expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

MLSTP-PSD – Comissão Politica, liderada por Aurélio Martins. reunida pra falar a minoria partidária. Em vez de promover a reconciliação, faz acelerar ainda mais a divisão -. – “A questão é simples: se não estamos disponíveis e abertos para debater assuntos entre nós, muito menos estaremos preparados para debater com a sociedade e outras forças políticas os assuntos do país “- disse o líder histórico do Partido fundador da nacionalidade santomense Manuel Pinto da Costa, numa reunião de reflexão do MLSTP-PSD - Com trunfos na manga para poder afastar o Governo mais corrupto nos 42 anos da História Santomense mas com uma liderança incapaz de unir sensibilidades e de se afirmar

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 


Aurélio Martins - Télanón
"MLSTP – Presidente Aurélio tentou bloquear a segunda acção para revitalizar o partido"
Na última quinta – feira, militantes do MLSTP representando várias gerações, mulheres, homens e jovens, reuniram-se no hotel Praia em São Tomé, num fórum de reflexão, para debater o presente do partido, projectar o futuro, e desta forma promover a Unidade, que tem sido o calcanhar de Aquiles do maior partido da oposição, e consequentemente razão das derrotas eleitorais humilhantes dos últimos tempos.

 (…)Como aconteceu na primeira iniciativa realizada em Abril passado o Presidente Aurélio Martins não compareceu no encontro dos militantes, e convocou para a mesma hora uma reunião da comissão política na sede do partido. MLSTP – Presidente Aurélio tentou bloquear a segunda acção para 

VEJA MAIS À FRENTE COMO É LIDERADA A DITADURA DA OPOSIÇÃO POR AURÉLIO MARTINS  - UM DOS PAÍSES MAIS PEQUENOS E MAIS POBRES DE ÁFRICA – NÃO TEM A VIOLÊNCIA NEM A EXTREMA MISÉRIA  DE OUTRAS NAÇÕES - MAS NA POLÍTICA NÃO FALTAM IMITAÇÕES.

Em S. Tomé e Príncipe, a Natureza é bela e fértil, há frutos por todo o lado e durante o ano inteiro, dificilmente alguém morre de fome, no entanto, sofre as carências de bens essenciais, nomeadamente dos que são importados, e sobretudo na compra de medicamentos, já que, a generalidade média das pensões, ronda os 20 a 30 euros mensais e o ordenado mínimo, à volta dos 45 euros.

UM EXEMPLO  ÚNICO EM ÁFRICA- ENTRETANTO DESFEITO PELA PÉSSIMA DESGOVERNAÇÃO DE PATRICE TROVOADA 


2002 - "STP sempre foi terra pacífica e, nesta perspectiva,    um modelo altamente positivo para o continente.  Ao contrário de outros petro-estados africanos emergentes ou existentes,    STP não tem experiência de conflitos internos violentos como o Sudão ou o Chade, não teve um história de    assassinato em massa e não fez   testemunhar conflitos étnicos ou religiosos como a Nigéria.  Mesmo o golpe militar em 1995 foi rapidamente resolvido    de forma pacífica, terminando   com a restauração de    regra civil.  
  É improvável que o boom do petróleo desencadeie conflitos violentos como em outros países da África.Por outro lado , pode gerar mais corrupção e pode introduzir mais distorções.
A elite política de Santomnese mostrou-se extraordinariamente apta a reforçar a fortuna do que acabou por ser um estado inviável

Em 4 de Fevereiro de 2002, Patrice Tr ov oada, filho de Miguel e STP's F   Ministro,    foi até forçado a renunciar, após acusações de Menezes, de que a   Família Trovoada   estavam tratando o país como seu público privado.  96 Embora as questões ideológicas fossem geralmente do    pouca importância, acesso ao dinheiro da ajuda estrangeira e outros fundos públicos causou ou exacerbou muitos mais, conflitos intra-elites".Business and politics in Sao Tome e Principe: From cocoa .



