expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

domingo, 27 de agosto de 2017

A hipocrisia de José Ribeiro e Castro “Não teríamos tanta corrupção se fizéssemos a reforma do sistema eleitoral”- Apregoa um dos mais descarados oportunistas que apoia as campanhas eleitorais de Patrice Trovoada, em luxuosos voos de jato - Um dos dirigentes mais corruptos de África acusado de financiar golpes de Estado e de silenciar a Voz da Igreja Católica.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 
Quem desembolsou esses gastos? Quanto tocou ao mercenarismo de políticos, sem escrúpulos,  que se prestam a branquear imagens de duvidosa reputação?... Donde vieram os dinheiros para lhes pagarem viagens em jatos privados e  luxuosas estadias? 


Bem apregoa Frei Tomás: olha para que eu digo não olhes para que eu faço: de vez em quando, a media liberal, ostenta grandes  manchetes de um tal Ribeiro e Castro, dando  destaque e relevo a todas  as   bocas  que expele, seja qual for o conteúdo e natureza da sua disfarçada hipocrisia -  Isto porque, além das suas ligações partidárias aos grandes interesses da alta finança, ascendeu a  diretor de informação, diretor-geral e administrador da TVI (no período em que essa estação era controlada pelo  Grupo Renascença e outras entidades ligadas à Igreja Católica,   vogal do Conselho de Opinião e presidente da Comissão de Fiscalização da RTP; membro do Conselho Editorial da revista Sábado, ligações e cumplicidades estas lhe deram  um grande poder de influência nos órgãos de comunicação social, onde goza  de destacadas colunas para  opinar, conforme lhe der na real gana ou de  veicular todo o seu tipo de propaganda hipócrita, sob a capa de um cristão-democrata   – E aí quem não enfileira nas graças da sua trupe, é cilindrado ou logo atirado para o índex inquisicional  

ATÉ ONDE VAI A HIPOCRISIA  DESTES FARSANTES ARMADOS EM DEMOCRATAS MAS ENVOLVIDOS NO MAIOR LAMAÇAL DOS CORRUPTOS AFRICANOS DE CINCO ESTRELAS

HOJE NO JORNAL PÚBLICO 

“Não teríamos tanta corrupção se fizéssemos a reforma do sistema eleitoral” – Título de manchete, hoje no Público  -  José Ribeiro e Castro considera urgente alterar a forma como se elegem os deputados para “devolver cidadania” e representatividade ao sistema político. E não está sozinho. Uma iniciativa legislativa de cidadãos está a ser ponderada pelos subscritores do Manifesto Por Uma Democracia de Qualidade.

Há três anos, um grupo de 44 personalidades de diferentes quadrantes da vida política, económica e social lançaram o Manifesto Por Uma Democracia de Qualidadeque apontava para reformas consideradas prioritárias no sistema político em Portugal. Entre os seubscritores estão nomes como Luís Campos e Cunha (Sedes), Henrique Neto, Mira Amaral, José Manuel Roquette, Henrique Gomes, Pedro Sena da Silva, Patrick Monteiro de Barros ou José Ribeiro e Castro. Desde então, o tema deu origem a um livro, a uma associação e artigos de opinião semanais de vários dos subscritores. Agora já pensam numa iniciativa legislativa de cidadãos com vista à reforma do sistema eleitoral. Ribeiro e Castro explica o sistema misto proporcional personalizado que defendem. “Não teríamos tanta corrupção se fizéssemos a reforma do sistema eleitoral”




O QUE LEVA, JOSÉ RIBEIRO E CASTRO, A  CONTINUAR A  DESEMPENHAR O PAPEL  DE  CAVALO DE TRÓIA, DE PATRICE TROVOADA, LÍDER DA ADI E ATUAL PRIMEIRO-MINISTRO?  

