expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Presidente da República Portuguesa, Prof Doutor Marcelo Rebelo de Sousa - Visita S. Tomé e Príncipe – De 20 a 22 de Fevereiro – Com chegada ao aeroporto Internacional de STP para o dia 19 - Deslocação confirmada - A visita chegou a estar agenda para 28 de Janeiro.











A visita que chegou a estar agendada para 28 de Janeiro, vai decorrer de 20 a 22 de Fevereiro – A confirmação foi-nos dada pelo Gabinete de Imprensa da Presidência da República, ao qual havíamos solicitado  a informação

Confirmamos que a data da Visita do Presidente da República a São Tomé e Príncipe foi marcada para 20 a 22 de fevereiro de 2018, sendo que o Presidente da República chega a São Tomé no fim do dia 19.

Cumprimentos

Assessoria para a Comunicação Social do Presidente da República
Palácio de Belém
Calçada da Ajuda - 1349-022 Lisboa

-------- Mensagem encaminhada ----------
De: Assessoria para a Comunicação Social PR >
Data: 17 de janeiro de 2018 12:23
Assunto: RE: Visita da Presidência a S. Tomé
Para: jorge luis Marques >

Ao Gabinete de Imprensa da Presidência da República

Tomei conhecimento de uma informação que corre na Internet -  mas  que não é de fonte oficial - de que o Sr. Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, teria adiado a sua visita a S. Tomé

Gostaria saber se  se confirma esse adiamento e, a ser verdade, que razões  justificam esse adiamento.
Sou jornalista português - sénior - mas mantenho uma colaboração muito ativa com S. Tomé e Príncipe, onde vivi durante cerca de 12 anos, entre 1963  e 1975, e também onde me iniciei no jornalismo, como correspondente da extinta revista angolana, Semana Ilustrada, entre 1970  e meados de 1975


PORMENORES DA VISTA MAIS À FRENTE  Posteriormente divulgados à Imprensa Portuguesa O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, realiza uma visita de Estado a São Tomé e Príncipe entre 20 e 22 de Fevereiro, em que estão previstos contactos com a comunidade portuguesa e uma deslocação ao Príncipe. - Mais à frente


Marcelo vai encontrar-se com  o muçulmano Patrice  Trovoada, que quer atirar S. Tomé e Príncipe, para o extremismo islâmico – Através do ensino primário, secundário, e universitário, ministrado pela  Türkiye Maarif Vakfı – Fundação turca “financiada pela Arábia Saudita na tentativa de introduzir a ideologia do Wahhabismo em toda a África” – “A raiz ideológica do Estado Islâmico, a principal fonte de terrorismo global”. – Um primeiro-ministro, que faz exercícios  militares  no parlamento, com a tropa ruandesa  e chama pecador  ao Bispo da Diocese. http://www.odisseiasnosmares.com/2017/09/o-muculmano-patrice-trovoada-quer.html

ESPERA-SEQUE MARCELO NÃO DEIXE DE ENVERGAR  TAMBÉM AS VESTES DE PROFESSOR E ALERTE PARA A IMPORTÂNCIA DO DIÁLOGO DEMOCRÁTICO, A QUEM O DETESTA  - Obviamente, sem que seja necessário colocar-se no papel de Presidente do antigo país colonial



PATRICE TROVOADA RECONHECE NÃO ESTAR TALHADO PARA  A  DEMOCRACIA PARLAMENTAR  - Junta duas eleições numa só para facilitar a fraude e o banho, afirma que NÃO PODE HAVER VITÓRIA SEM MAIORIA – O que significa que há que intensificar o arsenal da propaganda, apertar  a censura à oposição e atacar os adversários, seja de que forma for - Além de controlar a rádio e a televisão do Estado, tem na media portuguesa, um  bom aliado, com os seus Ribeiros e Castros, na linha de frente.

Trovoada reprime o pvo à bastonada
NÃO SERÁ  POR FALTA DE PROPAGANDA  - PATRICE TROVOADA DIZ QUE VENCER ELEIÇÕES SEM MAIORIA ABSOLUTA É UMA DERROTA SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE 11-10-2017   - O primeiro-ministro são-tomense e líder do partido no poder, a Ação Democrática Independente (ADI), Patrice Trovoada, disse  esperar ganhar as eleições legislativas de 2018 com nova maioria absoluta, senão será uma derrota. A BOLA - Patrice Trovoada diz que vencer eleições sem maioriaa ...