"Ao contrário da maioria das dependências coloniais da Europa na África, São Tomé tornou-se uma república sem derramamento de sangue, após a ascensão em Lisboa de uma junta militar de esquerda e o fim da ditadura estabelecida por António Salazar.
Em 1991, houve uma transição pacífica de uma regra de uma pessoa para a democracia. Muito parecido com a independência de Portugal, o derramamento oficial do marxismo por São Tomé foi gerido sem perturbações The New Yorker 7 de outubro de 2002 "
"Em entrevista, o ex-presidente Miguel Trovoada declarou que, embora as pesquisas fossem muito pacíficas, os resultados das eleições eram fraudulentos pela intervenção do dinheiro. - Isso pode ser um exagero até certo ponto, mas provavelmente é correto que o partido Trovoada tenha sido superado em gastos na campanha eleitoral de 2002   Cooperación en la Explotación de Petróleo y Gas en el Mar

"Alguns especialistas sugeriram que o golpe 2003 foi inspirado por nigerianos que queriam enviar uma mensagem ao presidente Menezes de que não deveria tornar-se também nacionalista em seus negócios de petróleo. Seja qual for o caso, depois de ser reinstalado no poder, Menezes foi forçado a aceitar Patrice Trovoada, seu intrigante adversário político, então um aliado nigeriano, como conselheiro especial de petróleo.  - "Estamos bombardeados com seminários, conferências e palestras sobre transparência e boa governança ", reclamou Menezes.

(...)Patrice Trovoada, concordou em lidar com DiamondWorks.   A  DiamondWorks teve ligações passadas com  a África do Sul a  empresas mercenárias, algumas das quais estavam ligadas ao golpe de julho de 2003 contra de MenezesTrês outros ministros, incluindo o Ministro dos Negócios Estrangeiros, que também renunciou ao escândalo http://scholarship.law.berkeley.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1098&context=bjalp

EVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA INSTÁVEL MAS PACIFICA - FEUDO ARROGANTE DE PATRICE TROVOADA VEIO PROVOCAR  ENORMES FISSURAS NA SOCIEDADE SANTOMENSE - MAS UM MLSTP-PSD LIDERADO PELO FALHADO EMPRESÁRIO  AURÉLIO MARTINS, TAMBÉM NÃO É ALTERNATIVA CREDÍVEL  

Em Dezembro de 1989, o Cometê Central do MLSTP finalmente aprovou o movimento   e adotar a democracia liberal na nova Constituição,  embora o MLSTP ainda esperasse continuar a governar em uma mudança de política mas o processo de democratização desenvolveu o seu próprio dinâmico, culminando nas primeiras eleições democráticas em 1990, antes do colapso da União Soviética, tornando-se uma das primeiras democracias em África.

 Desde, então, foram realizadas varias eleições, com partidos dirigidos por antigos políticos ou funcionários vindos do MLSTP – Ou seja, provenientes do  Movimento de libertação de S.T.P. antes de passar a Partido  - ironicamente lhe acrescentar a sigla de PSD : ou seja, passando de partido marxista a social-democrata, que o mesmo é dizer a partido liberal - Actualmente sob a liderança do empresário Aurélio Martins,     sócio-maioritário do Grupo Gibela - O que se espera?

Pese a instabilidade de nenhum partido ter conquistado a maioria parlamentar, até Outubro de 2014, lá se ia promovendo pacificamente o diálogo interpartidário e reforçando  o processo de aprendizagem e evolução  democrática e multipartidária:  - Porém, desde  que, naquela data, a ADI, liderada por Patrice Trovoada,  logrou conquistar a maioria absoluta, graças à compra de votos, junto de uma população que  vivia e continua a viver  abaixo da linha de pobreza, o regime instaurado passou assumir a arrogância e o absolutismo de uma  corrupta e prepotente ditadura, ao ponto do seu primeiro-ministro e chefe de Estado, apoiados pelo mesmo partido, terem que recorrer à guarda-pretoriana, formada por tropa ruandesa, oriunda de um dos países mais belicistas e conflituosos de África, que usa nas suas fileiras crianças- soldados -  Rwanda Demobilizes Some Child Soldiers - VOA News





