expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 8 de junho de 2017

China em Macau saúda a chegada dos dias do Verão – Festival no mês em que se abrem as portas para a herança chinesa na antiga colónia portuguesa de Macau – ponto de encontro entre o Oriente e o Ocidente – Mas nem tudo são dragões coloridos: 30 Cidadãos chineses são detidos na Zâmbia sobre mineração ilegal – Na mesma altura, em que as autoridades chinesas têm mão pesada sobre 22 suspeitos, 20 funcionários da Apple e outros dados, como parte de uma fraude no valor de mais de 50 milhões de yuans (US $ 7,36 milhão).




Num mês, em que o Varão, vai fazer a sua entrada triunfal, no próximo dia 21,  do Oriente e da África, surgem noticias chinesas para todas as cores e sabores  - Em Macau, além do Festival Tuen Ng que terminou em 30 de maio, “com emocionantes corridas de barcos de dragão no Nam Van Lake,” estão previstas , muitas outras nas próximas semanas, tidas como igualmente importantes.

O templo de A Má é um dos maiores símbolos da cultura chinesa em Macau. Durante a semana dourada, a semana dos feriados da Implantação da República Popular da China e um dos principais períodos de férias na região, enche-se de turistas. No templo queimam-se espirais de incenso, no ar adivinham-se votos de prosperidade e, quem sabe, de sorte ao jogo.”
Macau, segundo cartazes turísticos, continua a ser  uma marca mutante que transforma a noite num feérico dia iluminado, com os seus famosos hotéis e casinos.  Cidade multicultural, com raízes portuguesas, desde 1557, ano em que, o enclave,   foi arrendado a Portugal pelo Império Chinês como um porto comercial, até que, em 1887 foi transformada em colónia, e, a 20 de dezembro de 1999 , devolvida à China.

 Referem noticias, que, na China,  “As tradições chinesas de Macau são muitas vezes ignoradas” – No entanto,  também este mês é a Festa de Na Tcha no dia 18 do quinto mês lunar, que é 12 de junho deste ano. Na Tcha, uma figura na mitologia taoísta, era uma criança nascida com poderes mágicos e uma personalidade maliciosa. Depois de entrar em problemas para matar um filho do Rei dos Dragões para salvar seu amigo de ser sequestrado, ele procurou acalmar o caos que se seguiu esculpindo sua carne e ossos e "retornando" para seus pais. Mais tarde, ele voltou à vida através de um "corpo" construído com um lótus. Ele tornou-se uma divindade que sustenta a justiça.


Existem dois templos de Na Tcha. O mais antigo está na Calcada das Verdades perto da TV. Dom Quixote. A história diz que quando uma praga atingiu Macau, este bairro estava livre de infecção. Os moradores locais acreditam que Na Tcha protegeu a área do surto, e eles organizaram um desfile em torno da cidade com a estátua da deidade para restaurar a saúde a todos os moradores. Quando a praga acabou, eles construíram outro templo de Na Tcha perto das ruínas de São Paulo. Faz parte do site do Monumento ao Património Mundial da cidade velha hoje.

A tradição continua com dois desfiles. Do templo original de Na Tcha, a procissão levará a santa estátua em uma carruagem requintada, utilizada desde 1903, pelas ruas de Macau, Taipa e Coloane. Uma cerimonia religiosa começará no outro site às 9h30 antes das escoltas de leão dançante, entre sons de gongos e tambores, Na Tcha para passear pelas ruas e abençoar a todos.

Folclore de lado, lotus é um símbolo de Macau e goza de um evento dedicado a cada ano. No seu 17º ano, o Festival de Flor de Lótus de Macau, ou o Perfume de Perfumes de Lótus da Cidade de Macau, está programado para os dias 10 e 18 de junho deste ano para celebrar a beleza desta flor do sul da Ásia Festivals reveal Macau’s Chinese heritage



MÁS NOTICIAS PARA EMIGRANTES CHINESES NA ZÂMBIA   - Cidadãos chineses detidos na Zâmbia sobre mineração ilegal - A mulher grávida de dois meses estava entre as cinco mulheres presas durante as incursões da polícia na cidade de Chingola na semana passada.


