expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Arábia Saudita - Sucessão ao trono de príncipes corruptos, desencadeia vaga de prisões, sob o pretexto de lutas anticorrupção, com a media liberal a branquear a farsa do herdeiro da sua confiança: Mohammed bin Salman - Mas atenção aos jogadores menores externos que erraram no alvo: é que a fatia do bolo poderá não sobrar para ser repartida por todos


Esta é uma história mal contada e manipulada pelos media ocidentais ao serviço do liberalismo selvagem – Referem as últimas noticias que  “Há 11 príncipes entre os detidos por corrupção na Arábia Saudita. Contas congeladas e aeroporto privado encerrado
A seleção de Mohammed bin Salman como príncipe da coroa para o Rei Salman bin Abdul Aziz é uma jogada positiva para o Reino da Arábia Saudita e as relações entre os EUA e a Arábia Saudita.(...) A designação de Mohammed bin Salman como Príncipe Herdeiro elimina a incerteza sobre quem sucederia o Rei Salman, de 81 anos. 
A juventude e o carisma do príncipe herdeiro Mohammed fizeram dele uma figura popular em um país onde a idade média é de cerca de vinte e sete. http://www.foxnews.com/opinion/2017/06/21/saudi-crown-prince-mohammed-bin-salman-s-appointment-is-chance-to-re-set-us-relations-following-nadir-obama-administration.html
ENTRE TANTOS HERDEIROS - ALGUNS TINHAM DE SER EXCOMUNGADOS DOS BODOS  FINANCEIROS

Nas heranças de bens são inevitáveis os conflitos, agora  imagine o que é a partilha do poder num dos países árabes mais corruptos do mundo, fundado em 1932, por Abdulaziz, que depois de conquistar a maior parte da península arábica, teve pelo menos 45 filhos, dos quais 36 sobreviviam até a idade adulta. Desde que ele morreu em 1953, o país foi governado sucessivamente por seis deles.

Desde Julho passado que já era sabido que, na sucessão monárquica   da Arábia saudita, não há regras formais sobre como escolher um sucessor entre os dezenas de netos de Abdulaziz.

Foi então referido que, o   octogenário rei  quer ser ele a decidir, ainda em vida,  a escolha de quem lhe vai suceder o pai  - E é justamente isso que está em marcha com a cumplicidade do liberalismo selvagem mundial, quer por Trump, quer por Putine a até pelo louco coreano, porque, isto de negócios de milhões, não escolhe ideologias mas cifrões.  

Dizem as últimas notícias do controlo global, que “As contas bancárias de personalidades sauditas detidas por alegada corrupção, entre as quais se contam 11 príncipes, serão congeladas e objecto de investigação, enquanto os bens passam para o Estado, anunciou este domingo o Ministério da Informação de Riade. Há 11 príncipes entre os detidos por corrupção na Arábia Saudita ...

Só que toda esta telenovela tem outros contornos que a media liberal agora disfarça ou pretende ignorar

PRESO PARA NÃO ABRIR A BOCA  DO GOLPE PALACIANO

Príncipe herdeiro depositado detido no palácio 29 June 2017   Autoridades sauditas negam pedidos Mohammed bin Nayef está sob prisão domiciliar enquanto a transição de poder entra em vigor

O príncipe herdeiro depositado, Mohammed bin Nayef, foi confinado ao seu palácio na cidade do Mar Vermelho de Jeddah, já que seu jovem sucessor procura consolidar seu novo poder, confirmaram duas fontes próximas da família real. 
Os movimentos do antigo herdeiro do trono foram restringidos desde que Mohammed bin Salman, de 31 anos, substituiu seu primo como príncipe da coroa na semana passada ,

SENÃO ATENTE-SE NESTA MACABRA CRONOLOGIA DE GUERRAS PALACIANAS NUM DOS PAÍSES MAIS CORRUPTOS DO PLANETA.

No mês passado de Junho, o rei Salman da Arábia Saudita chocou o mundo quando mudou a linha de sucessão em favor de seu filho de 31 anos, o príncipe Mohammad Bin Salman.

Este movimento político particularmente controverso efetivamente removeu o Ex Príncipe herdeiro, Mohammad Bin Nayef, de qualquer poder e influência no governo saudita, e também o despojou de seus poderes como ministro do Interior. 

O QUE ESTAVA NA CALHA JÁ TINHA SIDO DISTINGUIDO PELA CIA – MESMO ASSIM QUISERAM UM AINDA MAIS MANSO

Lutas fratricidas  familiares, aprisionaram-no e deixaram-no cair em desgraça: de nada lhe servira a  alta distinção, porque, o grande capitalismo, não se compadece com éticas ou moralidades:

O príncipe herdeiro Mohammed bin Nayef, vice-primeiro ministro e ministro do Interior da Arábia Saudita, recebeu um prêmio da CIA pelo seu trabalho de luta contra o terrorismo, provocando sobrancelhas levantadas nas mídias sociais. O diretor da CIA, Mike Pompeo, dotou o príncipe com o prêmio George Tenet em Riyadh

 Funcionários sauditas de alto nível negaram que Bin Nayef estivesse sob prisão domiciliar, com um descrevendo a reivindicação - primeiro relatado no New York Times - como "não é verdade". Outro funcionário, no entanto, disse: "É apenas no período de transição. MBS [bin Salman] não quer correr riscos. Não é prisão domiciliar. Nada parecido com isso ". 

