expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Natal dos Passos – presépios artísticos infantis - erguidos nesta altura no país mais pequeno e mais pobre de África, é Magro e esfomeado nas afortunadas e férteis Ilhas Verdes do Equador - Desgovernadas de passos perdidos, por um PM em centenas de passeatas – Esbugalhadas de milhões de apoios concedidos, desiludidas de fracassos de mil promessas por cumprir de que esperanças firmes e renovadas - Patrice Trovoada, eleito em 2014, como Messias, prometeu que ia transformar S. Tomé num Dubai, afinal, ainda agravou mais o descontentamento popular, as injustiças sociais, o alcoolismo, a criminalidade e a pobreza

Jorge Trabulo Marques  Jornalista - Informação e análise

Patrice Trovoada pede para transformar São Tomé e Príncipe "no Dubai da África Ocidental" – Reclamava na propaganda do  livro "Uma Voz Africana",  que   tivera foros de acontecimento social, apresentado por Ângelo Correia e Vítor Ramalho, duas conhecidas trutas liberais.

Pois, quem já se esqueceu das verborreia de um hábil ilususionista da intriga e da falcatrua? Sim, das promessas falaciosas de um astuto vendedor da banha da cobra, que logrou enriquece à custa das escandalosas negociatas, transferir carradas de massa para o Texas e outros paraísos da alta finança, no tempo em que a miragem do petróleo  fazia atrair às ilhas à nata da rapinagem mundial para se coligar com a ratazana-mor das Ilhas  - Que logrou seduzir, em Portugal, nos meses do seu el-dourado exilio, para onde se refugiou para não ser engavetado das pifatarias que levou a acabo em tão curto período governativo, seduzindo outros hipócritas e apóstolos do neocolonialismo e ultraliberalismo selvagem global  

Pois, como dizia o usurário e grande patrão da Sonae, Belmiro de Azevedo,: «Quando o povo tem fome tem o direito de roubar – E nem podia ser de outro modo, quando a mesma empresa dá um miserável aumento salarial de 90 cêntimos. até porque a filosofia do falecido Belmiro de Azevedo defendia que só há emprego com "mão-de-obra barata.

  A CAMPANHA DE UM HÁBIL DEMAGOGO NA ARTE DO DISFARCE E DO ENGANO 

Onde a fartura é tanta já nem escapam os contentores de lixo

"Trovoada, que concorre com o maior partido da oposição são-tomense, o Ação Democrática Independente (ADI), tem realizado contactos com o Ocidente e tentado captar o interesse de fundos de investimento para a implementação de um plano de desenvolvimento no país, que, de acordo com o FMI, será a região africana com maior crescimento até 2015.

O candidato, em Portugal, é apoiado por nomes como o juiz Rui Rangel, o advogado Ricardo Sá-Fernandes, o presidente da Fundação Pro-Justicia e Paulo Morais e Silva e o deputado socialista Mário Ruivo. http://expresso.sapo.pt/internacional/trovoada-pede-10-anos-para-fazer-de-sao-tome-e-principe-o-dubai-da-africa-ocidental=f888483

REPETINDO A MESMA CANTILENA UM ANO DEPOIS  - São Tomé e Príncipe sonha em transformar-se no Dubai de África


Patrice não tem esta vida
Lisboa14 abr 2015  - São Tomé e Príncipe é o segundo país mais pequeno de África e um dos mais pobres ao nível mundial, uma situação que o seu novo governo pretende mudar através de uma completa modernização, com o turismo e os serviços como eixo estratégico e Dubai como modelo a seguir.

"Queremos colocar São Tomé e Príncipe no mapa", afirma agora o chefe do Executivo, de 53 anos, empresário e filho do que já fora presidente e primeiro-ministro do país, Miguel Trovoada.. São Tomé e Príncipe sonha em transformar-se no Dubai de África 

 Mas a única coisa que, Patrice Trovoada, tem conseguido é participar nas conferências organizados pela alta corrupção dos milionários árabes para engraxar os sapatos.12/11/2017São Tomé e Príncipe: PM participa em Dubai na conferência so

O VAIDOSO ROMÂNTICO, FALSO E GANANCIOSO MISTIFICADOR  

"Definitivamente, tornei-me um romântico do poder para transformar a sociedade, para mais justiça, para mais solidariedade, mais irmandade, mais bem-estar, para crescer, desenvolver, libertar. Um poder vivido e assumido colegialmente, em equipa. Se eu fosse futebolista, de certeza que jogaria a meio-campo.

