expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

ONU estima que a população atual de São Tomé e Príncipe é de 206.335. A expectativa de vida é pobre, em comparação com outros estados da região. A idade média é de 18,2 anos - Children's Rights Humanium – diz que as crianças realizam tarefas perigosas na agricultura. O desenvolvimento do turismo sexual na África Central e Ocidental levou a um aumento da prostituição infantil- É alarmante observar que crianças prostituídas – pedofilizadas - são consideradas criminosas, não vítimas, pela lei. - Hospital Central sem medicamentos - Denuncia Peter Lopes

Diz estudo da Worst Forms of Child Labor, que, "Em 2016, O Governo aprovou um Plano Nacional de Ação para a Eliminação do Trabalho Infantil e a Política Nacional de Proteção à Criança. No entanto, crianças em São Tomé e Príncipe realizam tarefas perigosas na agricultura. Os tipos de trabalho perigoso proibido para crianças não são abrangentes e a idade do ensino obrigatório não se estende à idade mínima para o trabalho. Recursos inadequados dificultam a capacidade das agências de aplicação da lei de aplicar as leis do trabalho infantil.   Findings on the Worst Forms of Child Labor - Sao Tomé and Principe .


Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informaçao e análise 

No inicio  da década de 70, a representação demográfica dos  territórios  ou estados de língua portuguesa, era regionalmente a seguinte: Portugal Continental 8.123320; Açores 276 989; Madeira; 252 953; Cabo Verde 271.071; Guiné-Bissau 487448;  S. Tomé e Príncipe 73,811; Angola 563046; Moçambique 8233834; Macau  248636; Timor-Dili 610.550; Brasil 92 341 556

Em 1975, a população de S. Tomé e Príncipe, passava para 82 607 habitantes – O último  recenseamento apontava para   cerca de 192 mil habitantes,  numa área  de 1001 km²,nas duas Ihas . Na Quarta-feira, dia 13 de Dezembro 2017, a ONU publicava um estudo, estimando que a população atual de São Tomé e Príncipe é de 206.335  o equivalente a 0% da população mundial total .Mesmo assim, ocupando o 187º lugar  na lista de países (e dependências) por população

É um facto que as condições de vida, em S. Tomé e Príncipe, são ainda  muito difíceis, e, em muitos casos, lembrando a  precariedade  que eu conheci quando trabalhei como empregado de mato nas roças,  todavia, com a redução da mortalidade infantil, que era altíssima naquele tempo, e, naturalmente, com outros progressos registados com a independência,  verificou-se um aumento da população, tal  como, de resto, em todo o Mundo, por via dos avanços da medicina - Se bem que, na Europa, o índice de nascimentos seja o de retrocesso

Mesmo assim  - face às duras carências, que ainda atormentam o  grosso da população santomense - ,  segundo o mais recente estudo da ONU, "os moradores de São Tomé têm uma expectativa de vida pobre, em comparação com outros estados da região, que ascendem a  uma expectativa de vida de 68,32 anos, estando  as Ilhas Verdes do Equador,  classificado em 149º lugar no mundo, A densidade populacional em São Tomé e Príncipe é de 213 por Km 2 (551 pessoas por m 2  A área total da terra é de 960 Km2 (371 km2)68,8% da população é urbana (140,661 pessoas em 2017) A idade média em São Tomé e Príncipe é de 18,2 anos

Embora a taxa de mortalidade infantil  para crianças menores de cinco anos tenham diminuído (38 em 1000 e 63 em 1000, respectivamente, permanecem os principais problemas: o HIV , a malária e a escassez de alimentos. O acesso a água potável e equipamentos de saneamento continua a ser difícil Sao Tome & Principe Population (2017, 2018) - Worldometer

Naturalmente que em consequência da fraca assistência médica e medicamentosa Com salários de 45 euros mensais para o sector público e de 35 no privado

CONCLUSÕES DE UM RELATÓRIO da Children's Rights – Humanium –  Existe uma alta taxa de gravidez entre os adolescentes. As crianças não podem encontrar-SE com um médico sem os pais antes dos 16 anos de idade.

