expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Dossier Petróleo - O fim de um sonho" ; "Como roubar uma nação africana"; "Maldição em S. Tomé e Príncipe" ; Bênção na Guiné Equatorial – É apenas uma maldição se você é corrupto. - Disse Museven, Presidente do Uganda, um dos mais carismáticos líderes Africanos na recente visita oficial àquele país, - “O que acontece se não houver petróleo? . Se alguém sabe disto é Patrice Trovoada, o filho rico do primeiro presidente Miguel Trovoada. Ele esteve envolvido em quase todos os acordos. Ele passou grande parte de sua vida fora do país. Ele fala português, a língua oficial de São Tomé, com sotaque; ele se converteu ao Islã. Ele é dono de uma empresa de construção em Houston, Texas. Ele disse que foi erroneamente acusado de envolvimento no tráfico de drogas”.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise


Tinha razão quem escrevia O “sonho do petróleo” pode estar a chegar ao fim em São Tomé e Príncipe” Há 4 anos a companhia francesa Total anunciou a retirada da sua operação de prospeção de petróleo em S. Tomé e Príncipe, que concluiu ser inviável. E a Oranto Petroleum Lda também já deu de frosque - Pelos vistos, a Patrice, de pouco ou nada têm valido os apertos de mão com o presidente nigeriano Muhammadu Buhari

"O petróleo pode ser uma benção ou uma perdição para um país", disse Sachs."A teoria era ajudar São Tomé a evitar a maldição dos recursos". As coisas, no entanto, não funcionaram desse jeito.

Sr. Cherwayko, um canadense de origem ucraniana, que fez sua fortuna nos negócios do petróleo Africano, em cumplicidade com políticos santomenses (Patrice Trovoada, um dos citados) foi  condenado a  21 meses de prisão

Há vinte anos “Os geólogos encontraram sinais de que um dos países menos conhecidos da África, a pequena nação insular de São Tomé e Príncipe, poderia reter o resgate do rei no petróleo.

A primeira gota de óleo ainda não foi produzida. Mas São Tomé pode ter atraído um amplo suprimento de algo mais, sugerem pesquisas federais - corrupção relacionada ao petróleo.

A recente acusação do Departamento de Justiça de William J. Jefferson, um representante democrata da Louisiana, afirma, por exemplo, que ele exigiu um suborno de uma empresa que procurava sua ajuda em conexão com uma disputa relacionada ao petróleo envolvendo São Tomé. Scent of oil may have brought corruption to a tiny African country - ThNo Oil Yet, but African Isle Finds Slippery Dealings - The New York 


OS FRANCESES OS PRIMEIROS A DEBANDAREM



Tinha razão quem escrevia  O “sonho do petróleo” pode estar a chegar ao fim em São Tomé e Príncipe No último dia 23 de Setembro, a companhia francesa Total anunciou a retirada da sua operação de prospeção de petróleo em S. Tomé e Príncipe, que concluiu ser inviável. A decisão vem aumentar dúvidas sobre a possibilidade do arquipélago poder vir a produzir petróleo, um duro golpe nas expectativas do país.  "sonho do petróleo" pode estar a chegar ao fim em São Tomé e Príncipe 01/10/2013 



Oranto Petroleum Lda também já deu de frosque  - A Oranto Petroleum Lda, enviou uma nota à ANP-STP no dia 15 de Setembro de 2016, anunciando a sua intenção em abandonar o bloco 3 da ZEE. Segundo a empresa, os resultados dos estudos sísmicos realizados ficaram aquém das expectativas. Contudo, para o Governo de Patrice Trovoada, é  mistério por esclarecer: nenhuma explicação pública, e, no entanto,  foi ele o autor entre outras, desta fracassada negociata: até ao momento, não existe uma posição oficial por parte da ANP. - Agência Nacional de Petróleo  - Ninguém ainda veio dar   a cara. por este incumprimento, que impediu o acesso a outras empresas interessadas 



Pelos vistos de pouco ou nada têm valido os apertos de mão  -  O presidente Muhammadu Buhari disse em Abuja que a Nigéria e São Tomé e Príncipe devem se sentar em breve para rever as atividades de sua Autoridade de Desenvolvimento Conjunta com vistas a torná-la mais eficiente e produtiva. 02/09/2015 Nigeria, Sao Tome & Principe to review joint development authority ...

ALÉM MORAL  - PARA LEI E DESENVOLVIMENTO .São Tomé e Príncipe (STP), um pequeno país insular descrito na imprensa internacional como "pontos gêmeos de terra fora da costa ocidental de África", "recebeu muita atenção internacional devido à descoberta de petróleo bruto em suas águas territoriais. Suspeitado desde a década de 1970, os campos de petróleo foram ativos

O governo nigeriano e americano, Norueguesas, sul-africanas e chinesas, varreram e controlaram sofisticadas negociações com São Tomé. O governo nigeriano e uma companhia petrolífera americana, extraíram preferencialmente termos contratuais que o Banco Mundial descreveu como "sem precedentes"

(…) O Presidente  Fradique Menezes, fez um pedido que levou à segunda onda de atenção internacional: "encontramos um pouco de petróleo", disse Menezes, "e os tubarões estão nadando ao nosso redor agora ... Eu gostaria de alguma ajuda para gerenciar isso  Ler mais em Increasing the Capacity for Corruption: Law and Development in the ...


EXPLORAÇÃO DO PETRÓLEO EM S. TOMÉ  PRÍNCIPE- "O FIM DE UM SONHO 
1.      

 O fim do sonho do óleo  - Por Gerhard Seibert  - Em 23 de setembro de 2013, a empresa petrolífera francesa Total abandonou o bloco 1 na Zona Conjunta de Desenvolvimento de São Tomé e Príncipe - Nigéria (JDZ). Isso ocorre apenas cerca de um ano depois que a empresa de energia estatal chinesa Sinopec, sua subsidiária Addax, Equator Exploration e outras partes interessadas abandonaram três blocos de petróleo lá. Os motivos de Total são os mesmos que os indicados em 2012: resultados decepcionantes de perfurações de exploração devido a reservas de hidrocarbonetos que são muito limitadas para justificar novos investimentos. 

