expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Voos aéreos para São Tomé e Príncipe incendeiam debate parlamentar – Monopólio concertado do espaço Aéreo vai acabar e os preços vão baixar?... Bom era que fosse mas a gula privada é demasiado gulosa e há sempre quem esteja na fila dos oportunistas Patrice Trovoada faz drible no Parlamento, com idêntica Lei aprovada, em 2009, entre Portugal e STP para abrir caminho à Royal Air Maroc ou a transportadoras aéreas dos países onde o empresário tem negócios –- Jorge Amado, líder parlamentar do MLSTP-PSD, questionou: “Estamos a falar de uma lei de extrema importância para o país: que segredo há para fazer a sua aprovação na clandestinidade?.." - Revelamos-lhe alguns pormenores.

Jorge TrabuloMarques - Jornalista - Informação e análise 




O último debate parlamentar, que teve lugar a meio da semana  passada, transmitido pela Rádio e Televisão, mas apenas cingido a escassos minutos à oposição (que, quando  não é impedida pelo implacável cronómetro de fazer  valer os seus argumentos, é mais das vezes interrompida por inesperadas avarias de emissão, a pretexto de cortes de energia elétrica), afinal, não passou de um monumental barrete, com que o Governo pretendeu fazer crer à opinião pública de que estava a aprovar uma lei revolucionária, , que "vai eliminar, de uma vez para sempre, o monopólio das rotas, visando a liberalização do espaço aéreo,  promovendo, desta forma, a concorrência leal entre as operadoras , dentro da rota especifica, 


Na verdade, para quem fosse apanhado desprevenido, como parece ter sido a oposição santomense, que nem sequer foi consultada para a prévia analise e apreciação,  da chamada   Proposta de Resolução n.º 33/X/5.ª/17  Acordo de Multidesignação sobre Transporte Aéreo entre República Democrática de São Tomé e Príncipe e a República Portuguesa, aprovada na generalidade, pela maioria parlamentar, que apoia o Governo,  com o pretexto de  acabar com o monopólio do espaço aéreo, visando a sua liberalização,  até poderia ficar com  a ideia de que é uma lei movida de boas intenções, bem pelo contrário – Acreditamos que não passa de um  mero jogo de ilusionismo para privilegiar   interesses privados





OPOSIÇÃO APANHADA DESPREVENIDA – MESMO ASSIM QUESTIONOU:

 Que segredo há para fazer a sua aprovação na clandestinidade? – Palavras do líder da bancada do MLSTP-PSD, maior partido da oposição, atualmente esmagado pela soberana maioria parlamentar do partido ADI, que, tanto no Parlamento, como na rádio e da televisão, faz tudo para obstruir e silenciar os argumentos dos seus opositores 
“Interpretar à mesa não pode exceder dois minutos!: Imposição a fio de espada de José Diogo,  Presidente da Assembleia Nacional de STP 

Jorge Amado. “Estamos a falar de uma lei,  que é de extrema importância para o país ,e, sendo de extrema importância para o pais, eu acho que todo o mundo estraria interessado em participar na sua discussão: daí  que não é possível levar um documento na especialidade, sem que as bancadas que representam esta comissão, façam parte:  se não há a esconder neste momento, que segredo há para fazer a sua aprovação na clandestinidade? Poe-se o documento a discussão e todos têm que participar a não ser que  tenha reservas para fazer outras leituras!... Então se não estamos a  fazer aprovação com leituras outras façamos as coisas como deve ser: O que é que há de especial para esconder nesse documento! – sublinha o deputado

Mais uma vez, o Governo de Patrice Trovoada, natural do Gabão, manifesta um absoluto desprezo e insensibilidade para com o cumprimento das leis e dos acordos internacionais: quer não pagando as dívidas externas, sempre à espera das facilidades dos  apoios e perdões, sem que, todavia, as populações tenham benefícios  de monta,  logrem sair dos limiares  de pobreza, sim,  “Pobreza e falta de proteção social afeta 70% das crianças Santomenses” . salvo as operações de charmes que antecedem as campanhas eleitorais, desprezando os vários compromissos que assume –

O viajante mais viajado do  mais pequeno e pobre pais de África, pelos vistos, no que pensará, certamente, é em transformar estas maravilhosas Ilhas, numa qualquer coutada ou colónia privada terceiro-mundista