Ela é a esposa recém casada de um tradutor que trabalha para uma empresa de mineração chinesa privada e ela só chegou na Zâmbia no mês passado, de acordo com a Red Star News, um site de notícias on-line administrado pelo Chengdu Business Daily.

O relatório não dizia se as outras 30 pessoas haviam sido negadas ou concedidas a fiança.O marido da mulher foi citado dizendo que sua esposa estava confinada com um grupo de outras mulheres e estava em mau estado, mas ainda não conseguiu visitá-la na prisão.

O homem disse que um pedido de fiança para sua esposa foi recusado, mas as autoridades não lhe forneceram um motivo. O Times of Zambia informou que os chineses foram presos no sábado em Chingola, enquanto agentes policiais, de inteligência e de imigração varreram a cidade mineira de cobre.

(…)  Ministério das Relações Exteriores da China disse no domingo que fez uma representação às autoridades zambianas expressando preocupações com as prisões.
Funcionários da embaixada chinesa na Zâmbia visitaram os detidos e pediram uma seleção dos suspeitos chineses e sua libertação antecipada.

O Ministério das Relações Exteriores também disse que a China apoiou a repressão da Zâmbia à mineração ilegal, mas as autoridades do país não forneceram evidências fortes para justificar as prisões. Dois outros cidadãos chineses na prisão têm malária, disse o ministério, pedindo que sejam tratados por razões humanitárias.  http://www.scmp.com/news/china/diplomacy-defence/article/2096908/pregnant-woman-refused-bail-after-31-chinese-accused

DETIDOS 22 CIDADÃOS  CHINESES  POR FRAUDE NA  VENDA DE DADOS DA APPLE – ENVOLVENDO VALORES DE MILHÕES


Equipe chinesa de Apple suspeita de vender dados pessoais -22 pessoas detidas como parte de uma fraude de US $ 7 milhões declarada

As autoridades chinesas afirmam que descobriram uma enorme operação subterrânea administrada por funcionários da Apple que vendem dados pessoais de usuários de computadores e telefones. - Vinte e duas pessoas foram detidas sob suspeita de violação da privacidade dos indivíduos e ilegalmente obtendo suas informações pessoais digitais, de acordo com uma declaração na quarta-feira da polícia na província do sul de Zhejiang.

Dos 22 suspeitos, 20 eram funcionários da Apple que supostamente usaram o sistema de computador interno da empresa para coletar nomes de usuários, números de telefone, IDs de Apple e outros dados, que eles venderam como parte de uma fraude no valor de mais de 50 milhões de yuans (US $ 7,36 milhão).


A declaração não especificou se os dados pertenciam a clientes de Apple chineses ou estrangeiros.  -Após meses de investigação, o comunicado afirmou que a polícia em mais de quatro províncias - Guangdong, Jiangsu, Zhejiang e Fujian - detiveram os suspeitos durante o fim de semana, aproveitando suas "ferramentas criminosas" e desmantelando sua rede online.

China ganha por Apple enquanto o tribunal reverte a decisão de patente do iPhone
Os suspeitos, que trabalharam em marketing direto e terceirização da Apple na China, alegadamente cobravam entre 10 yuan (US $ 1,50) e 180 yuan para partes dos dados extraídos ilegalmente.

A venda de informações pessoais é comum na China, que implementou em 1 de junho uma nova e controversa lei de segurança cibernética destinada a proteger as redes do país e informações de usuários particulares.

Em dezembro, uma investigação do jornal Southern Metropolis News expôs um mercado negro para dados privados coletados de bancos de dados policiais e governamentais.

Os repórteres obtiveram com sucesso uma quantidade de material em um colega - incluindo histórico de vôos, check-out de hotéis e propriedades - em troca de um pagamento de 700 yuans.

Este artigo apareceu na edição impressa da South China Morning Post como:


Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Excertos de informação recolhida do Jornal   South China Morning Post e com imagens de várias fontes 

Nenhum comentário :