expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Historiadora Irene Flunser Pimentel defende “Comissão da Verdade” para esclarecer crimes coloniais em África



HISTORIADORA PORTUGUESA PROPÕE COMISSÃO DE VERDADE PARA JULGAR OS CRIMES DO PASSADO - E PORQUE NÃO A OPORTUNIDADE DE SE JULGAREM TAMBÉM OS CRIMES DO PRESENTE - 

Sim, de milhões de fundos, provindos das mais diversas origens da comunidade internacional mas que desaparecem sem deixarem rasto nem praticamente sinais da sua passagem - Com a população a viver abaixo da linha de pobreza - Disto não falam nem os historiadores atuais nem a imprensa oficiosa " Historiadora defende “Comissão da Verdade” para esclarecer crimes coloniais em África

A historiadora portuguesa Irene Flunser Pimentel defende o esclarecimento dos tabus em torno dos crimes cometidos por Portugal nos vários cenários da guerra colonial em África.

A historiadora portuguesa Irene Flunser Pimentel exorta a opinião pública dos países africanos a debruçar-se sobre a memória para o conhecimento da história comum. A investigadora considera que já não é tempo de fazer justiça em tribunal pelos crimes cometidos no passado pelo regime colonial português.

Irene Pimentel tem vindo a aprofundar o seu trabalho com recurso aos documentos depositados na Torre do Tombo, em Lisboa, e lançou este sábado a sua mais recente obra - "O Caso da PIDE/DGS”-, através da qual questiona se "foram julgados os principais agentes da Ditadura portuguesa”.
O que fazer com os agentes da ditadura?

Portugal viveu um momento de rotura relativamente ao regime que vigorou até ao Estado Novo, com o eclodir do 25 de abril de 1974 – um golpe de Estado que se transformou num processo revolucionário.

Entretanto, no seio da opinião pública, começou a ser discutido o que é que iria ser feito com os elementos do antigo regime. "Seriam julgados?”, questiona a historiadora portuguesa.

Não havia muitos modelos a seguir. O único era, praticamente, o caso dos julgamentos de Nuremberga: entre 1945 e 1946, o Tribunal Militar Internacional reuniu-se para julgar os dirigentes nazis alemães após a Segunda Guerra Mundial.

Nesse sentido, houve uma discussão que motivou a criação de uma Comissão de Extinção da PIDE/DGS – a polícia política portuguesa que se transformou no paradigma do antigo regime. Por exemplo, Marcelo Caetano e Américo Tomás – duas figuras emblemáticas do Estado Novo – foram enviados pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) para fora de Portugal, mais precisamente para o exílio no Brasil.
Inicialmente, os ministros que tutelavam a polícia política portuguesa também não foram presos. Isso só veio a acontecer mais tarde, por causa da opinião pública. E os elementos da PIDE, que foram os responsáveis pelos quatro mortos e vários feridos no 25 de abril, também por pressão da opinião pública, começaram a ter medo e entregaram-se às Forças Armadas.


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

"ROUBA-LHE A VALER” – VOO CORRUPTO BRASIL - SÃO TOMÉ – MOÇAMBIQUE - Avultados subornos da brasileira Embraer a altas entidades moçambicanas na compra de dois aviões pela empresa aérea LAM passaram por S. Tomé sob o código de Xihivele, ”rouba-lhe a valer”, nome dado a empresa criada em São Tomé e Príncipe, para receber o USD 800 mil dólares “pagamento de consultoria” - Um caso de sofisticada corrupção, 2007 e 2009 mas que só agora parece entrar em velocidade de cruzeiro: - Justiça Moçambicana revelou nesta segunda-feira que o processo, - aberto em Julho de 2016 - , se encontra em fase adiantada de instrução – Nosso site, foi o primeiro a divulgar, em 8 de Nov. passado, os nomes e os detalhes dos agora constituídos arguidos, com base em pesquisa num site de Tribunal Brasileiro.

Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 

Os brinquedos dos vigaristas 


O antigo presidente do conselho de administração(PCA) das Linhas Aéreas de Moçambique(LAM), José Viegas, e o antigo director da Petrolífera Sasol em Moçambique e actual Executivo Regional da GE Oil & Gás, Mateus Zimba, pediram um milhão de dólares norte-americanos de comissão a Embraer para adjudicarem a compra de duas aeronaves a empresa brasileira. A fabricante de aeronaves comerciais aceitou pagar 800 mil dólares de suborno e a companhia aérea de bandeira moçambicana adjudicou o negócio de cerca de 70 milhões de dólares norte-americanos.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) moçambicana, que, em Abril passado, anunciou  os nomes dos três arguidos no caso de alegada corrupção na compra pelas Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) de duas aeronaves à fabricante brasileira Embraer,  revelou no principio desta semana, através do Gabinete Central de Combate a Corrupção(GCCC), que os arguidos  têm  as suas contas bancárias “congeladas” enquanto decorre a instrução preparatória - Refere o Jornal “Verdade”, citando   o porta-voz da instituição, Cristóvão Mondlane, na conferencia proferida  durante a apresentação do balanço trimestral do GCCC, que adiantou que o processo Embraer, envolve sete países,  está na fase muito avançada – “Não obstante que tenhamos cooperação com esses Países não é tão linear que nós precisamos do seu auxílio de forma rápida nalguns Países temos sucesso, em cinco, e até agora estamos a espera de algumas informações de outros. Mas estamos numa fase muito avançada, até já temos três arguidos é o que posso adiantar por enquanto”.

O “caso” é relativo a compra de duas aeronaves pelas LAM a empresa brasileira Embraer, em 2008, pelo preço unitário de 32.690.000 dólares norte-americanos, com opção para a compra de mais dois aviões pelo mesmo preço. Zucula, Zimba e Viegas arguidos no “caso Embraer” têm contas ...

OS ESTADOS-UNIDOS É QUE DESPOLETARAM A MEGA-CORRUPÇAO QUE ENVOLVEU O BRASIL, A REPÚBLICA DOMINICANA, ARÁBIA SAUDITA, SÃO TOMÉ, MOÇAMBIQUE E A ÍNDIA

A brasileira “Embraer”  pagará R$ 643 milhões aos EUA para encerrar caso de corrupção que envolveu a comercialização de 16 aeronaves entre 2007 e 2011, envolvendo a comercialização de 16 aeronaves  a sete países,.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que investiga a empresa desde 2010, encontrou evidências de irregularidades em quatro transações realizadas pela companhia entre 2007 e 2011, envolvendo a comercialização de 16 aeronaves. A Embraer reconheceu essas irregularidades.