GOVERNAR EM NOME DA SOBERANIA DA AGENDA PRIVADA

01/02/2016  "Os privados têm a sua agenda e o Estado deve garantir a sua soberania, temos que ter os nossos próprios meios, isto é que é fundamental", afirmou Patrice Trovoada. As embarcações foram adquiridas pelo Governo são-tomense e apresentados no domingo no porto de São Tomé pelo executivo Governo são-tomense adquire embarcações para ligações entre ilhas

Em São Tomé e Príncipe foi anunciada, pela governadora do Banco Central, a falência do Banco Equador, de capital maioritário angolano. - E era este o banco que detinha uma grossa fatia das ações da STP Airways Sonair assume maioria da STP-airways -

Patrice Trovoada, mais dado a receber de que corresponder,  como nunca cumpriu com qualquer acordo assumido, e, sendo Angola o principal fornecedor de combustíveis, não tendo pago quaisquer dívidas, a torneira dos apoios angolanos tem-se vindo a fechar, tanto mais que, por sua vez, a Sonangol também está atolada de dívidas, sob hipoteca chinesa, que é para onde tem sido escoado o ouro negro ao preço da chuva


Argumenta-se que se  pretende liberalizar, quando a liberalização já existe entre os Estados das duas principais operadoras,  prevendo a sua “multidesignação, em  obediência  à dita Convenção Sobre Aviação Civil Internacional.

Naturalmente, que qualquer empresa  aérea, que faça voos comerciais, tem que ter algumas garantias da sua operacionalidades nos países onde opera - Claro que  ninguém  os poderá ter em regimes corruptos e sem palavra. Por esse facto é que as empresas são classificadas, assim como a qualidade dos aeroportos:  quanto ao aeroporto de S. Tomé, é o que é: pouco mais melhorou  que quando o regime colonial o deixou 

E, quanto a operadora  de bandeira de STP-Airways, depois do acidente que teve, nunca mais logrou sair  lista negra - E nem sequer poderia operar se não estivesse a ser servida por aviões fretados - pasme-se  - de um dos seus principais acionistas.

Constituída em 23 de Junho no ano 2008,  na sequência da extinção da Air São Tomé, logo no seu  inicio desacreditada  por força da queda do único avião  que provocou morte dos quatro ocupantes do aparelho, a bem dizer, é uma mera ficçao: servindo unicamente de capote a  interesses privados  .Expresso | Avião português livra STP Airways da "lista negra" - 17/07-2013  UE mantém LAM e STP na 'lista negra' TAAG só pode voar na Europa ...


Nota explicativa em on lin no site da Assembleia Nacional Santomense  

Plenário da A.N.: eis como foram votados os diplomas
No meio de uma certa polémica, a Assembleia Nacional acabou por votar a Proposta de Lei referente ao Acordo de Multidesignação sobre o Transporte Aéreo entre a República Democrática de S. Tomé e Príncipe e a República Portuguesa. Com base nesse pressuposto, mais de uma companhia aérea pode ser chamada a prestar serviços em cada um dos dois países, contrariamente ao que vinha sendo praticado desde 1976. A Bancada Parlamentar do ADI votou a favor da referida Proposta de lei. Por sua vez, as Bancadas da oposição abstiveram-se. Do mesmo modo foi aprovada a Proposta de Lei relativa à lei de Segurança Interna. Em declaração de voto, tanto o Deputado Danílson Cotú como o Deputado Arlindo Barbosa, do PCD e do MLSTP/PSD, respectivamente, sublinharam que poderão mudar o sentido de voto das suas Bancadas, aquando das discussões na especialidade.  – Espírito Santo - http://www.parlamento.st/


OS TERMOS DESTE ACORDO   FORAM  ESTABELECIDOS, HÁ 8 ANOS Aponte-se uma única alínea  que seja diferente!
Com a assinatura  deste Acordo cada Estado Membro pode designar mais do que uma operadora,  promovendo desta forma a concorrência leal entre as operadoras dentro da rota especificada.”
Com a adoção do Acordo de Unidesignação assinado entre dois Estados desde 22 de Março de 1976, isto só traria benefício a uma e única companhia designada pelas Partes E então para que serviu o acordo de 2009? -



