expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Patrice Trovoada - Financiador do Golpe de Estado 2003 – Acusa operacional no facebook - Sr. Patrice Trovoada; tu lembras-te que tens compromissos!... Eu tenho cartas assinadas pela tua secretária, pelo teu gabinete, para eu trazer investidores a S. Tomé! Gastei tempo, gastei dinheiro! Fiz compromissos com os meus parceiros internacionais, que trouxe!... "O povo tem que saber que o Senhor nos mandou matar Manuel Pinto da Costa"

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 


Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise

"O Sr. tem que lembrar… O plano do Sr. depois do Golpe de Estado era para assassinar o ex-presidente Fradique Menezes!... O Sr foi a fonte  da destruição dos 12: o Sr, infiltrou no nosso grupo e destruiu os Búfalos!

O Sr. disse-nos para deixar o caminho para os políticos! 

Assim mesmo, entre outras graves acusações, feitas por  no Facebook, por um destacado operacional, que aqueceram o debate parlamentar na Assembleia Nacional de S. Tomé, a meio da manhã e principio da tarde de ontem, segunda-feira, antes da polémica aprovação pela ADI, partido maioritário do Governo,  que prolonga o mandato dos órgãos das autarquias e regionais bem como a nova lei da comissão eleitoral nacional incluindo ainda a aprovação final global da lei orgânica do tribunal constitucional, que os partidos da oposição, nomeadamente, o MLSTP-PSD e o PCD consideraram ferida de irregularidades, requerendo a fiscalização preventiva das suas normas


O Sr. Patrice Trovoada; tu lembras-te que tens compromissos!... Eu tenho cartas assinadas pela tua secretária, pelo teu Gabinete, para eu trazer investidores a S. Tomé, pelo qual, eu fiz, eu trouxe! Gastei tempo, gastei dinheiro! Fiz compromissos  com os meus parceiros internacionais, que trouxe!... Gastei dinheiro nas viagens!... Acomodação!.. Com provas  que o Senhor é que me mandou trazer investidores para S. Tomé: quem vai pagar esses gastos todos!

O Sr. Tem vários compromissos connosco!... O Sr. disse-nos que, depois do Senhor estar no poder – e nós apoiámos o Senhor para estar no poder – nos iria dar a parte dos negócios: aqueles negócios que nós poíamos fazer! E o Senhor não cumpriu!
O Sr. tem que lembrar… O plano do Sr. depois do Golpe de Estado era para assassinar o ex-presidente Fradique Menezes! … Às ordens do Sr.tem que lembrar que tem compromissos connosco a dizer para nós assassinarmos o Óscar de Sousa! – O que nós negámos

O Sr. tem que lembrar!... O Sr foi a fonte  da destruição dos 12: o Sr, infiltrou no nosso grupo e destruiu os Búfalos!
O Sr. disse-nos para deixar o caminho para os políticos! Para ti


Fradique Menezes
Mao Tse Tung e M. Pinto da Cotsa
Presença de uma musculada milícia do Ruanda, em S. Tomé, causa medo e é tomada como um ato terrorista pela oposição - Patrice Trovoada, financiador e mandante assassinatos políticos do Golpe de Estado de 16 de Julho 2003 – Acusa operacional no facebook - Como é que podemos conviver com esta situação? Quando, abertamente, publicamente! Aparece alguém a dizer  que foi convidado para assassinar o Presidente Fradique Menezes? Como é que podemos conviver com isto?  - Questionava, entre outras preocupantes observações,o líder da bancada do MLSTP, Jorge Amado, que, entre outras questões, colocadas

Mas o deputado do maior partido da oposição,  aproveitou também a oportunidade para levantar outras graves preocupações:

O Tribunal Constitucional, para nós, até não tem grandes preocupações: a nossa preocupação está na forma que viola a nossa Constituição, quando se fala da nomeação dos juízes par esse tribunal; quer-se criar um Tribunal, onde os juízes, quase todos, sejam de um único partido politico.