Sim, S. Tomé e Príncipe, atualmente é um país a soldo de uma desgovernação criminosa, despudorada, sem vergonha. – Apoiada por um partido, segundo diz a oposição, “fundado pelo contrabando e drogae  mercê de milhões de luvas desviados para  empresas no Texas, por via das obscuras negociatas dos ruinosos acordos de blocos no sector petrolífero, pois, tal “como foi descoberto mais tarde, a  ERHC assegurou sua posição de privilégio através do uso de subornos projetados através de Patrice Trovoada. atual primeiro-ministro e filho do ex-presidente do STP, Miguel Trovoada, presidente no momento do acordo com a  ERHC  “For, as was later discovered, ERHC secured its position of privilege through the use of bribes engineered through Patrice Trovoada.  Tro - voada is the current Prime Minister and son of former STP President Miguel Trovoada, President at the time of the ERHC deal” – In Increasing the Capacity for Corruption: Law and Development in the


Não obstante, tais  evidências e denuncias, que, Patrice Trovoada, nunca contestou, ainda por cima vem armar-se em vitima 01/09/2017 Patrice Trovoada apresenta queixa-crime por difamação, injúria, calúnia e atentado à honra ...

COMÉRCIO LIBANÊS E AS CUMPLICIDADES COM TROVOADA 

Diz-nos um leitor: “Muito me entristece saber que o meu pais está cada vez pior. Um funcionário dos serviços aduaneiros, informa-me que os libaneses destruíram por completo a economia de Gabão, trocando e guardando franco francês/por franco CFA e depois levaram franco francês em malas para LÍBANO, sem autorização de BANCO CENTRAL DE GABÃO. É o mesmo que estão fazendo em São Tomé e  Príncipe. Em que, os comerciantes libaneses que se encontram em STP, são sócios de P.T.

NOVO EDIFÍCIO DO SUPREMO E DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL - NEGÓCIO DAS ARÁBIAS  PARA LÁ ENFIAR MEIA DÚZIA DE JUÍZES   Um património público que nunca devia ter mudado de mãos para a ganância usuária e oportunista de estrangeiros.

Obra megalómana - Com o Povo a Viver nas barracas

Um dos exemplos, nestes possíveis jogos de cumplicidade, a coberto de uma base legal, diz-se que terá sido a venda do edifício do Rami, que, não valendo mais  900 mil USD , teria sido  comprado pelo STJ por 2,500 milhões para ser o Palácio da Justiça.

 05/04/2016(…) Téla Nón  - “Por minha iniciativa, na qualidade de Presidente do Supremo Tribunal de Justiça e do Tribunal Constitucional, foi remetido em 30 de Dezembro de 2014, à Sua Excelência o Primeiro- ministro e Chefe do XVI Governo, um expediente intitulado “Instalação 11 do Supremo Tribunal de Justiça no Novo Edifício” , solicitando diligências para aquisição do imóvel onde se encontrava instalada a Galeria RZ, Mobiliário, Decoração Textil-Lar, pertencente por escritura pública de compra e venda à Senhora NAHIDA YOUSSEF SAFIEDDINE, esposa do Senhor RAMY ALI ZAYAT, posto à venda. Em 27 de Janeiro de 2015"  .  Excerto Novo Ano Judicial 


POVO DESCONTENTE, FRUSTRADO, TRAÍDO E DESILUDIDO PELA CORRUPTA DESGOVERNAÇÃO DE PATRICE TROVOADA – Mas  também muito confuso. Sem saber para onde se voltar – A liderança do maior partido de oposição parece não ter aprendido com a mais pesada derrota da sua história, nas legislativas de Outubro de 2014,  revela-se incapaz de unir sensibilidades internas e de reforçar para o exterior a via da uma nova esperança governativa do país.

