , o ministro gabonês do Interior anunciou na quarta-feira 31 de agosto, o presidente cessante, Ali Bongo Ondimba, ganhou a eleição presidencial. De acordo com resultados oficiais preliminares, Bongo obteve 49,80% dos votos contra 48,23% para seu rival, Jean Ping, durante a cédula única.

A oposição imediatamente rejeitou os resultados e exigiu uma recontagem na província de Haut-Ogooué, que foi relatada uma participação na fronteira de 100%, disse que a comitiva de Jean Ping. "Os Gabão não aceitam esses números ", disseum porta-voz do candidato.
"Jean Ping reafirma fortemente, de acordo com a  União Europ e os Estados Unidos, o escritório por recontagem de escritório é a única maneira de garantir agora a lealdade da pesquisa", disse o oficial de comunicações para o Gabão, Jean-Gaspard Ntoutoume Ayi e seu advogado em  Paris, , o Sr. Eric Moutet. Au Gabon, la victoire d'Ali Bongo déclenche de violentes manifestations





C'est une véritable humiliation que celle infligée par un député gabonais à Ali Bongo. un député Bertrant Nzibi Abeghet a humilié le président Ali Bongo. Militant du parti du fils d'Oumar Bongo, le député a eu l'audace de dire ses vérités à son chef de l'État en public, au cours d'une visite d'État et lui balancer par ailleurs sa démission à l'Assemblée nationale


VÍDEO  COM IMAGENS DE PATRICE COM ALI BONGO

O Gabão, detém cerca de 24 biliões de barris de reservas de petróleo e deverá tornar-se nos próximos anos o pólo mundial da produção  As jazidas da zona económica  de S. Tomé, repousam em águas mais profundas e estão ainda por investigar   Mas o certo é que, depois do  ouro negro, na região do Golfo da Guiné, ter passado  a dar nas vistas, não tardou a que  atraisse a cobiça e a inveja, tanto de americanos, como de chineses e europeus – Só assim se explicam o dois golpes perpetrados, contra a Guiné Equatorial e S. Tomé e Príncipe

LIBREVILLE, Gabon, June 14, 2016/ —  His Excellency Ali Bongo Ondimba, alongside the Prime Minister of São Tomé and Príncipe, Patrice Trovoada, recently inaugurated the Moanda School of Mining and Metallurgy (known as E3M) in the Haut-Ogooué province. President Ali Bongo inaugurates the Moanda School o



A tentativa de golpe de Estado contra o governo da Guiné  Equatorial em Março daquele ano “parece ter todas as características dos expedientes usados pelo colonialismo, com as principais potências desesperadas para controlar áreas com recursos estratégicos. Nessa parte do mundo, o petróleo superou os diamantes como fonte do conflito. Está claro que a Inglaterra e os EUA sabiam muito mais sobre o golpe do que divulgaram”, afirmou Alex Yearsley, do grupo inglês de direitos humanos Global Witness. A declaração foi citada em artigo publicado no último dia 28, pelo  jornal inglês The Observer, com novas denúncias sobre a tentativa de golpe contra o governo constitucional da Guiné Equatorial. 

GABÃO DE MÁ MEMÓRIA EM S. TOMÉ PRÍNCIPE

A palavra "Gabão" não é palavra que soe nos versos dos poetas santomenses e muito menos na memória coletiva - É que, a proibição do tráfico em todas as colónias portuguesas, tal não impediu , no entanto, que a mesma escravatura continuasse a ser praticada, nomeadamente, vinda  das costas do Gabão, através de enormes canoas para as grandes plantações do café e do cacau de S. Tomé e Príncipe.

Ainda tive oportunidade de conhecer o esqueleto de uma dessas pirogas. Pelo que não é por acaso, que, aos trabalhares  das roças, quando se se refugiavam no mato, lhe chamassem de Gabões: Por outro lado, continua a ser, ainda hoje, a costa maldita para os pescadores destas ilhas, quando as tempestades os arrastam,pois sabem a carga de trabalhos, que lá passam - Na semana Ilustrada, registei a odisseia de alguns desses bravos homens do mar e das vicissitudes com que se confrontaram, quando pensavam que, ao pisarem terra firme, estariam salvo de outras privações - Bem pelo contrário, inarráveis foram os trabalhos  por que passaram.

