expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

São Tomé – Inaugurado megastore Comercial Chinês, no centro histórico na capital do pais mais pobre de África – Pequena cidade com salários miseráveis de 40 euros mensais a transformar-se em gigante bazar oriental - Em vez de se promover o pequeno comércio, de se melhorar o Mercado Municipal e se arranjarem as ruas (algumas piores que no tempo colonial) seguem-se padrões asiáticos, onde as cidades se transformam em colmeias, fontes de poluição irrespiráveis e lixeiras a céu aberto.

Desde o passado dia 23, que a  Cidade de São Tomé, conta com  a existência do maior  shopping’ do país,  denominado Centro Comercial de São Tomé
Trata-se de um enorme edifício de cinco pisos, erguido junto à histórica igreja de Nª Srª da Conceição, relativamente próximo do Mercado Municipal, encaixado numa zona de antigos edifícios coloniais, completamente desinserido e destoado da arquitetura dominante citadina. .
Mercado Municipal - atulhado até ao exterior  - E a necessitar de obras urgentes 
Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise
Centro histórico desfigurado 

A singular e pacata cidade de São Tomé, com o nome da ilha do mesmo nome, já não é uma exceção nos tentáculos do  gigantismo liberal que assola o mundo e, que, com a sua visão unicamente mercantilista, voltada apenas para a cultura dos cifrões,  descaracteriza e desumaniza as cidades,  senão mesmo poluindo-as, transformando os  mais antigos e típicos  centros históricos,  em centros comerciais, relegando a sua  tradicional arquitetura, os seus costumes, destruindo o comércio tradicional, aquele que, afinal, esteve na génese do seu desenvolvimento  e crescimento. Pequim, é um dos gritantes exemplos, sobrecarregada com  milhares de fábricas. 
Ago, 2015, A poluição na China causa 4.000 mortes por dia - O crescimento económico com taxas de dois dígitos tem um preço humano devastador. Doenças cardiovasculares, cancro, bronco-pneumopatias crónicas obstrutivas e infeções das vias respiratórias inferiores causam na China mais de 1,6 milhões de mortes por dia http://www.rtp.pt/noticias/mundo/poluicao-atmosferica-na-china-causa-4000-mortes-por-dia_n851473
Em Portugal, na  baixa lisboeta, a poluição é outra: a descaracterização no comércio e na restauração  - O que salta à evidência ,  além do enxame de lojas orientais, é o desapontamento da inexistência  da vestígios da cozinha portuguesa -  Pois está mais de que visto, que, quem quiser comer um cozido à portuguesa e outros pratos da nossa rica gastronomia, não o deverá  procurar nas ruas da baixa pombalina, visto  estar completamente tomada e descaracterizada  por restaurantes de  indianos, libaneses e paquistaneses . Não a acredito que, fenómeno inverso, se passe nas capitais destes países, com o comércio e a restauração  europeia – 


Palácio da Justiça - Com o Povo a viver nas barracas

Ora, pelos vistos, S. Tomé, vai pelo mesmo caminho: os negócios mais chorudos, nomeadamente no ramo imobiliário e no comércio, são feitos através de libaneses, com figuras que já fazem parte da composição do gabinete do Primeiro-Ministro, onde não é fácil distinguir negócios privados dos públicos,
Não será por acaso que, face a tão depurada promiscuidade e corrupção, o governo queira privilegiar  ainda mais as suas hostes, fazendo aprovar Alteração à Lei nº 05/97 - Estatuto da Função Pública, de modo a poder correr com os funcionários que não são da sua confiança politica.
COMPETIÇÃO CHINESA DE PEQUIM  ADIANTA-SE AO COMÉRCIO DA CHINA DE TAIWAN E LANÇA-SE À ENVERGADURA DE GIGANTE DRAGÃO
Cooperativa de suinicultura - projeto Taiwn
As empresas de Taiwan pretendem exportar os seus produtos para São Tomé e Príncipe.” –Porém, como a sua aposta  se tem voltado   mais para áreas de produção local,  ainda andam à procura de distribuidores - - Pelo menos, esta era a noticia, em Maio passado http://jornalfinanceiro.com/2016/05/02/negocios-empresas-de-taiwan-procuram-distribuidores-em-sao-tome-e-principe/

No entanto, tal não sucede com a China, que, embora com presença diplomática, há menos tempo (só reatada em 2012 ) entra mesmo ao velho estilo de dragão: em grande escala, exportando e vendendo  produto chinês em loja monumental e por sua mão.
Sim, pelos vistos, aos chineses de Pequim, interessa mais fazer negócio imediato, continuar a promover o seu comércio à escala mundial,  invadir o mercado estrangeiro com os seus produtos made in china, de que propriamente investir em projetos de produção local – Visão  diferente tem  sido a seguida, até agora,  pelos empresários de Taiwan, com projetos, muito interessantes, nomeadamente na área da suinicultura São Tomé e Príncipe aposta em centros de produção animal … Cooperação Taiwanesa garante carne fresca para o Natal e Ano Novo