A decisão foi um sério golpe para a JDZ, criada em 2001 pela Nigéria e São Tomé e Príncipe e compartilhada por uma divisão 60/40 entre os dois países. No pior dos casos, a saída de Total pode representar o fim das esperanças de petróleo de São Tomé e Príncipe, que começou quando o estado insular empobrecido assinou o primeiro acordo de exploração de petróleo com uma empresa estrangeira em 1997. Posteriormente, o país assinou outros dois acordos com o petróleo empresas, mas os três contratos foram todos renegociados em 2003, porque os especialistas em petróleo estrangeiros os consideravam prejudiciais aos interesses nacionais do país. Em 2004, a São Tomé aprovou uma lei de gerenciamento de receita de petróleo que tem sido elogiada como exemplar por especialistas jurídicos internacionais. No mesmo ano, o país estabeleceu uma Agência Nacional do Petróleo (ANP) com uma equipe formada por especialistas estrangeiros em petróleo financiados pelo Banco Mundial e pela Agência Norueguesa de Ajuda ao Desenvolvimento (Norad) como parte da Iniciativa do Petróleo Norueguês para o Desenvolvimento. Na época, todos esperavam que a produção de petróleo do país começasse dentro de alguns anos. Desde 1999, São Tomé e Príncipe teve catorze ministros do petróleo diferentes. No entanto, o país ainda não produziu petróleo ou gás e, consequentemente, a lei do petróleo exemplar nunca foi realmente aplicada. Mais pormenores em http://chegepublishing.net/the-end-of-the-oil-dream/~

UM DOS PROTAGONISTAS, TIDO COMO UM DOS ALIADOS DE PATRICE -  APANHOU, 21 MESES DE CANA POR DESENTENDIMENTOS CONJUGAIS


Há um ditado em São Tomé, que diz - referido num artigo a respeito destas tão famosas concessões : "Para ficar rico, tudo o que você precisa fazer é ser ministro por 24 horas". - Pelos vistos, assim tem acontecido: Muito se escreveu sobre os escandalosos contratos das concessões  - Mas, ao que parece, com o tempo tudo se esquece e  já não faz mossa aos principais protagonistas das tais  falcatruas, que se encheram de milhões  os bolsos corruptos.

24/08/2015 .      Sr. Cherwayko, um canadense de origem ucraniana, que fez sua fortuna nos negócios do petróleo Africano, em cumplicidade com políticos santomenses (Patrice Trovoada, um dos citados) foi ano passado condenado a uma pena de 21 meses de pena efetiva por se ter recusado a pagar 5 milhões de indemnização à  ex-esposa,   .Maya Cherwayko, ex-misse nigeriana, com a quem casou, em 2005, -   Oil trader Wade Cherwayko jailed for 21 months for not paying ex-wife ... - 

"Com a administração Bush selando alianças na África para garantir que o continente se torne um dos principais fornecedores de petróleo para os Estados Unidos, uma série de figuras americanas líderes se envolveram pessoalmente em projetos de petróleo africanos. Esse aspecto pessoal da diplomacia petrolífera americana em África parece ter levado a irregularidades toleradas há muito tempo pelas autoridades. Mas agora Washington parece estar decidido a se abater. 

(…) Mentores da ERHC. Além da Global Energy, outra pequena empresa americana, a ERHC, estava em contato com Jefferson através de seus lobistas em Washington. Controlado por vários empresários americanos e Emeka Offor da Nigéria, a ERHC detém participações em várias licenças na Zona de Desenvolvimento Conjunto entre Nigéria e São Tomé. Os escritórios da empresa em Houston foram invadidos pela polícia em 4 de maio. Compreendemos que a operação estava ligada à investigação do FBI em Jefferson. Ao invadir os documentos da ERHC, os investigadores pegaram todas as comunicações do grupo com políticos na Nigéria e São Tomé.

A ERHC também trabalha com o ex-embaixador americano na Nigéria e ex-diretor do escritório de assuntos da África Ocidental no Departamento de Estado, Howard Jeter. Ele se juntou ao conselho da ERHC no ano passado.

Conexões de óleo de Andrew Young. No entanto, a EHRC não é a única empresa envolvida no petróleo africano com a qual Jeter está associado. O ex-diplomata também é vice-presidente executivo da GoodWorks International, uma empresa de consultoria e lobby liderada pelo ex-embaixador americano nas Nações Unidas, Andrew Young. Muito perto do presidente nigeriano,
Excerto de ERHC On The Move: Post Links Jefferson To ERHC, But Only In ...

Ainda não existe óleo, mas a ilha africana encontra promoções escorregadias
A primeira gota de óleo ainda não foi produzida. Mas hoje em dia, o pequeno São Tomé pode ter atraído um amplo suprimento de algo mais, suspeitam os pesquisadores federais - corrupção relacionada ao petróleo.
Tudo isso pode não parecer incomum na África, onde o petróleo e a corrupção costumam estar de mãos dadas. No entanto, São Tomé, uma antiga colónia portuguesa ao largo da costa da Nigéria , deveria ser diferente. Nos últimos anos, um fluxo constante de ativistas, como o economista da Universidade Columbia, Jeffrey D. Sachs, foi lá para tentar garantir que qualquer boom da energia beneficiaria suas 150 mil pessoas, em vez de políticos e empresas.
"O petróleo pode ser uma benção ou uma perdição para um país", disse Sachs. "A teoria era ajudar São Tomé a evitar a maldição dos recursos".
As coisas, no entanto, não funcionaram desse jeito.
A recente acusação do Departamento de Justiça de William J. Jefferson, um deputado democrata da Louisiana, afirma, por exemplo, que solicitou um suborno de uma empresa que procurava sua ajuda com uma disputa relacionada ao petróleo envolvendo São Tomé.
Pequena Nação, Grandes Perspectivas de Petróleo 6 de março de 2015

