expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sábado, 29 de abril de 2017

Maria do Carmo Trovoada Pires de Carvalho Silveira, ex-PMinistra e ex-bancária santomense, atual líder da CPLP, contemplada com o troféu americano da Globalização “Prémio de Serviço Público Global”, financiado pela Fundação Madhuri e Jagdish N. Sheth Family - “Kennesaw State awarded its highest honor for international achievement to the former prime minister and Central Bank governor of the equatorial coastal West African nation of São Tomé and Principe”.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 

SÃO TOMÉ E PRINCIPIE NA MIRA DOS LOBOS DA GLOBALIZAÇÃO, QUE DISTINGUEM AS SUAS AVES DE RAPINA  MAIS NOBRES- O estado de Kennesaw concedeu  a  sua mais alta honra por conquistas internacionais à ex-primeira-ministra e governadora do Banco Central da nação ocidental equatorial de São Tomé e Príncipe, na África Ocidental.



Universidade Americana, em Atlanta, nos Estados Unidos da América, distingue, com o “Prémio de Serviço Público Global», o apoio bancário prestado  pela ex-Governadora do Banco Central de S. Tomé e Príncipe a  investigador americano pelo seu estudo " Ano do Mundo de Língua Portuguesa "2015-2016”

"Todos os anos, os prémios International Achievement Awards destacam indivíduos que realmente acreditam no poder da globalização. Os esforços destes destinatários para promover o progresso internacional dentro e fora do campus merecem reconhecimento contínuo além do ano em que ganharam o prémio

Um destes prémios, de 2017, coube  a Maria do Carmo Trovoada Pires de Carvalho Silveira, economista e estudiosa do desenvolvimento socioeconómico, que aceitou o quarto prémio anual do Serviço Público Global do Estado de Kennesaw em uma cerimonia realizada no Marietta Country Club em Kennesaw, acompanhada por três outros honrados para o serviço internacional excepcional e realização. Um estudante do estado de Kennesaw igualmente foi concedido uma bolsa de estudos para estudar no exterior em Israel”.

Sem dúvida, um excelente Marketing a funcionar, pelos notáveis da doutrina da Globalização Liberal,  à prima de Patrice Emery Trovoada, o empresário misterioso com grandes empresas no Estado do Texas, favorecimentos  das nublosas  concessões petrolíferas a empresas nigerianas e americanas – Agora num cenário em que, o atual, Primeiro-Ministro Santomense, deseja de novo elevar a Primeira-ministra, com aspirações a colocar a Tribo Trovoada na Chefia da Presidência e do Governo, quando chutar  o  seu pau-mandado, Evaristo Carvalho.

OS PRÉMIOS CHINESES SÃO OUTROS - A EUROPA QUANDO ACORDAR É TARDE DEMAIS 

Na mesma altura em que, nos EUA, se atribuiu um prémio  à ex-bancária do Banco Central de S.T.P,. prima do mais recente aliado  aos tentáculos do imperialismo dos bilionários chineses, na sua mais pequena colónia em África, curiosamente,  os 26 da  União Europeia (EU),  procuram como que, diplomaticamente, não ferir os olhos gulosos da sempre insaciável serpente oriental,  não desejando ver  por eclipsados  os milhões  de apoio a  fundo perdido concedidos ao Governo do gabonês Patrice Emery,  sem outras garantias que não fossem as suas falsas promessas de projetos que, afinal,  nunca cumpriria

Referem as últimas noticias que A União Europeia (EU) quer estabelecer uma "parceria alargada" com São Tomé e Príncipe, que inclui o novo parceiro bilateral do arquipélago, a China Popular,


"Discutimos a possibilidade de haver uma parceria alargada que poderá criar sinergias e maximizar os esforços em benefício do progresso de São Tomé e Príncipe", disse Helmut Kulitz – Pelos vistos, o bando de carneiros e apátridas liberais da EU ainda não se apercebeu que,  a convivência das raposas com os lobos,  no mesmo covil, só pode acabar nos dentes da  fera maior e mais  feroz  