Por isso, sempre me afastei, do déjávu, da presunção da culpabilidade e dos preconceitos. Rejeitei sempre a promiscuidade politica e os jogos de cintura e fui considerado por muitos como arrogante. O convivo, entre os políticos nos dias hoje tem muitas vezes contornos cansativos, repetitivos, caricatos, feito de pequenas coisas , futilidades, baixezas, traições e muita hipocrisia.

Assumo e confesso que vivi e cresci com os ensinamentos da vida, sem amargura mas também sem ilusões, sobre a natureza humana, sempre com amor à vida e ao tempo que esgota. Daí, hoje uma certa distância.   Patrice Trovoada - Uma Voz Africana:


MAS NÃO ENGANA OS SANTOMENSES MAIS CONSCIENTES E ATENTOS Prometeu que ia transformar STP em Dubai, durante 4 anos, mentiu; Prometeu arroz de 13 contos à população, durante a campanha eleitoral de 2014, mentiu; Prometeu créditos aos jovens empreendedores, mentiu; Prometeu praças digitais para os jovens navegarem, mentiu. Não cumpriu e agora está a pressionar a AGER – Autoridade Geral de Regulação, para bloquear o acesso a facebook a partir de Fevereiro/2018. Aí de ti, Patrice! Vamos a rua!!! Prometeu dar início as obras da construção do porto em águas profundas e a modernização do aeroporto internacional até Dezembro/2017, mentiu; Prometeu mobilizar investimentos com a Conferência STP-IN LONDON, mentiu; Prometeu que iria melhorar a vida do povo se tivesse todo poder (presidente, governo, camaras, polícia, forças armadas, administração pública) mentiu. O que aumentou é a auto-estrada da corrupção. Exemplo: emissão da nova dobra, sem concurso público. Grande bandidagem… De 2014 até 2017, os funcionários públicos não beneficiaram do 13º mês. Patrice é mentiroso, é vendedor de sonhos. Faz saiiiiiii" - Peter Lopes

DOS HUMILDES E ARTÍSTICOS PASSOS AO GIGANTISMO DESPUDORADO  DOS BAZARES CHINESES

A São Tomé, já chegou um  dos monstruosos bazares chineses, que, os bilionários capitalistas chinócas, disseminaram por todo o globo para venderem  toda a sua vasta quinquilharia, esmagando o pequeno e o médio comércio local, descaraterizando o seu património arquitetónico histórico – E, por este andar, não tardará, que, os tradicionais presépios natalícios, feitos de estiletes de cana de bambu  ou de verga  de andala,  por mãos hábeis e devotadas de crianças, sejam pervertidos pelas modas do desbagado consumismo artificial das fantasias mercantis.

O presépio natalício, vulgarmente conhecido pelo “Passo”, é uma das referências culturais mais antigas da Ilha de São Tomé, criada desde o tempo colonial – Feitos com pauzinhos cortados de andala com o machim (das folhas de palmeiras) e vergas de canas de bambu, enfeitadas com algumas flores da floresta,  imitando pequenas ermidas ou a igreja da Sé, construídas junto às modestas cubatas à beira da estrada, sobretudo à medida que se deixava a cidade, a capital e se penetrava no interior da Ilha, alumiadas por tochas de óleo de palma em pedaços de mamão, iluminando  a Noite de Natal  - Que se prolongavam durante a quadra natalícia

- Sim, os tais presépios genuínos do Povo que eu conheci nos anos 60 e 70 e cantados por Alda da Graça Espírito Santo, - Naquele seu lindo poema, "Natal na Ilha", a par   da celebração do dia “dá chinja” da  festa da família na Quarta-feira de cinzas. Os costumes, vão-se degradando, profanando e artificializando  - Sei que ainda há quem não queira deixar cair no esquecimento, essas graciosas manifestações artística ou deste ou daquele humilde casebre de madeira, porém, aqui lhe deixo algumas imagens que pude recuperar em artigos por mim publicados na revista Semana Ilustrada, de Luanda.


