expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Ilha do Príncipe, Sob Ventos de Desemprego e Fome - Major General Inglês, Francis Hedley Robertson Buster Howes - Director do Grupo HBD, despede 150 trabalhadores na maior empresa privada. O ex-Comandante Geral da Royal Marines, ex comandante da Operação da Força Naval da União Europeia na Somália, faz despedimento maciço e reduz investimento para metade – Substituíram o português, Nuno Rodrigues, por um militar reformado, com experiência de conflitos mas não de promover a paz, o emprego e o turismo - Guiné Equatorial que se cuide ....


ESPIOLHAR  OU UM GENERAL  A FAZER O QUÊ?!... - ILHA DO PRÍNCIPE PODERÁ ESTAR A SERVIR DE PLATAFORMA DE AVANÇADAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO PARA APERTAR O CERCO À GUINÉ EQUATORIAL – Será este o objetivo?...Desconhecemos. Estas matérias (quando envolvem serviços prestados por altas patentes militares) são mais para questionar e refletir de que para encontrar respostas – Pois, quem não quer ser lobo, que não lhe vista a pele


Curiosamente, o reforço da Internet, no Príncipe, não só a São Tomé como ao Mundo”, tem sido mais impulsionado pela HBD, de que propriamente pelo Governo. De recordar que esse cerco foi tentado por mercenários com o célebre golpe fracassado com apoio de Margaret Tachear

 2º LIGAÇÃO MAIOR DO MUNDO   PROMOVIDA PELA HBD - Era preciso tanto, para quê? - 

18/06/2015"A CST, principal operador santomense, e a HBD, grupo hoteleiro e agroturístico de referência com sede na Ilha do Príncipe, inauguraram na Roça Sundy, Região Autónoma do Príncipe, um novo link de feixe hertziano que suportará as telecomunicações entre a Ilha do Príncipe e a Ilha de São Tomé. -Trata-se da segunda maior ligação sem fios do mundo sobre o mar, e permite aumentar em mais de 9 vezes a capacidade da ligação atual.  CST e HBD inauguram novo link entre as ilhas do Príncipe e de São 

NO PRINCIPIE 150 DESPEDIMENTOS DE UMA ASSENTADA  - Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista e Informação - 

Mas vamos a factos indesmentíveis: Veja-se esta cruel desumanidade: - O novo Director do Grupo HBD, o general Buster Howes, procede ao despedimento 150 pessoas, numa população de  7.542 habitantes, com salário mínimo de 40 euros mensais, o equivalente  a 6000 euros - Nem 1/10 do que deverá ganhar o reformado militar - Um general, habituado apontar armas, a auferir ordenados milionários, naturalmente que não terá sensibilidade para compreender o drama de uma família humilde, ao varrer com 150 postos de trabalho, de uma assentada, já pagos a preço de esmola - Mas terá, certamente, intuição e talento para outros jogos mais sofisticados ou confidenciais 
Deram-lhe as melhores roças, de mão beijada, gratuitamente,  agora estão a devolve-las, depois de construírem ali os seus hotéis  impedindo que outras empresas pudessem tomar iniciativas no setor turístico.

despedem-se 150 pessoas, numa população de  7.542 habitantes, com salário mínimo de 40 euros mensais, o equivalente  a 6000 euros - Nem 1/10 do que deverá ganhar o reformado militar - Um general, habituado apontar armas, a auferir ordenados milionários, naturalmente que não terá sensibilidade para compreender o drama de uma família humilde, ao varrer com 150 postos de trabalho, de uma assentada, já pagos a preço de esmola - Mas terá, certamente, intuição e talento para outros jogos mais sofisticados ou confidenciais 


GRUPO HBD - DEPRESSA SE CANSOU - AGORA SÓ QUER  INTERESSAR-SE  POR LUCRO À VISTA  (…)12 Nov 2016  Todo o esforço da empresa sul-africana, passa a estar concentrado apenas na gestão do Hotel Bombom, e na construção do novo hotel designado Sundy Beach.
A Roça Paciência com cerca de 200 hectares, está fora do jogo e também fica interrogado o futuro de cerca de 1000 hectares da Roça Sundy vocacionados para o desenvolvimento da agricultura. Caberá aos Governos da Região do Príncipe e da República encontrarem solução para as terras do Príncipe, que a HBD diz não ter capacidade financeira para nelas investir.