P.Trovoada não tem esta vida

S
eparadamente, as autoridades federais estão investigando uma pequena empresa com sede em Houston, cujos únicos ativos são grandes participações em São Tomé para determinar se subornou os funcionários do país. Em outra frente, um poderoso empresário nigeriano que é o presidente da empresa de Houston, a ERHC Energy, está sendo investigado em seu país para possíveis operações com o seguro médico.
Todos os envolvidos - o Sr. Jefferson, a ERHC, e o presidente da empresa, Emeka Offor - negam que fizeram algo de errado.
Ainda assim, a experiência de São Tomé, um país pobre que se sustenta com a venda de cacau e selos comemorativos com celebridades como Elvis Presley e Brigitte Bardot, mostra como apenas a pitada de petróleo pode desencadear uma arremetida por riquezas. Juntamente com o Sr. Sachs, aqueles que procuraram ajudar incluíram George Soros, o bilionário se tornou filantropo e um advogado de Washington, Gregory B. Craig, que defendeu o presidente Bill Clinton durante o escândalo de Monica Lewinsky.
"Na África Ocidental, o perfume de petróleo por si só pode ser suficiente" para produzir corrupção, disse Joseph C. Bell, outro advogado de Washington que viajou para São Tomé para trabalhar em novas leis de petróleo.
No centro da história de São Tomé está a ERHC, uma pequena empresa cujas fileiras incluiu uma coleção de personagens e empreendedores politicamente conectados, como o Sr. Offor. De acordo com um relatório de 2005 do procurador-geral de São Tomé, o Sr. Offor é um dos maiores doadores do partido político nativo da Nigéria e um aliado próximo de Olusegun Obasanjo, que até recentemente era presidente da Nigéria.
Fradique Menezes
(...) O Sr. de Menezes, em 2003, por exemplo,  se aproximou do Sr. Sachs. e disse: " Olhe, nós encontramos um pouco de óleo e os tubarões estão nadando em nossa volta agora, e eu gostaria de ajudar a gerenciar isso corretamente ", lembrou o Sr. Sachs em uma entrevista recente.
Como parte desse esforço, uma equipe da Universidade de Columbia e outros ajudaram a elaborar uma nova lei sobre o petróleo que contenha salvaguardas para garantir que São Tomé gastasse suas receitas relacionadas ao petróleo adequadamente. .
No final de 2005, no entanto, um relatório do procurador-geral de São Tomé, entre outras coisas, descobriu que algumas empresas que conquistaram blocos na zona controlada em conjunto por São Tomé e seus vizinhos foram lideradas por empresários nigerianos com laços políticos, mas sem experiência no setor de petróleo.
O processo de licitação "estava sujeito a graves deficiências processuais e manipulação política", concluiu o relatório. Além disso, o relatório descobriu que algumas grandes empresas petrolíferas multinacionais estavam tão desconfiadas da ERHC que decidiram não oferecer e acrescentou que a ERHC "pode ​​ter feito pagamentos indevidos a funcionários do governo".
(...) O relatório do procurador-geral pode ter precipitado a incursão do verão passado nos escritórios da ERHC em Houston pelo FBI. Entre outras coisas, os agentes do FBI levaram um arquivo marcado como "William Jefferson", uma referência ao congressista da Louisiana, mostra um cadastro público..
(...) Seja como for, a ERHC surgiu até o maior vencedor em São Tomé. Ao longo do ano passado, vendeu vários direitos sobre suas participações em São Tomé, fazendo dezenas de milhões de dólares no processo.
(...) Os novos estatutos de petróleo e anticorrupção elaborados por consultores como o Sr. Bell, o advogado de Washington, tornaram-se lei. Mas com toda a obscuridade e intriga que agora desceu sobre São Tomé, ele, como outros, pergunta se isso fará qualquer diferença."O jogo ainda não está perdido", disse Bell. "Mas é um jogo muito áspero". No Oil Yet, but African Isle Finds Slippery Dealings - The New York ...,,,Traduzir esta página




PATRICE TROVOADA NEM FAZ NEM DEIXA FAZER    -  AS BOAS RELAÇÕES QUE S. TOMÉ E PRÍNCIPE MANTINHA COM A GUINÉ E EQUATORIAL, GRAÇAS AO EX-PRESIDENTE MANUEL PINTO DA COSTA, DIFICILMENTE PODERÃO NORMALIZAR-SE COM PATRICE TROVOADA NO PODER Não obstante  a existência de interesses recíprocos  que até poderão ser de monta para ambas as partes se a jazida conjunta justificar o investimento. -  A Guiné Equatorial  já deu mostras de querer entender-se  com o Governo de S.T.P para claramente definirem aspetos técnicos –  Só que, ao Governo, de Patrice Trovoada, o que deverá interessar não serão propriamente aspetos técnicos  mas  esquemas aligeiradas ao estilo nigeriano 


GUINÉ EQUATORIAL - UM EXEMPLO RARO EM ÁFRICA  - QUE O UGANDA DESEJA SEGUIR  - FORTEMENTE COBIÇADO PELA RAPINA MERCENÁRIA  INTERNACIONAL Margaret Thatcher 'gave her approval' to her son Mark's failed cou

Museveni, o homem que ainda não se desfez do tradicional chapéu de palha das suas origens, que pára na berma da estrada a telefonar, sentado numa cadeira; Governante e criador de vacas de longos chifres longos, governa o Uganda há três décadas: nasceu em uma família de criadores de gado, tendo por várias vezes afirmado  que retornaria à sua fazenda se perdesse seu cargo político. Tal ainda não  sucedeu nas eleições de Fevereiro do ano passado, em que foi reeleito  para um quinto mandato





HUMILDADE E A SERENIDADE DE UM PRESIDENTE QUE NÃO PRECISA DE ESTAR CERCADO DE TROPA RUANDESA - Esta foto, que foi viral no facebook, é do presidente do Uganda, Yoweri Museveni, com o seu tradicional chapéu de abas largas, conversando ao telefone sentado numa cadeira à berma da estrada – A imagem foi divulgada naquela rede social pelo seu assessor de imprensa que disse, que o seu chefe de 71 anos parou sua moto para fazer a chamada de 30 minutos enquanto retornava das celebrações do Dia Mundial da População no remoto oeste de Uganda

O petróleo foi descoberto em Uganda, há pouco tempo, e, não querendo, certamente, que o seu país cometa os enormes erros cometidos por outros países, nomeadamente em S. Tomé, em que a maior fatia reverteu a favor dos bolsos privados, ele declarou, na visita que fez no mês de Agosto à Guiné Equatorial, querer seguir a experiência deste país, no qual o petróleo tem sido o grande dinamizador da economia.