AS BANHADAS NÃO AS FAZ O PATRICE - Diz o Ribeiro e Castro - "Depois há aquele fenómeno do banho, desagradável, que as autoridades têm combatido, mas que, aparentemente, não teve efeito nos resultados, tudo indica; até, se tiveram foi ao contrário de que aqueles que o promoveram e, o povo santomense, deu uma enorme demonstração de civismo"

OPINIÃO  - Ribeiro e Castro - S. Tomé e Príncipe: mudança e estabilidade  -São Tomé espera por nós e bem merece a nossa ajuda, compreensão e apoio, no quadro importantíssimo da região do Golfo. 6 de agosto de 2016,

Amanhã, 7 de Agosto, Evaristo Carvalho deverá ser eleito Presidente da República de São Tomé e Príncipe. É a consolidação de uma mudança de ciclo, facto da maior relevância a que as autoridades portuguesas deverão dar o melhor acolhimento e destaque. Evaristo Carvalho não é novato nestas andanças, mas um dos mais experientes políticos são-tomenses. Começou com Miguel Trovoada, um dos dois grandes nomes históricos da política do país. E seguiu longa e dedicada carreira: deputado, ministro, duas vezes primeiro-ministro, Presidente da Assembleia Nacional. – Excerto de https://www.publico.pt/2016/08/06/mundo/noticia/sao-tome-e-principe-mudanca-e-estabilidade-1740452



Publicado a 17/10/2014 -Um grupo de deputados portugueses esteve recentemente em São Tomé e Príncipe para acompanhar o líder da ADI, Patrice Trovoada, no seu regresso ao país, após dois anos de ausência por razões politicas.

Uma visita que não foi vista com bons olhos pelas autoridades de São Tomé e Príncipe, ao ponto de serem acusados pelo próprio Presidente da República, Manuel Pinto da Costa, de ingerência nos assuntos internos do país. 

“Como políticos sem escrúpulos em Portugal se prestam a trabalhos de spin doctors para governantes africanos duvidosos “ –  Titulo de um artigo de Alberto Castro, publicado a 23 de Outubro de 2014, em  Vitrina
Como políticos sem escrúpulos em Portugal se prestam a trabalhos de spin doctors para governantes africanos duvidosos


Alberto Castro*, Londres
Um artigo de opinião de José Ribeiro e Castro na edição online do diário luso ''Público'' no passado dia 10 de Outubro, vésperas de eleições em São Tomé e Príncipe, com o título ''São Tomé, à porta do futuro'' exemplifica bem a prática de legitimar e promover a imagem de governantes africanos duvidosos. Comum na política ocidental, o trabalho de spin doctor (especialista em relações públicas e comunicação política capaz de manipular a opinião pública) tornou-se numa grande fonte de rendimentos para vários políticos e também jornalistas, autênticos mercenários de cifrões guiados por cinismos e hipocrisias a que convenientemente chamam realpolitik, por eles feitas no seu pior sentido: o da política sem ética.

(…) Ribeiro e Castro foi um dos quatro políticos portugueses que, fora do quadro de observadores da UE e da CPLP, acompanhou Patrice Trovoada, o candidato que volta ao cargo de primeiro-ministro em São Tomé e Príncipe numa altura de plena campanha eleitoral. De acordo com o África Monitor, AM, a presença de quatro deputados portugueses, entre eles Ribeiro e Castro, na comitiva de regresso de Trovoada à STP, teve como propósito o tentar dissuadir, por meio de sua presença, eventuais ''procedimentos'' das autoridades contra o ex-novo primeiro-ministro. Os referidos ''procedimentos'' relacionam-se com suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais que pesam contra o dirigente santomense enquanto primeiro-ministro numa anterior legislatura.
Curioso é que a viagem em jatinho particular (a noticia não informa quem a custeou) teve escala em Luanda onde Trovada se encontrou, segundo a AM, com figuras fortes do regime como o vice-presidente Manuel Vicente e o tido como todo poderoso ministro de Estado e chefe da Casa Militar da Presidência da República, general Hélder Vieira Dias ''Kopelipa'', com o objetivo de vincar a importância que atribui a Angola como parceiro." - Prossegue mais à frente

NÃO RETIRO UMA LINHA DO QUE ESCREVI NESTE SITE, HÁ UM ANO:


JOSÉ RIBEIRO E CASTRO 10/10/2014 - 03:25 É importante que as eleições sejam um virar de página, gerando uma maioria estável e duradoura e um novo clima de relação entre as principais forças e actores políticos.São Tomé, à porta do futuro - PÚBLICO

MERCENÁRIOS SEM ESCRÚPULOS E SEM VERGONHA 

É simplesmente vergonhoso, que, um destacado 
militante do Partido do Centro Democrático Social (CDS-PP) de que também já foi seu dirigente, entre outras altas funções que  tem desempenhado na atividade partidária, governativa e na  comunicação social,  não tenha o mínimo de decência, decorro e respeito, para com a figura,  ainda em exercício, mais representativa da Nação Santomense, e use a sua página pública, do facebook para exprimir palavras de um pretenso humor, sem piada e mau gosto, que não sejam movidas por manifestos sentimentos de ódio  e de rancor, nestes termos:


É, não é, é, não é, é, não é...É uma pena ver um antigo Presidente da República (ainda o actual) e uma antiga primeira-ministra a alimentarem, de modo deliberado, a confusão contra as instituições democráticas do país.” :

O Povo de S. Tomé e Príncipe, sofreu muito ao longo de séculos - Pelos vistos, há gente que desconhece essa memória e que tem saudades de antigamente, juntando-se aos novos neocolonialistas e seus propagandistas, disfarçados de Messias - Veja-se este documento dos anos 50, que defendia à entrada da Piscina Municipal, uma tabuleta para vedar a entrada a negros e até a alguns brancos http://www.odisseiasnosmares.com/2015/01/sao-tome-39-anos-depois-memoria.html


Patrice Trovoada, o censor-mor da inquisição politica e religiosa em S. Tomé e Príncipe, não é digno de continuar a desempenhar o alto cargo de Primeiro-Ministro, nestas Ilhas Abençoadas pela Mãe-Natureza – É um perigo  para  a evolução do pensamento democrático, o controlador e castrador do pluralismo dos órgãos de comunicação social e da livre expressão consagrada  na Declaração Universal dos Direitos Humanos – O dirigente corrupto e corruptor, que se recusa a prestar contas  do destino  dos milhões de  fundos que o Governo recebe da comunidade internacional mas que depois se desconhece como e onde  são  aplicados. O dirigente  que passa a maior parte da Governação fora do pais, em viagens de costas voltadas às dificuldades e aos problema reais da sacrificada população, envolvendo avultadas despesas e, mais das vezes, sem se saber, em concreto, com propósitos ou finalidades – Em 2015 só esteve no país 75 dias que custaram perto de 2 milhões de euros -.Patrice só cá esteve 75 dias em 2015-1 , em 2016, também pouco mais tempo esteve – E, em 2017, vai pelo mesmo caminho
 O assumido e deliberado fomentador da intriga e da calúnia, fazendo acusações levianas, que não justifica e se recusa depois a provar. Sim, o apóstolo da intolerância para uma saudável convivência  politica e cívica e religiosa, que não nasceu em S. Tomé nem nunca aqui fez questão de criar  laços afetivos, quer desde quando aqui veio, já adulto, quer mesmo com as suas ligações politicas e governativas. 

MORDAÇA DO DITADOR  À RADIO JUBILAR - VOZ DA IGREJA CATÓLICA EM S. TOMÉ E PRÍNCIPE

LUSA - 20-08-2017 "O realizador Waldiner Boa Morte e apresentador do `Resenha da Semana´, programa de maior audiência da emissora católica são-tomense (Rádio Jubilar), acusou hoje o governo de ter feito várias pressões, obrigando-o a suspender o seu programa.

 20-08-2017 - Já não me sinto motivado para continuar a fazer o programa, tendo em conta um conjunto de situações e muita pressão. Sabemos que este programa não agradava o governo que desde há muito tempo tem pressionado sobretudo a igreja católica» para o fechar, disse o jornalista Waldiner Boa Morte. – Excerto  http://portocanal.sapo.pt/noticia/131094/

Sabendo das pedras que, Patrice Trovoada,  dispõe na rádio e na televisão estatal do seu pais, tal como sucede no estrangeiro, nos órgãos de comunicação social que se  confinam a difundir a propaganda governamental,  a chamada noticia positiva, estou certo que, a notícia, em epígrafe, divulgada pela Lusa e depois replicada por vários órgãos da Comunicação Social Portuguesa e outros - dificilmente teria dado o brado que deu.