"A Embraer pagou milhões de dólares em propinas para vencer contratos governamentais de aeronaves em três continentes", afirmou o chefe da divisão criminal do Departamento de Justiça, Leslie Caldwell. A empresa foi investigada nos EUA porque suas ações são negociadas na bolsa de valores de Nova York.

No Brasil, as investigações foram comandadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelo Ministério Público Federal (MPF). O acordo com as autoridades brasileiras envolve o pagamento de R$ 64 milhõess, afirmou a CVM. O valor será descontado dos 206 milhões de dólares do acerto com as autoridades americanas.

De acordo com a comissão, a Embraer admitiu ter pago propinas de 5,97 milhões de dólares (R$ 18,6 milhões) a funcionários públicos da República Dominicana, de Moçambique e da Arábia Saudita, em três contratos de compra e venda de aeronaves de sua fabricação, celebrados em 2007, 2008 e 2010, respetivamente

Em Moçambique, a fabricante brasileira pagou 800 mil dólares (R$ 2,49 milhões) para um representante de alto escalão da empresa aérea LAM para garantir um contrato de 65 milhões de dólares (R$ 202 milhões) de venda de dois jatos comerciais E-170, em 2008. A LAM é controlada pelo governo moçambicano. Embraer pagará R$ 643 mi para encerrar caso de corrupção - Terra

GOLPE TRANSNACIONAL  DA VENDA DE AVIÕES BRASILEIROS  COM MILIONÁRIAS LUVAS -  Nós sabemos os nomes dos passarões - Eis o que escrevemos neste site, em 8 de Novembro de 2016  - Num artigo que fez manchete em vários jornais mas lamentavelmente não citaram a fonte da pesquisa. 

Em 8 de novembro de 2016 18:43, Jornal @Verdade escreveu: "eu sou editor do @Verdade.”, se podia “partilhar os documentos que identificam os cidadãos moçambicanos envolvidos na corrupção na compra de Embraer´s? Atenciosamente -

Respondi: "Pode usar a informação que quiser do meu post - Pois ela interessa sobretudo a Moçambique, uma vez que, afinal, não chegou haver negócio com S. Tomé."

PERDI LONGAS HORAS DE ATURADA INVESTIGAÇÃO - mas nenhum citou a fonte da pesquisa  - Manda a elementar ética que se citem as fontes e não tiveram a gentileza de o fazer 
EIS O QUE FOI DITO NESTE POST  NO DIA 8 DE NOVEMBRO

As noticias omitem o nome  do misterioso "Agente C"  que recebeu de luvas 800 mil dólares mas nós consultamos o processo judicial e sabemos quem foi - quem foram os vários artistas. 

Entretanto, após a publicação deste post,  constatamos que, o site oficial da Comissão de Valores Mobiliários, do Brasil, donde extraímos  os pormenores  da denúncia, deixou de ter a informação acessível - Mas, nós à cautela, fotografamos todas as páginas de ponta a ponta e temo-las guardas em arquivo e em disco externo.



"Investigação concluiu que Embraer pagou 800 mil dólares a "Agente C", que se sentiu insultado por oferta de 50.000 dólares. Os Estados Unidos conhecem os nomes de duas pessoas em Moçambique que receberam subornos na venda de dois aviões da companhia brasileira Embraer às Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), em 2008 - EUA identificaram moçambicanos subornados pela Embraer Dizem noticias recentes   Mas não apontaram os nomes dos acusados; nós fomos descobrir os contornos do processo judicial e damos-lhos aqui  detalhadamente

O caso, já tem barbas, pois data de 2008,  mas só agora foi manchete em vários jornais, pelo facto do Tribunal da Florida  ter processado a  EMBRAER (fabricante de aviões) a pesada pena financeira. 

Nenhuma notícia divulgou os nomes: - é dito que os Estados Unidos conhecem os nomes de duas pessoas em Moçambique que receberam subornos na venda de dois aviões da companhia brasileira Embraer às Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), em 2008, mas omitem-se ou são tratados por “Agente C",


Mas a nossa investigação (o nosso 6º sentido jornalístico) permitiu-nos conhecer os pormenores dos principais contornos do Mega Suborno, através da exposição da Comissão de Valores  Mobiliários, onde os processos prosseguem os seus trâmites legais - No entanto, no Brasil, o caso tem sido mais ou menos silenciado, dado a poderosa influencia da empresa nos media. Pois, quem der à língua, já sabe que não leva anúncios e estes são fundamentais para os jornais, rádios e televisões, encherem os bolsos

Referem notícias que "As autoridades brasileiras acusaram 11 pessoas por suposto envolvimento no suborno da Embraer na República Dominicana, enquanto as autoridades sauditas acusaram dois indivíduos pelo suposto envolvimento em delitos semelhantes na Arábia Saudita. Ninguém foi acusado em Moçambique, na Índia e nenhum dos dois moçambicanos envolvidos até agora não foi nomeado." – 

A MEDIA  ENVOLVE O CASO EM MISTÉRIO MAS NÃO HÁ MISTÉRIO ALGUM  - É UMA QUESTÃO DE IR ÀS FONTES E DE FAZER ALGUM ESFORÇO

(..) Diz a media que "essa misteriosa “entidade de Moçambique” sugeriu, então, um milhão de dólares mas disse que 800 mil poderiam ser aceites

A Procuradoria Geral da República de Moçambique anunciou na quarta-feira, 2, a abertura de investigações sobre este processohttp://www.voaportugues.com/a/eua-identificaram-monambicanos-subornados-pela-embraer/3579329.html - Mas nada vai acontecer - A corrupção está institucionalizada e não há combate possível enquanto não forem varridos os políticos corruptos

PORMENORES DA ACUSAÇÃO  

"De um lado, o Ministério PÚBLICO FEDERAL, pelos Procuradores da República que se subscrevem,' e a COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS , neste ato representada por seu Presidente, doravante denominados autoridades, e de outro lado a EMBRAER S/A, com sede na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.170, São José dos Campos, SP, CEP 12227-901, inscrita no CNPJ sob o n . 07. 689. 00? /0001-89 , neste ato, Representada por Fabiana Klajner Leschziner, José Antônio de Almeida Filippo, Esther M. Flesch e Eriça Sellin Sarubbi, doravante denominada compromitente
CONSIDERANDO o Termo de Cooperação Técnica celebrado entre as autoridades em 08/05/2008 e aditado em 08/05/2013;