Condicionada pela crise financeira, a administração da HBD, fez saber também que vai cortar o investimento no apoio social no Príncipe. CRISE: HBD reduz investimento no Príncipe | Téla Nón


NEOCOLONIALISMO ATUAL É AINDA MAIS PERVERSO DE QUE NOS TEMPOS COLONIAIS

O que veio então fazer  à mais pequena e à mais bela Ilha do Golfo da Guiné, uma das patentes mais altas e qualificadas da Marinha Real do Reino Unido, que nem sequer fala o português?  - Esta também podia ser mais uma das muitas perguntas que lhe são dirigidas num popular site de humor inglês, onde  os leitores são questionados. em jeito de sátira,  sobre o padeiro e a vida das grandes celebridades


O referido site não lhe faz esta pergunta mas faz-lhe outras que reproduzimos para vídeo, em inglês e em tradução para Português.   "O que é que  Buster Hwes fez? Em quais batalhas o Buster Howes participou? Buster Howes lutou várias guerras e batalhas, por exemplo: Guerra da Bósnia, Guerra Guff, guerra lraque, Operação Banner e Guerra no Afeganistão (2001-presente)

What wats did Buster Hwes fi_ght in? ln which battles did Buster Howes participate? 
Buster Howes fought multiple wars and battles for example: Bosnian War,Guff War, lraq War ,Operation Banner and War in Afghanistan (2001-present).

QUEM É BUSTER HOUWES? – ou seja, o  Major-General Francis Hedley Robertson Buster Howes  Director Geral do Grupo HBD, desde Outubro de 2015

Note-se, que, o ex-comandante-geral dos fuzileiros navais reais – até 2011 - era considerado uma das melhores mentes militares da marinha britânica, criticou as suposições feitas antes da guerra de 2003 no Iraque, (ao suposto perigo do armamento de Saddam Hussein) mas defendeu maior investimentos em poder naval e em forças anfíbias, como seu próprio regimento

Como Adido de Defesa, Buster Howes  foi responsável pelas relações militares e de defesa bilaterais entre os Estados Unidos e o Reino Unido, com trabalhos focados em operações e planeamento de contingência, inteligência de defesa, cyber e espaço, pessoal de serviço, educação de defesa e doutrina. Suas excursões incluem a Irlanda do Norte, a Primeira Guerra do Golfo, a Bósnia, a Segunda Guerra do Golfo e Cabul. Serviu como Chefe de Operações Ultramarinas no Ministério da Defesa antes de ser nomeado Comandante General Royal Marines em Fevereiro de 2010. Buster Howes também comandou a Operação ATLANTA, a Missão Anti-Pirataria da UE no Oceano Índico.

UMA CELEBRIDADE MILITAR - MEDIÁTICA -  FAZENDO-SE PASSAR DESPERCEBIDA NA ILHA DO PRÍNCIPE -  Pois não me foi fácil encontrar muita da informação. que aqui posto, uma vez que, enquanto Director do Grupo HBD, nas suas declarações que profere ou referências que  são feitas ao seu nome, este   tem sido sempre parcialmente omitido e nunca  descrito completamente, o que dificulta o acesso aos abundantes elementos que existem a seu respeito, enquanto militar - Não vi um único caso nas minhas pesquisas  em que, nessa qualidade de gestor privado,  a sua identificação surgisse associada a este nome: Major General  Francis Hedley Roberton "Buster" Howes Buster Howes - Wikipedia


“Experiência militar na nova gestão do Grupo HBD – Em Maio, passado, este era o titulo de uma entrevista ao jornal STP Digital  dada pelo atual responsável do Grupo HBD : - Proteger esta reserva mundial da biosfera e desenvolve-la de modo sustentável e responsável é a visão de negócio do grupo para a Ilha. A esta visão, a empresa adicionou a experiência militar de Buster Howes, o novo CEO do grupo. 