PREMIANDO MAIS A DOUTRINA DO CIFRÃO LIBERAL DE QUE O CULTURAL- QUE SERVE SIMPLESMENTE DE ROUPAGEM  - No fundo é a explicação que  pode extrair-se do destaque dada à permeada e ao grupo dos distinguidos:

 Alfonso Nsue Mokuy e Maria do Carmo Trovoada

Mas que serviços relevantes prestou, na CPLP, em 2015-2016?, pois se  apenas passou a exercer o cargo a partir do início de Janeiro de 2017
Senão pouco mais que a  conferência, que decorreu no dia 30 de Março de 2017, no auditório da sede da CPLP, sobre “Democracia e Direitos Humanos na Guiné Equatorial”, proferida pelo Terceiro Vice-Primeiro-ministro encarregado dos Direitos Humanos, Alfonso Nsue Mokuy . E que contou, entre outras entidades,  com  embaixador da República da Guiné Equatorial em Lisboa e junto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Tito Mba Ada

Prémios de realização internacional

Prémio Global de Serviço Público: Maria do Carmo Silveira , secretária executiva da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, que fez parte integrante do programa do Ano da Língua Oficial Portuguesa em 2015-16. Ela vem da pequena ilha africana de São Tomé e Príncipe .

(…) “Ao apresentar o prémio a Silveira, Lance Askildson, vice-reitor do estado de Kennesaw, chefe internacional e chefe da Divisão de Assuntos Globais, destacou seu serviço a seu país e sua administração por meio de uma crise sociopolítica em 2005. Ele também elogiou Mais de 20 anos em posições-chave da administração pública no setor bancário e financeiro do país e como presidente de uma federação de ONGs locais que promovem as causas das mulheres e a igualdade de género.

"Tivemos a sorte durante o nosso" Ano do Mundo de Língua Portuguesa "2015-2016 de desenvolver um relacionamento com alguém que teve um impacto tão grande no seu próprio país e em todo o mundo de língua portuguesa", disse Askildson sobre Silveira, Nomeada secretária executiva da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLC), com sede em Lisboa, em 2016. "Estamos gratos pelo apoio inestimável que ela prestou durante o nosso estudo anual sobre o país".

Em seus comentários, Silveira descreveu o significado de receber a honra, especialmente à luz daqueles que receberam anteriormente o prêmio de Serviço Público Global.


"O prémio ... representa um reconhecimento internacional de minhas ações em relação ao serviço público em São Tomé e Príncipe, meu país de origem, e atualmente, como [secretária executiva da CPLC]", disse ela. "Não é uma tarefa fácil, especialmente para uma mulher africana. Mas acredito firmemente na força e determinação das mulheres, e também que, com o apoio e a atitude apropriados, podemos alcançar resultados surpreendentes. Este Prêmio será uma nova fonte de inspiração para eu continuar trabalhando para a causa pública

Também honrados na cerimônia foram: Catherine Odera, formada pelo Ph.D. de Kennesaw State. Em Gestão de Conflitos Internacionais e ex-diretora-assistente de assuntos estudantis multiculturais da universidade para programas de estudantes internacionais, recebeu o Prêmio Sheth Alumni por Realização Humana e de Serviço Excepcional por seu trabalho supervisionando as atividades da Aldeia Global da KSU, que presta serviços, Estudantes internacionais.

Lin Hightower , professor de artes de fibra e proponente de "arte para mudança social positiva", recebeu o Sheth Distinguished Faculty Award de International Achievement portrabalhar com artesãos de baixa renda na Turquia, Índia, Nepal, Tailândia, Egito, Marrocos e Peru.

Marcel Duhaneanu , reitor do Instituto de Administração de Empresas em Bucareste, Romênia, e professor de gestão internacional e gestão estratégica global, recebeu o Distinguished International Partner Community Award, que reconheceu seu papel na parceria de 14 anos com o estado de Kennesaw na Romeno-Americana School of Business (ASEBUSS), que opera um programa de MBA executivo.