CONSIDERANDO estar em curso, na 7ª Vara Federal Criminal da Sede da Secção Judiciária do Estado do Rio de Janeiro, a ação penal nº 022500-03.2014.4.02.5101 que imputa a dez d1rigentes  presentes ou pretéritos da compromitente prática  dos crimes  de corrupção e ativa transacional  e da lavagem de dinheiro no contexto da venda de aeronaves da sua fabricação para a República Dominicana
Considerando estar em curso, na Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro, os procedimentos investigatórios criminais 1.30.001.004848/2015-31 e 1.30.001.004876/2015, um para apurar a participação de outros dirigentes presentes ou pretéritos da compromitente nos fatos subjacentes à ação penal nº 0022500-03.2014.4.02.5101 e outro para apurar a prática de crimes de corrupção ativa transacional e de lavagem de dinheiro por dirigentes presentes ou pretéritos  da compromitente em curso noutros países (...)

ANEXOS E RESUMO DOS FACTOS

(…) Moçambique

27. Em 22/05/1008, depois de quase três anos em que o Diretor de Vendas do Segmento de Aviação Comercial da Embraer. Palrice Candaten., empreendeu esforços para vender aeronaves paro empresa estatal LAM, de Moçambique, a Embraer formalizou proposta para vender à LAM dois aviões comerciais pelo preço unitário de USS 32.000.000.00, com uma opção para a compra de mais dois aviões pelo mesmo preço.

28. Conforme _apurado pela investigação interna da Embraer, Patrice Candaten enviou, em 11/08/2008 mensagem de correio eletrónico paro Luiz Fuchs e Albert Philip Close, na qual comunicou que após concluída a venda, o moçambicano Mateus Lisboa Gentil Zimba ("Mateus Zimba"), que não trabalhou nos esforços de venda, o  contatou e disse que atuaria como “consultor”   no negócio. Na mesma oportunidade, Patrice Candaten propôs que eles "criassem margem para comissões," para Mateus Zimbra na formação no preço de duas opções subsequentes à venda

29 – A mesma cadeia de emails que, em 13-08-2008, o Vice Presidente da Embraer, Luiz Fuches, enviou mensagem de correio eletrónico para Patrice Candanten, com cópia a outros empregados da Embraer, em que relatou conversa que teve com Mateus Zimba, na qual este disse que, embora a Embraer não tivesse previsto contar  com um consultor, nós gostaríamos de ter um gesto na entrega do primeiro avião” Luiz Fuches afirmou, na menagem, que “temos que mostrar algum gesto e talvez o valor mencionado por Albert Close  (50 a 80 mil dólares) acomodasse a necessidade….”  Luiz Fuches indicou que havia explicado a Mateus Zimba como estabelecer uma empresa para a qual a Embraer pudesse fazer supostos pagamentos de consultoria, inclusive que, para receber pagamento da Embraer,  “ele precisava de uma empresa, nome, endereços e não ter sede em páriso fiscal.   

30. Em resposta, José Molina, que tinha também recebido a mensagem, aprovou a oferta a Mateus Zímba de US$ 50.000.00 por cada um dos dois primeiros aviões vendidos, com margem para sua negociação chegar a US$ 80.000.00 por avião, se necessário. Ele também aprovou  que se pagasse entre 2 a 2.5% do preço de venda das duas opções, se a LAM exercesse a previsão, opcional de comprar outros aviões..

31.Em 18-08-2008. Luiz Fuchs escreve que ofereceu US$ 50.000.00 para Mateus Zimba, relatando, em seguida, em mensagem de correio eletrónico para Patrice Candaten,  com cópia para outros empregados da empresa, que percebeu que Mateus  Zimba estava ''esperando uma comissão  muito maior" e ao ouvir  o valor, insinuou que o cliente podia abjudicar o  contrato para outra empresa.

32. O Presidente da LAM José Ricardo Zuzarte Viegas ("José Viegas"),telefonou para Luiz Fuchs, que, em  mensagem de correio eletrónico,  em 25-08-2008, para  Patrice  Candaten, narrou a  conversa, lembrando que José Viegas  "frisou que tinha recebido comentários muito desagradáveis de algumas pessoas sobre a proposta de comissão da  Embraer" . José Viegas  indicou, ainda, que "algumas pessoas receberam a proposta da Embraer como um insulo e, de certo modo, teria sido menos ofensivo não propor nada, mesmo que isso não  fosse uma solução aceitável." Luiz Fuchs perguntou a José Viegas "o que de esperava da Embraer", no que José Viegas respondeu que "nas atuais circunstâncias, pensou em cerca de um milhão de dólares ". Depois de Luiz Fuchs negociar, José Viegas  "finalmente sugeriu que poderíamos nos safar com US$ 800.000.00 (duas de 400 mil]." Luiz Fuchs disse a José Viegas que a Embraer "não tinha orçamento para esse valor de consultoria" ao que José Viegas sugeriu tirá-lo da margem de lucro sobre os duas opções e também "perguntou se o preço da aeronave poderia ser elevado". José Viegas disse, ainda, que  não se sentiria à vontade para discutir aquele assunto por telefone, enquanto em Maputo.

33. Em  15/09/2008, a Embraer  e a LAM firmaram  contrato de compra e venda de dois aviões  E-190  pelo preço unitário de US$ 32.690.000.00, mais um sinal  de US$ 312.000.00  por um terceiro avião. José Viegas foi um dos três executivos da LAM que assinaram o contrato ela empresa.