O meu muito obrigado.
Car@s amig@s, comunico o fim do Programa Resenha da Semana na Rádio Jubilar( Todos os sábados), por razões pessoais. Um especial obrigado ao Liberato Mata Moniz que desde o primeiro momento aceitou caminhar junto comigo nesta maratona, e o resto da equipa, meu muito obrigado.
Foram 5 anos, momentos que simplesmente guardarei sempre, aos ouvintes deste programa, meu muito obrigado.



Abaixo-assinado – Divulgado pelo Téla Nón -  “O primeiro-ministro, Patrice Trovoada, determinou a extinção do programa ‘’Resenha da Semana’’, da Rádio Jubilar, Emissora Católica de São Tomé e Príncipe.
Acabaram-se os debates, acabou-se o exercício do contraditório no país.
Os são-tomenses vão aceitar, conformados, que se instale esse total vazio?
Os subscritores devem registar o nome, o número do BI e a profissão.

CARTA ABERTA DE CONCEIÇÃO DE DEUS LIMA A PATRICE TROVOADA  - Mais de que a denúncia  ao descarado mentor e protagonista, useiro e vezeiro a cercar a voz a quem não lha  faça o jogo, é o grito inconformado, consciente e amargurado de uma distinta cidadã santomense, também ela já alvo de outros saneamentos e machadadas pela arrogância do mesmo impostor, sim, que não se resigna ao aviltamento pela  prepotência e o arbítrio de um comerciante vaidosos e ambicioso,  que usa  a politica como alavanca promotora dos  seus das suas negociatas pessoais.
Conceição Lima, jornalista, poeta e escritora, que,  nas maravilhosas ilhas do equador é mais conhecida por São de Deus Lima,  creio que em resultado da  admiração, do carinho e da popularidade, que goza no seu país, é o nome mais traduzido da literatura são-tomense, nomeadamente nas línguas alemã, árabe, francesa, italiana,  galega, espanhola, inglesa, servo-croata, turca e shona - 

Carta Aberta a Patrice Trovoada
Senhor primeiro-ministro:
na irrevogável condição de cidadã são-tomense, venho afirmar a minha mais inequívoca indignação perante o fim do programa ‘’Resenha da Semana’’ da Rádio Jubilar, Emissora Católica de São Tomé e Príncipe.
A extinção, todos o sabem, teve, em Vossa Excelência, o mentor e o mandante primário.

Há cinco anos que o programa vinha sendo semanalmente apresentado pelo jornalista Waldyner Boa Morte, um profissional íntegro, cujos convites nunca haviam sido regateados por altos dirigentes  do actual partido no poder, enquanto opositores. Os rótulos de ‘’agente político’’ e de ‘’agente provocador’’ só saltaram para a praça pública quando o ADI regressou ao governo, trazendo de volta, como principal distintivo, uma implacável repressão da agenda informativa e noticiosa dos órgãos estatais de comunicação social. De canal pluralista e jornalista necessário, a Rádio Jubilar e Waldyner Boa Morte transformaram-se em instrumentos da oposição e “dos seus ocultos desígnios”. - Excerto de A subscritora: Conceição de Deus Lima




O Sr. Tem vários compromissos connosco!... O Sr. disse-nos que, depois do Senhor estar no poder – e nós apoiámos o Senhor para estar no poder – nos iria dar a parte dos negócios: aqueles negócios que nós poíamos fazer! E o Senhor não cumpriu!