Simone Stevens, graduada no programa de dança do College of the Arts, recebeu a Emerson Scholarship for the Advancement of International Education para estudar dança em Israel e trabalhar diretamente com artistas da Batsheva Dance Company em Tel Aviv.

A cerimonia de premiação também contou com os 12 alunos que participaram do programa inaugural "Ao redor do mundo em 80 dias (AW80)" programa de educação no exterior que levou os alunos participantes para os países em quatro continentes por um semestre inteiro. O programa recentemente ganhou Kennesaw State University um Prêmio Inovação 2017 em Internacionalização da Associação Internacional de Administradores de Educação (AIEA).

Ivan Starev, especialista em negócios internacionais, compartilhou um vídeo produzido que capturou as experiências dos alunos, enquanto Anna Holland, uma especialista em estudos interdisciplinares, resumiu o que a viagem significava para os participantes.
"Isso vai se destacar como a única experiência mais definidora da minha vida", disse Stavrev.
Holanda concordou, acrescentando: "A experiência AW80 me ensinou a olhar para diferentes culturas e ver as semelhanças e apreciar as diferenças. Também me deu a confiança de que posso ir a qualquer lugar do mundo e saber como lidar comigo mesmo e tudo o que surgir "

 Os prêmios de Realização Internacional de Kennesaw, organizados pela Divisão de Assuntos Globais da Universidade, são possíveis com o apoio da Fundação Madhuri e Jagdish N. Sheth Family. A Emerson Scholarship é financiada por Christie Emerson, professora assistente na Escola de Enfermagem WellStar do Estado de Kennesaw, e seu marido, Tom. - Sabbaye McGriff Fotos por David Caselli

Poder da troca global, experiência da viagem na exposição em concessões do estado de Kennesaw

Jagdish Sheth, à esquerda, um professor de marketing presidido na Universidade Emory, dotou a Kennesaw State University International Achievement Awards. Aqui, ele é retratado com o Vencedor do Prêmio de Serviço Público Global Maria do Carmo Silveira, centro, e o Presidente da KSU Sam Olens. – Exceto de

PALMARÉS DE UMA BANCÁRIA QUE CONTRIBUIU MAIS PARA AS FALÊNCIAS FINANCEIRAS DE QUE PARA  AS RECUPERAR OU RESOLVER O SEU EQUILÍBRIO 
De recordar o encerramento  do segundo maior banco comercial do país, o Banco Equador, de capital angolano. Banco Central são-tomense encerra segundo maior banco comercial ...


 Escândalo espreita o Banco Central

18 de Abril 2016 - "Tudo por causa do procedimento alegadamente inconstitucional, e pouco transparente adoptado pelo Banco Central para emissão de novas notas da moeda nacional, a dobra.
No Banco Central, o Téla Nón apurou que vive-se um momento de grande tensão. Fonte da instituição explicou ao Téla Nón que a decisão tomada implica uma reforma profunda do sistema monetário do país. Escândalo espreita o Banco Central | Téla Nón

COMENTÁRIOS DE SANTOMENSES – AQUANDO   2º REGRESSO DE MARIA DO CARMO TROVOADA A GOVERNADORA DO BANCO CENTRAL
03/03/2011 -"Esta senhora chama-se Maria do Carmo Trovoada da Silveira. Pergunto, porque esta senhora anda esconder o seu nome verdadeiro? Será que ela deixou de fazer parte da família Trovoada e pertencer só a família do seu marido de apelido{Silveira}.Porque? Só faco este reparo, não com intenção de por em causa a sua imagem. Meus parabéns do seu regresso ao BC.Viva RDSTP." 
 3 de Março de 2011  Senhor Patrice Trovoada, sinceramente, nomear gente como está senhora é continuar com a corrupção. Maria de Carmo Silveira, é a senhora que lançou o projecto, para remodelação do Banco Central no valor muito elevado (oito milhões de dólares), pelo que fui informado o construtor fantasma levou uma parte do dinheiro, o projecto que deu grande prejuízo ao País.