Nesta entrevista, Howes fala sobre o que já foi feito na ilha e sobre os projetos em carteira, que agora foram traídos.

"O novo CEO do Grupo HBD descreve a mudança para a Região Autónoma do Príncipe como profunda a todos os níveis. “Topograficamente, climaticamente, culturalmente e de todas as maneiras que possa imaginar. O Príncipe é mais virgem, distintamente bonito, é isolado e tem muitas qualidades hipnotizantes. Mas também tem os seus desafios e acho que muitas pessoas em São Tomé reconhecem isso”.

ÚNICOS DADOS PUBLICAMENTE CONHECIDOS EM STP  DO MISTERIOSO NOVO GESTOR

Até gora, o que se ficou a saber, do currículo do homem forte da HBS, foram as declarações dadas na mesma entrevista à STP DIGITAL  -  

Referindo que a"antes de vir a  para o grupo HBD, Howes trabalhou 33 anos como Royal Marine em todo o mundo. A sua última missão foi em Washington DC. “Eu trabalhava como diplomata militar para a embaixada britânica lá. Voltei para casa para o Reino Unido por sete meses e depois vim para o Príncipe”.

Está a aprender a língua portuguesa, que diz ser difícil e uma coisa complicada de se fazer quando se está ocupado. O presidente executivo descreve os seus dias como longos. “Há muito o que fazer. Por isso, o meu dia-a-dia é um equilíbrio entre estar preso ao computador a ver e responder e-mails, fazer uma série de coisas complicadas, que pode imaginar, numa empresa grande, com escritório em Lisboa, com pessoas espalhadas pelas ilhas, orçamentos e finanças e pessoal”.http://www.stpdigital.net/sociedade/929-experiencia-militar-na-nova-gestao-do-grupo-hbd.html

SUSTENTABILIDADE E TURISMO RESPONSÁVEL – SLOGAN FURADOS 

Palavra sustentabilidade e turismo responsável, estas as palavras chaves com que a empresa, HBD, mais se tem evidenciado nas suas campanhas promocionais –  Porém, a avaliar pelas  declarações do atual Diretor Geral (que veio substituir o Português, Nuno Rodrigues, lançando às urtigas  todo um notável trabalho de avanço e de experiência acumulado), afinal, começam  a soar mais a falso e as promessas, sem consistência, de que garantias de confiança e de futuro.

É que, na recente conferência, dada pela HBD, o que foi declarado por Bustsr Baster,  não é  nada animador, bem pelo contrário – Refere o Téla-Nón, 12 Nov 2016 que o “novo Director Geral da maior empresa privada na ilha do Príncipe, a HBD, justificou a redução o despedimento colectivo de 150 trabalhadores da empresa, como sendo resultado da necessária contenção de despesas.

Numa altura de crise financeira, a empresa que previa investir 11 milhões de dólares neste ano, decidiu reduzir o valor para metade. Ao mesmo tempo na entrevista dada a imprensa da ilha do Príncipe, o Director Buster Bawer, deixou claro que a HBD, que tinha intervenção tanto no desenvolvimento do turismo como na promoção da agricultura, com destaque para as roças Sundy e Paciência, vai retirar-se da área agrícola.
Todo o esforço da empresa sul-africana, passa a estar concentrado apenas na gestão do Hotel Bombom, e na construção do novo hotel designado Sundy Beach. – Excerto de CRISE: HBD reduz investimento no Príncipe | Téla Nón

MAS QUEM É QUE, EM INGLATERRA?, NÃO SABE QUEM É  ESTE FAMOSO GENERAL - CUJO PARADEIRO AGORA SE DESCONHECE


Qual é o património líquido de Buster Howes em 2016?” – Questiona um site da fofocaria – “Quanto custa Buster Howes?

"De acordo com as várias fontes o património de Buster Howes cresceu significativamente em 2016.No entanto, os números variam dependendo da fonte, Se você tem o conhecimento atual sobre o valor líquido de Buster Howes, sente por favor livre de compartilhar a informação abaixo
O que, está Buster Howes a fazer agora? 