34. Em 22/04/2009, sete meses após a assinatura do contrato de compra, mas antes da entrega da primeira aeronave , a Embraer RL, pela qual assinaram luiz Carlos Siqueira Aguiar e Flávio Rimoli, celebrou contrato de representação com empresa Xihivele, Consultoria e Serviços Lda, que havia sido recentemente constituída por Mateus Zimba em São Tomé e Príncipe. Esse contrato autorizava a empresa de Mateus Zimba a promover vendas do avião F-190 “apenas e especificamente “para LAM, embora a compra desses aviões tivesse sido contratada sete meses antes  da assinatura do contrato  de representação comercial. Com efeito a empresa Mateus Zimba nem sequer existia quando o contrato de compra e venda das aeronaves foi assinado, e, por conseguinte, não atou em nenhuma dimensão no âmbito desse contrato. O contrato com a empresa Mateus Zimba  falsamente afirmava que o trabalho de promoção de vendas havia começado em Março de 2008

35. A Embraer  RL prometeu, por esse contrato de representação comercial, pagar à empresa de Mateus Zimba US$ 400.000,00 por aeronave, exatamente o valor que José Viegas tinha dito anteriormente que aceitaria. Ocorre que nem Mateus Zimba nem sua empresa jamais prestaram serviço para a Embraer;

37. A Embraer entregou as duas aeronaves à LAM entre 3010712009 e 02/09/2009. Na sequência da entrega de cada aeronave e, a empresa de Mateus Zimba apresentou duas faturas à Embraer, cada uma no valor de US$ 400.000.00, a primeira com data de 15 /08/2009. e a segunda com data de 24/9/2009. Eduardo Munhos de Campos assinou e aprovou ambas as faturas para pagamento. Em  31/9/ 2009. a Embraer RL efetuou transferência de US$ -100.000.00 de sua conta no Citibank nos EUA para uma conta no Banco Internacional de São Tomé e Príncipe, para credito em uma conta na Caixa Geral de Depósitos em Portugal, de que  era titular a empresa de Mateus Zimba. Em 02/10/009, a Embraer RI transferiu mais US$400.000.00 de sua conta para a conta em Portugal  da empresa Mateus Zimba. A Embraer RL contabilizou esses pagamentos como “comissão de vendas”, e eles foram consolidados na contabilidade da Embraer como “despesas operacionais liquidas “como uma despesa de venda, mais especificamente, como “comissão de vendas”
http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/noticias/anexos/2016/20161024-tcacembraer.p

QUEM SÃO ESTES DESCARADOS OPORTUNISTAS QUE SE ENCHERAM DE DÓLARES E QUE  AINDA CONTINUAM A DESEMPENHAR ALTAS FUNÇÕES EM MOÇAMBIQUE - SEM PUDOR E SEM VERGONHA


Claire Mateus Zimba - Diretor Geral do Instituto para a Promoção de Pequenas e Médias Empresas de Moçambique (IPEME), acusado no processo judicial de ter sido um dos rostos moçambicanos  envolvidos  em altas luvas pela empresa  - Numa das suas deslocações a Portugal, foi recebido a Portal onde foi recebido nos Paço do Concelho de Amarante, convidado de visitar o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso e participar num jantar-conferência com os empresários de Amarante. http://www.radioregiaodebasto.com/index.php/regiao/818-mocambicano-claire-mateus-zimba-visita-amarante.html


MATEUS ZIMBA «Moçambique é a chave para a nossa estratégia de consolidação e crescimento na África Austral»

Formou-se em Medicina Veterinária pela Universidade Eduardo Mondlane. Mas antes, esteve dez anos no exército moçambicano, onde exerceu funções como veterinário e também como gestor, fazendo parte do grupo de logística das Forças Armadas. Em 1991 rumou aos EUA e foi aí que se tornou Mestre em Gestão de Negócios. Regressou a Moçambique e, anos depois, em 1999, juntou-se à Sasol Petroleum Internacional, onde exerceu funções de director de Relações Governamentais, director de Relações Institucionais e Corporativas. Em 2007, tornou-se o terceiro director geral da empresa, o primeiro moçambicano a exercer essa função... até hoje. O homem certo para nos dar esta entrevista. Excerto http://www.villasegolfe.co.mz/pt/articles/info/238/-

MAS QUE RICO PRESIDENTE DE UMA COMPANHIA AÉREA

2011 . José Viegas passou o testemunho da liderança das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) ao novo Presidente do Conselho de Administração (PCA), Teodoro Waty - Na ocasião, Viegas disse: “Dizemos ao Senhor Presidente do Conselho de Administração bem-vindo a bordo desta grande nave denominada LAM. Voe confortável, rápido e seguro”. http://opais.sapo.mz/index.php/economia/38-economia/14129-jose-viegas-passa-testemunho-da-lideranca-da-lam-a-teodoro-waty.html

 (..) Eng. José Viegas, a LAM tem estado num frenesim informativo sobre os planos que tem para os próximos 3 anos. Viegas falou de várias iniciativas e apontou que está “…a projectar um investimento na ordem dos 150 milhões de dólares para renovar a frota e aplicar na modernização, nos próximos três anos” (In Macauhab-28-03-08), mas não disse nada sobre a questão da aquisição de aeronaves que levou o deputado criticar. É que para um país enorme [comparável com o estado de Texas-EUA] como o nosso, uma frota de três aeronaves emprestadas não justificam o salário do PCA das LAM.  http://mozmiradouronline.blogspot.pt/2008/03/jos-viegas-acossado-justificar-os-25.html  . Moçambique: LAM proibida de voar para a Europa

PROPOSTA DA VENDA DE AVIÃO DA  EMBRAER A  S. TOMÉ – O QUE FALTOU AO NEGÓCIO QUE NÃO SE CONFIRMOU?... - Porque os brasileiros, para darem altas comissões, só as davam se lhes enchessem  os cofres de milhões (provenientes  de dinheiros públicos), e, como é sabido, esta gente não vai em promessas mas em números: ora, estando S. Tomé e Príncipe,  dependente quase a 100% da ajuda externa,  claro, não  havendo mais nada a dar que mato na floresta, naturalmente que a EMBRAER, não ia vender a fiado  - É que isto de negócios de aviões, é negócio de dinheiro à vista e de jogos de altas paradas. 