ACORDO SOBRE TRANSPORTE AÉREO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE A REPÚBLICA PORTUGUESA e a REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE, doravante designadas por Partes, ambas sendo Partes da Convenção sobre Aviação Civil Internacional, aberta à assinatura em Chicago aos 7 dias de Dezembro de 1944; Desejando organizar, de uma forma segura e ordenada, os serviços aéreos internacionais e promover, o mais amplamente possível, a cooperação internacional neste domínio; e Desejando concluir um Acordo para fomentar o desenvolvimento de serviços aéreos regulares entre e para além dos seus territórios; Acordam o seguinte: ARTIGO 1.º DEFINIÇÕES Para efeitos do presente Acordo: a) A expressão "a Convenção" significa a Convenção Sobre Aviação Civil Internacional, aberta à assinatura em Chicago aos 7 dias de Dezembro de 1944, e inclui qualquer Anexo adoptado ao abrigo do Artigo 90º da referida Convenção e qualquer emenda aos Anexos ou à Convenção, ao abrigo dos seus Artigos 90º e 2 94º, na medida em que esses anexos e emendas tenham sido adoptados por ambas as Partes; - Clike para mais pormenores acordo sobre transporte aéreo entre a república portuguesa e a


NOTICIAS DE ENTÃO PUBLICADAS  - 3 July 2009  - Portugal e São Tomé assinam acordo aéreo para operações comerciais e voos conjuntos

"Portugal, 23 Jul – Os governos de Portugal e São Tomé assinaram quarta-feira, em Lisboa, um acordo bilateral que abre a várias companhias a possibilidade de realizarem voos entre os dois países e operações comerciais conjuntas em ‘code-share´.
Na prática, o acordo assinado hoje entre o Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, e homólogo de São Tomé, Benjamim Vera Cruz, actualiza um acordo de 1976 e prevê a “multidesignação de empresas para efectuarem estas rotas”.

“Este acordo veio substituir o acordo de 1976 e estabelece as condições em que companhias aéreas dos dois países podem operar na rota Portugal – São Tomé, do lado de Portugal a partir de Lisboa e do Porto, e do lado da República de São Tomé a partir de São Tomé e de Príncipe”, disse o ministro das Obras Públicas, Mário Lino.
Além destes pontos de contacto, “as companhias dos dois países podem, com toda a flexibilidade, escolher escalas intermédias e escalas além dos pontos”, acrescentou Mário Lino.
Por outro lado, o acordo permite operações comerciais conjuntas (‘code-share’) e abre a todas as companhias aéreas que sejam detentoras de uma licença de exploração válida a possibilidade de operar nestas rotas.

Actualmente, existem quatro ligações aéreas semanais entre Portugal e São Tomé, duas delas operadas pela companhia aérea TAP.- Excerto de Portugal e São Tomé assinam acordo aéreo para operações .. Aviação: Portugal e São Tomé vão trabalhar em parceria > TVI24

PORTUGAL CONTINUA A DOAR DINHEIRO,  QUE, ALIÁS TEM SERVIDO PARA ALIMENTAR JOGOS DE CORRUPÇÃO E A GARANTIR QUE EMPRESAS PARASITAS E ONG, ALI SAQUEM   FUNDOS SEM RISCOS OU ESFORÇO  02/09/2016  Novo programa de cooperação Portugal-São Tomé envolve 57,5

- 16-01-2017 -Portugal vai alocar 1,5 milhões de euros a São Tomé e Príncipe para a execução de projetos sobre alterações climáticas durante os próximos quatro anos, anunciou hoje o ministro do Ambiente português, João Pedro Fernandes. Expresso | Portugal disponibiliza 1,5 milhões de euros para combate 30/7/2016,  Os portugueses que queiram investir ou exportar para São Tomé e Príncipe deverão contar, no final deste ano, com uma linha de crédito de dez milhões de euros. http://observador.pt/2016/07/30/linha-de-credito-de-10-milhoes-vai-apoiar-investimento-portugues-em-sao-tome-e-principe/ 2015/07/15 Portugal abriu uma linha de crédito de 10 milhões de euros a favor de São Tomé e Príncipe, na sequência de um acordo terça-feira assinado em São Tomé, em cerimónia testemunhada pelo primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada. http://www.macauhub.com.mo/pt/2015/07/15/portugal-abre-linha-de-credito-a-favor-de-sao-tome-e-principe/

QUEM NÃO ABRIR OS CORDÕES À BOLSA  SEU JEITO, DO ÉMERY, ELE PODE  REAGIR COMO O CATAVENTO  ENDEMONINHADO NUMA TEMPESTADE  -António Costa deu-lhe mais milhões que várias dezenas de municípios recebem do Estado  -  Mesmo assim achou pouco e amuou - É o que pudemos depreender das noticias vindas a lume


Primeiro-ministro são-tomense reconhece desacordo na cooperação entre Lisboa e São Tomé - 9/1/2017 " -O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada, reconheceu que São Tomé e Príncipe e Portugal estão em desacordo quanto à execução do Programa Estratégico de Cooperação (PEC,)“É preciso que toda a gente perceba que este Governo quer um pouco mais de resultados e coisas talvez um pouco diferentes. Nós estamos habituados a fazer as coisas da mesma maneira e nunca querer a inovação, nunca querer transformação”, explicou Patrice Trovoada, em declarações a Radio e Televisão públicas são-tomenses. 09/01/2017 PM são-tomense reconhece desacordo na cooperação entre Lisboa e ...

