expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 9 de maio de 2017

Evaristo Carvalho, Presidente da República de São Tomé e Príncipe, de visita a Portugal, desde o dia 8 – É recebido dia 10, às 10 horas, no Palácio de Belém por Marcelo Rebelo de Sousa e às 11. 30 por Ferro Rodrigues, Presidente da AR - Mas com uma enorme pedra no sapato: – Elsa Garrido, em greve de fome, junto à Embaixada de STP, em Lisboa, em protesto contra introdução de milho “dito híbrido” em STP, ignorada pelos media comprometidos com o regime de Patrice Trovoada


Jorge Trabulo Marques - Jornalista  - Informação e análise   

S. Tomé, Lagoa Azul - Março 2016 - Convidei o meu antigo camarada e velho amigo a sentar-se nesta cadeira  -

  
UM PRESIDENTE SENTADO NUMA CADEIRA DE PEDRA A ESBOROAR-SE

O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, recebe o Presidente da República Democrática  de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, amanhã, dia 10, pelas 10 horas. 

 - Numa consulta ao site da PR,  pudemos recolher a seguinte informação, editada hoje, sobre os pormenores da receção: 



Nestes termos - "Visita oficial a Portugal do Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe, Evaristo do Espírito Santo Carvalho 10:00 Cerimónia de boas-vindas ao Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe Local: Palácio de Belém - Honras militares: Hinos nacionais e saudação ao Estandarte Nacional no Pátio dos Bichos - Fotografia oficial e assinatura do Livro de Honra na Sala das Bicas - Apresentação das delegações na Sala Dourada - Encontro dos dois Chefes de Estado no Gabinete de Audiências do Presidente da República - Encontro dos dois Chefes de Estado alargado às delegações



Do site da AR, diz-se apenas que o Presidente da Assembleia da República recebe Presidente da República de São Tomé e Príncipe Sala de Visitas da Presidência | 10 de maio| 11h30


O presidente de São-Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, começou, segunda-feira, 8,  em Lisboa  (Capital de Portugal), uma visita oficial de uma semana a convite do seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, visando o relançamento de cooperação entre os dois países. –  http://anacao.cv/2017/05/09/sao-tome-principe-presidente-evaristo-carvalho-visita-
portugal/   -  No entanto, os pormenores da agenda, não têm sido divulgados pelos media, que, de um modo geral, se limita  replicar a propaganda do regime de Patrice Trovoada, sem carácter analítico ou critico, visto contar, em Portugal, com poderosas cumplicidades,  


O facto de ser da mesma cor partidária que o Governo irá ajudar à gestão do país: "É uma coligação de dirigentes que têm o mesmo pensamento, têm o mesmo programa"  - Diz Evaristo Carvalho 

MAIS UMA FARSA PARA BRANQUEAR  CÍNICOS CORRUPTOS 


Bom era que os Governantes portugueses não se limitassem a sorrisos e apertos de mão ou abraços de circunstância e assinar protocolos, com dirigentes políticos  (ou com os seus emissários), que passam a maior parte da Governação em misteriosas passeatas pela Turquia, Marrocos, Gabão e por onde têm as suas empresas, que  não têm dado o mínimo de mostras de lealdade e de seriedade - S. Tomé e Príncipe recebe  anualmente, apoios acima de 300 milhões, numa população que não chega a 200 mil habitantes, sendo Portugal, um dos principais países a abrir os cordões à bolsa e com sucessivos perdões, sacrificado, inutilmente, os  contribuintes portugueses:-para onde vai o dinheiro? 


LA LETTRE DE LA LUSOPHONIE, na sua edição Nº 145, de 2 relata que, para além do sector militar, Marrocos faz agora uma outra grande concorrência a Portugal, no sector das comunicações: que, os serviços de monitoramento das comunicações internacionais através da CST, “passarão” agora a ser efectuados por uma empresa marroquina e não mais por uma Empresa Portuguesa, histórico prestador de serviço à CST nessa área.


Marcelo R. Sousa 
Ferro Rodrigues 
SERVIU O REGIME COLONIAL E DEPOIS PASSOU-SE PARA A TRIBO TROVOADA -  Apoiante desde sempre da família Trovoada, Evaristo Carvalho, eleito em Agosto passado, sob forte suspeita de fraude eleitoral, o que levou  o anterior Presidente. Manuel Pinto da Costa, a desistir na corrida à segunda volta, por não querer pactuar com a monstruosa  farsa,  75 anos de idade, pai de 25 filhos e de umas dezenas de netos, tal como então declarou, o objetivo do seu mandato é o "ajudar o Governo a governar bem", procurando dar ao país "coerência política". Quanto às críticas de um risco de um poder absoluto nas mãos da ADI, Evaristo Carvalho salientou que "não é uma coisa nova" e "acontece em toda a parte do mundo" a "concentração de poderes".