Supostamente, 2016 tem sido um ano ocupado para Buster Howes. No entanto, não temos nenhuma informação detalhada sobre o que Buster Howes está fazendo nos dias de hoje. Talvez você saiba mais. Sinta-se livre para adicionar as últimas notícias, fofocas, informações de contato oficial, como número de telefone celular ou endereço de e-mail. e suas perguntas abaixo. 

Em que guerras o Buster Howes lutou? Em que batalhas o Buster Howes participou?
Buster Howes lutou  várias guerras e batalhas, por exemplo: guerra da Bósnia, Guerra do Golfo, Guerra do Iraque, Operação Banner e Guerra no Afeganistão."



UM GENERAL COM ALTO CURRÍCULO, EM DRAMÁTICAS GUERRAS E SANGRENTOS  CONFLITOS, A GERIR A PRINCIPAL EMPRESA NUMA DAS  MAIS BELAS E PACIFICAS ILHAS DA TERRA - Neo-colonialismo  em força, obviamente! Com a cumplicidade de um Primeiro-Ministro, que não é filho da terra, que não tem raízes às Ilhas mas, antes sim, grandes interesses  no Texas e noutras partes do mundo, que é por onde passa a maior do tempo


ILHA DO PRÍNCIPE PROVÁVEL PLATAFORMA DE ESPIONAGEM PRÁ APERTAR O CERCO À GUINÉ EQUATORIAL - Bioko e o Príncipe, até se avistam dos pontos altos -  De recordar que esse cerco foi tentado por mercenários com apoio de margaret tachear - Margaret Thatcher approved of a failed attempt to use an army of mercenaries to overthrow the president of Equatorial Guinea, according to the unpublished memoirs of the chief protagonist of the bid, former SAS officer Simon Mann. The former prime minister, whose son, Sir Mark, was convicted in a South African court of involvement in the attempted 2004 coup, allegedly told Mann at a meeting at her Belgravia home: "I'm sure it's going to work". Margaret Thatcher 'gave her approval' to her son Mark's failed coup attempt in Equatorial Guinea

Mercenários a soldo do neocolonialismo 

O que se espera de um general na empresa de um empresário, sul-africano, considerado uma sumidade nas tecnologias da Internet , que ganhou uma fortuna pela venda das suas invenções? – Claro, o português, Nuno Rodrigues, era um estorvo para prováveis secretos desígnios
De lembrar que, em 2004, o  Golpe de Estado na Guiné Equatorial, contou  a participação do filho da Margaret Thatcher

Referem as noticias, posteriormente vindas a lume, que,  a antiga Primeira Ministra, Margaret Thatcher, teria  aprovado a falhada tentativa de usar um exército de mercenários para derrubar o presidente da Guiné Equatorial  Margaret Thatcher 'gave her approval' to her son Mark's failed coup .

ÁFRICA/GUINÉ EQUATORIAL - (...) O estranho caso da Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe, rebeldes nigerianos, mercenários sul-africanos: todos unidos em nome da geopolítica do petróleo

18/02/2009  A Guiné Equatorial, ex-colônia espanhola, é o terceiro produtor de petróleo da África subsaariana, é governada desde 1979 pelo Presidente Obiang, que chegou ao poder depois de depor o tio, Francisco Macias Nguema (que foi a seguir foi justiçado). No passado recente existem várias tentativas de golpes de Estado com a utilização de mercenários provenientes do exterior. O caso mais clamoroso foi o que aconteceu em 2004, quando um grupo de mercenários ingleses e sul-africanos foram interceptados pelas autoridades locais e pelo Zimbábue (onde os golpistas estavam procurando adquirir uma parte das armas). Segundo fontes da imprensa, associados aos mercenários estavam também alguns homens da MEND. 