De acordo com o jornal Daily Monitor do Uganda, o presidente diz que não conhece a data exata de seu nascimento. "Meus pais eram analfabetos e, portanto, não conheciam a data", - Eram pessoas humildes e do meio rural – laços que o levaram a ter uma fazenda agrícola para a qual conta retirar-se quando abandonar a presidência, localizada no distrito de Gomba, no centro de Uganda, a cerca de 100 quilómetros a oeste de Kampala, que possui vacas de chifres longos tradicionalmente reunidas pela tribo étnica de Banyankore do presidente, à qual gosta de levar chefes de Estado e altos dignitários estrangeiros a visitarem-na para conversas e excursões - Ora são exactamente essas origens e esse sentido de raízes, esses profundos laços afectivos, que faltam a um primeiro-ministro que nasce rico, ainda para mais noutro pais e que passa maior do tempo da governação no estrangeiro de costas voltadas para o Povo



Museven, foi recentemente distinguido com o Prémio do Grande Colar da Independência do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, por seu "excelente contributo e avanço da causa pan-africana no continente".  A cerimónia decorreu, no passado dia 27,  no salão do embaixador do Palácio do Povo de Malabo, pouco antes do Presidente Obiang obsequiar   o chefe de Estado ugandês e a sua delegação, com  um jantar oferecido no palácio presidencial em Malabo, capital da Guiné Equatorial

No seu discurso, o Presidente da Guiné Equatorial, apreciou os méritos do Presidente do Uganda por sua contribuição para a causa do continente africano. - Por sua vez, HE Yoweri Museveni, elogiou o governo da Guiné Equatorial pelo bom uso dos benefícios obtidos com recursos naturais, como o petróleo e gás, "algo que não está registrado tanto nos países africanos", disse ele.

Felicito a Guiné Equatorial por utilizar o petróleo e o gás muito bem. Algumas pessoas dizem que o petróleo e o gás são maldições, mas na Guiné Equatorial é uma bênção, não uma maldição ", disse Museveni, acrescentando:" É apenas uma maldição se você é corrupto, não focado e não usa esse recurso perecível de forma estratégica e correta. "

A Guiné Equatorial, que descobriu o petróleo em 1996, é atualmente o terceiro maior produtor de petróleo da África Subsaariana, com uma média de 340 mil barris por dia.

O presidente Museveni acrescentou que o Uganda copiaria algumas das melhores práticas, uma vez que também descobriu petróleo   Fontes_ Condecoración para el Presidente Museveni - Partido Democratico . --Equatorial Guinea gives President Museveni highest honour

O SOM DESTE VIDEO FEZ PARTE DE UMA REPORTAGEM PASSADA NA TVS MAS AGORA NEM SOM NEM IMAGENS - REGIME DE PATRICE TROVOADA RETIROU-O DO ARQUIVO 
.



Foi no dia 21 de Dezembro de 2016, quase sobre as vésperas do Natal - O desembarque das enormes esferas de aço, de um navio da empresa Sonagas da Guiné Equatorial, para a produção e transporte de gás para uso doméstico, teve foros de acontecimento na população da pequena cidade piscatória de Neves, que terá observado o inusitado espetáculo num misto de surpresa e agrado, visto poder alimentar as tão desejadas espectativas de emprego e desenvolvimento para urbe, que sucessivamente têm sido frustradas através de projetos, anunciados como promissores mas que depressa são abandonados e passam ao esquecimento:


04/08/2017 Já lá vão oito meses com o projeto da Sonagas ao abandono e a Guiné Equatorial quer clareza nesta e noutras questões, e é o próprio Presidente Obiang Nguema que, redigindo uma mensagem,  envia um dos ministro do  Governo a S. Tomé  para se encontrar com Evaristo de Carvalho e lha entregar.

No final do encontro, em declarações aos jornalistas, o  ministro da Integração da Guiné Equatorial, Baltasar Edjo, disse, muito objetivamente: "a falta de uma definição clara" pode dificultar o desenvolvimento da cooperação em diversas áreas com São Tomé e Príncipe.Economia - Guiné Equatorial considera haver "falta de definiçã ..Obiang escribe también el presidente de Sao Tomé y Príncipe .


UM MÊS DEPOIS  - 4/09/2016 DECORRE A  TOMADA DE POSSE DE EVARISTO DE CARVALHO – E QUEM VAI REPRESENTAR O PRESIDENTE OBIANG  É O PRIMEIRO-MINISTRO – Que aproveitará   sua permanência para se encontrar com o seu homólogo, Patrice Trovoada – E, por certo, para que todas as dúvidas fossem dissipadas.