Poderá estar a quer dar golpe à TAP (como já deu a uma empresa portuguesa em S. Tomé) deixando caminho aberto a empresas transportadoras de Marrocos ou de países donde tenha negócios  ou sociedades privadas 

12-04-2017- Com Pequim

Com Taiwan 20 anos 
Patrice Trovoada, que já virou as costas a Taiwan, quando este pais não cedeu à chantagem dos 200 milhões, trocando os seus velhos aliados de há 19 anos, da Ilha Formosa, pelo imperialismo de Pequim, com os quais já vinha estabelecendo negociatas misteriosas,  sim, que, agora, de uma assentada,  estão tirando partido das  obras e dos trabalhos deixados pelo zeloso e dedicado trabalho Taiwandense, que outra coisa não pedia que o reconhecimento diplomático, como povo livre da gula expansionista e colonialista, sim, qu, desde há vários anos, vem lutando para não submeter-se a uma desumana e cruel ditadura, pugnando pelo direito à sua  emancipação e independência 

NÃO É  CRÍVEL QUE UM TURISMO QUE SE PRETENDE VOLTAR PARA MILIONÁRIOS.  VENHA A  FAZER REDUZIR SUBSTANCIALMENTE AS TARIFAS QUANDO A GANÂNCIA É O LUCRO IMEDIATO .  -Sim, porque viajar para São Tomé e Príncipe continua a ser mais caro que viajar para  China ou para qualquer país da América latina – E, então, para os santomenses, que queiram “voar” para o exterior, uma autêntica miragem


De facto, a TAP nunca foi uma transportadora aérea amiga de S. Tomé e Príncipe – Aproveitou-se no tempo do colonialismo e voltou a aproveitar-se  depois da independência destas ilhas, usando e abusando da sua condição monopolista.  Praticando tarifas absolutamente incomportáveis à esmagadora maioria dos santomenses - Unicamente na mira dos turistas endinheirados que vão beneficiar a hotelaria que nem sequer é explorada por naturais das Ilhas, onde pagam salários miseráveis - Claro que já existe outra transportadora aérea, ligada a um dos maiores grupos de Hotéis, que vai pela mesma cartilha colonial e não lhe fica atrás.


Recordo- me de ter publicado um artigo na revista Semana Ilustrada, de Luanda, da qual era correspondente, com o título: "Golpe da TAP no desenvolvimento das Ilhas verdes” 



ADI – "Um partido fundado pelo contrabando e droga”, acusações do MLSTP-PSD


Acusações gravíssimas, ditas na Assembleia Nacional, durante o debate da Nação, no principio do ano, feitas pelo MLST-PSD, principal partido  da oposição a Patrice Trovoada e ao partido ADI, Acção Democrática Independente de que é líder, criado pelo o seu pai, em 1994, o então presidente Miguel Trovoada.   - Nós, O MLSTP, assumimos o nosso assado com a cabeça levantada (…) Agora, nós podemos falar do ADI! Um partido que nasceu na base de contrabando e droga”

PATRICE DIZ QUE NÃO É ADEPTO DA LIBERALIZAÇÃO A 100%- SÓ PARA NEGÓCIOS MILIONÁRIOS 

Durante o debate da Nação, na Assembleia Nacional, o Primeiro-Ministro, Patrice Trovoada, confessou não ser um adepto, a 100% do mercado livre; nós temos uma economia muito pequena e nós vamos fazer algumas reformas a nível do sector comercial para acabar com a liberalização excessiva: uma das coisas . nós somos um país aberto – eu disse isso aqui – mas, a nível do comércio, nós vamos fechar o comércio aos estrangeiros, a  não ser que o investimento seja de certo nível” (…) o nacional é aquele a temos de dar prioridade do comércio: - se o estrangeiro vier  investir cinco milhões, não em linha de crédito mas em edifício, etc,etc.! tudo bem… Mas, abaixo disso, nós não daremos mais autorização aos estrangeiros para abrir uma tasca na esquina e fazer concorrência aos nacionais  -Quando manifestou esta sua posição, já os chineses haviam inaugurado, o maior ‘shopping’ do país, o Centro Comercial Continental (CCC), na capital de S. Tomé, um investimento chinês de 16 milhões de dólares (15 milhões de euros), http://www.abola.pt/africa/ver.aspx?id=642448