Ao empresário, Aurélio Martins, sócio-maioritário do Grupo Gibela, ambição de ser grande na política, e até na vida empresarial, isso tem,  mas, ao que parece, sem rasgo, seriedade  e vocação: pois não basta querer, é preciso algo mais inato, que ele não tem revelado até agora –Depois de ter protagonizado  a mais pesada derrota, nem assim parece ter aprendido a lição.    


Em 2006 foi eleito deputado suplente pelo MLSTP no círculo eleitoral de Lobato, precisamente no ano em que se envolveu na campanha de  apoio ao misterioso empresário  Patrice Trovoada – Hoje pretende fazer crer que grandes diferenças os separaram no estilo, na seriedade  e nos projetos de governação.  Mas, se existem, não têm logrado conquistar a sua afirmação como líder do maior partido da oposição – O único combate, mais visível, tem sido justamente através do aguerrido debate do Grupo Parlamentar do MLSTP-PSD, reduzido a 16 deputados, menos 19 que ADI, o que torna impotente para contrariar  o absolutismo e  a arrogância do partido que serve de apoio a um governo corrupto e autoritário.

NAO SE É LÍDER PORQUE SE QUER SER - É PRECISO SABER MERECER -Aurélio Martins - Insiste no Auto suicido do MLSTP - Depois de tão pesadas derrotas o que é que ele pretende? - Ainda não reconheceu que tem sido incapaz de unir esforços e congregar as várias sensibilidades do partido fundador da nacionalidade satomense? - Sem com isto prender meter foice em seara alheia, tanto mais que não tenho qualquer tipo de filiação partidária, não deixarei porém de lhe deixar esta sugestão: a de que saiba aproveitar as suas capacidades, que as tem, naturalmente, não na liderança do seu partido, para a qual não revela talento, mas como elemento ativo em contribuir para a sua unidade. – Paradoxalmente,  não é isso que tem procurado promover  

Há coisa de um ano e tal, tive o prazer de, a convite de Aurélio Martins, me encontrar  com ele em Lisboa: Curiosamente, na mesma tarde, estava também no hall do mesmo hotel, o jogador do Sporting, Gelson Martins, que, a meu pedido, gentilmente acedeu a deixar-se fotografar com o nosso reduzido grupo.  – Só que, é tal coisa, não basta pretender ser  craque na politica, é necessário ter dotes especiais, tal como os que revela  o futebolista  português de ascendência cabo-verdiana  – E, pelo que tenho vindo a analisar do percurso politicode  Aurélio Martins, pese toda a sua ambição, dificilmente se afirmará como líder carismático de um partido, sobre o qual pendem as esperanças de alternância do poder e mudança de rumo de uma desastrada e corrupta desgovernação  -

Poderei até afirmar que gostei de falar com o líder do MLSTP; não só por ter tido a oportunidade de dialogar com a figura que chamara  a si a responsabilidade de dirigir o principal partido histórico santomense, como por ficar também a confirmar do que já suspeitava do perfil de Patrice Trovoada: nomeadamente de que, o dinheiro nas suas mãos, some-se mais depressa que um bife atirado a um guloso papo canino.  – 

E, pelos vistos, é com essa rapidez  que desaparecem os avultados empréstimos e outras massarocas doadas na Governação  por quem nunca aprendeu a saber o que o  o dinheiro custa a ganhar. ,

Pois quem  se não lembra da expressão de Aurélio Martins, no dia 22 de Outubro, soltada na ponta final  de um debate na Assembleia Nacional  de STP, nestes termos: "Ouvi para  aí alguns deputados a dizerem que GIBELA virou GIBELINHA, mas digo-vos que um dos culpados da situação em que se encontra a GIBELA, foi provocado pelo próprio Patrice Trovoada. Patrice Trovoada, que deve a Gibela 200.000 € desde 2006 e não paga até agora.- 
Claro que não terá sido apenas por esse débito que a Gibela não tem ido além de Gibelinha ou da chinela - Muito talvez por via de erros e incompetências na gestão. 