No referido encontro de Pascual Obama Asue, esteve também presente o ministro das Relações Exteriores de STP, Manuel Salvador Dos Ramos, após que o chefe do Governo equatorial-guineense foi também foi recebido pelo novo presidente, de Evaristo Carvalho El Primer Ministro, en la investidura de Evaristo Carvalho - Part

POR FIM - É A VEZ DE EVARISTO CARVALHO ENTRAR E CENA -  DE FAZER O PRIMEIRO PAPEL DE PAU MANDADO,  FAZENDO DE CONTAS QUE QUEM TEM PRESSA É O GOVERNO DE S. TOMÉ   24/11/2016 - Pesidente de São Tomé,Evaristo Carvalho , convocou hoje o seu homólogo da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, a ajudar a "avançar o mais rápido possível " o projeto de exploração conjunta de um bloco de petróleo. São Tomé pide a Guinea Ecuatorial rapidez en la concreción del 

Solicitei o entendimento, solicitei indulgência, solicitei a compreensão para que os acordos comecem a ser implementados o mais rápido possível " , disse Evaristo Carvalho, no final de uma entrevista com o presidente da Guiné-Bissau, São Tomé.
Evaristo Carvalho está em Malabo, capital da Guiné Equatorial, para participar da 6ª Conferência Afro-árabe e se encontrou com Teodoro Obiang em uma reunião em que a questão do petróleo foi o tema principal.El Primer Ministro, en la investidura de Evaristo Carvalho - Partido ... Evaristo Carvalho e Obiang Nguema negociam petróleo conjunto
São Tomé e Príncipe: como roubar uma nação africana

19 de abril de 2008 Os moradores de uma minúscula ilha-Estado africana sonham com grande riqueza desde que petróleo foi descoberto em suas águas territoriais. Empresas, potências estrangeiras e políticos corruptos estão disputando licenças de exploração na esperança de obter

O lobby do Hotel Miramar, em São Tomé, seria o cenário perfeito para um thriller de espionagem tropical. Ele é o melhor hotel da cidade, o que não significa muito, mas seu lobby com ar-condicionado, completo com sofás coloridos e vasos com plantas, se tornou um importante local de encontro para todos aqueles que têm algum negócio nesta ilha curiosa: atravessadores e seus assistentes, representantes de governos estrangeiros e organizações internacionais e um grande número de figuras duvidosas. Pessoas boas e ruins se congregam no lobby do Hotel Miramar, mas diferenciá-las não é fácil.
(...) As ilhas de São Tomé e Príncipe formam um único país soberano, com população de 160 mil habitantes. Até poucos anos atrás, a única fama das ilhas eram os selos postais de Marilyn Monroe, linhas de tele-sexo fraudulentas e um produto chave de exportação, o cacau.
Isto é, até a descoberta de petróleo sob o leito marítimo além da costa do país. Poderá ser uma bênção ou uma maldição para este minúsculo país; e parece ter deixado todos loucos.
O paradoxo da abundância(...) Os são-tomenses mal podiam acreditar em sua sorte quando estudos sísmicos concluídos nos anos 90 revelaram uma enorme reserva de 11 milhões de barris de petróleo pouco além de sua costa. Eles estavam ricos! Os são-tomenses repentinamente podiam sonhar em se tornar uma espécie de Brunei, um minúsculo e rico país africano onde as pessoas podiam viver despreocupadamente. O maná dos céus!
Então o resto do mundo ficou sabendo. Empresas dos Estados Unidos, China, Noruega e Canadá enviaram equipes para as ilhas, e governos estrangeiros -em particular os Estados Unidos e a grande vizinha de São Tomé, a Nigéria- começaram a demonstrar interesse.
Uma riqueza de recursos naturais nem sempre faz bem para um país pobre. Isto se chama "paradoxo da abundância" e exemplos infelizes proliferam na vizinhança imediata de São Tomé. Um é a Nigéria, uma grande produtora de petróleo governada pelo regime corrupto do presidente Olusegun Obasanjo desde 2007
Quando o presidente são-tomense Fradique Melo de Menezes assumiu o governo em 2001, ele prometeu manter seu país livre desses problemas. Fradique é um homem baixinho e musculoso com um grande bigode -um mercador de cacau que trata a todos pelo primeiro nome. Ele impressionou a comunidade internacional quando falou sobre o desejo de usar a riqueza do petróleo para ajudar seu país.

Fradique recorreu a Jeffrey Sachs, da Universidade de Colúmbia, em Nova York, o famoso especialista americano em ajuda para desenvolvimento, para orientação e apoio. Sachs já prestou consultoria a governos de todo o mundo e escreveu um livro chamado "O Fim da Pobreza". Ele viu uma oportunidade de transformar São Tomé em um modelo e levou suas melhores equipes para investigar o país pessoalmente. Suas metas eram ajudar todos os são-tomenses a dividirem a nova riqueza, evitando o erro de depender totalmente do petróleo. Ele seria um país sem conflitos violentos
.