Tráfico de crianças - O desenvolvimento do turismo sexual na África Central e Ocidental levou a um aumento da prostituição infantil em São Tomé e Príncipe. Além disso, para satisfazer as demandas sexuais dos turistas, o tráfico de pessoas em mulheres e crianças está em ascensão.

É alarmante observar que crianças prostitutas são consideradas criminosas, não vítimas, pela lei.

Trabalho infantil   - Em princípio, a lei permite que as crianças trabalhem a partir dos 14 anos de idade. Mas os números nos mostram que, na prática, isso não é respeitado. Por exemplo, em 2000, 15,4% das crianças de 5 a 14 anos trabalharam; destes, 17,2% eram meninos e 13,5% eram raparigas. As crianças são geralmente empregadas na agricultura, nos setores ilícitos (drogas, etc.), ou mesmo como empregados domésticos. Além disso, no país, um menor pode assinar um contrato de trabalho e receber salários.

A lei estabelece que as crianças menores de 18 anos não podem trabalhar mais de 7 horas por dia e 35 horas por semana e, teoricamente, isso deve ser feito de forma voluntária.
No que diz respeito ao serviço militar, é obrigatório a partir dos 18 anos de idade. No entanto, a idade pode ser reduzida para 17 se o consentimento dos pais for dado.

Acesso ao Sistema Legal  - O sistema jurídico ainda não está adaptado a crianças e menores de idade.

CRIANÇAS ESFOMEADAS, O PRINCIPAL HOSPITAL SEM MEDICAMENTOS – FUGAS AOS IMPOSTOS E UM PRIMEIRO-MINISTRO QUE PASSA A MAIOR PARTE DA GOVERNAÇÃO EM VIAGENS PELO ESTRANGEIRO

Nova denúncia do cidadão santomense, Peter Lopes, residente na África do Sul . Um dos participantes no golpe de Estado de 16 de Julho 2003, que acusou o atual Primeiro-Ministro, de ter sido – O Financiador” –  e de ter dado instruções para o assassinato de Manuel Pinto da Costa, Fradique de Menezes entre outras figuras,


Hospital Central - privatizado - Pior que no tempo colonial
Diz que, o Hospital Central sem medicamentos O atendimento no Hospital Central Dr.Ayres de Menezes, na cidade de São Tomé, tem vindo a deteriorar-se nas últimas semanas. Relatos de utentes indicam a falta de medicamentos para o tratamento dos doentes internados, nomeadamente paracetamol. Vários familiares têm-se deslocado as farmácias da capital, no sentido de comprarem medicamentos destinados aos seus familiares internados. No Banco de Urgência e nas enfermarias, faltam papeis com timbre da unidade hospitalar. Médicos em piquete no BU, têm-se socorrido de papéis cortados com régua, para fazerem receitas aos utentes. Pede-se aos partidos da oposição parlamentar no sentido de enviarem uma equipa de deputados, para inteirarem in loco da situação. Enquanto o Primeiro Ministro, Patrice Trovoada, gasta milhões e milhões de dólares com viagens em jatos privados, cujos resultados não existem, o «povo pequeno» que votou no ADI está a morrer no hospital por falta de medicamentos. Povo de STP, temos que correr com este homem. Patrice Trovoada é o verdadeiro mafioso que já alguma vez existiu na nossa terra.

Digam me como é que Nino arranjou 6 milhões de dólares, segundo a avaliação feita por Gégé? A pergunta é pertinente e merece resposta. Mas... A questão mais importante e que interessa a todos é esta... Houve intenção de prejudicar o Estado ? Explico sem complicar ..  Sendo que foi para “pagar” a Micas, exequente no processo. Se pagaram, pagaram mal …e perdem o dinheiro, se todo o processo se for anulado ..[dai a pressa na “compra” de juízes ? ] agora, Se gegé soubesse o que estava a fazer como juiz do processo, Esses 6 milhões tinham de ter entrado primeiro nos cofres do estado, (cofre do tribunal)- Excerto editado no Facebook



Nenhum comentário :