Estes alguns dos pormenores da noticia, então publicada: “Embraer negocia venda de jato de R$ 32 milhões a São Tomé” – Era o titulo de uma noticia em 2207 - Mas o negócio acabou por não se confirmar 

(...) "o assunto havia sido abordado por uma delegação do governo são-tomense que esteve no Brasil no final de março, e que visitou as instalações da Embraer, em São José dos Campos. A delegação reunia o ministro das Relações Exteriores e Cooperação, Carlos Gustavo dos Anjos, e o das Obras Públicas e Infra-Estruturas, Delfim Neves, segundo noticiou a imprensa do país africano na ocasião. De acordo com a fonte ouvida pela Agência Lusa, a delegação de São Tomé pediu ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a abertura de uma linha de crédito para financiar a operação. Apesar de o preço do aparelho ficar em torno de US$ 16 milhões, este poderá subir, uma vez que, destinando-se a uso oficial, são exigidas adaptações específicas”(...) Excerto Embraer negocia venda de jato de R$ 32 mi a São Tomé

VERGONHOSO  -  A COMPANHIA DE BANDEIRA STP AIRWAYS AINDA CONTINUAR NA LISTA NEGRA 

A STP Airways faz parte da lista de companhias aéreas proibidas de voar na União Europeia. Para colmatar essa proibição, freta as aeronaves à EuroAtlantic. Atualmente, há dois voos directos semanais entre Lisboa e São Tomé – Não se fez um negócio mas enveredou-se por outro que pelos vistos, também não deixa de ser coxo. 


Claro que não é apenas S. Tomé – EuroAtlantic começa a voar para São Tomé e Príncipe em Novembro…. Companhias aéreas de Moçambique, São Tomé e Angola proibidas ..  Mas porque não, STP, não logrará servir de exemplar modelo?  - Claro que só com um Governo nacionalista e progressista o poderia conseguir, pois tal como diz um atento cidadão santomense 

 Ora, uma análise aos primeiros dois anos deste governo, constatamos facilmente que nada foi comprido, ou seja, incoerência total entre o que está no programa e as acções do governo. A aposta na valorização do capital humano caiu logo por terra quando o governo decidiu demitir de forma irresponsável todos os directores da administração pública não afectos ao partido que o sustenta. De igual modo essa ideia da coesão nacional falhou com a perseguição e exclusão de todos os quadros e profissionais afectos aos partidos da oposição. Em relação a credibilização externa do país podemos dizer que o governo com as suas acções inconsequentes, não sabido delinear uma politica externa que aponte neste sentido

UM PAÍS  À DERIVA 

 Já lá vão mais de 41 anos sobre o 12 de Julho de 1975, mas São Tomé e Príncipe,  continua a ser um paraíso perdido, sem rumo definido, e, sobretudo, atualmente, governado por um Primeiro-ministro, irresponsável, autoritário e vaidoso, que passa a maior do tempo a tratar dos seus negócios de que a debruçar-se, in loco,   dos problemas da terra e das suas gentes, a preocupar.se pelo seu bem-estar e por um desenvolvimento sustentado e verdadeiro

Como não podia deixar de ser, também as entidades destas maravilhosas ilhas, além de terem dado cobertura ou sido cúmplices, direta ou indiretamente,  com as negociatas  do ganancioso e espertalhaço moçambicano, também  se deixaram seduzir pelas tentadoras propostas da  EMBRAER – Por agora, ficam apenas algumas noticias da misteriosa e milionária compra


A corrupção foi e continua a ser o cancro das sociedades, com reflexos ainda mais danosos, quando se trata de um dos  países mais pobres do mundo, muito embora seja possuidor de abundante  riqueza natural  

O CASO DAS LUVAS DA EMBRAER, REFERIDO POR JUÍZES E ADVOGADOS NOS TRIBUNAIS  BRASILEIROS - EXISTE ABUNDANTE INFORMAÇÃO  - DEIXEMOS-LHE AQUI MAIS ALGUMAS PINCELADAS PROCESSUAIS


(…)O fato de as investigações terem se iniciado a partir de notícia criminis encaminhada por autoridades dos EUA à Procuradoria da República de São José dos Campos/SP e terem sido deferidas medidas assecuratórias pelo Juízo da 1ª Vara Federal de São José dos Campos não determina a fixação da competência para processamento e julgamento da ação penal perante aquele Juízo, a uma porque as provas colhidas até o presente momento permitem concluir que os crimes sob investigação foram articulados e executados a partir da cidade do Rio de Janeiro, onde o agenciador do esquema criminoso e responsável pelo pagamento indevidtem sua sede de negócios e, a duas porque aquele Juízo não detém competência para lavagem de dinheiro.
Nesse sentido, confira-se o seguinte julgado:  Excerto TRF-2 05/11/2015 - Pg. 640 - Judicial - jfrj | Tribunal Regional Federal 

Andamento do Processo n. 0130039-57.2016.4.02.5101 - 30/09/2016 do TRF-2
7ª Vara Federal Criminal Boletim: 2016000261

(…) O excipiente sustenta, em síntese, que a denúncia não descreveria ato de execução e/ou produção de resultado no Rio de Janeiro; que a empresa Globaltix possui sede no Uruguai; que no endereço dessa empresa no Rio de Janeiro funcionam duas empresas estranhas ao processo; que não há operações financeiras/bancárias no Rio de Janeiro; que o suposto esquema teria sido concebido nos escritórios da Embraer S/A em São José dos Campos/SP; que as mensagens eletrônicas acerca dos pagamentos indevidos foram trocadas pelos acusados na Embraer S/A; que o último ato de execução da suposta lavagem teria ocorrido na Republica Dominicana; que seria competente a 1ª Vara Federal de São José dos Campos por prevenção; que é devida a aplicação das regras do artigo 70 do CPP.



Vejamos: (...) Para tornar o suborno legítimo, o agente moçambicano criou uma falsa empresa em São Tomé e Príncipe através da qual o suborno foi canalizado. A SEC descobriu que "em ou em torno de 22 de Abril de 2009, a Embraer, subsidiária americana da Embraer, firmou um acordo de consultoria com uma empresa sediada em São Tomé e Príncipe que o agente moçambicano controlava e que só havia sido incorporada em novembro de 2008" Excerto de US authorities say LAM corruption involved CEO – AIM report 

"Moçambique é um dos países mais corruptos do mundo” - E os maiores corruptos estão nos lugares chaves das Empresas e da Governação 

Tal como é referido, em notícias, persistem altos índices de pobreza e corrupção em Moçambique – Em que, a pobreza e a desnutrição continuam com níveis bastante elevados, mormente nas zonas rurais, o crescimento do consumo per capita diminuiu drasticamente e a corrupção permaneceu alta

"Um quarto dos moçambicanos paga suborno para arranjar emprego, de acordo com os resultados de um inquérito financiado pela US Agency for International Development (USAID), segundo o qual os níveis de corrupção e de criminalidade em Moçambique se situam entre os mais elevados do mundo. O estudo revela que um cidadão em cada 2,2 foi vítima de corrupção nos seis meses precedentes e que os níveis de suborno solicitado são dos mais altos do mundo, só ultrapassados pela Bolívia.Os autores da investigação consideram que a pequena corrupção é dominante, e que ela afecta direitos do cidadão, como o acesso ao emprego, à segurança, à saúde e à educação. A comunicação social moçambicana reporta frequentemente casos de professores que trocam notas por favores sexuais das alunas e é prática corrente subornar o agente para evitar uma multa de estacionamento https://www.publico.pt/mundo/jornal/mocambique-e-um-dos-paises-mais-corruptos-do-mundo-165893


Linke da postagem onde editamos a noticia que aqui parcialmente transcrevemos 08/11/2016 - 2016  S. TOMÉ E PRÍNCIPE - ODISSEIAS NOS MARES E TERRAS: Altos ...