NÃO HAVERIA  OUTRO LOCAL MAIS APROPRIADO SENÃO NO CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE?
Jornal Transparência 
A escassas dezenas de metros da miséria 


Trata-se, com efeito, do primeiro grande investimento de um grupo de empresários chineses, orçado em 16 milhões, cuja inauguração teve honras de acontecimento nacional, com a presença dos financiadores e do ministro são-tomense da Defesa e da Administração Interna, que elogiou a importância do empreendimento, o qual, em sua opinião,  “demonstra claramente a aposta do governo no setor privado», esperando que o equipamento, «acima de tudo, esteja ao serviço das nossas populações»
-
Sem com isto pretendermos ser desmancha prazeres ou pessimistas, a nossa opinião é completamente diferente – Em S. Tomé e Príncipe, há outros investimentos e obras prioritárias, e não edifícios ao estilo da selva de cimento armado que passou a dominar o panorama urbano das grandes capitais orientais, transformadas em capitais desumanizadas e  irrespiráveis 
Ao menos podiam ter sido escolhido outro local – Logo ao lado de uma das mais antigas igrejas, e numa zona história, se não é uma barbaridade, anda lá próximo, pois creio que foi uma opção de mau gosto –  Em Portugal, temos os centros históricos das principais cidades, transformadas em autênticos bazares chineses – Agora, também de libaneses e indianos – E. STP vai pelo mesmo caminho errado.

Não há dinheiro para pavimentar as rumas mas para negócios chineses  
 Dizia-se que a globalização iria trazer mais oportunidades de negócios ao ocidente, mas passou-se precisamente o fenómeno contrário: as fábricas europeias foram deslocalizadas para a China  e Índia, onde a mão-de-obra é paga ao nível da tigela de arroz, e, os artigos ali produzidos passaram depois a ser exportados e vendidos através de  milhares de lojas orientais na Europa, África e no resto do Mundo .

O recém-eleito candidato republicano, Donald Trump, diz que quer pôr um travão na balbúrdia do comércio oriental e fazer acordos mais ajustados  – Longe de admirar o seu perfil mas penso que nisso, tem toda a razão.

A liberalização do comércio, apenas favoreceu os países asiáticos e, naturalmente,  as grandes multinacionais ocidentais que jogam com eles – Não será o caso do hoteleiro Trump, que deve recear a concorrência asiática: além de serem muitos milhões, também são muito imaginativos e espertos:  “só o indiano  Agarwal, de 21 anos,  é fundador de uma rede de 2,2 mil hotéis operando em 100 cidades na Índia.http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150907_jovem_indiano_empresario_hotel_lgb

Não há dinheiro para fazer estas obras...
Ter bem presente o que se passou em Portugal:  - Primeiro com a moda dos Centros Comerciais, agora com a multiplicação dos bazares e centros comerciais orientais – Mais desemprego e miséria - Belmiro diz que sem mão-de-obra barata «não há emprego para ninguém» - http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=622000Pois é justamente esta a filosofia do atual liberalismo selvagem: enriquecer  depressa e sem custos.
Em Portugal, os Continentes da Sonaes e  as grandes Lojas dos Pingos doces, aos milhares, arrebentaram com o pequeno comércio e transformaram, seus donos,  Belmiro de Azevedo e o Alexandre dos Santos, nos homens mais ricos de Portugal -Mais ricos de Portugal valem 25 mil milhões. Américo aumenta fortuna ...

Em São Tomé, dizem que o 1º Centro Comercial, vai criar 200 postos de trabalho, esquecendo-se que vários  milhares de pequenos comerciantes, vão ficar sem trabalho - Naturalmente que surgirão mais alguns próspero comerciantes - sobretudo chineses ou seus amigos -  mas a grande maioria ainda vai ficar mais  pobre do que estava - E depois não se estranhe que, o crime recrudesça,  que as pessoas passem a  roubar para sobreviver - Pois a  Filosofia capitalista, é a de promover o açambarcamento e não o desenvolvimento; servindo-se da mão de obra escrava 

VAIDOSOS DE BOLSOS CHEIOS NO TEXAS E NO DUBAI, GABÃO – E POR AÍ A FORA… -   - VENDEDORES DE ILUSÕES NUM DOS PAÍSES MAIS POBRES DE ÁFRICA

Os Trovoadas, não viram com bons olhos que, Manuel Pinto da Costa, pudesse trazer a China de volta, de tal modo que, o atual PM,  até chegou a torpedear um projeto do Governo, afeto ao MLSTP-PSD, mas agora já estão aproveitar-se, até porque, a propaganda das empresas de Patrice Trovoada, está toda dobrada em chinês – E o amigo chinês o que quer é negócio é faturar, tal como qualquer expedito comerciante.  