A criação da Comissão Eleitoral Nacional, é outra questão importante que colocamos sobre a mesa porque nos preocupa bastante

A outra questão importante que colocámos sobre a mesa  e que nos preocupa bastante é a criação de milícias: de uma milícia que está ser treinada, inicialmente, para poder fazer a guarda do Sr. Presidente e do Sr. Primeiro-ministro

Essa milícia, preocupa-nos, porque encontra-se ainda no território nacional atropa ruandesa, que veio – segundo disse  - com o objetivo de dar algum treino à tropa nacional e que continua ainda no nosso país: podemos dizer que temos terroristas no nosso país

Por seu turno, a deputada do MLSTP-PSD, Maria das Neves, que, naquela atura, era Primeira-ministra, tendo sido presa pelo grupo dos Búfalos, tal como mais dois ministros do seu governo, teve esta reação:

“A minha casa foi destruída pelos búfalos! Pelos golpistas!... E a verdade já começa a vir ao de cima.. Pois hoje já se sabe quem é que mandou organizar o golpe de Estado”

Patrice com o residente do Ruanda
PATRICE NÃO CONFIA NOS MILITARES SANTOMENSES – (que naturalmente também não podem confiar num governante que nem sequer tem raízes deste pais, visto ter nascido no Gabão)  PELO QUE VAI SOCORRER-SE DA MUSCULATURA MILITAR DE UM REGIME DITATORIAL, JÁ SANCIONADO PELO USO DE CRIANÇAS-SOLDADOS NAS FILEIRAS DO EXÉRCITO  

O tumulto que se verificou, em pleno centro da capital santomense, no final de Março, do corrente ano, marcado por escaramuças, entre  Militares e Polícias , terá sido,   não o mero episódio isolado, mas talvez o sinal da profunda desestabilização protagonizada pelo atual governo, não logrando merecer a confiança da esmagadora maioria da população, uma vez que, além das enormes injustiças sociais, que continuam a persistir e que este Governo ainda veio mais a agravar, também o   voto nas urnas, com que logrou – através da fraude -ter a maioria legislativa e até eleger um presidente da sua confiança politica (a que chama de pau-mandado)  também não reflete  a vontade popular,  

PATRICE TROVOADA – UM GOVERNANTE MEDROSO, EGOÍSTA  E COBARDE – SEM RAÍZES E AFECTOS AO POVO QUE  (DES)GOVERNA – S. Tomé e Príncipe é um Povo Pacífico mas tem um Primeiro-ministro, corrupto incompetente e perigoso: para se proteger precisa de pedir apoio ao Ruanda – Quase um pelotão: vieram por dois meses mas já vão em três



Desde a independência, vários têm sido os países a prestarem a sua cooperação no âmbito militar, porém, nunca se viu situação  em que fosse necessário tão grosso número de tropa  - Sim, a menos que fosse para trabalharem na Roça Monte Café, da qual foram doados 500 hectares ao  Presidente Paul Kagame (ou amigos deste)  o  homem-forte desde 1994, pode ficar até 2034 


A explicação é simples – E então vindos do Ruanda –  de um país  que se serve das criança-soldados e se especializado em eliminar opositores -, naturalmente que não é com fins pacíficos



E, pelos vistos, dessa suspeição, tem razão a oposição




Paul Kagame, Presidente de Ruanda, acusado de ajudar crimes de guerra  - Stephen Rapp, que lidera o Escritório de Justiça Criminal Global dos EUA, disse ao Guardião que a liderança ruandesa pode estar aberta a acusações de "ajudar e encorajar" crimes contra a humanidade em um país vizinho - ações semelhantes àquelas para as quais o ex-presidente liberiano, Charles Taylor , foi preso por 50 anos por um tribunal internacional em maio.



Quase um pelotão de militares da República do Ruanda, chegou a São Tomé no último sábado. São 20 homens sobretudo oficiais militares, que vão permanecer no território são-tomense durante 2 meses, e para formar as forças armadas e de defesa de São Tomé e Príncipe em vários domínios.