O PAÍS AFRICANO DO COLONIALISMO NEGRO FEUDAL

"POR UM GABÃO LIVRE E DEMOCRÁTICO"

A la suite du coup d’Etat électoral de 2009, qui a généré la crise de légitimité, la vie du pays est ponctuée par des grèves chroniques dans tous les secteurs, notamment dans l’enseignement, la santé, l’habitat, la fonction publique, les affaires sociales”

 (…) Após o golpe eleitoral de 2009, o que gerou a crise de legitimidade, a vida do país é marcada por greves crónicas em todos os setores, incluindo educação, saúde, habitat, função públicas, sociais, sinais de mal-estar social, generalizada que leva inexoravelmente Gabão para a implosão. É neste contexto de tensão que parece o livro "Novos Assuntos Africanos, Mentiras e saques no Gabão" por Pierre Péan, depois de seus livros anteriores, "o emir da África" ​​em 1982 e "Assuntos Africanos", em 1983. estes três livros fornecem evidências convincentes do saque do Gabão e a identidade real de Ali Bongo Ondimba, chegou à frente da quebra de estado. Eles mostram que Ali Bongo não é o filho de Omar Bongo do sangue, nem da Josephine Kama. Pour un Gabon Libre et Démocratique ...Polémique sur les origines du président gabonais Ali Bongo - Le Monde ...Gabon : la répression contre les manifestants continue -

Gabão: ONG local apresentou uma queixa contra várias empresas no óleo, silvicultura e mineração 04/06/2016 -  Chefe da ONG universo Nzang Nkili apresentou uma queixa contra quinze empresas de óleo, silvicultura e mineração: - culpa as causas de capital ", a divisão é encontrada entre o que pode ser o resultado da indústria extractiva e do nível de pobreza em que adoece as pessoas do Gabão." Gabon: une ONG locale porte plainte contre plusieurs entreprises des ...

07/08/2015 - As vidas de cidadãos senegaleses no Gabão vacila entre as detenções arbitrárias, expulsões e até assassinatos. A reclamação será arquivada nos próximos dias na sede das Nações Unidas contra o Gabão por violações e tortura de migrantes no seu território ", ele mesmo disse em entrevista coletiva.

Trabalhadores dos Camarões - Fonte Web
O governo do Gabão expulsou de seu território, milhares  de mineiros que aderiram à Camarões por Djoum desde 02 de junho de 2011 passado. Estas expulsões de um país vizinho, além disso, um membro da CEMAC são recorrentes em 30 anos. Le Gabon a bien expulsé des immigrés clandestins mais dément les ...

ABUSOS SEXUAIS DE TROPA GABONEZA - 08/04/2016 De acordo com o relatório, " durante o período de 2013 a 2015, um número desconhecido de membros do contingente militar baseado no Dekoa, República Centro Africano, exploradas e abusadas sexualmente um número indeterminado de membros da população local. " "O Governo da República Gabonesa indica que nestes casos, em número de três, foram levados à sua atenção em janeiro 2016", escreve o ministro da Defesa. Le Gabon juge infondées les accusations d'abus sexuels proférées ...

Soldados acusados ​​de estuprar e abusar sexualmente de quatro meninas que vivem em um acampamento para pessoas deslocadas através da troca de favores sexuais contra suprimentos. JournalDeBangui.com: Abus sexuels en RCA: Le Gabon ouvre un


Thursday, 27 June 2013. Head of State Ali Bongo Ondimba grants an audience to Mr Miguel Trovoada, the executive secretary of the Gulf of Guinea Commission. The former President of Sao Tomé y Principe discussed the problem of maritime piracy in Africa with the Gabonese leader. Head of State Ali Bongo Ondimba grants an audience to Mr Miguel ...