PREVÊ-SE UM ENCONTRO DE UM CATÓLICO PRATICANTE COM UM FAZ DE CONTA 

 

Com o Pastor do "Reino de Deus"

De recordar que, "nesse mesmo dia, decorriam as celebrações de Sto. Amaro e Sto. Isidoro e  nenhum dos membros do Governo ali compareceu,  ao contrário do que sucedia  em anos anteriores, uma vez o povo santomense ser maioritariamente seguidor da religião católica. http://www.jornaltransparencia.st/1394.htm

PORMENORES DA VISITA DE MARCELO REBELO DE SOUSA A SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE - DIVULGADOS POSTERIORMENTE PELA IMPRENSA PORTUGUESA


Roça Uba Budo - Antiga administração, o estado  atual
9/2/2018, 19:31 Segundo fonte da presidência, o chefe de Estado dedica o primeiro dia da visita aos contactos oficiais, estando previsto um encontro com o seu homólogo são-tomense, Evaristo Carvalho, com o presidente da Assembleia da República, José da Graça Diogo, e com o primeiro-ministro, Patrice Trovoada.

Ainda no primeiro dia de visita, Marcelo Rebelo de Sousa almoça na Embaixada de Portugal com representantes de Organizações Não Governamentais (ONG) portuguesas que trabalham no país e participa depois na sessão de abertura do Fórum Económico luso-são-tomense no Centro Cultural Português.

O Presidente vai ainda a bordo do navio de patrulha português Zaire, que vai ficar em São Tomé e Príncipe durante um ano, com uma tripulação de 38 militares, dos quais uma parte fuzileiros, para capacitar a guarda costeira são-tomense na fiscalização das águas do país. O ministro da Defesa português, Azeredo Lopes, assinou na quinta-feira com o seu homólogo são-tomense, Arlindo Ramos, um memorando de entendimento para a permanência, durante um ano, da embarcação portuguesa nas águas do arquipélago.

O primeiro dia da visita de Marcelo Rebelo de Sousa termina com um jantar oficial oferecido por Evaristo Carvalho.

Ilhas amordaçadas pelo regime opressor de Patrice Trovoada

No dia 21, o Presidente inaugura a Escola Portuguesa de São Tomé, que já está a funcionar há um ano, mas ainda não foi oficialmente inaugurada, e visita a Universidade de São Tomé e Príncipe, onde responde a perguntas dos alunos. À tarde, em Neves, a cerca de 30 quilómetros da capital, Marcelo visita a Obra das Irmãs Franciscanas, liderada pela irmã Lúcia, uma portuguesa. Durante esta visita, vai ser inaugurado um centro desportivo oferecido pelo Sport Lisboa e Benfica.

Antes de se encontrar com a comunidade portuguesa na embaixada, o chefe de Estado vai ainda depositar uma coroa de flores no monumento dos Mártires da Liberdade, em Fernão Dias, inaugurado em 2016 e que homenageia as vítimas do massacre de Batepá. Este massacre ocorreu em 03 de fevereiro de 1953 e foi desencadeado essencialmente pelas relações laborais do sistema colonial, adotadas nas roças de cacau e café da ilha, que provocaram a revolta dos trabalhadores locais.

Na repressão a esta revolta, ordenada pelo ex-governador Carlos de Sousa Gorgulho, morreram 1.032 pessoas, na versão são-tomense, e entre uma a duas centenas, na versão portuguesa da época.

O último dia da visita prevê uma deslocação à ilha do Príncipe, onde, além dos encontros oficiais com as autoridades locais, o Marcelo Rebelo de Sousa visita o Polo Cultural Português e a escola secundária Padrão. Ainda no Príncipe, o chefe de Estado visita o Parque da Biodiversidade, uma zona protegida com cerca de 85 quilómetros quadrados em que se destaca a importante biodiversidade, tanto do ecossistema terrestre, como marinho, e onde se estuda, entre outros, a diversidade de plantas medicinais.

A ilha do Príncipe foi classificada em julho de 2012 como Reserva da Biosfera mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). No final da visita, Marcelo Rebelo de Sousa visita a Roça Sundy, nomeadamente o local onde foi realizada a experiência que comprovou a teoria da relatividade em Einstein, realizada a 29 de maio de 1919 pelo astrónomo britânico Arthur Eddington.


É certamente das crianças onde receberá mais afetos
São Tomé e Príncipe será o quinto país lusófono a que Marcelo Rebelo de Sousa se desloca desde que tomou posse, em março de 2016, depois de Moçambique, Cabo Verde, Brasil e Angola.

Dessas deslocações, duas foram visitas de Estado, a Moçambique e a Cabo Verde, realizadas em maio de 2016 e abril de 2017, respetivamente.

Marcelo Rebelo de Sousa foi três vezes ao Brasil — para os Jogos Olímpicos, em 2016, para uma cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e para as comemorações do Dia de Portugal, em 2017 — e deslocou-se a Angola para assistir à posse do novo Presidente, João Lourenço, em setembro do ano passado.