E graças a Sachs, São Tomé possui uma nova lei do petróleo que pode ser a melhor do género no mundo. Ela exige que a receita do petróleo seja depositada diretamente em uma conta no Federal Reserve (o banco central americano) em Nova York. Apenas uma pequena parcela deste dinheiro pode ser reinserida no orçamento; o restante é poupado para o futuro. O controle do próprio petróleo cabe a uma comissão composta de são-tomenses de todo o espectro político do país.
(...) Mas será que São Tomé pode se tornar um modelo para o mundo? O petróleo realmente existe?
'A região de petróleo mais importante do mundo'  - Quando o presidente Fradique de Menezes chegou ao poder há mais de seis anos, ele impressionou tanto os especialistas quanto o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. A revista "New Yorker" escreveu: "Quem precisa da Arábia Saudita quando se tem São Tomé?" Bush se reuniu com Fradique e 10 outros chefes de Estado africanos em setembro de 2002, e apesar de outros terem entediado o presidente com discursos em francês, Fradique teria falado de forma "eloqüente, em um bom inglês com leve sotaque, sobre os interesses comuns de São Tomé e dos Estados Unidos". Bush até mesmo parou de brincar com seu lápis.
Fradique lembrou aos seus ouvintes dos "trágicos ataques ao World Trade Center e ao Pentágono" e destacou a importância de fontes alternativas de petróleo fora do politicamente volátil Oriente Médio. Seu país, ele disse, se encontra em uma "localização estratégica na região de petróleo mais importante do mundo -o alto-mar da costa oeste da África".
Foi uma jogada inteligente da parte de Fradique, porque o petróleo desta região tem enlouquecido os americanos. Eles atualmente importam 13% de seu petróleo da África sub-saariana; esse número deverá crescer para 25% em poucos anos. O petróleo africano é bastante procurado por causa de seu baixo conteúdo de enxofre e suas reservas geralmente marítimas, onde pode ser carregado em petroleiros sem a necessidade de se colocar os pés em um país.
Para ficar rico, seja um ministro -O homem que foi o primeiro-ministro de São Tomé até fevereiro de 2007 se chama Tomé Vera Cruz, um homem de aspecto poderoso encarregado de dirigir um país amargamente pobre. Durante seu mandato, São Tomé mergulhou em uma crise econômica severa. O preço do quilo de arroz aumentou cinco vezes. A comida é escassa e em grande parte importada, com iogurte vindo de Libreville, no Gabão, e as massas de Lisboa. 
(...) Há um ditado em São Tomé: "Para ficar rico, tudo o que você precisa fazer é ser ministro por 24 horas".
Veja, por exemplo, o ministro dos Recursos Naturais. Seu nome é Manuel de Deus Lima, e todos em São Tomé conhecem sua história: quando ele trabalhava para o banco central do país, ele fez um acordo com uma empresa de Liechtenstein para criação de uma moeda são-tomense comemorativa do milênio. O único problema é que uma parte dos lucros iria diretamente para ele. Lima foi sentenciado a dois anos sob condicional -o que não o impediu de ser nomeado ministro.
(...) Não apenas ministros  Mas os problemas não são puramente domésticos. A história de São Tomé e Príncipe é uma longa história de intervenção estrangeira.  (...) Trinta e três anos depois, a ilha ainda enfrenta dificuldades. Apesar dos US$ 600 milhões em ajuda que o país recebe desde a independência, o padrão de vida continua caindo. Segundo o Banco Mundial, mais de 50% da população é considerada "pobre".
Quando depósitos de petróleo foram detectados nos anos 90, o primeiro empresário a aparecer foi o sul-africano descendente de alemães chamado Christian Hellinger, que ganhou fortuna com os diamantes angolanos. Ao chegar, ele supostamente deu a cada ministro um gerador. Logo ele adquiriu o apelido de "Rei de São Tomé". Ele transferiu sua empresa de transporte aéreo para cá e foi o primeiro a explorar petróleo.
Hellinger trouxe uma empresa para São Tomé que desde então só significa problemas. A pequena empresa nascida na Louisiana e atualmente sediada em Houston, se chama ERHC (Environmental Remediation Holding Corporation). Na época ela era especializada em dar destino aos resíduos da indústria do petróleo e não tinha entendimento nenhum de produção de petróleo. Mas a ERHC convenceu o governo a assinar um contrato em 1997. Por US$ 5 milhões a empresa recebeu direitos exclusivos sobre a comercialização e exploração de todas as reservas de petróleo de São Tomé pelos próximos 25 anos. A organização não-governamental Global Witness posteriormente chamou isto de "um dos acordos mais chocantes de todos os tempos".
O país fez acordos com outras empresas, incluindo a ExxonMobil, mas aparentemente foram igualmente ruins. O presidente Fradique conseguiu renegociar alguns dos acordos, mas a ERHC, agora de propriedade de um nigeriano influente, ainda ganha sua parte das concessões e de novas descobertas de petróleo

O segundo problema de São Tomé sempre foi sua poderosa vizinha, a Nigéria, que não estava interessada em permitir que a minúscula nação lucrasse com petróleo em seu próprio quintal. A Nigéria contestou a fronteira marítima entre os dois países e forçou São Tomé a aceitar um acordo para formação de uma "Zona Conjunta de Desenvolvimento", no qual 40% da receita da produção de petróleo iria para São Tomé e 60% para a Nigéria.

Quando os dois países leiloaram as primeiras licenças de exploração em 2003 e 2004, as coisas não transcorreram da forma como os são-tomenses esperavam. Grande parte das companhias de petróleo se manteve distante, exceto no caso do mais promissor setor na zona de petróleo, conhecido como Bloco 1, pelo qual um consórcio da Chevron e ExxonMobil conquistou a licença de exploração por US$ 123 milhões. Todavia, foi um dia monumental para São Tomé. Sua parcela de 40%, US$ 49 milhões, quase equivalia ao orçamento anual do país.
Mas a Nigéria reteve o valor, usando seu controle do dinheiro para forçar São Tomé a conceder licenças a certas empresas pequenas na próxima rodada de leilão -empresas de propriedade de empresários nigerianos com laços estreitos com os políticos do país. O procurador-geral de São Tomé posteriormente expôs este esquema.
'O que acontece se não houver petróleo?A história de São Tomé e seu petróleo é uma de acordos ruins em um país sem entendimento do setor de petróleo. Se alguém sabe disto é Patrice Trovoada, o filho rico do primeiro presidente eleito democraticamente, Miguel Trovoada. Ele esteve envolvido em quase todos os acordos.
Ele se senta na varanda de sua quinta na praia -um homem de 46 anos robusto e com um grande sorriso- e nega qualquer culpa. Ele insiste que tudo o que fez foi tentar salvar o que outros tinham estragado.
Ele foi inicialmente o ministro das Relações Exteriores de Fradique e posteriormente seu consultor de petróleo. Então Fradique o demitiu, se queixando de que os Trovoada estavam tratando o Estado como sua propriedade privada. Patrice se tornou seu rival.
Atualmente ele é o primeiro-ministro do país. "Meu pai e eu escolhemos Fradique como presidente", ele diz. "Mas uma pessoa sempre pode cometer erros. O homem assumiu o governo e começou a falar demais. Blá, blá, blá. Sobre petróleo. Ele falava demais sobre petróleo. E lutou contra todos, contra a Nigéria, dizendo que estavam roubando isto e aquilo, que era um contrato ruim, blá blá blá." Ele ri de forma contida.
Patrice Trovoada é conhecido por dirigir um jipe Hummer com seus guarda-costas. Ele passou grande parte de sua vida fora do país. Ele fala português, a língua oficial de São Tomé, com sotaque; ele se converteu ao Islã. Ninguém sabe a origem de seu dinheiro. Ele é dono de uma empresa de construção em Houston, Texas. Ele disse que foi erroneamente acusado de envolvimento no tráfico de drogas.
(...) Ainda um modelo? -As primeiras sondagens experimentais foram realmente decepcionantes. A Chevron encontrou petróleo a uma profundidade de cerca de 1.700 metros, mas em quantidades tão pequenas e de qualidade tão ruim que não era "comercialmente viável".
A busca por petróleo nem sempre leva a resultados claros. Dados sísmicos promissores não são garantia da existência de tanto petróleo quanto antecipado. É um pouco como pôquer: (,,,)Fonte: Der Spiegel / Mathieu von Rohr - Em São Tomé e Príncipe