O Sr. tem que lembrar… O plano do Sr. depois do Golpe de Estado era para assassinar o ex-presidente Fradique Menezes! … Às ordens do Sr.tem que lembrar que tem compromissos connosco a dizer para nós assassinarmos o Óscar de Sousa! – O que nós negámos



GENTE FINA DE GOVERNADOR COLONIALISTA É OUTRA LOIÇA   - Último  Governador de Angola, papá de Ribeiro e Castro Fernando Augusto Santos e Castr Militante destacado do Partido do Centro Democrático Social, participou na criação da Juventude Centrista e da Fundação dos Trabalhadores Democratas-Cristãos. Viria a liderar o CDS, após a demissão de Paulo Portas, em 2005, num congresso realizado em Lisboa, em que derrotou a ala portista reunida em Telmo Correia[2]. Excerto de José Ribeiro e Castro – Wikipédia, 

– Mas, afinal, onde quis chegar o despudorado cruzado do liberalismo selvagem neocolonial, com tais insinuações ou inconfessáveis objetivos?  - Estou certo que, nem o seu pai, Governador de Angola, Fernando Augusto Santos e Castro, se hoje fosse vivo, mesmo tendo sido da  máxima confiança do colonialismo português, ousaria tamanha desfaçatez?

Para gerar ainda mais confusão do que aquela que já foi gerada pelas  “gravíssimas falhas” (palavras do Presidente da CEN) que marcaram a campanha eleitoral, apontadas pelos dois candidatos, a que se refere e que, precisamente por esses factos, se recusaram a participar no  epílogo, marcado para o próximo domingo dia 7 de Agosto, de uma enormíssima fraude eleitoral?

Como é do conhecimento público, Manuel Pinto da Costa anunciou que recusa disputar a segunda volta das presidenciais, prevista para 07 de agosto, por considerar que "participar num processo eleitoral tão viciado seria caucioná-lo". – Tendo frisado, "Vive-se hoje uma situação em que se deve poupar o país de uma rutura fratricida. É importante agir com serenidade e sentido de Estado. Foi a maneira como sempre pautei os meus atos", disse o chefe de Estado, num encontro no palácio presidencial com os representantes das missões diplomáticas acreditadas no país"



S. SÁO TOMÉ – (1) VIOLAÇÃO DA LEI ELEITORAL – A DESMONTAGEM DE GIGANTESCA FRAUDE NO DIA DO ESCRUTÍNIO – PATROCINADA PELO PODER GOVERNAMENTAL (video alargado, além de dois mais à frente - Um deles abreviado)

      Artigo 133.º Deveres dos Profissionais de Comunicação Social) Os profissionais de comunicação social que, no exercício das suas funções, se desloquem às assembleias de voto não podem: Colher imagens e aproximar-se das câmaras de voto de forma que possam comprometer o segredo de voto; Obter outros elementos de reportagem no interior da assembleia de voto ou no seu exterior até à distância de 500 metros que igualmente possam comprometer o segredo do voto; De qualquer outro modo perturbar o acto eleitoral.

AFINAL DONDE VIERAM AS MASSAROCAS?  Donde  vieram os milhares de  euros ou de dólares para se pagarem tais luxos? …. De generosos bolsos privados ou do esbanjamento de dinheiros públicos?  

- Pergunta que, naturalmente,  carecia de ser respondida, que então ficou sem resposta, e que, hoje mais de que nunca, se justificaria  ser dada, justamente, numa altura em
 que, na derradeira semana da  campanha eleitoral para a eleição do Presidente da Republica Democrática de São Tomé e Príncipe, com um único candidato na corrida, da confiança do Governo de  Patrice Trovoado, e ADI, partido que o apoia, com maioritária parlamentar, protagonizando uma campanha do candidato Evaristo de Carvalho, que, segundo declarações de Manuel Pinto da Costa,   foi clara e manifestamente conduzida pelo Primeiro-ministro e Chefe do Governo, tendo este subido ao palco por diversas vezes, apelando ao voto a favor do candidato do seu partido, chegando mesmo ao ponto de dizer que os elementos das outras candidaturas queriam derrubá-lo para assumir o seu lugar, no comício realizado na Região Autónoma de Príncipe.