Defesa e protecção dos dirigentes do Estado contra possíveis ataques, com destaque para acções de terrorismo é a principal prioridade do destacamento militar ruandês em São Tomé http://www.telanon.info/politica/2017/05/07/24362/militares-ruandeses-destacados-em-sao-tome-com-polemica/

EM 2013 - RUANDA - ENTRE AS SANÇÕES DOS EUA AOS PAÍSES COM CRIANÇAS-SOLDADOS

Sanções dos EUA Ruanda, outras sobre as crianças soldados - U.S. sanctions Rwanda, others over child soldiers



04/10/2013 - Os Estados Unidos mobilizaram-se para bloquear a ajuda militar dos EUA ao Ruanda por causa do apoio ao grupo rebelde congolesa M23 que se acredita usar crianças soldadas, disse o Departamento de Estado nesta quinta-feira.



As sanções também se aplicam à República Centro-Africana, Myanmar, Sudão e Síria, de acordo com o Departamento de Estado dos EUA. Não ficou claro se essas nações recebem assistência militar dos Estados Unidos.


"Nosso objetivo é trabalhar com países que foram listados para garantir que qualquer envolvimento em crianças soldados - qualquer envolvimento no recrutamento de crianças-soldados - pare", disse o secretário de Estado adjunto dos Estados Unidos, Linda Thomas-Greenfield.



A porta-voz do Departamento de Estado, Marie Harf, disse que Ruanda foi sancionada por causa do seu "apoio ao M23, um grupo rebelde que continua a recrutar e seqüestrar ativamente" e a ameaçar a estabilidade da República Democrática do Congo. -  
O Ruanda não receberá fundos de treinamento e treinamento militar militar dos EUA, que ajudem a treinar militares estrangeiros, nem obterá o financiamento militar estrangeiro dos EUA, que financia a venda de material e serviços militares dos EUA, disse Harf.

(…) Os investigadores da U.N. e o governo congolês acusaram o Ruanda de patrocinar a rebelião, uma acusação que Ruanda nega.


"Qualquer apoio desses grupos rebeldes é visto como contribuindo para o conflito na região", disse Thomas-Greenfield a jornalistas, acrescentando que os funcionários dos EUA continuarão a discutir o assunto com o governo ruandês.  U.S. sanctions Rwanda, others over child soldiers | defenceWeb
...Traduzir esta página



ELOGIOS DE QUEM ANDA NA POLITICA NEM PARA A SERVIR MAS SERVIR-SE São Tomé e Príncipe é o exemplo típico de uma democracia emergente onde há alternância democrática e boa governação e uma visão clara do seu desenvolvimento económicREPRESENTANTE ESPECIAL DO SECRETÁRIO-GERAL DA ONU ...



PATRICE TROVOADA - DEPOIS DE SE APANHAR SERVIDO  MANDOU OS BÚFALOS APANHAR CARACÓIS

Pelo que se depreende das palavras do operacional  ao serviço do atual Primeiro-ministro de S. Tomé e Príncipe,  o seu mandante fez o que parece já ser uma prática habitual: a de se servir das pessoas, como quem chuta uma boa. Não faz amigos mas meros instrumentos para ascender na sua egoísticaa vaidade e ambição - Não ´será pois de estranhar que , depois até os golpistas, se sentissem defraudados com as suas promessas.


Ex-Búfalos em crise - Téla Nón

em 14 Dez 2010 Afinal já se sabe quem era o financiador : o mesmo que acabaria por não cumprir com as promessas aos golpistas, com os seus calculismos e  divisões internas, tal como tem feito na sua governação – É também do que se pode concluir das declarações à imprensa. dadas mais tarde, por alguns membros do grupo, ao jornal Telá Nón:

“Os são-tomenses que pertenceram ao antigo batalhão sul-africano Búfalo, estão em rota de colisão com o seu chefe, Arlécio Costa. Tudo por causa da gestão dos recursos financeiros avaliados em mais de 500 mil dólares, alegadamente cedidos por um dos investidores do projecto turístico que deveriam implementar na zona da lagoa Azul.
São no total 14 homens. Todos são-tomenses. Vieram da África do Sul sob a liderança de Arlécio Costa, antigo oficial do extinto batalhão de forças especiais sul – africanas que combatiam o movimento de libertação da Namíbia, e o exército regular de Angola. A faixa de Capriv na Namíbia, era a principal base das operações.
Na sua terra natal, São Tomé e Príncipe também realizaram operações. Foi no ano 2003. Planearam e executaram um golpe de estado, que serviu para demonstrar aos seus concidadãos a sua competência na matéria.
Apenas 14 homens, conseguiram invadir o quartel-general das forças armadas, contando para isso com o apoio de um oficial superior do exército. Na madrugada de 16 de Julho de 2003, tomaram o controlo do quartel-general e do país.
Resultado do golpe de estado perpetrado, os ex-búfalos conseguiram negociar com os mediadores internacionais a sua reintegração na sociedade são-tomense. O memorandum de entendimento assinado no dia 23 de Julho de 2003, deu garantias aos ex- búfaloshttp://www.telanon.info/economia/2010/12/14/5875/ex-bu
ESCANDALOSA CENSURA PELA RÁDIO NACIONAL DE S. TOME E PRÍNCIPE - Mal os deputados da oposição passaram intervir, de imediato se começaram a registar as habituais falhas técnicas  na transmissão do debate pela  estação de rádio oficial , ao ponto do líder parlamentar se ter recusado a falar. Tendo-a retomado só quando teve garantias de que a situação estava normalizada, pegando então nas gravíssimas acusações feitas por um dos amigos de Patrice Trovoada, considerado um dos mais destacados operacionais do Golpe de Estado,de 2003, acusações, que urge investigar e julgar –

LEIS APROVADAS À MEDIDA DA CONVENIÊNCIA PARTIDÁRIA  São-Tomé, Na sessão legislativa de ontem, “0 Parlamento são-tomense aprovou a lei que prolonga o mandato dos órgãos das autarquias e regionais bem como a nova lei da comissão eleitoral nacional incluindo ainda a aprovação final global da lei orgânica do tribunal constitucional, – Soube hoje a STP-Press de fonte parlamentar.

A dilatação do mandato das autarquias e o poder regional surgiu em resposta a decisão do Presidente da República, Evaristo Carvalho que anunciou há pouco menos de 24 horas o adiamento destas eleições que deveriam acontecer em Outubro deste ano por “indisponibilidade financeira do País”.

“ É prorrogado o mandato dos órgãos das autarquias e regionais até que se realizam as próximas eleições …” - lê-se no projecto de lei aprovado com 29 votos da maioria parlamentar do ADI no poder, com 11 votos contra do MLSTP-PSD e quatro contra da bancada do PCD.

Igualmente aprovada esta tarde com votos do ADI, a nova lei da comissão eleitoral nacional que estipula, sobretudo, um mandato permanente de sete anos não renovável sob orientação de uma direcção eleitoral formada por três comissários designados pelo parlamento em harmonia com o princípio de representação parlamentar.

http://www.stp-press.st/c70.htm

O QUE SE DISSE DO GRUPO DOS MERCENÁRIOS, SEM OUTRO IDEÁRIO QUE NÃO FOSSE A CORRIDA ATRÁS DAS MASSAS  

Líder do golpe de Estado em São Tomé diz que em nenhuma circunstância se arrependeu
(..) Com o fim do apartheid e o desmantelamento do batalhão-Búfalo, optaram por trabalhar para a Executive Outcomes. "Trabalhámos para os Estados que pediam o serviço a esta companhia", conta Arlécio da Costa, na presença de outros cinco elementos do ex-batalhão Búfalo e autores do golpe. "Estivemos a pedido do Governo de Angola, porque havia necessidade de se fazer uma reforma do Exército. A minha área era de treinos militares e da polícia. Era a experiência de que o Governo do MPLA precisava para as suas forças". Foi entre 1995 e 1996. "Depois fomos para a Serra Leoa e para o Congo [ex-Zaire], sempre a pedido dos governos que solicitavam os serviços à Executive Outcomes".GOLPE DE ESTADO EM S. TOMÉ E PRÍNCIPE 


