expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

São Tomé – A Ilha de Nome Santo – Espera a vinda de um Salvador , capaz de lhe restituir a tranquilidade, a esperança e a prosperidade aos seus amados e pacíficos filhos, tão martirizados – Que 2017 a livre dos falsos profetas, disfarçados de Cordeiros-Messias -


Me inclino piedosamente com o pensamento pleno de fé e confiança  no bom caminho de uma terra fértil e magnífica que me é muito querida


Advento de uma  terra de nome Santo  - “E o Povo que andava em trevas, viu uma Grande Luz, e sobre os que habitavam na região da sombra resplandeceu a Luz.
Tu multiplicaste a Nação, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa, e como se exultam os despojos
Porque tu quebraste o jugo da sua carga, e o bordão do seu ombro, e a vara do seu opressor”.



Lá longe donde agora me encontro, que, das ruínas, dos escombros, surja um Novo Tempo e um Novo Templo

"No meio do caminho tinha uma pedra 
tinha uma pedra no meio do caminho 
tinha uma pedra 
no meio do caminho tinha uma pedra. 

Nunca me esquecerei desse acontecimento 
na vida de minhas retinas tão fatigadas. 
Nunca me esquecerei que no meio do caminho 
tinha uma pedra 
tinha uma pedra no meio do caminho 
no meio do caminho tinha uma pedra"

Carlos Drummond de Andrade





Nenhum comentário :