3 de Março de 2011   Competência!!!!!!... A senhora tem tanta competência até que o construtor levou dinheiro e não fez obras. Conheço muitos economistas santomenses que conhecem a macroeconomia, econometria e finanças muito melhor do que ela.

João honesto 4 de Março de 2011 - "Nós estamos a caminhar a passos largos para o abismo; pelo que vejo existe um grupo de gente nesta terra que são insubstituíveis como a minha amiga Maria do Carmo isso chega a ser uma vergonha num pais onde se diz que querem promover novos valores e explorar novas competências.

Eu sou estudante de Economia nunca vi nada igual em parte nenhuma . em suma meu irmão (…) Enfim eu ainda penso que devemos promover novas competências alem de quê essa senhora já parte do grupo viciado em corrupção

Zeferino 3 de Março de 2011   - Mas minha gente qual competência que esta senhora tem? Desde quando esta senhora é assim tão competente? Nós temos de ser mais exigentes com os nossos governantes, independentemente da origem política, familiar ou religiosa de qualquer um deles. Mas o que é que esta senhora, como quadro do país, várias vezes ministra, diretora, etc, já fez de importante ou relevante para o país a não ser ocupar várias vezes estas funções? A senhora em causa já fez algum estudo ou ensaio técnico ou científico de grande alcance que ajudou o país a enfrentar os seus problemas actuais?

A senhora em causa já fez algo de fundo, com grande impacto técnico, que contribuiu, de forma relevante para modificar a organização administrativa, económica ou fiscal do país? A senhora em causa já escreveu alguma obra técnica de relevante importância que contribuiu para acrescentar valor ao nosso património intelectual?
Se nunca fez nada disso por que razão é uma grande competente? (---)

Pigmeu 3 de Março de 2011  - Está senhora é socia de um Banco Comercial em STP, como é que poder ser responsável do banco central que tem função de regulação das actividades bancaria, meus senhores aonde é que está a independência desta senhora. Meu país está doente com tanta gente formada que semanalmente desembarca no aeroporto de STP à procura de trabalho no seu próprio país…
A escolha devia ter sido feita em consenso com os outros partidos e o Governo devia procurar uma personalidade independente, quer do poder político quer do poder económico, de preferência sem qualquer filiação política.

(...) Acho que esta questão da Sra ser accionista de um Banco privado e ao mesmo tempo ser governadora do BCSTP parece ser grave. Questão também de se saber se não foi no exercício das funções de Governadora (da primeira vez que la esteve) que a Sra, num claro tráfico de influencias, impôs-se aos empresários que quiseram abrir o Banco, como accionista; querem abrir um Banco? OK, mas eu tenho que ser accionista!. Eis uma questão que a associação dos economistas deveria comentar.

As ruas da cidade estão piores que no tempo colonial
(...)  nunca deu indicações de inovação e competência para lidar com uma das instituições mais importante e poderosa do país prejudicando o país em milhares de euros com o projecto das obras do banco. Será que em São Tomé ninguém é responsabilizado pelos seus actos? Comentários extraídos de Téla Nón - 

Danildo Santo 4 de Março de 2011 

Para aqueles que não conhecem a Dra. Maria do Carmo, essa senhora tem dois diplomas de mestrado. Depois de deixar de ser Primeira-ministra, ela esteve em Estrasburgo, França, onde conclui com êxito o seu segundo mestrado na Escola Nacional de Administração (ENA). A Dra. Maria do Carmo entra no Banco Central por concurso público e não por favores políticos como acontece hoje. Portanto, em vez de passarem todo o tempo a manchar os outros, peçam a senhora o seu CV . Como antes dizia, se eu tivesse no lugar da senhora não aceitaria ser de novo Governadora do Banco Central, num país sem norte onde a competência=populismo. Somos tão pobres em mentalidade e atitude. Por isso STP tem o abismo e o desenvolvimento que bem merece.Mais comentários a favor e contra  em  Maria do Carmo Silveira nomeada governadora do Banco Central de .
Globalização, pobreza e saúde