PATRICE TROVOADAS  - E ASSIM SE VÃO DESVENDADO ALGUNS DOS SEUS MISTERIOSOS PASSOS - (...) Em São Tomé, o filho do ex-Presidente é visto como uma pessoa misteriosa e ausente. São-tomenses disseram ao DN que o líder do partido Acção Democrática Independente (ADI) desde 1991 "é uma pessoa muito fechada no seio da sua família, não costuma juntar-se com as pessoas nos bairros, nem participar em convívios"

Em São Tomé ocupou o cargo de conselheiro para os assuntos petrolíferos do actual Presidente, Fradique Menezes, até ser afastado em 2005, sob suspeita de usar a sua posição em benefício próprio. Foi também Menezes que, no início de 2008, o nomeou primeiro-ministro pela primeira vez, funções que na altura assumiu por apenas três meses. Empresário misterioso chega ao poder em São Tomé

Sinopse:
Os primeiros sinais de que, Patrice Trovoada, teria patrocinado o Golpe de Estado, em 2003, partiram deste livro  - Afastado 

 poder da interdependência oferece um desafio convincente para a visão dominante entre muitos observadores de assuntos globais, que os países individuais exercem o único controle sobre o sistema internacional. O autor David Oladipupo Kuranga adianta uma possibilidade alternativa: que, de fato, a influência das nações agora é igualada e às vezes é ultrapassada pela das organizações supranacionais. Com base em contas detalhadas e informações privilegiadas relativa

O livro do nigeriano David Oladipupo Kuranga, publicado nos finais do ano passado, cita informações dos serviços secretos nigerianos, que apontam o nome do alegado principal financiador do Golpe de Estado de 2003 em São Tomé. O livro versa-se sobre o papel das organizações regionais na mediação de conflitos no continente africano. O autor estudou três casos, nomeadamente o Golpe de Estado de 2003 em São Tomé e Príncipe.

As referências do livro sobre o Golpe de Estado de 2003 em São Tomé e Príncipe, está a correr o mundo, daí o interesse do assunto chegar também ao conhecimento dos são-tomenses. O Téla Nón tentou por várias formas colher a reacção da individualidade política citada no livro do nigeriano, David Oladipupo Kuranga,como sendo o alegado financiador do golpe com base em informações dos serviços secretos nigerianos, mas não teve sucesso.

Note-se que a intervenção da Nigéria foi determinante na resolução do Golpe de Estado de Julho de 2003. Os ex-búfalos assaltaram o quartel general das forças armadas, e puseram em marcha a destituição do Governo na altura chefiado por Maria das Neves. O então Presidente da República Fradique de Menezes, encontrava-se ausente do país, mais concretamente em Abuja, na Nigéria. Foi pelas mãos do ex-Presidente nigeriano Olusengo Obasanjo, que Fradique de Menezes regressou ao país. A imagem do então chefe de Estado nigeriano, segurando uma das mãos de Fradique de Menezes, e conduzindo-o do aeroporto internacional de São Tomé até ao Palácio do Povo na capital são-tomense, foi marcante naquele dia. Obasanjo reuniu-se com os golpistas no Palácio do Povo, e terá dito que não queria ouvir nada mais sobre golpes aqui.
O leitor tem acesso ao estrato do livro que se refere ao golpe de 2003 em São Tomé e Príncipe, e também pode consultar mais elementos sobre o livro e o seu autor, clicando nos elementos abaixo :
Abel Veiga

REALIZADOR DE PROGRAMA RADIOFÓNICO ENCERRADO ACUSA GOVERNO DE PRESSÕES SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE 20-08-2017 20:38

O realizador Waldiner Boa Morte e apresentador do `Resenha da Semana´, programa de maior audiência da emissora católica são-tomense (Rádio Jubilar), acusou hoje o governo de ter feito várias pressões, obrigando-o a suspender o seu programa. Lusa – Pormenores em Realizador de programa radiofónico são-tomense encerrado acusa .


Nenhum comentário :