Posteriormente à nossa divulgação – Os pormenores do referido processo, passaram a estar  também acessíveis através deste link  [PDF]Page 1 TERMO DE COMPROMISSO E DE AJUSTAMENTO DE ...


domingo, 22 de outubro de 2017

Aldeia do Bispo de S. Tomé e Príncipe, está de luto – Dom Manuel dos Santos, embora longe da sua querida terra Natal, deverá estar também a viver momentos de muita angústia tristeza e dor – A tragédia criminosa dos 500 incêndios em Portugal, atingiu também a pequena aldeia de São Joaninho, do concelho de Santa Comba Dão




Jorge Trabulo Marques - Jornalista


Os incêndios florestais que deflagraram no domingo passado, em várias zonas do país provocaram 44 mortos, cinco dessas vitimas são da pequena e agora tão sacrificada aldeia de São Joaninho,

O PESADELO DA MAIS LONGA NOITE E MADRUGADA NA INFERNAL E ABRASIVA FOGUEIRA QUE MATA

Muitos dos cerca de mil habitantes desta freguesia perderam família e bens. Duas vítimas mortais morreram a caminho de um aviário, que ficou destruído, e as outras três vítimas perderam a vida nas estradas, quando tentavam fugir das chamas. Na estrada que liga São Joaninho a São Jorge há vários carros queimados. SIC
“Habitante de São Joaninho, que perdeu um irmão, um amigo e vários bens materiais no incêndio deste domingo. Sofreu ferimentos enquanto tentava escapava das chamas” -.RTP  

OS CHEIROS DAS URZES TRANSFORMADOS EM CHEIROS DE CINZAS E MORTE -  Quando o  destino faz trágico trocadilho com  a poesia mais intimista e sentida 

“A minha aldeia! – No horizonte de montanhas de granito/acontecem sonhos de vida diferente/  Reza-se a Deus uma prece feita num grito/  de quem espera ser alguém, ser gente/  Há cheiros de urzes selvagens espalhando-se por encostas pintalgadas de lírios brancos/  Na floresta mal queimada, entretanto/ nascem carquejas, giestas e tojo manso/ Saúda-se o sol que se levanta fagueiro na madrugada de um dia novo/ E aqui se sonha, se espera, passageiro /  de um tempo feito gente, feito Povo"



Poemas lidos por D. Manuel dos Santos, na sua residência, em S. Tomé , em finais de  Julho de 2015

(RETIFICAÇÃO) Entretanto, recebemos uma amável mensagem  Sr. Bispo Dom Manuel dos Santos, agradecendo-nos a solidariedade  manifestada, mas dizendo-nos, que há duas aldeias, com o mesmo nome, no mesmo distrito de Viseu: há o São Joaninho, de Santa Comba Dão, onde pareceram as  cinco vitimas e o S. Joaninho de Castro Daire, sua terra natal – Ambas os concelhos, com as mesmas caraterísticas paisagísticas,  foram severamente fustigados pelos terríveis incêndios, só que, infelizmente, a má sorte   - além da enormes devastação e prejuízos materiais provocados, enlutou a S. Joaninho, de Santa Comba Dão –  Em todo o caso, a tragédia  que chocou e apanhou de surpresa todos os portugueses, mas  cujo luto pesou sobretudo nesta região, na qual o sentimento de tristeza e desolação, terá sido  ainda mais intenso e generalizado,  em todos quantos aqui vivem ou conhecem estas terras, naturalmente  que assim  terá também sentido o drama, o Bispo Dom Manuel dos Santos, cujos espaços e horizontes beirões lhe são tão queridos e familiares.


“QUEM SOU?"



“Sou da Beira, de facto: de São Joaninho de Castro Daire, distrito de Viseu. Sou o 5º de nove filhos, vivos ainda, graças a Deus.

Aos 11 anos fui para o seminário de Resende, do seminário de Lamego. Saí de lá aos 18 anos para entrar na Congregação dos Missionários Claretianos; ordenado padre, em 1985, na minha terra, por Dom António Xavier Monteiro, que era então o Bispo de Lamego,



Após a minha ordenação, fiquei a trabalhar nos Carvalhos, durante 9 anos. Em Novembro de 1993, vim para África; estive um mês em Luanda e “aterrei” em 6 de Janeiro de 94 nas terras de São Tomé. Foi então que pela primeira vez pisei o território são-tomense. Impressionou-me, na altura, logo o verde desta Ilha: de facto, era um verde tão intenso, que, um ano e meio depois, quando regressei a Portugal,   vi que não havia comparação possível, com os verdes desta terra..


P - Jorge Marques – E os perfumes!...

R– Dom Manuel dos Santos - Bem, os perfumes... Eu, como nasci no meio da montanha, no meio do tojo, das urzes, não me impressionaram, porque, lá também há perfumes muito intensos! Eu fui criado, no meio do campo! Sempre trabalhei no meio do campo, mas, sobretudo, o verde desta terra, de facto, impressionou-me muito.

Cinco dias depois, acabei por ir para Roma, onde regressei a Portugal, tendo sido escolhido  Vigário Provincial, às comunidades claretianas:

 Nessa qualidade, continuei a visitar constantemente São Tomé, e, em 2007, vim então para aqui, como Bispo de São Tomé e Príncipe.


“São Tomé, 12 abril 2014 (Ecclesia) - O Bispo de São Tomé e Príncipe, D. Manuel António dos Santos, que assumiu como prioridade pastoral “em primeiro lugar as crianças” num país muito jovem em que 40 por cento da população tem menos de 15 anos.