(..) No dia 17, em São Tomé e Príncipe foi ativado um potente radar, instalado pelos Estados Unidos para controlar todo o Golfo da Guiné. O novo comando para a África do Pentágono (AFRICOM) considera estratégica esta área, de onde até 2015, sairão um quarto das importações americanos de petróleo. Uma riqueza que move forças que agem na sombra e atrás das bandeiras. (L.M.) (Agência Fides 18/2/2009) O estranho caso da Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe


 ATENTE-SE AINDA  NA IMPORTÂNCIA DESTES PORMENORES BIOGRÁFICOS DE TÃO ALTA FIGURA MILITAR BRITÂNICA 

(…) O pessoal de defesa britânico nos Estados Unidos é liderado pelo adido de defesa Major-General Francis Hedley Robertson "Buster" Howes, CB, OBE. O Adido de Defesa é o conselheiro sênior do Embaixador Britânico em questões de defesa e como Chefe do Estado-Maior da Defesa Britânica nos Estados Unidos tem responsabilidade sobre 385 militares e civis do pessoal da MOD localizados dentro da Embaixada e em 34 estados dos EUA. O Adido de Defesa é tirado rotativamente de cada um dos três Serviços.

Como Agregado de Defesa na Embaixada Britânica em Washington, o Major General Buster Howes OBE está focado em operações e planejamento de contingência, inteligência de defesa, ciberespaço e espaço, pessoal de serviço, educação e doutrina de defesa.

Buster foi educado no Hospital de Cristo e em York e em universidades de Londres e foi comissão nos fuzileiros navais reais em 1982. Serviu inicialmente como um comandante da tropa em 42 Commando RM, destacando pela primeira vez em operações em Irlanda do Norte. Depois de treinar uma tropa de recruta, ele se classificou como Líder da Montanha e foi postado para a Tropa Recce, 45 Commando RM. Após um período como AdC ao Major General Training of Reserve e Forças Especiais RM, ele foi nomeado para a 2 ª Divisão, USMC, como um Regimental Operations Officer (para a Primeira Guerra do Golfo). Posteriormente, ele comandou Charlie Company, 40 Commando RM; Asa de Treinamento de Comando no CTCRM; 42 Commando RM (para a Segunda Guerra do Golfo); E Brigada de 3 Comandos.

Buster trabalhou na política de pessoal na Sede da Frota, além de ter sido planejador da Equipe de Operações da Força de Reacção Rápida da Força da Paz na Bósnia e estrategista da Diretoria de Pessoal da Marinha na MOD. Ele frequentou o Colégio da Escola Naval, o Comando Superior e o Curso de Pessoal, o Colégio Real de Estudos de Defesa eo Curso Pinnacle. Além disso, serviu como Diretor de Divisão para ICSC (L) na JSCSC e como COS para Comandante Forças Anfíbias (CAF). Foi Chefe da Coordenação Conjunta e Efeitos na sede da ISAD X em Cabul, seguido por um posto como Diretor de Pessoal Naval, em 2007. Foi Chefe de Operações Ultramarinas na MOD antes de ser nomeado Comandante-Geral da Royal Marines / CAF em fevereiro de 2010. Durante 15 meses, até 1 de Agosto, Buster Howes comandou a Operação ATLANTA, a Missão Anti-Pirataria da UE no Oceano Índico. Excerto https://rosamondpress.com/2013/08/09/18599/  --
Commandant General | RoyalMarines.uk  Commandant General | RoyalMarines.uk



Terá vindo apenas  com o propósito de  (em moldes militares, como já fez crer), gerir a  principal empresa  de turismo da Ilha do Príncipe  ou, além destas funções,  trazido  outras  estratégias  na manga, que só ele conhecerá?... 

– Oh!.. Mas  seja por que razão for!... Que lugar mais idílico  (à parte as extremas provações da população)  para gozar uma reforma tranquila e milionária, talvez com vista a  premiar  generosamente quem andou a comandar grandes armadas pelas várias partidas do mundo!  - 


Claro que só ele poderá responder ou então quem lhe ofereceu o fabuloso  emprego, o multimilionário sul-africano,  Mark Shuttleworth que, em 2002, tornou-se o primeiro sul-africano a ir ao espaço, lançado na nave russa Soyuz TM-34, pagando 20 milhões de dólares pela aventura, e entrando para a história como o segundo turista espacial, depois do empresário norte-americano Dennis Tito –