Denuncia ainda o artigo de Alberto Castro - "Ora, qualquer observador minimamente atento à politica em Portugal e nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) sabe perfeitamente que Ribeiro e Castro sempre foi um apoiante aberto da UNITA de Jonas Savimbi e que, tal como o seu correligionário Paulo Portas, mudou completamente de opinião quando Savimbi desapareceu de cena e, com ele, provavelmente a fonte que sustentava o lobby em favor do movimento do Galo Negro em Lisboa. Passaram a tecer rasgados elogios ao governo angolano e ao presidente José Eduardo dos Santos, a quem Portas qualificou como ''um dos estadistas de África  mais respeitado e experimentado.''


(…) Com o cheiro a petróleo nas ilhas fica agora a suspeita de que não foi inocente a estratégia montada com a criação da STPtv, um projeto de televisão online da Companhia de Ideias, a principal produtora, via RTP África, de conteúdos para os países africanos lusófonos.  Oficialmente lançado em Novembro de 2013 e tendo as ilhas prodigiosas como foco principal, a STPtv conta na sua grelha de programação com um segmento semanal ancorado por Abílio Neto (analista e crítico feroz da política nas ilhas no programa ''Debate Africano'' da RDP África), tendo Patrice Trovoada como comentador residente. Ribeiro e Castro foi ele mesmo um dos convidados para falar das relações de Portugal com os PALOP. Acessando as emissões do canal durante o período de campanha eleitoral em STP, nota-se uma inequívoca cobertura do mesmo em apoio à candidatura da Acção Democrática Independente (ADI) de Patrice Trovoada. 

Esses desenvolvimentos mostram que são fundamentadas algumas das críticas mais viscerais que surgem das capitais africanas lusófonas apontando no sentido de Lisboa como um centro de conspirações por excelência contra os PALOP. E de grandes negociatas também, com empresários, políticos e advogados corruptos disputando sem escrúpulos a sua parte nas chorudas ''gorjetas'' proporcionadas por seus pares africanos não menos corruptos.

Salvo valentes e honrosas exceções, tudo isso acontece perante o capitular de uma imprensa e de uma justiça, ou coniventes ou amordaçadas e chantageadas aos interesses do grande capital e a ditos interesses superiores do Estado. O Jornal de Angola volta e meia pincela umas linhas contra o que etiqueta, com alguma razão, de elites ignorantes e corruptas de Lisboa (nunca fala das suas) e logo desencadeia um tsunami político em Portugal. Por um lado desperta nacionalismos bacocos indignados com lições de moral vindos da antiga colónia.  Por outro, lobistas e spin doctors de plantão ao serviço de Luanda logo surgem frenéticos, coagindo a imprensa e ajustiça de cumprirem os seus papéis, mesmo que nem sempre da melhor forma. 

(...) No Brasil mais de cinquenta mil, na maioria pobres, jovens e negros, morrem anualmente vitimadas pela intolerância racial, violência policial, tráfico de drogas, entre outras mazelas. Ativistas sociais, jornalistas e ambientalistas são frequentemente perseguidos e vários assassinados. Raramente se levantam vozes de políticos e mesmo da imprensa em Portugal a protestar ou a denunciar com veemência tão flagrantes e chocantes violações aos direitos humanos. 




Artigo, esse, que começava com este reparo: “Um artigo de opinião de José Ribeiro e Castro na edição on line do diário luso ''Público'' no passado dia 10 de Outubro, vésperas de eleições em São Tomé e Príncipe, com o título ''São Tomé, à porta do futuro'' exemplifica bem a prática de legitimar e promover a imagem de governantes africanos duvidosos.

E acrescenta: “Ribeiro e Castro foi um dos quatro políticos portugueses que, fora do quadro de observadores da UE e da CPLP, acompanhou Patrice Trovoada, o candidato que volta ao cargo de primeiro-ministro em São Tomé e Príncipe numa altura de plena campanha eleitoral. De acordo com o África Monitor, AM, a presença de quatro deputados portugueses, entre eles Ribeiro e Castro, na comitiva de regresso de Trovoada à STP, teve como propósito o tentar dissuadir, por meio de sua presença, eventuais ''procedimentos'' das autoridades contra o ex-novo primeiro-ministro. Os referidos ''procedimentos'' relacionam-se com suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais que pesam contra o dirigente santomense enquanto primeiro-ministro numa anterior legislatura.