"Empresa chinesa Guangxi constrói a nova cidade de São Tomé Publicado em 01 Out 2014"

01/10/2014 A empresa chinesa Guangxi Hidroeclectric Contruction Bureau, ganhou o concurso público aberto pelo Governo são-tomense para a construção da Nova Cidade de São Tomé. (…) Na mesma cerimónia foi lançada a primeira pedra, pelo Ministro da Defesa e Ordem Interna Óscar Sousa em substituição do Primeiro Ministro Gabriel Costa Empresa chinesa Guangxi constrói a nova cidade de São Tomé | Téla ...

Mas depois o Governo de Trovoada, não deu andamento: 14/10/2015  - O projecto de prolongamento da cidade de São Tomé, cuja primeira pedra foi lançada em Outubro último recebeu o sinal de STOP do Primeiro-ministro Patrice Trovoada
«Nossa cidade precisa de muito cuidado e muita atenção. Daí penso que uma nova cidade não é prioridade», declarou o Primeiro-ministro, numa conversa com 3 jornalistas integrantes de um novo Programa da TVS. Patrice Trovoada chumba projecto da nova cidade de São Tomé e ...

VEJA-SE ESTA MEGALOMANIA - "SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE - DUBAI EM ÁFRICA 

"São Tomé e Príncipe quer afirmar-se como o “Dubai de África” com um porto construído pela China

"Depois de 2014 ter ficado marcado por uma inédita visita à China de um presidente de São Tomé e Príncipe, o arquipélago vai agora receber um vultuoso investimento chinês, tendo em vista afirmar-se como o “Dubai de África.”
"O porto de águas profundas, com um custo estimado em 800 milhões de dólares e cuja construção foi adjudicada a um grupo chinês, foi apresentado em Outubro pelo governo de São Tomé e Príncipe a investidores em Londres, onde o primeiro-ministro Patrice Trovoada defendeu, numa entrevista ao jornal Independent on Sunday, o “plano de negócios” do arquipélago São Tomé e Príncipe quer afirmar-se como o “Dubai de África” com ...

  CHINA DE PEQUIM E DE TAIWAN, EM  STP - COM PROJETOS DIFERENTES 


NinguÉm liga a estes perigos 
Tanto os chineses  de Pequim, como os  de Taiwan da Formosa, estão em S. Tomé e Príncipe – Um feito diplomático, considerado notável num pequeno país , que e até hoje, nenhum outro país,  lograra em simultâneo. Ou seja, o  ter conseguido o estabelecimento de relações diplomáticas com Taiwan e a China, logrando o milagre de juntar no seu território dois inimigos históricos, em perfeita convivência, recebendo substanciais ajudas e apoios económicos de ambos –  Uma Embaixada de Taiwan e um Escritório de ligação Comercial da China Popular.  -Miguel Trovoada, em 1999,  abria as portas à  diplomacia taiwonesa  e Manuel  Pinto da Costa, em 2014, à chinesa  - Depois do seu afastamento naquela data. 
Na verdade, São Tomé e Príncipe, é  um dos quatro países africanos ( além de Burkina Faso, Gâmbia e Suazilândia), o único pais de expressão portuguesa que, desde 1977 e até hoje,  reconheceu diplomaticamente a República da China (Taiwan), procedimento este que, de algum modo, aos observadores da politica internacional,  parece continuar a  ser  um paradoxo, contra a crescente influência, exercida, não apenas em  relação a outros países de África, como na Europa, América, em todo o mundo
De recordar que  “O reconhecimento de Taiwan gerou uma crise política em São Tomé e Príncipe: a decisão do então Presidente da República Miguel Trovoada não foi apoiada pelo então primeiro-ministro Raúl Bragança e pela maioria da Assembleia Nacional. Só em 1999 São Tomé enviou um embaixador para Taiwan mas, apesar do começo atribulado, as relações santomense-formosinas mantiveram-se estáveis ao longo dos anos seguintes, como testemunham as várias visitas estatais de santomenses a Taiwan e os vários projectos taiwaneses de ajuda técnica nos âmbitos da agricultura, pecuária e tecnologias da informação, medicina, construção, energia e de atribuição de bolsas para formação técnica e académica" - 2013 Sucessos e incertezas: o papel da ajuda médica n

Nenhum comentário :