NATAL NA ILHA – ONDE SONHAR COMEÇA A SER PROIBIDO -Recordando o poema de Natal  - de Alda Graça Espírito Santo






NATAL NA ILHA

Ao cair da tarde, pelas estradas da Ilha
Cabaninhas de andala
Tecidas por dedinhos de garotos,
É a nota tocante do Natal.
Uma tocha de mamão
É o luzeiro no caminho
Alumiar o “passo”.

Mas o exotismo dos trópicos
Descendo pelo calendário dos festejos
Faz do “Dá chinja” a festa da família.
Quarta-feira de cinzas
É cara ao coração da nossa gente,
Onde se sente a ausência dos finados.
Na hora do “angu”,
Do clássico calulú de Peixe
Todos se juntam,
Nas roças, nas grutas, nos ermos mais perdidos,
Em redor da mãe velhinha,
Da avó da carapinha branqueada
Na tradição festiva do “Bocado”.
P’las mãos dessa velhinha solene
todos, todos, recebem p’la mesma colher
Numa união feliz e africana
A primeira colherada
Do menú familiar.
E só então, a refeição começa.
A toda a hora pelo dia  fora.
Vem chegando gente
Pró sagrado “Bocado”
Do avô extinto do ano que passou
E da filha arrancada à vida
em plena mocidade.

Cinzas…. Natal…
Exotismo dos trópicos?
- Uma pergunta e uma resposta que pairam nos ares

Alda Graça do Espírito Santo




A vida do dia a dia do “Povo Pequeno” de S. Tomé e Príncipe” já conheceu melhores dias: mesmo para quem tem de se conformar com o ordenado mínimo de 45 euros mensais, arranjar meios para  garantir o sustento  é um tremendo calvário! Que só quem tem de arrostar com essa pesada  cruz, é que poderá compreender o que é esse tão penoso sacrifício diário.: ”Temos  empresários descapitalizados; temos médicos descapitalizados!... As pessoas não têm dinheiro!... Nós sabemos que todos os países atravessam uma situação de crise mas nós estamos numa situação péssima!!...  Essa crise não tem limite em S. Tomé e Príncipe?!...  As pessoas não estão a morrer na rua por ser um pais agrícola! – Desabafo de um dos deputados da oposição”, no aceso e polémico debate preliminar que antecedeu a aprovação do projeto de lei sobre o futuro funcionamento do Tribunal constitucional – Até porque, como dizia outro deputado, nesse mesmo período parlamentar, “Hoje o Governo tem a mão de tudo! Até dos Tribunais!”

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE – O  SEGUNDO PAÍS LUSÓFONO COM MAIOR CONSUMO DE ÁLCOOL

Mais de seis em cada dez jovens com mais de 19 em São Tomé e Príncipe consomem bebidas alcoólicas, revelam estudos que concluem que o consumo entre os estudantes está a crescer a um ritmo “assustador”, disseram investigadoras. 

Quase todos os dias vimos anúncios de cerveja, de vinhos! Há uma lei que proíbe o consumo de álcool aos menores de 18 anos mas na publicidade nunca consta isso!.... Mas não custava nada chamar atenção…  Não se deve estar a acusar os santomenses de estar a beber muito: deve-se é arranjar soluções  para que se ponha cobro a esse tipo de situação: porque, se é verdade que as pessoas estão a beber exageradamente, deve ser fruto da frustração de falta de condições! E isto é culpa do próprio Governo  que tem que criar condições para que as pessoas” – Palavras que se ouviram, no inicio do  mais recente debate parlamentar

Mais de 60% dos jovens são-tomenses com mais de 19 anos consomem álcool -  Título de um artigo hoje publicado, baseado num estudo académico  

Mais de seis em cada dez jovens com mais de 19 em São Tomé e Príncipe consomem bebidas alcoólicas, revelam estudos que concluem que o consumo entre os estudantes está a crescer a um ritmo “assustador”, disseram investigadoras.
Mais de 63% dos jovens com mais de 19 anos bebem álcool, disse a investigadora luso-são-tomense Isabel Santiago, responsável por um estudo sobre o consumo de álcool e drogas entre os jovens são-tomenses.

“É elevadíssimo, isso é assustador”, concluiu.

Nenhum comentário :