(..) As dívidas externa e interna, o protecionismo à indústria e à agricultura por parte dos países mais ricos e as barreiras comerciais aos produtos primários e manufaturados da cesta de exportação dos países em desenvolvimento estão na raiz de uma imensa crise fiscal que os países pobres enfrentam e na dívida social crescente que têm com suas populações. Quase toda a arrecadação fiscal destes países e os sucessivos empréstimos internacionais, alcançáveis apenas por acordos sob severas condições com o FMI, servem quase que exclusivamente para a rolagem de imensas dívidas externas contraídas no passado, em condições adversas, muitas vezes sob governos não–democráticos e corruptos, dívidas estas hoje submetidas a juros elevadíssimos, impostos unilateralmente pelo capital financeiro internacional. Em conseqüência, os programas de combate à pobreza e outros programas sociais de muitos dos países em desenvolvimento acabam desfinanciados e ineficazes4.

Um dos elementos mais nocivos do processo de globalização são os brutais ataques do capital especulativo internacional às economias nacionais mais frágeis de países pobres e de renda média. A ação do chamado hot money tem comprometido nefastamente os orçamentos sociais dos países pobres, inclusive o da saúde. A circulação diária do capital especulativo não produtivo no mundo é de cerca de 1,8 trilhão de dólares 5. Estes capitais, sem pátria e sem responsabilidades com as pessoas e os países, devem ser controlados por mecanismos nacionais e internacionais, como forma de reparar sua nocividade global e local. Em seu último livro, recém–lançado, até mesmo o economista John Williamson6, que cunhou a expressão Consenso de Washington para denominar o conjunto de recomendações de reformas econômicas para a América Latina e que estabeleceram as bases conceituais do processo de globalização como o entendemos hoje, reconhece agora o imperativo de controlar o fluxo de capitais nos chamados mercados emergentes.

A divisão internacional da produção e do trabalho que se delineou com a globalização trouxe, além dos maus resultados econômicos já apontados, também impactos sociais, ambientais e sanitários importantes. No campo do trabalho, verifica–se a exportação do desemprego dos países desenvolvidos para os países em desenvolvimento, devido às tais políticas protecionistas e de subsídios agrícolas dos países mais ricos. As atividades econômicas que trazem maiores riscos ambientais e para os trabalhadores ou resultam em resíduos perigosos, as chamadas 'indústrias sujas', são também exportadas para países mais pobres, cuja legislação de proteção ao ambiente e ao trabalhador é mais tolerante. Paulo Marchiori Buss http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232007000600019

Globalização e Qualidade de Vida 

"A novidade não é a mudança do mundo. A novidade é a velocidade da mudança. Nunca o mundo mudou tão velozmente quanto muda hoje. A tal ponto que acabamos nos perdendo dentro das relações. Um exemplo concreto: choque de gerações. Durante séculos e séculos, o choque de gerações era choque entre pais e filhos. Geração era entendida como um período de 25 anos, porque supostamente aos 25 anos as pessoas já teriam descendentes, isto é, uma outra geração. Hoje, choque de gerações é imediato.

As coisas mudam com tanta velocidade que acabamos perdendo as referências. Muitos de nós tínhamos como referência de coisas do nosso dia-a-dia o fim da Segunda Guerra ou a chegada do homem à Lua. Faz 30 anos que o homem chegou à Lua. Se falarmos isso para um jovem, ele achará que se trata de um fato antiqüíssimo. Hoje, a sucessão dos acontecimentos é tão veloz que freqüentemente não lembramos mais deles. Mário Sérgio Cortella  http://artesemlei.blogspot.pt/2010/04/globalizacao-e-qualidade-de-vida-mario.html

Nenhum comentário :