“Quando me perguntam digo sempre que a prioridade são as crianças porque este país está cheio de crianças e por vezes dói muito a forma como são tratadas e o modo de vida em que vivem algumas”, conta D. Manuel António dos Santos em entrevista à Agência ECCLESIA.

O bispo de São Tomé e Príncipe, que em sua casa com a ajuda da sua irmã cria duas crianças, depara-se com “muitos casos dramáticos” e dá o exemplo de uma criança que chegou à Cáritas de São Tomé “com 9 meses e apenas 2,3 quilos de peso” Agência Ecclesia - São Tomé e Príncipe: Crianças são 
.
(…) D. Manuel António Mendes dos Santos, CMF, é o seu bispo diocesano desde 1 de Dezembro de 2006, fazendo parte da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe. Sacerdote claretiano desde 1985, é, de facto, um “veterano” de África. Como ele próprio nos revela, a «Diocese não é extensa territorialmente, mas é plena de desafios, não apenas pastorais, mas acima de tudo sociais e de integração». Com uma visão antropológica coerente e de largo espectro, atenta e preocupada, D. Manuel conhece bem o terreno, as suas gentes e agentes, as forças em acção, não abdicando nunca de intervir e exercer o direito de opinião, dentro da esfera das suas competências e deveres. E é uma voz ouvida. Ou não fosse, afinal, o responsável máximo da mais importante, senão única, entidade nacional com acção política e social, através principalmente da Cáritas (fundada em 1981) – o braço da Diocese neste quadro de apoio aos pobres, carenciados, órfãos, idosos, desintegrados, às vítimas das conjunturas político-económicas que devastam África, que recebe também algum apoio de ONG’s de matriz católica, bem como de outras.


Um comunicador nato  - Todos os dias no Facebook 
D. Manuel António Mendes dos Santos, CMF, é o seu bispo diocesano desde 1 de Dezembro de 2006, fazendo parte da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe. Sacerdote claretiano desde 1985, é, de facto, um “veterano” de África. Como ele próprio nos revela, a «Diocese não é extensa territorialmente, mas é plena de desafios, não apenas pastorais, mas acima de tudo sociais e de integração». Com uma visão antropológica coerente e de largo espectro, atenta e preocupada, D. Manuel conhece bem o terreno, as suas gentes e agentes, as forças em acção, não abdicando nunca de intervir e exercer o direito de opinião, dentro da esfera das suas competências e deveres. E é uma voz ouvida. Ou não fosse, afinal, o responsável máximo da mais importante, senão única, entidade nacional com acção política e social, através principalmente da Cáritas (fundada em 1981) – o braço da Diocese neste quadro de apoio aos pobres, carenciados, órfãos, idosos, desintegrados, às vítimas das conjunturas político-económicas que devastam África, que recebe também algum apoio de ONG’s de matriz católica, bem como de outras. – Excerto de uma interessante entrevista ao O Clarim, em 26/06/2015  - À conversa com D. Manuel António Mendes dos Santos ...

AS REPORTAGENS DA TRAGÉDIA EM SÃO JOANINHO, PODERÃO SER VISTAS EM: São Joaninho foi uma das povoações mais afetadas em Santa Comba ... RTP - Cinco mortes e elevados danos materiais na freguesia de São  SIC


A IGREJA JUNTA-SE AO CORO DOS INDIGNADOS MAS QUEM É QUE NOS SERMÕES DOMINICAIS OU NAS FESTAS RELIGIOSAS AVISOU OS FIÉIS DE QUE DEVIAM PROCEDER À LIMPEZA DO MATO ENVOLVENTE DAS SUAS HABITAÇÕES? E a lei é clara: Até 15 de abril, limpe os terrenos florestais a 50 metros de edifícios…… A limpeza de terrenos junto de habitações é obrigatória



Foram encontrados pequenos “paraquedas incendiários”, o que atesta que a morte também terá vindo do céu e, por isso, face a tamanha afronta incendiária de meio milhar de ignições, num único dia - mais deles durante a noite - difícil se tornaria combater a tragédia  por mais meios aéreos e bombeiros que houvesse, até porque, os 18 aviões, acabariam por deixar de operar nas horas mais criticas, alegando dificuldades de operacionalidade.



Todavia, se ao menos, junto às unidades industriais e habitações,  tivesse havido o elementar cuidado de proceder à limpeza dos matos, naturalmente que se teriam poupadas algumas vidas e bens materiais



Bispo da Guarda. Incêndios deixaram “muito sofrimento” na região

O bispo da Guarda enviou esta sexta-feira uma nota às paróquias da diocese da Guarda em que revela o sofrimento que se vive na região. Manuel Rocha Felício pede donativos para a Cáritas Diocesana. http://observador.pt/2017/10/20/bispo-da-guarda-incendios-deixaram-muito-sofrimento-na-regiao/


D. Manuel Felício espera que todos “estes incêndios não caiam no esquecimento do Governo” e que se tomem “medidas concretas em torno da proteção e vigilância do património e das populações”. Agência Ecclesia - Incêndios: «Basta de discursos» - Arcebispo d

O bispo de Viseu, D. Ilídio Leandro, considerou que a chaga dos incêndios que atingiram muitas localidades em Portugal demonstra que o povo se “autodestrói”, deixando queimar a natureza e destruir os bens da criação”http://bomdia.eu/incendios-bispo-viseu-diz-povo-autodestroi/




RECORDAÇÕES DE UM DIA MUITO ALEGRE E FELIZ DO BISPO DOM MANUEL ANTÓNIO DOS SANTOS -  Longe de imaginar que, dois anos depois a sua aldeia ia ficar praticamente reduzida a escombros e a cinzas  - Na festa do Equinócio do Equinócio do Outono, em 23 de Setembro, de 2015, que decorreu no Santuário Rupestre da Pedra da Cabeleira de Nossa Senhora, situado nos arredores da aldeia de Chãs, concelho de Vila Nova de Foz Côa,   o  Bispo de São Tomé e Príncipe, Dom Manuel António  dos Santos,   leu poemas de sua autoria, cantou e encantou -  Recebeu a oferta da Crus de Cristo  nas suas mãos  e deu a bênção dos frutos - De tarde visitou Museu de Ervamoira, Museu do Coa e foi recebido e presenteado pela Presidente da Junta de Freguesia e  o Presidente da Câmara