UM PARAÍSO À MÃO DE SEMEAR


O Estado S. Tomé, desde que foi instaurado  o multipartidarismo, ao invés de evoluir no sentido de reforçar o espírito  democrático e os interesses coletivos do Povo, bem pelo contrário: a luta partidária, nomeadamente a liderada pela chamada  Ação Democrática Independente  (ADI), fundada Por Miguel Trovoada, defensor das teses do ultra-liberalismo, sem leis e constrangimentos, privilegiando  o capitalismo privado, é unicamente este o caminho prosseguido pelo seu filho,  Patrice Emery Trovoada, líder do atual Governo da maioria parlamentar- Razão pela qual as suas iniciativas, tanto internas, como nas constantes passeatas pelo estrangeiro, parecem visar mais  interesses minoritários de que de Estado.


Sendo ele empresário – e ainda para mais com negócios misteriosos – que não ousa esclarecer publicamente – torna-se difícil distinguir que interesses se cruzam, se conflituam  ou se misturam nas centenas de viagens que faz, tanto mais que ficam mais as dúvidas   por esclarecer de que as certezas públicas,  dada a ausência de pluralismo nos  órgãos de comunicação  social do Estado, subordinado ao seu absoluto controlo, nos quais a oposição se vai limitando a meras migalhas.  


Bom era que os Governantes portugueses não se limitassem a sorrisos e apertos de mão ou abraços de circunstância e assinar protocolos, com dirigentes políticos  (ou com os seus emissários), que passam a maior parte da Governação em misteriosas passeatas pela Turquia, Marrocos, Gabão e por onde têm as suas empresas, que  não têm dado o mínimo de mostras de lealdade e de seriedade - S. Tomé e Príncipe recebe  anualmente, apoios acima de 300 milhões, numa população que não chega a 200 mil habitantes, sendo Portugal, um dos principais países a abrir os cordões à bolsa e com sucessivos perdoes, sacrificado, inutilmente, os  contribuintes portugueses para alimentar a avidez e a ganância de políticos-empresários corruptos.

Uma entre outras traições - LA LETTRE DE LA LUSOPHONIE, na sua edição Nº 145, de 2 relata que, para além do sector militar, Marrocos faz agora uma outra grande concorrência a Portugal, no sector das comunicações: que, os serviços de monitoramento das comunicações internacionais através da CST, “passarão” agora a ser efectuados por uma empresa marroquina e não mais por uma Eempresa Portuguesa, histórico prestador de serviço à CST nessa área.

TAP DEIXOU DE VOAR EM AEROPORTOS DE RISCO – Guiné- Bissau  - É deles que passou a ser feito pela Royal Air Maroc e a companhia madeirense

A TAP deixou de voar para a Guiné-Bissau desde que no dia 10 de dezembro de 2012 uma tripulação da companhia portuguesa foi obrigada a transportar para Lisboa, a partir do aeroporto de Bissau, 74 passageiros nacionais da Síria, mas que viajavam com documentação que se revelara falsa.Em julho de 2014, Fernando Pinto, presidente da TAP, anunciou a retoma da rota em outubro desse ano, o que nunca aconteceu, http://www.tvi24.iol.pt/economia/voos/tap-volta-a-voar-para-a-guine-bissau-em-dezembro

Royal Air Maroc – CLASSIFICADA NA LISTA DAS 20 PIORES COMPANHIAS AÉREAS DO MUNDO – Será com esta companhia que Patrice quer canalizar turismo árabe para STP e fomentar  interesses privados?

Casablanca, 28 de maio de 2013 A Royal Air Maroc, a companhia aérea estatal, classificou-se 14 na lista das "20 piores companhias aéreas do mundo", publicada pelo Business Insider, um site de notícias e negócios americanos Royal Air Maroc ranks 14 on a list 20 worst airlines in the world .,,,,

December 15, 2016  A Royal Air Maroc, companhia aérea nacional de Marrocos, ficou em quinto lugar em um novo relatório classificando as piores companhias aéreas do mundo para atendimento ao cliente Royal Air Maroc among worst airlines | Moroccans of the World