O DIÁLOGO NUNCA SERÁ UMA CAUSA PERDIDA “ – Disse o então Presidente da República de S.TP, Manuel Pinto da Costa, no 12 de Julho de 2015 -Mas como dialogar cm quem se furta ao díalogo? 
2015  "O diálogo nunca será uma causa perdida nem falhada porque sem diálogo não há democracia nem coesão social" - Palavras  de Manuel Pinto da Costa, no dia 12 de Julho, por ocasião dos 40 anos da Independência de S. Tomé e Príncipe"

"Dizia eu há 3 anos que é preciso, neste mundo global, competitivo e vivido em tempo real devido aos avanços tecnológicos no domínio da comunicação, construir pontes para o exterior, preservando a imagem de um país que é, seguramente, a sua principal marca.

Hoje queria acrescentar que temos de saber também e ao mesmo tempo construir pontes entre nós próprios, independentemente das diferenças, num permanente diálogo construtivo e gerador de consensos estratégicos que permitam ao país construir um futuro melhor, o futuro com que todos sonhamos desde que conquistámos a independência"

A TEIMOSIA DO AURÉLIO MARTINS. Quando tudo indicava que seria desta vez que a actual direção do MLSTP abriria uma janela de oportunidade para o seu relançamento, enquanto partido com vocação para governar e preparar-se para ganhar os próximos pleitos eleitorais, eis que o teimoso presidente optou por boicotar (sem sucesso) a reunião que poderia ser o ponto de partida para a vitória” – Desabafo de um militante no Facebook, na  página Informar Com Verdade - https://www.facebook.com/groups/1046261748750459/ que acrescenta ainda  estas palavras , na língua santomense, dirigidas a Aurélio Martins:
KAÇÔ DI TÉMA, KÁ MÔLÊ KU OLIÁ KÓTÁDU ! NGÁ SÊBÊ SA TÁGI ! ENFIM !
“MLSTP procura revitalização”  - Mas o atual líder em vez de unir fragmenta e divide ainda mais
Téla Nón  -Desde Março de 2017 corrente que alguns dirigentes, militantes, quadros e simpatizantes, preocupados com a grave crise política, económica e social que se vive em S.Tomé e Príncipe, que obriga o MLSTP/PSD ao exercício de uma oposição responsável, esclarecida, determinada e com propostas sérias e alternativas a actual situação, vêm desencadeando contactos, reflexões e debates, que possam conduzir o MLSTP/PSD à uma análise profunda da real situação do país e do partido.– Téla Nón - Excerto de MLSTP procura revitalização | Téla Nón

AURÉLIO MARTINS VOLTA A REJEITAR O ESFORÇO DE MANUEL PINTO DA COSTA PARA DAR MAIS UNIÃO E CREDIBILIDADE AO MAIOR PARTIDO DA OPOSIÇÃO
Negou-lhe esse apoio nas Presidenciais, já por duas vezes e, em ambas as situações, a sua estratégia saiu  sempre derrotada, além do enorme desastre nas últimas legislativas. – Nem assim aprendeu: pois insiste nos mesmos erros – Agora, volta-lhe de novo as  costas na reunião de reflexão  da passada quinta-feira, optando por se juntar a uns quantos subservientes da denominada Comissão Politica, que o bajulam,  longe de representarem  a unidade e a força desejável a um partido  que pretende ser alternativa à desastrada Governação - Sob o falacioso  pretexto de todos unidos numa só voz e sem exclusão em torno da actual direção” – Não deixando, porém, de ,mover despropositadas insinuações a quem ali não compareceu, alegando que : não pode valer tudo apenas para conquistar os protagonismos, interesses individuais, ou de grupos, sobrepondo á vontade da esmagadora da maioria de militantes, que sufragaram, e legitimaram a actual direção do partido”.
Mas, afinal, que esmagadora maioria o MLSTP- PSD, tem representado, sob a liderança de Aurélio Martins?  - Senão a imagem de desaires e de pesadas derrotas consecutivas.