DONDE VÊM OS MILHÕES PARA PAGAR O ALUGUER DE JATO PRIVADO E AOS EXPEDIENTES DESTES COMISSÁRIOS?


06/10/2014 A bordo de um jato privado, proveniente de Portugal via Angola, Patrice Trovoada, candidato a primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe pelo partido de oposição Acção Democrática Independente (ADI), desembarcou em São Tomé, na última sexta-feira (03.10), acompanhado de quatro deputados portugueses. Em STP, Trovoada luta por maioria absoluta | São Tomé e Príncipe ...

 Curioso é que a viagem em jatinho particular (a noticia não informa quem a custeou)"

Sim, afinal, donde  vieram os milhares de  euros ou de dólares para se pagarem tais luxos? …. De generosos bolsos privados ou do esbanjamento de dinheiros públicos?  

- Pergunta que, naturalmente,  carecia de ser respondida, que então ficou sem resposta, e que, hoje mais de que nunca, se justificaria  ser dada, justamente, numa altura em que, na derradeira semana da  campanha eleitoral para a eleição do Presidente da Republica Democrática de São Tomé e Príncipe, com um único candidato na corrida, da confiança do Governo de  Patrice Trovoado, e ADI, partido que o apoia, com maioritária parlamentar, protagonizando uma campanha do candidato Evaristo de Carvalho, que, segundo declarações de Manuel Pinto da Costa,   foi clara e manifestamente conduzida pelo Primeiro-ministro e Chefe do Governo, tendo este subido ao palco por diversas vezes, apelando ao voto a favor do candidato do seu partido, chegando mesmo ao ponto de dizer que os elementos das outras candidaturas queriam derrubá-lo para assumir o seu lugar, no comício realizado na Região Autónoma de Príncipe.


QUEM  PAGA OS ESCANDALOSOS CUSTOS  DO MARKETING NOS MEDIA ESTRANGEIROS E DAS SUAS PASSEATAS  A UM DOS PAÍSES MAIS MARAVILHOSOS MAS TAMBÉM DOS MAIS POBRES DE ÁFRICA?... Do "trabalhos de spin doctors para governantes africanos duvidosos"? 

De resto, é o próprio, José Ribeiro e Castro, numa entrevista à RDP-África, a  confirmá-lo, que fomos transcrever de um vídeo e do qual  passamos aqui alguns excertos : 

"Nós deslocámo-nos a S. Tomé e Príncipe, no quadro de um grupo de portugueses, que se viam preocupados de notícias que vinham de perigos para a democracia de S. Tomé: nomeadamente de notícias de expulsões, de exclusões e que eram dirigidas contra pessoas do Partido Maioritário e nomeadamente de Patrice Trovoada e de outras pessoas"

(...) eu recordo, que, nós fizemos escala em Luanda e ainda em Luanda nos chegavam notícias, enfim, de que o Patrice Trovoada, corria o risco de ser preso quando chegasse a S. Tomé; portanto, nós não queríamos acreditar mas foi no quadro dessa preocupação, que o acompanhámos e creio que fizemos bem. Portanto, a nossa presença foi bastante discreta e acompanhámos, Patrice Trovoada, no regresso ao país; testemunhámos a forma calorosa como foi recebida no aeroporto e depois fizemos alguns contactos com diversas entidades: empresários, organizações da sociedade civil, nomeadamente, a Cruz Vermelha, entidades religiosas e nomeadamente a igreja católica para ter uma sensibilidade da situação no país e obervávamos numa visita muita curta, as eleições eleitorais.

DONDE VEM O DINHEIRO DO BANHO? - QUEM O FINANCIA?