Tendo vindo a Portugal para uns dias de gozo de férias e a apresentação do seu último livro de poemas, deu-nos a honra e o prazer de participar na festa do equinócio do Outono, justamente na mesma freguesia em que, o seu sobrinho, o Padre André, foi pároco – Os pormenores em http://www.vida-e-tempos.com/2015/09/equinocio-do-outono-festejado-hoje-no.html


DOM MANUEL DOS SANTOS - UM BISPO MUITO ADMIRADO E RESPEITADO EM S. TOMÉ  - A TERRA QUE TOMOU COMO A SUA AMADA SÃO JOANINHO -Pese a incompreensão  e a prepotência como tem sido encarado pelo atual líder muçulmano do poder Governativo -   http://www.odisseiasnosmares.com/2017/09/sao-tome-assalto-da-tropa-ruandesa-ao.html

Mas hoje deixo de parte os lamentáveis episódios, publicamente conhecidos  e a que neste site  recentemente me referi e recordo um dos amáveis encontros que tive com ele em finais de Julho de 2015, dois anos depois de me ter dado o prazer de me receber na sua residência - Ao mesmo tempo que aproveito  oportunidade para aqui lhe transmitir o meu abraço amigo de solidariedade pela tragédia que também se abateu na sua querida aldeia de São Joaninho
Seja das crianças, velhos ou novos, mulheres ou homens – Ele é a imagem emblemática, admirada e respeitada da igreja católica em S. Tomé e Príncipe, que, não obstante o crescendo de outros credos, que vieram diversificar o panorama religioso nestas ilhas, sob as mais diversas e aguerridas fórmulas, ainda continua a ser a fé seguida pelo grosso da população -  Notei que ia  apressado e, pelo que me confidenciava,  com a agenda preenchida, dada a aproximação da sua viagem para Portugal.  



Mesmo assim, tomei a liberdade de o convidar para um cafezinho e dois dedos de diálogo,  tendo tido ele a gentileza de me encaminhar a uma esplanada, muito simpática, próxima do nosso casual reencontro - E, nestas coisas, como ele é um excelente comunicador,  acabou por me dar a honra e o prazer de ali nos sentarmos, ainda durante mais um bocadinho do inicialmente previsto, naquela surpreendente manhã ensolarada e brilhante  - Falámos de muitas coisas, tendo-o acompanhado até à sua residência, situada numa rua de chalés mas também de passagem para casebres mais humildes - Muito movimentada, ali muito perto da Igreja de Nossa Senhora da Conceição e dos mercados tradicionais ao ar livre.

Na  verdade, o sacerdócio da  Igreja católica, em S, Tomé e Príncipe, além de ser ainda  o principal credo abraçado pela população, em termos de espiritualidade  e de fé, continua a ter  um papel muito relevante, nestas maravilhosas ilhas do Equador,  tanto  no domínio da solidariedade e assistência social, através de jardins de infância, entre as quais a Casa dos Pequeninos, da Caritas,  como ao nível da  educação  - “os nossos missionários, já antes da independência criaram várias escolas primárias, tanto em S. Tomé como no Príncipe. Criaram a Escola de Artes e Ofícios, que teve um papel importante neste pais, e estiveram também na fundação do Liceu Nacional.

“Estamos nessa fase de transição, de passar o testemunho para o Ministério da Educação de Portugal. Para além disso, temos outras escolas e vários jardins de infância . Portanto, continuamos a ter um papel importante na educação”

Declarações de D. Manuel dos Santos, numa das entrevistas que me concedeu, em S. Tomé  – Esta é uma das questões que o leva de novo a Portugal, para encetar várias diligências, numa estadia duas semanas – Sim, porque, os fundos da igreja, são escassos e há que dar prioridade à sobrevivência dos mais carenciados  - Sem descurar  os problemas da Educação

Foi justamente, por esse facto, que foram assinados, dois protocolos de cooperação a nível da educação pelos Ministros da Educação e Ciência de Portugal Nuno Crato e o seu homólogo são-tomense Olinto Daio. – E, a avaliar pelas palavras, que agora lhe ouvimos, é provável que, durante a sua estadia, algumas das suas diligências sejam junto do Ministério da Educação, do atual governo

Isto porque, não obstante a escassez de recursos financeiros, Dom António dos Santos, não perdeu de vista um dos seus maiores sonho”, tal como no-lo afirmou na mesma entrevista, que nos concedeu. Se me pergunta: então que grande sonho é que teria com a Educação em São Tomé?


Bem. Se eu tivesse dinheiro – mas é preciso, de facto, muito dinheiro -  gostaria de ver neste pais um grande parque escolar, com escola, desde o pré-escolar, escola primária, escola secundária, um ensino técnico profissional  - Eventualmente, até, algum Instituto superior ou assim. E também, sobretudo, uma escola de formação de professores, que era  muito importante que aqui se fizesse. Estão a dar-se  passos nesse sentido – Para mim, de facto,  é algo fundamental. Já  que, se um país quer acreditar no futuro, quer construir o futuro, tem de começar pela educação


Video   Entrevista concedida em finais de Julho de 2015  - Dada pelo Sacerdote e Poeta 


“A Casa dos Pequeninos, está a dar os primeiros passos, graças aos técnicos da Cooperação Portuguesa que acreditaram neste projeto,  porque por detrás das Obras há sempre pessoas concretas, palavras de Dom Manuel dos Santos, na altura do Natal


E, pelos vistos, a generosidade, mesmo com pouco dinheiro, pode operar verdadeiros prodígios ou milagres - Já lá vão alguns anos que  as palavras, que a seguir, vou reproduzir, foram proferias, mas continuam atuais: “Com 150 euros é possível garantir casa, alimentação, vestuário e educação a cada uma das crianças acolhidas pela instituição administrada pertencente à Cáritas de São Tomé e Príncipe

Mauro foi encontrado a gatinhar na estrada por um casal de turistas, que o levaram para a esquadra. A polícia não sabe quem são os seus pais e desconhece o dia em que nasceu.

O Quinzinho estava junto da mãe quando esta foi levada para o hospital em coma alcoólico. Hoje cresce normalmente, mas durante algum tempo recusava todos os alimentos que lhe davam.

Chamam-lhe Mantorras, mas ainda não tem nome no Registo Civil. O pai morreu e a mãe tem problemas mentais.

Estas são as histórias, breves e dramáticas, de algumas das crianças acolhidas na «Casa dos Pequeninos», administrada pela Cáritas de São Tomé e Príncipe.