SÃO TOMÉ - O DUBAI (...)Como Dubai, São Tomé poderia se tornar um centro comercial regional. Como Taiwan, é uma nação insular que poderia se tornar um motor econômico ao reinvestir em seu povo.

(…) O deputado de Jones, o general Charles Wald, diz que São Tomé pode ser um local ideal para uma chamada localização transitória temporária, a partir da qual as forças dos Estados Unidos poderiam pular para pontos estratégicos regionais como Serra Leoa, Costa do Marfim e Libéria.
Os Estados Unidos já se desenvolvem em toda a África através de uma estação de transmissão da Voice of America em São Tomé. Os americanos estão estudando como expandir o pequeno aeroporto e dragar um porto de águas profundas. Menezes, que foi demitido por um golpe sangrento no ano passado, não faz segredo do desejo de um guarda-chuva de segurança americano. "Somos uma pequena ilha com grandes vizinhos", diz ele. "Nós recebemos os americanos".
Os americanos não poderiam chegar muito cedo. A África Ocidental já fornece 15% das importações de petróleo dos EUA, o que deverá aumentar para 25% em 10 anos.
Mas muito petróleo com pouca segurança é um convite para a turbulência. As águas nigerianas são agora as mais perigosas do mundo, com milícias rebeldes e contrabandistas roubando 100 mil barris de petróleo no valor de US $ 1,5 milhão todos os dias. Os insurgentes conseguiram fechar temporariamente quase metade da produção de petróleo do país no ano passado. 
(…). Os Estados Unidos já estão treinando forças africanas em contra-terrorismo e manutenção da paz, mas as marés pequenas da África Ocidental estão em ruínas. A Marinha da Nigéria ficou envergonhada recentemente quando um petroleiro de 12.000 toneladas apanhado para o contrabando, o Orgulho Africano, simplesmente desapareceu de um porto nigeriano.
(…) Os governos devem abrir seus livros para o escrutínio público, e as empresas de petróleo devem ser obrigadas a publicar o que pagam aos países pelos direitos de exploração e perfuração. 
(…)Menezes insiste que São Tomé está "determinado a evitar os erros do passado de outros países do petróleo". Com segurança, estabilidade e geografia do seu lado, a era do petróleo que ele sonha deve ser uma benção, não uma maldição.Sao Tomé and Principe : An African microstate confronts the curse of oil

TEXAS OVERSEAS CONSULTING SERVICES,INC. Importer Category: Ceramics Country : United States Address: 7100 REGENCY SQUARE SUITE 102,HOUSTON,TEXAS 77036 Contact PATRICE EMERY TROVOADA Email : PTROVOADA@AOL.COM

TEXAS OVERSEAS CONSULTING SERVICES,INC. is an international purchaser taking part the canton fair in China, it's from United States and need to buy products of Furniture, Building and Decoration Materials etc
.. QUANDO É QUE TOCA A VEZ A PATRICIE  TROVOADA RESPONDER PELAS ACUSAÇÕES QUE LHE TÊM SIDO FEITAS?   - DIFICILMENTE O DEVERÁ SER ENQUANTO A JUSTIÇA CORRUPTA PROTEGER OS CORRUPTOS  ESTIVER DE MÃOS DADAS COM OS CORRUPTORES 

Pretextos para ir engaiolado, creio que não faltaram -  São do domínio público - Não é   minha intenção vir aqui recapitulá-los ou promover algum julgamento popular - Tal como também o de não desejar aqui rescrever a história detalhada das concessões que lesaram  a Nação  Santomense, em proveito dos políticos corruptos, que deviam ser honestos e defender os interesses do seu país e optaram por se vender, servindo a desmesurada gula das empresas que os corromperam - 

Deixarei, no entanto,  aqui alguns tópicos e referência a  linkes para consulta mais aprofundada sobre esta questão.  Pois não faltam descrições pela Internet - Nomeadamente, em inglês traduzido.

"Patrice Trovoada, o consultor de petróleo presidencial, exigiu uma percentagem mais elevada para Equator Exploration, a companhia de seu amigo negócios Chcrwayko, ln resposta, o presidente Menezes demitiu Trovoada de seu cargo, alegando que ele havia abusado de sua função para fazer negócios privados Além disso, Menezes foi forçado a demitir Meira Rita, em seguida, o chefe do gabinete presidencial, do Conselho Nacional de Petróleo e do JMC. A nomeação de Menezes de Rita na TBE dois corpos era uma clara violação da Lei de Gestão das Receitas Petrolíferas LHE, porque, como ERHC acionista que tinha interesses conflituantesERHC ...Extractive Economies and Conflicts in the Global South: ... Dr Kenneth Omeje - 2013 - ‎Political Scien  ..Energy Inc. (ERHE): Reason Wade Cherwayko and SEO are Outros interessantes artigo - citando Patrice Trovada - Extractive Economies and Conflicts in the Global South:.. Exorcising Devils from the Throne: São Tomé and Príncipe in the ...