Confessa,  ainda o deputado do CDS-PP, a este propósito, na mesma entrevista: (...)  portanto, há aquele fenómeno do banho, desagradável, que as autoridades têm combatido, mas que, aparentemente, não teve efeito nos resultados, tudo indica; até, se tiveram foi ao contrário de que aqueles que o promoveram e, o povo santomense, deu uma enorme demonstração de civismo"


Quem desembolsou esses gastos? Quanto tocou ao mercenarismo de políticos, sem escrúpulos,  que se prestam a branquear imagens de duvidosa reputação?
... Donde vieram os dinheiros para lhes pagarem viagens e luxuosas estadias? - Sendo certo que este tipo de gente, não faz nada que não seja atrás do vil metal, não corre por amor ao Povo de S. Tomé e Príncipe, aos ideais humanistas e de alcance social para o grosso das populações,  senão atrás dos seus próprios interesses pessoais, desmedida ganância e vaidades ou de servirem de testas de ferro a garimpeiros de grupos capitalistas do  liberalismo selvagem neo-colonial.

ARRUFOS DE UM IMPOSTOR - MENTALIDADE NAZI Ribeiro e Castro acusa Isabel Moreira de métodos da “Gestapo” 

As críticas da deputada do PS, Isabel Moreira, às afirmações do médico Gentil Martins ao semanário Expresso, onde este definiu a homossexualidade como uma “anomalia”, levaram Ribeiro e Castro a considerar que a deputada “segue a escola de direitos humanos da Stasi e da Gestapo”.Isabel Moreira já respondeu ao ex-líder do CDS-PP. “Ribeiro e Castro apelida-me de Stasi e de Gestapo. Apelida-me de Nazi, portanto. É mais um Gentil. Tudo isto é bom. É clarificador”, escreve Isabel Moreira. http://sintranoticias.pt/2017/07/20/ribeiro-castro-acusa-isabel-moreira-metodos-da-gestapo/~ Basta! Venha lá o louvor a Gentil Martins Basta! Venha lá o louvor a Gentil Martins – Observador

EXTREMA DIREITA NÃO VIU COM BONS OLHOS A ELEIÇÃO DE MARCELO REBELO DE SOUSA Direita precisa de outro candidato, diz Ribeiro e Castro
Ribeiro e Castro acredita que "há espaço" à direita para um candidato alternativo a Marcelo. Alguém que defenda a convocação de eleições antecipadas, um "tira-teimas" necessário, diz ex-líder do CDS.
José Ribeiro e Castro acredita que o candidato presidencial apoiado pela direita deve defender com clareza a convocação de eleições antecipadas, algo que Marcelo Rebelo de Sousa não faz. O antigo líder centrista acredita que o país deve voltar rapidamente às urnas para dissipar este clima de “confrontação aguda”. “É indispensável um tira-teimas eleitoral”. Direita precisa de outro candidato, diz Ribeiro e Castro – Observador


QUEM NÃO AGRADAR ÀS ALAVANCAS DESTES EMISSÁRIOS, VAI PARA O INDEX  – A Srª Jornalista brasileira, Cristina Rosa Silva, da Lusa, ficou de me chamar para uma entrevista mas quando se apercebeu (através de mensagem que enviei, de postagem do meu site, que eu não agradava a Ribeiros e Castros e quejandos, esqueceu-se; pôs-me como offsite – A história fica para mais tarde recordar   -  Entretanto,  fica aqui a referência a um dos artiguelhos por ela publicados na Lusa, sobre o grande paladino da língua portuguesa : «A Europa é o espaço em que o português tem maior dificuldade em se afirmar como uma grande língua e Portugal não está a fazer o suficiente para reverter este quadro» – considera o deputado português José Ribeiro e Castro(CDS-PP), em declarações à agência de notícias Lusa, por ocasião das comemorações do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP, em Lisboa. «Portugal não faz o suficiente para afirmar a língua portuguesa no ... Cristina Rosa Silva (jornalista da agência Lusa

Sou jornalista da Agência Lusa de... - Cristina Silva Rosa Franco 


VÁ LÁ QUE A FRANCISCANA POR UMA VEZ ARREBITOU –  No Governo de Passos e  Portas com quem se incompatibilizou por  tricas partidárias - 01/11/2012 O deputado democrata-cristão, que é católico praticante, acusa a Igreja Católica e o Vaticano, com quem o Governo anunciou ter chegado a acordo para a eliminação dos feriados religiosos, como o de 1 de novembro, de colaborar «neste logro»Ribeiro e Castro alerta para «mentira» dos feriados > TVI24

Nenhum comentário :