Bin Nayef tinha sido o oficial de segurança mais influente do reino nos últimos 15 anos. Ele manteve conexões de inteligência próximas com os EUA e o Reino Unido e foi visto por aliados sauditas como uma mão segura e confiávelFacebookTwitter

JUNE 22, 2017 / 7:53 PM DUBAI (Reuters) - A elevação de Mohammed bin Salman como Príncipe Herdeiro da Arábia Saudita terminou dois anos de especulação sobre uma rivalidade atrás dos cenas perto do pináculo do poder real, mas ele ainda tem que conquistar parentes poderosos, clérigos e membros da tribo

O filho preferido de 31 anos do rei Salman já estava em vigor o governante do dia-a-dia, com amplos poderes em defesa, energia e economia, embora seu primo, o príncipe Mohammed bin Nayef, 57, ocupasse o cargo mais alto como príncipe da coroa.

Durante dois anos, o ascenso meteórico de Mohammed bin Salman despertou a conversa de tensões e competição entre os dois príncipes, ambos conhecidos por suas iniciais como MbS e MbN.

Tudo acabou na quarta-feira, quando a família Al Saud fechou publicamente em torno de MbS após sua súbita elevação por decreto real. MbN, despojado de sua posição como herdeiro e sua posição como veterano chefe das forças internas de segurança da Arábia Saudita, foi o primeiro a prometer fidelidade ao recém-criado primo mais novo.

 MODELO DE CONSPIRAÇÃO PALACIANO ALTAMENTE SOFISTICADO 

Arábia Saudita - O golpe de Bin Salman é um modelo para o seu próprio Ouster
Alguém queria que o público soubesse que o novo príncipe saudita Mohamed Bin Salman (MbS) assumiu sua nova posição descartando, sem cerimônias, o seu antecessor, Mohammed bin Nayef (MbN) pela força. Os detalhes suculentos, verdadeiros ou não, foram informados à Reuters, aoWall Street Journal e ao New York Times no mesmo dia:

Como próximo da fila para ser o rei da Arábia Saudita, Mohammed bin Nayef não estava acostumado a ser informado sobre o que fazer. Então, uma noite em junho, ele foi convocado para um palácio em Meca, mantido contra sua vontade e pressionado por horas para desistir de sua reivindicação ao trono .

Ao amanhecer, ele entregou, e a Arábia Saudita acordou com a notícia de que tinha um novo príncipe herdeiro: o filho do rei, 31 anos, Mohammed bin Salman.

Bin Nayef era um querido da CIA e sua disposição não era bem-vinda. Pode ser que o autor do conto de sua expulsão tenha seu escritório em Langley, Virgínia.

Nós chamamos corretamente a remoção de MbN de um golpe e previu que "o antigo rei da família Al-Saud [...] será expirado em breve". Da peça atual da Reuters:

Citando uma testemunha no palácio, uma fonte saudita disse que o rei Salman este mês pré-gravou uma declaração em que ele anuncia a transferência do trono para seu filho. O anúncio pode ser transmitido a qualquer momento, talvez em setembro .

Nós também escrevemos que "[m] qualquer cidadão da Península Árabe quererá ver [a nova cabeça do príncipe do palhaço] em um pique".

Os detalhes de como a MbS depôs o antigo principe da coroa MbN encorajarão partes adicionais da população da Arábia Saudita. Fugas adicionais sobre os amplos contatos da MbS com Israel aumentarão os maus sentimentos contra ele. Isto, especialmente, como israelense está invadindoo al-Haram a-Sharif e a mesquita de Al-Aqsa no monte do templo judaico (provavelmente falsamente) reivindicado.

A tentativa de MbS de empurrar Qatar ao redor, como previsto , falhou. Os quatro países que se juntaram ao Qatar não podiam concordar em aumentar a pressão. As demandas feitas ao Qatar foram agora retraídas . Esta é uma enorme perda de rosto para MbS e seu mentor de Emirati Mohammad bin Zayed. A guerra saudita contra o Iêmen mata muitos civis e custa bilhões de dólares, mas é militarmente perdida. As grandes reformas econômicas anunciadas não fizeram nenhum progresso. O Conselho de Cooperação do Golfo é extinto e pode se separar mais.

Tudo o que MbS tocou falhou. Suas ações violam tradições e mandamentos religiosos. Seu golpe deu um exemplo que agora pode ser usado contra ele mesmo. Não seria surpreendente ver uma revolta contra Mohammed Bin Salman mesmo antes de poder se tornar rei. A maneira como ele mudou MbN para o lado quebrou todas as regras tradicionais. O exemplo que ele estabeleceu com a expulsão do ex-príncipe herdeiro agora pode ser usado contra ele mesmo.

UPDATE: Bin Salman agora está consolidando todas as organizações de segurança interna e funções sob ele. O Ministério do Interior, tradicionalmente liderado pela filial da família Nayef, será despojado de todos os poderes significativos. MbS tem medo. Ele sabe que muitas forças, incluindo a CIA, agora estão trabalhando contra ele. Essa tentativa de provocar sua regra provavelmente está chegando muito tarde.
Postado por b em 20 de julho de 2017 às 14:53 PM | Permalink

Nenhum comentário :