ACUSAÇÕES AO EX-PRESIDENTE NIGERIANO  OBASANJO  - NAS QUAIS SURGE CITADO O NOME DE PATRICE TROVOADA 

(...) 05/08/2015 - "Num processo, em que ele violou todas as regras conhecidas e padrões éticos. Gostaria de citar apenas um exemplo que eu conheço muito bem: a Zona de Desenvolvimento Conjunto (JDZ) entre a Nigéria e a ilha gémea de São Tomé e Príncipe. Acredita-se ser rico em recursos naturais, especialmente em hidrocarbonetos ou de reservas de petróleo e gás em bruto, Nigéria e São Tomé e Príncipe assinaram um acordo durante a administração de Obasanjo para explorar os recursos em suas fronteiras marítimas. A Nigéria é o sócio sênior no Acordo de Desenvolvimento Conjunto (JDA) com uma participação de 60%, enquanto o pequeno-falante Português nação insular levou 40%. Dois gigantes petrolíferos americanos principais, ChevronTexaco e ExxonMobil, tinha sido contratada em 1 de Fevereiro de 2005, por ambos os governos da Nigéria e São Tomé e Príncipe para realizar a exploração, quando o contrato para o primeiro bloco de petróleo foi premiado.

Mas os contratos para os próximos quatro blocos foi a maneira nigeriana.Tudo foi entregue ao Environmental Remediation Holding Corporation (ERHC), uma empresa muito pequena, fledging que Offor tinha adquirido e mudou sua sede para Houston, Texas. 

(...)Em um relatório publicado em 9 de dezembro de 2005, São Tomé e Príncipe Presidente Fradrique de Menezes acusou o governo nigeriano e seus comparsas de conluio para privar seu povo de uma quantidade substancial por causa de práticas de corrupção. Ele trovejou(…) Duas semanas antes, Patrice Trovoada, conselheiro do presidente de Assuntos Petroleum, foi despedido por colocar seus interesses pessoais sobre os da nação enquanto outro assessor nomeado Manuel Rita, foi expulso depois das revelações que ele tinha ações da ERHC.  Buhari, Obasanjo And Emeka Offor By Mohammed Al-Bishak | Sahara ...

CHEGOU-SE AO PONTO DA EMPRESA BENEFICIADA NOMEAR PARA  SEU GESTOR UM DOS INTERVENIENTES NAS NEGOCIAÇÕES DO ESTADO SANTOMENSE  - Presidente de Assuntos Internacionais Lafayette, LA, 03 de dezembro de 1998 - Environmental Remediation Holding Corporation (OTC BB: ERHC). Anunciou hoje que o Sr. Mateus Meira Rita, Gerente de Assuntos Africanos e ex-secretário de Estado do Governo da República Democrática de São da Companhia Tomé e Príncipe, foi nomeado vice-Presidente de Assuntos internacionais do Conselho de Administração da ERHC. (...)o Sr. Rita é um membro bem-vindo a equipe de gestão, e ele está ansioso para aceitar os desafios enfrentados ERHC, que está bem posicionada para o crescimento de longo prazo e sucesso Environmental Remediation Holding Corporation Announces ... - ERHC  http://www.ocnus.net/cgi-bin/exec/view.cgi?archive=101&num=25989
-
Mas os nomes de chave na lista de pesquisa do governo são convincentes. Miquel Trovoada e seu filho Patrice, funcionários de energia são-tomenses, Gabriel Arcanjo Ferreira Da Costa , chefe JDA Carlos Bragança Gomes, e ex-ministro das Relações Exteriores São Tomé Mateus "Nando" Meira Rita, e um diretor First Atlantic Bank, que também foi uma empresa concorrente para os blocos da Zona de Desenvolvimento Conjunto, Emmanue Efoby, o chefe de Engenharia Foby.http://erhc.blogspot.com/2006/06/facts-emerge-about-erhc-energy.html
-
Mateus Meira 'Nando' Rita, ex-secretário de Estado para a cooperação, tornou-se gerente geral da STPetro. Em agosto PFC transferiu todos os seus direitos e obrigações no empreendimento com STP a ERHC. Enquanto isso, a ERHC pagou outros US $ 2 milhões de seus compromissos com o governo. No mês seguinte ERHC nvolvidos Carlos Gomes e Mateus Meira Rita como consultores da empresa, alegadamente por um salário mensal de R $ 5.000. http://www.afsaap.org.au/Conferences/2004/seibert.PDF .

"São Tomé e Príncipe: o azar do petróleo 2006 - A essa situação instável, juntou-se o descontentamento de uma população que vive com menos de 300 euros por ano. Desde o fim de 2004, os dividendos das primeiras concessões, cerca de 49 milhões de euros, ficaram estranhamente bloqueados, e sem juros, nos cofres da filial local de um banco de Abuja (Nigéria) - í(…)Le Monde Diplomatique Brasil..... IRIN | Oil minister resigns as controversy dogs award of second ... Traduzir esta página Relatório de Investigação e Avaliação do Segundo Leilão ... - Juristep ... 
 Maldição" do petróleo atinge São Tomé e Príncipe
"O petróleo nem sempre é chave para o desenvolvimento e aumento do bem-estar das populações, defende o investigador Pedro Vicente, que fez um estudo sobre São Tomé e Príncipe, em que vinga a "maldição" dos recursos naturais.
(..) Em declarações à Agência Lusa, num contacto telefónico para Oxford, Pedro Vicente explicou que o trabalho que realizou nos últimos dois anos, em parceria com outro elemento do centro de estudos, visou perceber quais os mecanismos da "maldição dos recursos naturais" que leva os governos de muitos países em desenvolvimento a desperdiçarem a oportunidade de vencer a pobreza e conquistarem um melhor nível de vida para a população em geral.
O "trabalho de campo" - é essa a designação que o investigador lhe dá - centrou-se em duas realidades bem conhecidas dos são-tomenses: a atribuição de bolsas de estudo e a compra de votos, o chamado "banho", uma presença incontornável nas eleições dos últimos anos, sobretudo nas legislativas e presidenciais realizadas em 2006. http://www.rtp.pt/noticias/mundo/maldicao-do-petroleo-atinge-sao-tome-e-principe_n141988 ...Patrice mandou emprestar 30 milhões de dólares a uma empresa


Nenhum comentário :