Omar Bongo,  Governou o Gabão, desde 1967 e  ao longo de 42 anos, e, não foi mais longe porque a morte o surpreendeu, no dia 9 de Junho de 2009, aos 74 anosmas deixou cerca de 30 filhos para perdurar  a sua dinastia .

Durante o seu reinado, “estabeleceu uma dinastia e um clientelismo que acabaram por tornar o Gabão em seu refém e país de um homem só. Por isso, Bongo considerava-se o messias dos gaboneses. Embora não tivesse pressa nenhuma de deixar o poder, ele estava já a preparar o seu filho, Ali Bem Bongo, ministro da Defesa, para sucedê-lo.

Omar Bongo fez do Gabão uma espécie de quinta privada. Tudo no país girava em torno dele e da sua família e seus bajuladores.

A filha do ditador, Pascaline era a figura mais poderosa do país era a sua filha, depois dele. Ela reina absoluta no país
A produção de petróleo, que sustentou o seu regime, é agora considerada em declínio, o Gabão não construiu muitas infraestruturas com as receitas do seu principal produto de exportação.

Omar Bongo cuidou para que a liderança da guarda presidencial e dos serviços secretos fosse sempre exercida por sobrinhos seus. Antes de sua morte, Bongo era considerado um dos homens mais ricos do mundo. Ele deixou bens em várias partes, nomeadamente em França, onde lhe foi atribuída a titularidade de pelo menos 30 luxuosos apartamentos e vários hotéis de 5 estrelas.

LA PLUS GRANDE HUMILIATION D'ALI BONGO !!!

Com apenas 1 milhão de habitantes, Gabão deveria ser um país próspero por causa das suas imensas riquezas naturais. O presidente Bongo preferiu, no entanto, gastar o dinheiro do país para comprar as boas graças da elite francesa e para corromper a oposição interna.

Dinheiro que deveria servir para construir escolas, estradas ou hospitais no Gabão ia parar a bolsos franceses, financiando campanhas de vários partidos políticos. Em Paris, Bongo gostava de organizar suntuosos jantares em restaurantes equipados com mesas translúcidas e candelabros caríssimos. Com isso, ele se julgava parte da elite francesa. – Excerto de um estudo de Ribeiro Tenguna

FAMÍLIA BONGO  - DONA DO GABÃO "


Ai  daqueles que não conseguirem dar promessas lealdade a Omar. (,,,) Longe estão os dias quando a rainha Victoria usava seu presente generoso, como a medalha de ouro é uma das jóias da coroa mpongwèe. Grande-grand-filho do rei, o príncipe Felix estava entre aqueles que viajaram para Paris em 1960 para negociar a independência. Mas a dignidade conferida pelos laços de sangue era incompatível com o sistema de Omar Bongo Ondimba, o único que encarna o Estado. A influência da Mpongwe soberano foi assim, gradualmente confinado à sua comunidade. Mas não importa para ele a grandeza, para ele, é um caso de classificação.

Eles suportam os mais famosos nomes da burguesia do Gabão, mas o seu estado é controversa. Que critérios você reconhece uma família grande? Depois de quantas gerações? "O Bongo parecem corresponder a esta definição admite um jornalista em Libreville. Mas pode-se realmente dizer que há dinastias no Gabão? "Skeptical, um professor na Universidade Omar Bongo disse não ver" a marca da família Leon Mba, embora seus parentes, muitas vezes tem sido representada no governo ". Dans le secret des grandes familles du Gabon - JeuneAfrique.com


S. TOMÉ E PRÍNCIPE - ILHAS COBIÇADAS PELO EXPANSIONISMO DA TRIBO OMAR BONGO, ALIADO À DOs TROVOADA  - Mas, de Portugal,  também poderão contar-se  grandes jogadas do mercenarismo liberal, com os seus comissários políticos implantados  nos partidos e na Media ao ataque na mira de chorudas comissões ou negociatas de luxo

Nenhum comentário :