expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

domingo, 1 de outubro de 2017

"Senhor, que és o céu e a terra, e que és a vida e a morte!” – Tributo ao iluminado poeta Fernando Pessoa

Peregrino da Luz - Heterónimo de Jorge Trabulo Marques

Tributo ao iluminado poeta  Fernando Pessoa  -  "Senhor, que és o céu e a terra, e que és a vida e a morte!” – Senhor, humilde e serenamente, aqui me  elevo  à vossa Omnipotente Grandeza  alcandorado  sobre a majestade destas graníticas pedras ou lado a lado  de enigmáticos   e pétreos  perfis,  em perfeita harmonia e comunhão, com a lonjura e a imensidão dos aéreos espaços que me envolvem,  sob a sumptuosa  e infinita cúpula azul dos Céus, na transfiguração da  humana condição de criatura terrestre ao peregrino da luz, da terra, dos mares e dos astros  a fim de purificar a  minha alma e fortalecer ainda mais os laços que me ligam à Vossa Existência,  escutando o Silêncio da  Vossa Voz   - Ouvindo os Rumores da Vossa Etérea Presença, esforçando-me  por ser o Mensageiro da Vossa Divina  Palavra na Sublimidade dos Caminhos e Mistérios da Vossa Essência - JTM


Senhor, que és o céu e a terra, e que és a vida e a morte!
Senhor, que és o céu e a terra, e que és a vida e a morte! O sol és tu e a lua és tu e o vento és tu! Tu és os nossos corpos e as nossas almas e o nosso amor és tu também. Onde nada está tu habitas e onde tudo estás — (o teu templo) — eis o teu corpo.
Dá-me alma para te servir e alma para te amar. Dá-me vista para te ver sempre no céu e na terra, ouvidos para te ouvir no vento e no mar, e mãos para trabalhar em teu nome.
Torna-me puro como a água e alto como o céu. Que não haja lama nas estradas dos meus pensamentos nem folhas mortas nas lagoas dos meus propósitos. Faz com que eu saiba amar os outros como irmãos e servir-te como a um pai.

[...]
Minha vida seja digna da tua presença. Meu corpo seja digno da terra, tua cama. Minha alma possa aparecer diante de ti como um filho que volta ao lar.
Torna-me grande como o Sol, para que eu te possa adorar em mim; e torna-me puro como a lua, para que eu te possa rezar em mim; e torna-me claro como o dia para que eu te possa ver sempre em mim e rezar-te e adorar-te.
Senhor, protege-me e ampara-me. Dá-me que eu me sinta teu. Senhor, livra-me de mim.

Fernando Pessoa - 1912?



AMÁVEIS ESTES LUGARES QUE ME CRIARAM


Canto a Deus, ao Sol e à Terra que me Viram Nascer
- A sós, em perfeita harmonia comigo próprio,
com a Terra, com Deus, os astros, o céu!
Longe do bulício da cidade e da sua estéril selva,
longe de tudo, faça o tumulto da vida e faça o mundo,
aspirando os odores da terra, das giestas, das fragas
e dos seus milenares musgos! - Oh, uma inigualável delicia
Dos seus frutos: os figos, como amêndoas, como uvas!
Oh, os abençoados perfumes da flores campestres! Ah,
Como é pra mim, que revisite, sempre que posso,
a casa velhinha dos meus pais! 
Ó meu berço pacífico e amado!

Canto o vosso cântico, - Pai Sol. Ó Deus eterno!
Glória a Vós, nas Alturas, - Divino Astro!
Sois o deus mais Antiquíssimo do cosmos! A Essência
que precedeu a própria existência! O Clarão
que iluminou seu caminho
quando tudo, antes, era um mar de trevas
e nele existia a noite mais escura e eterna,
Tudo era confuso e turvo, um imenso vazio,
e, não turbilhão desse vazio, do tempestuoso caos,
apenas reinava um solidão de um mar infindo,
um infinita escuridão!

Raia a manhã! Vejo-vos subir no oriental firmamento!
- Ó Olho brilhante! Ó Olho luminoso! - Sê bem vindo |
Eu vos saúdo! Vinde, ó Glorioso! Vinde até mim! ...

Nenhum comentário :