DISCURSO PROFERIDO POR  MANUEL PINTO DA COSTA NA REUNIÃO DE REFLEXÃO SOBRE O MLSTP/PSD E O PAÍS

“A questão é simples: se não estamos disponíveis e abertos para debater assuntos entre nós, muito menos estaremos preparados para debater com a sociedade e outras forças políticas os assuntos do país
Manuel Pinto da Costa, o homem, que desde os seus tempos de estudante, se bateu pela libertação de S. Tomé e Príncipe, do domínio colonial, considerado o pai da nacionalidade,  a  grande e prestigiada figura histórica de referência da pátria santomense, que, com  um punhado de corajosos e determinados patriotas, esteve na origem dos primeiros passos para a construção e consolidação de um Pais livre e independente, continua   a dar o melhor si próprio em prol da democracia e do progresso e bem-estar da terra que o viu nascer  - Critica a ausência de Aurélio Martins, no encontro de reflexão do MLSTP-PSD e mostra-se disponível  para "continuar a  trabalhar junto de todos para que todos nos unamos para o bem do MLSTP7PSD e do país<<<2 .="" span="">

Compatriotas: quero agradecer o convite que me foi endereçado para participar nesta reunião de reflexão que considero ser um importante contributo para o processo de revitalização do MLSTP/PSD e uma importante plataforma para gerar consensos sobre os problemas e as soluções que o partido precisa para reforçar a sua unidade e sua capacidade de intervenção na transformação da sociedade santomense. Foi baseado nesta convicção que me reuni com a direcção do MLSTP/PSD chefiada pelo Cdª Aurélio Martins para convencê-lo a participar neste importante espaço de reflexão. Infelizmente a sua ausência demonstra que precisamos persistir neste esforço de diálogo. Pela minha parte quero garantir-vos que continuarei a trabalhar junto de todos para que todos nos unamos para o bem do MLSTP7PSD e do país.
Na realidade se olharmos para a História recente de São Tomé e Príncipe vemos que o MLSTP/PSD esteve sempre presente nos momentos definidores do futuro da nação santomense. Foi assim durante a luta de libertação nacional, foi assim no período de consolidação do Estado, foi assim quando foi preciso transformar o regime de partido único e instaurar um regime democrático. Se há um elemento permanente nesta trajectória é sem dúvida a reflexão que precedeu a acção. Por isso ao ser convidado para participar nesta reunião fiz questão de envidar esforços para que a direcção actual do Partido estivesse presente. 
«