Sim, foi este empresário que convidou  o conceituado gestor português, Nuno Madeira Rodrigues, para liderar o Grupo HBD, na Ilha do Príncipe e que, em Outubro do ano passado, teve a ousadia e a ingratidão de  despedir o homem que, através  de vários eventos e iniciativas, logrou pôr  São Tomé e Príncipe no mapa dos acontecimentos internacionais: sim., ele, que, desde há cinco anos , vinha desenvolvendo  um extraordinário trabalho  de promoção  e na gestão do Grupo HBD

Entre outras serviços e empreendimentos, a Nuno Rodrigues,  se ficou a dever a construção da  nova pista do aeroporto, cuja inauguração marcou  uma viragem histórica no acesso ao Príncipe, tradicionalmente marcado pela dupla insularidade, contribuindo, desse modo,  grandemente para as perspetivas económicas futuras da região e do próprio país.

27-10-2015 - "Foi com um "obrigado "até sempre" à todos quantos com ele colaboraram que, Nuno Rodrigues, anunciou publicamente a sua retirada da liderança do Grupo HBD, depois de 5 anos como CEO.


"Neste momento de despedida, quero felicitar todos aqueles que contribuíram para que esta obra·se tornasse realidade, recordando os que já partiram e aqueles que cá ficam, sempre num desejo permanente de contribuir para um futuro brilhante para este país. A todos, desejo coragem, audácia, resiliência e excelência, valores que sempre marcaram esta casa nos momentos mais difíceis", disse, indisfarçavelmente emocionado.http://www.duploinsular.info/index.php/politica-e-economia/item/326-nuno-rodrigues-despede-se-com-um-obrigado-e-ate-sempre


Numa entrevista concedida ao Portal  da Liderança, declarou  que “liderar em África exige a adaptação das nossas conceções de gestão a problemas inédito”  - Por isso mesmo, também as suas palestras (pelo que pudemos depreender), eram pronunciadas numa linguagem para toda a gente entender. Não só através das palavras como das imagens, dos  recursos tecnológicos, de modo a que, todos os circunstantes, o compreendessem e não ficassem  dúvida por esclarecer.

 Nuno Rodrigues, além de anteriormente já ter exercido a profissão de advogado em prestigiados escritórios, tanto em Portugal,  como em Espanha, Angola e Moçambique,  foi também gestor  em várias empresas, em Portugal e no Reino Unido, prestando consultadoria legal  em vários pontos  da Europa e África, sendo o vice-presidente do conselho fiscal da Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII)

SERÁ QUE O NEO-COLONIALISMO – AGORA  SOB COMANDO MILITAR, DISFARÇADO DE CIVIL  –  PRETENDERÁ APENAS  COMER O MIOLO DO CACAU E DAR A CASCA À POPULAÇÃO?  - Aliás, já o faz.

Arvoram-se chavões, na defesa de certas espécies marinhas (nomeadamente as tartarugas) ou da preservação de certas espécies florestais, sim, da sua biodiversidade, mas, depois, vai-se ver, tudo isso não passa de rótulos para sacar subsídios internacionais UNESCO) e atingir objetivos meramente mercantis – Num país onde o salário mínimo é de 40 euros mensais. Mesmo assim, despedem-se pessoas, como quem  varre o lixo com uma vassoura.


TANTOS ELOGIOS, AFINAL…01/09/2015 Mark Shuttleworth é um milionário sul-africano, o primeiro homem do seu continente a ir para o espaço. Um audacioso empresário, que comprou cerca de metade das terras da ilha do Príncipe, e acumula na bagagem as mais belas praias locais. ‘O Homem da Lua’, como é apelidado pela população local, é o que chamamos de visionário. Promete criar um verdadeiro templo ecológico, e não prevê menos que o sucesso. Não é para menos, diante das idílicas paisagens de São Tomé e Príncipe, pedaços de terra que ainda escondem uma natureza intocada pelo homem.