ROYAL AIR MAROC REFORÇA OFERTA DE VOOS DE/PARA LUANDA 06-10-2015 (17h48) “Tem assegurada a ligação de e para Lisboa”, garante


A Royal Air Maroc, que em Portugal capta passageiros para os seus voos entre Marrocos e Luanda, anunciou hoje que a partir de 3 de Novembro sobe de dois para três por semana o número de voos para a capital angolana, com mais um voo de Casablanca em Boeing B767-300. Presstur - Royal Air Maroc reforça oferta de voos de/para Luanda Royal Air Maroc começou a voar entre Casablanca (Marrocos) e Luanda (Angola)05/12/Royal Air Maroc começou a voar entre Casablanca (Marrocos)



La corrupción reina en Marruecos con poder absoluto

(…)Para quem ainda não sabe, rey Mohamed VI é o accionista maioritário do grupo SNI,inclui, entre outros, o maior banco privado, a maior operadora de mineração e maior cadeiais La gran corrupci reina descaradamente en Marruecos´..La corrupción reina en Marruecos con poder absoluto ... - tlaxcala-int.org


ENORME FRACASSO DE APREGOADA VISITA REAL AO PRÍNCIPE - FROTA DOS CARROS REEMBARCA PARA S. TOMÉ - Rei de Marrocos, Mohammed VI e Ali Bongo, acobardaram-se com a quebra de sigilo – Monumental fiasco de uma grandíssima trapalhada real de Patrice Trovoada e das maiores aves de rapina africanas – Até hoje a única visita real às ilhas de São Tomé e Príncipe, realizou-.se, em julho de 1907, pelo Príncipe Luis Filipe, Herdeiro da então monarquia portuguesa






A frota dos carros que o Governo de Patrice Trovoada, tinha embarcado para a Ilha do Príncipe, para satisfazer os caprichos de um rei vaidoso, corrupto  e esbanjador - uns carros ministeriais, outros alugados a particulares -  eis que, finalmente, depois do rotundo fracasso e após terem ficado vários dias expostos à chuva, acabam  por regressar a São Tomé, num dos  barcos que ligam as duas ilhas



Arsenal disponibilizado por Patrice de volta a S. Tomé 
MONUMENTAL FIASCO DE UMA ENORME  TRAPALHADA REAL AO PRÍNCIPE   Esta noticia não passou de mera ficção: São-Tomé, 8 Fev. ( STP-Press ) O Rei de Marrocos, Mohammed VI, e o presidente do Gabão, Aly Bongo, iniciam, hoje as horas 15 horas locais,  uma visita privada na ilha do Príncipe com a calorosa recepção do primeiro-ministro Patrice Trovoada e do presidente do governo regional José Cassandra. Apesar do caracter privado da visita de dois dias, Mohammed VI de Marrocos e Aly Bongo do Gabão aproveitam a ocasião para abordar com Trovoada do governo central e Cassandra do executivo regional, questões ligadas ao relançamento de cooperação com os respectivos Países 


Carros do Governo no Principe
Patrice Trovoada, quando foi forçado a vir a público revelar o sigiloso reencontro, que estava previsto para o passado dia 8, com o Rei de Marrocos e Abi Bongo, declarou na TV que era uma excelente oportunidade para se promover o turismo do Principe - «Marrocos é um grande país ao nível do turismo. Se tivermos a oportunidade de mostrar a Mohammed VI as potencialidades turísticas de São Tome e Príncipe, então esta visita será ainda mais profícua», concluiu Patrice Trovoada.

Noticiava-se. ainda, que “Apesar do carácter privado da visita de dois dias, Mohammed VI de Marrocos e Aly Bongo do Gabão aproveitam a ocasião para abordar com Trovoada do governo central e Cassandra do executivo regional, questões ligadas ao relançamento de cooperação com os respectivos Países. . http://www.stp-press.st/aa2.htm

REENCONTRO COM OS CAMPEÕES DA CORRUPÇÃO  AFRICANA 



Quebra do segredo furou os planos  secretos do Rei 
de Marrocos
Mohamed VI,  com o seu amigo Ali Bongo, que pretendiam reencontrar-se num local discreto e tranquilo, não muito longe do Gabão, tendo como lacaio a servi-lhe as honras casa, o Empresário misterioso  Patrice Trovoada, mas distante dos olhares indesejáveis dos opositores ao ditador gabonês, que persiste em não aceitar a derrota nas eleições presidências com  Jean Ping e perpetuar o omnipotente poder de uma monarquia familiar  de quase 50 anos, numa das nações mais ricas em petróleo.

Nenhum comentário :