A questão é simples: se não estamos disponíveis e abertos para debater assuntos entre nós, muito menos estaremos preparados para debater com a sociedade e outras forças políticas os assuntos do país. Reflectir em conjunto, debater até a exaustão, enfrentar críticas, chegar a consensos dinâmicos que abrem o caminho para a acção transformadora é uma marca, um legado, parte fundamental do património do MLSTP/PSD. Tudo isso explica a capacidade inovadora do MLSTP/PSD, que perante situações difíceis, tem capacidade para se questionar a si próprio, abrir-se a novas ideias e novos protagonistas, abrir-se à sociedade e renovar-se. Esse património, esta capacidade de reinventar-se e renovar-se para transformar, ficou sobejamente ilustrada quando em 1989 o MLSTP convocou a Conferência Nacional.
Recebida com desconfiança e reticências, tanto interna como externamente, a Conferência Nacional traduziu-se num confronto aberto de ideias entre diferentes concepções para o desenvolvimento do país, protagonizado por ditos conservadores e ditos renovadores, entre gerações mais novas e mais maduras, mas o resultado final foi um incontestável contributo para a transformação do país. No fim, os renovadores e os conservadores, os mais velhos e os mais novos, todos estavam unidos na determinação de iniciar uma nova etapa no processo de desenvolvimento do país. São Tomé e Príncipe saiu a ganhar e não só.
Muitos países de Africa seguiram o exemplo do nosso país. Este é apenas um dos vários episódios em que o MLSTP se ergueu a altura dos desafios e, colocando o interesse geral acima dos interesses partidários ou de grupos, deu uma contribuição decisiva para transformar São Tomé e Principe. É esta a nossa marca registada na história, é este um traço marcante da nossa identidade, é este o património que fomos construindo. Desbaratar essa herança, maltratar e deixar perder-se o que outros nos deixaram, é mais que renunciar a uma memória, a uma identidade, é quebrar uma cadeia que nos precede, é quebrar o elo entre o passado e o presente.
 Enfrentar o presente, ignorando o passado é uma receita para o Fracasso. Enfrentar o Futuro ficando amarrados ao passado, é outra receita para o Fracasso. Para vencer o Futuro temos de estar equipados com as experiências do passado, de tudo, o bem que fizemos e os erros que cometemos, mas precisamos estar armados com o optimismo e a ousadia das ideias que caracterizam a Juventude. Hoje São Tomé e Príncipe está perante uma situação que impõe uma escolha clara: ou seguimos o caminho do oportunismo demagógico mascarado de modernismo populista e predador ou escolhemos o caminho do trabalho árduo de conquistas diárias e colectivas erguendo o nosso país com o esforço de todos para benefício de todos, com a inclusão de todos. O MLSTP/PSD enfrenta caminho idêntico: ou coloca-se na expectativa, confortado com as migalhas e pequenas oportunidades concedidas por aqueles que sabem explorar fraquezas individuais e colectivas para atingir objectivos mesquinhos e obscuros ou assume a sua história e o seu património de luta para modificar a situação actual. A questão é muito simples: Ou decidimos lutar unidos em torno da nossa visão transformadora ou desaparecemos sem glória, condenados pelas gerações presentes e futuras. A meu ver a escolha é simples:
Temos de adoptar uma prática de restaurar, restituir, reconstruir e renovar tudo aquilo que nos últimos tempos fomos perdendo. Restaurar, reconstruir e renovar não tem de necessariamente ser um processo conflituoso. Se partilharmos uma visão comum do futuro de São Tomé e Príncipe, as nossas agendas pessoais e de grupos tornam-se irrelevantes. Se queremos um partido actuante, credível e com uma agenda verdadeira transformadora, tudo é possível, até as agendas pessoais, se tivermos a paciência e a fortaleza moral para preservar e conquistar aquilo que temos ou queremos conquistar. Agendas pessoais só são concretizáveis se partilhadas e assumidas colectivamente.
Restaurar, reconstruir e renovar, não implica um confronto geracional. Olhem para História do MLSTP e verão como sucessivas gerações souberam conciliar abordagens diferenciadas para se unirem numa visão e num projecto comum. O que precisamos em São Tomé e Príncipe não é um confronto de gerações. O que precisamos, em São Tomé e Príncipe, é de um pacto de gerações que permita um casamento sólido entre a experiência conservadora e a inovação ousada. È este contrato solidário que permite que nas famílias os pais se preocupem com o futuro dos filhos investindo algumas vezes tudo o que têm. È este contrato que permite aos filhos se ocuparem dos pais quando estes perdem capacidade de auto-sustentação. É este pacto que permite a transmissão de saberes e a preservação da identidade. É este contrato social que garante o progresso com coesão social. 
O MLSTP, para além de uma escolha tem uma missão que nasceu durante a luta pela independência e ainda não concretizou: Criar em São Tomé e Príncipe uma sociedade onde se viva com dignidade, onde haja oportunidades iguais para todos, onde as gerações mais velhas encarem o presente com a tranquilidade que merecem e os mais jovens enfrentem o futuro com confiança que lhes move. Por isso o MLSTP deve manter a sua identidade renovando-a e actualizando-a em permanência de modo a ser relevante perante realidades novas. Sim o MLSTP, tem de buscar no seu valioso património de luta pelo bem-estar de São Tomé e Príncipe, motivos de orgulho e incentivo para continuar a luta, para vencer novas batalhas, para conquistar o país e o futuro. A receita é evidente: Inovar com responsabilidade e Renovar com espírito de unidade. Desejo a todos um bom trabalho. Desejo sobretudo que se empenhem decididamente na luta pela UNIDADE.
Obrigado.

Nenhum comentário :