Nuno Rodrigues é CEO da HBD, e a imagem do grupo em Portugal. Em entrevista, fala sobre a participação nacional no projeto, e a importância de planos audazes e atrevidos, como os de Mark Shuttleworth. “É possível alcançar níveis interessantes de rentabilidade económica (…) em completa harmonia com os princípios de sustentabilidade, preservação ecológica, e respeito pela herança cultural”, afirma o Chefe Executivo.


A missão do Grupo é potencializar a agricultura, e alimentar o turismo cultural e ecológico na Região Democrática de São Tomé e Príncipe, onde se destaca a Região Autónoma do Príncipe, atual Reserva Mundial da Biosfera. As mais simb
ólicas praias do Príncipe, como Macaco, Boi e o Ilhéu BomBom, são as principais apostas da HBD.
 HBD - São Tomé e Príncipe: Santuário de turismo ecológico de Alto ...

VEREMOS ONDE NOS LEVARÁ ESTA VIAGEM- LIDERADA AGORA POR UMA MISTERIOSA PERSONAGEM -  DEPOIS DE CHUTAREM O SEU PRINCIPAL PILOTO

HBD STP: Investimento no paraíso natural da Ilha do Príncipe
Dezembro 15, 2015  Viagem à Ilha do Príncipe, onde o grupo HBD STP, de que Nuno Madeira Rodrigues é administrador, cumpre a visão do fundador, o empresário sul-africano Mark Shuttleworth , e mostra ser possível criar riqueza económica e bem estar social sem comprometer o meio-ambiente – pelo contrário, valorizando-o e dando ao mundo um exemplo de proteção da natureza e desenvolvimento sustentável.

(…) Mark Shuttleworth enriqueceu novo, na área das tecnologias, depois de vender a startup que tinha criado e ficou na expectativa em relação ao que iria fazer no futuro. Depois, quando foi ao Espaço, tornando-se o primeiro africano a fazê-lo, essa experiência deu-lhe duas percepções muito interessantes: a primeira, que do Espaço nota-se o quão conectados nós todos estamos, quão pequeno é o mundo; e, a segunda, de que existe um impacto demasiado grande da intervenção humana na Terra. E esta última percepção criou-lhe o desejo de contribuir para que esse impacto seja mais sustentável, mais saudável”, conta o administrador da HBD STP. A crença de Mark Shuttleworth é de que é possível, de uma forma sustentável, criar riqueza económica sem destruir o meio-ambiente e sem impactar de forma visível o planeta. Então, no meio de uma série de périplos, chega a São Tomé e Príncipe – , nomeadamente, ao Príncipe – e encontra um sítio completamente paradisíaco, completamente jurássico, que, contrariamente a outras ilhas e outros territórios estéreis, tem pessoas, tem uma cultura, tem uma história, além da biodiversidade fantástico – Excerto http://ceolusofono.com/2015/12/15/hbd-stp-investimento-no-paraiso-natural-da-ilha-do-principe/


HBD – Vida Boa tem luz verde para investir 70 milhões de euros no Príncipe até 2020
 16 Mar 2012  Os atrasos registados com vista a assinatura do acordo administrativo com o Governo de Patrice Trovoada, tornam impossível o início das obras de alargamento da pista do aeroporto do Príncipe ainda este ano como estava previsto. A empresa HBD-Boa Vida, indica Fevereiro ou Março de 2013 como período para o início das obras.  http://www.telanon.info/economia/2012/03/16/9975/hbd-vida-boa-tem-luz-verde-para-investir-70-milhoes-de-euros-no-principe-ate-2020/

Patrice Trovoada prometeu solução nos próximos 10 dias para o acordo com a HBD

 04 Jan 2012A dimensão da manifestação marcada para esta quinta feira, provocou a capitulação do Primeiro Ministro Patrice Trovoada no braço de ferro que estava a travar com o Governo Regional, desde 2011. A UMPP através do seu porta voz Francisco Gula(na foto), anunciou que dentro de 10 dias Patrice Trovoada vai remover o impasse em torno do investimento da empresa sul africana no Príncipe. http://www.telanon.info/politica/2012/01/04/9439/umpp-desconvoca-mega-manifestacao-com-garantias-da-promessa-de-patrice-trovoada-mega-manifestacao/

Nenhum comentário :