As noticias da sua permanência escasseiam ou são sempre do mesmo teor, não revelando pormenores da sua agenda: a media, em Portugal, de um modo geral, limita-se  a replicar as noticias veiculadas pelos órgãos afectos ao regime de Patrice Trovoada, com os seus ribeiros e castros opinadores..  – Porventura, receando-se  que a referida visita seja alvo de contestação, numa altura, em que, a cidadã santomense, Elsa Garrido. se encontra em greve de fome à porta da Embaixada de STP em Lisboa - Mas devia amanhã ali se apresentar para que a media portuguesa e outra, fosse forçada a abrir os olhos https://www.parlamento.pt/…/m…/PARrecebePresidenteSTome.aspx

O meu antigo camarada da Brigada de Fomento Agropecuário, onde chegou a chefe de secretaria, atual presidente da República, afastado daquele organismo através de um processo disciplinar  (nunca se chegou a conhecer o desfecho, porque, entretanto, veio o 25 de Abril)  está de visita a Portugal, desde segunda-feira para uma visita oficial de uma semana a convite do seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, visando o relançamento de cooperação entre os dois países.

Pelas redes sociais santomenses, circulam vários comentários e interpretações da sua polémica visita - “Eu vasculhei todos órgãos de Comunicação Social Português, e não encontrei uma única notícia sobre a visita oficial do Presidente Santomense, Evaristo Carvalho a Portugal. Nos órgãos de Comunicação Social Estatal em STP até torna-se irritante de tanto ouvir o Evaristo a falar sobre a visita, até parece que não têm outras notícias da atualidade.” – Octávio Bandeira Porque será?


Por várias razões, entre as quais para não ser incomodado com a polémica à volta  do milho transgénico (ou supostamente híbrido) que os chineses estão a introduzir em São Tomé, o que já levou a cidadã, Ela Garrida, em greve de fome, desde há vários dias, - E se apresentasse à porta da Embaixada de STP, em Lisboa, com um cartaz manifestando a sua preocupação

"Cidadã em greve de fome contra introdução de milho “dito híbrido” em STP - Título da Noticia do Téla Nón


Num comunicado enviado a redacção do Téla Nón, Elsa Garrido anuncia que «Venho assim informar e declarar, a partir das 15h 30 desta data, o meu estado de GREVISTA DE FOME por tempo indeterminado, frente à Embaixada de São Tomé e Príncipe, sita na Avenida 5 de Outubro, 35, em Lisboa,até o Ministro da Agricultura rever a sua posição sobre as questões essenciais acima enumeradas».http://www.telanon.info/…/cidada-em-greve-de-fome-contra-i…/


Técnicos chineses em S. Tomé

COMUNICADO Lisboa, 26 de Abril de 2017 Tendo em conta a Carta Aberta publicada no dia 11 de Abril do corrente ano no jornal digital “Tela Non”, alertando sobre os perigos de introdução e/ou teste de milho transgénico nas ilhas de São Tomé e Príncipe;

Face à reação negativa, manipuladora e silenciosa da Sua Excelência o Ministro de Agricultura;



Considerando a falta de clareza por parte das instituições nacionais responsáveis sobre a espécie do milho (OGM, TRANSGÉNICOS, HÍBRIDO) em crescimento na zona de Mesquita, em São Tomé; e que a experiência está a ser feita sem aviso ou informação prévia junto da população;

Visto a parcialidade e/ou pouca liberdade dos medias nacionais, sobretudo os fiéis ao Governo, em abrir e promover o debate de maneira objetiva e apartidária sobre o tema;
Registado o silêncio gigantesco das ONGAs, ONGs, técnicos agrícolas, intelectuais e os demais líderes da nossa sociedade sobre estas matérias;

Sabendo da luta desigual e do sentimento de impotência do movimento informal dos cidadãos sensíveis a esta causa, o que nos leva a uma situação de impasse e inércia;
Venho assim informar e declarar, a partir das 15h 30 desta data, o meu estado de GREVISTA DE FOME por tempo indeterminado, frente à Embaixada de São Tomé e Príncipe, sita na Avenida 5 de Outubro, 35, em Lisboa, até o Ministro da Agricultura rever a sua posição sobre as questões essenciais acima enumeradas. – 


Esta ação radical é uma decisão estritamente individual. Não me sinto no direito de reclamar o mesmo dos meus companheiros de luta e acredito que cada membro do movimento, cada são-tomense de livre e vontade própria, onde quer que esteja, fará a sua parte para que tenhamos direito:

1 – A TRANSPARÊNCIA e ao DEBATE PÚBLICO sobre o problema dos transgénicos e/ou híbridos já em fase de produção e experiências.
2 – De EXIGIR a SUSPENSÃO das atuais experiências em curso sem parecer técnico, informação, estudo ambiental e avaliação dos riscos para a vida e saúde da população são-tomense.
3 – De CONVOCAR UMA COMISSÃO AD-HOC no sentido de refletir sobre que modelo agrário seria mais viável para as ilhas de São Tomé e Príncipe, a qual deve debater e propor leis de biossegurança, regulamentação e processo prévio para a implementação de novas espécies no país.
A natureza é incontestavelmente o pulmão do nosso país. Acredito no bom senso e no sentido de responsabilidade do Ministro de Agricultura para provar que é capaz de dirigir este trabalho árduo de defesa do nosso ambiente em prol do povo de São Tomé e Príncipe.
Solidariamente vossa,
Elsa Garrido

Nenhum comentário :