O último Presidente português a realizar uma visita de Estado a São Tomé e Príncipe foi Jorge Sampaio, em 2000.
Lusa/Fim http://www.dnoticias.pt/pais/marcelo-faz-visita-de-estado-entre-20-e-22-de-fevereiro-a-sao-tome-e-principe-CY2735026


Março 2016 - O autor destas linhas


Mais um Marco na Sua Vida 
Quem haveria de imaginar naquele tempo?  - Que o meu antigo camarada da Brigada de Fomento Agropecuário, então  chefe de secretaria, um dia ainda haveria de ser o presidente da República - Esteve em todos os partidos, soube adaptar-se a todas as mudanças, como a mesma postura do antigo funcionário colonial servil -  Toda a sua ascensão politica ocorreu depois da Independência e sem fazer grandes ondas:  foi chamado por duas vezes a ocupar o cargo transitório de Primeiro-Ministro, porque era visto como o executivo  incapaz de matar uma mosca e tapar espaços temporários, sem criar transtornos a quem o nomeou. Mas foi pela mão do seu amigo Patrice Trovoada, na ADI, que ele surge catapultado - mercê de gigantesca fraude  eleitoral - Completando assim a  imagem prefigurada do Princípio de Peter ou seja princípio da incompetência de Peter, que diz que, numa organização hierárquica, os funcionários tendem a ser promovidos até chegarem a um cargo para o qual são incompetentes e depois lá permanecem.

Evaristo Carvalho, o funcionário a quem o Governo colonial confiara, num organismo público, a chefia de uma secretaria, delegando ao seu cuidado as chaves do cofre, a gestão das contas e proceder ao pagamento mensal dos ordenados e salários aos demais servidores do Estado: desde os simples trabalhadores, a pessoal da secretaria,  aos vários técnicos e quadros superiores, um dia acabaria por estar indiciado sob grave suspeição:

Foi-lhe um movido um processo disciplinar, por suspeita de crime de peculato:  O processo foi prorrogado por três vezes, ou seja, por 90 dias, máximo previsto pela lei:  - as  contas não batiam certas e quem tinha acesso aos cofre era Evaristo Carvalho - Trabalhei nesse organismo alguns meses, mas foi muito antes do escândalo rebentar 



ESPEREMOS QUE, UM PRESIDENTE CATÓLICO, NAO SE ESQUEÇA DE DAR UM ABRAÇO DE SOLIDARIEDADE A D. MANUEL DOS SANTOS E DE ENTRAR NUM DOS MAIS BELOS TEMPLOS DA IGREJA CATÓLICA EM S. TOMÉ E PRÍNCIPE



UMA VISITA JÁ COM BARBAS BRANCAS

A visita do Presidente da República Português, a 26 de Janeiro, não é novidade nenhuma, visto já ser conhecida em S. Tomé, através das redes sociais, desde meados de Novembro –  Neste site – 11 de Maio 2017 - Presidente Evaristo Carvalho quer que Marcelo dê um salto a São Tomé e a mergulhe na Lagoa Azul, O Presidente português saúda o relacionamento com os chineses, esperando que Portugal  continue a financiar em milhões para melhorar a tecnologia do milho híbrido dos novos colonos orientais –-  Inicio de  uma visita presidencial com agenda desconhecida que não atraiu nem seduziu  mas faz  o seu teatro encomendado     http://www.odisseiasnosmares.com/2017/05/presidente-evaristo-carvalho-quer-que.html




EVARISTO QUER VER MARCELO A DAR UM SALTO ÁS SUAS TERRAS, QUE TAMBÉM JÁ FORAM SUAS, QUANDO O SEU PAI Baltasar Rebelo de Sousa , era Governador geral de Moçambique. , e, Fernando Augusto Santos e Castro –,o homem forte de Angola, então pai de José Ribeiro e Castro, opinador oficial de  Patrice Trovoada, enquanto, Evaristo Carvalho, era um modesto chefe de secretaria da Brigada de Fomento- Agro-Pecuário de STP e onde eu um mero estagiário rural.

Quero aproveitar para o convidar para que, logo que possível, dê um salto às terras, às minhas terras, que também foram as suas, dê esse prazer a São Tomé e Príncipe» - Foi justamente, desde modo, que   Evaristo Carvalho no final de uma audiência com Marcelo Rebelo de Sousa, lhe dirigiu o convite

Na verdade, o  convite de Evaristo Carvalho a Marcelo Rebelo de Sousa, não constituiu novidade alguma: pois, já o Primeiro-ministro, Patrice Trovoada,  conquanto não fosse do âmbito da sua competência, o havia feito, em Março do ano passado, após a audiência privada concedida por Marcelo Rebelo de Sousa., tendo então afirmado à RDP-África, que “ O Presidente português tem muitas saudades de São Tomé e Príncipe e faremos tudo para que possa visitar o país.

DEMOS ESTA NOTICIA EM 27 DE MARÇO DE 2016  Portugal e STP - Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, poderá visitar  S. Tomé e Príncipe,  – O Primeiro-ministro, Patrice Émery Trovoada, declarou aos media,  no final da  audiência privada, pelo Presidente Português, que “o convidou a visitar o arquipélago, numa data ainda por definir” -  Posteriormente, Marcelo,  telefonaria ao seu homólogo, Manuel Pinto da Costa,  pois o convite oficial  terá de partir do Palácio do Povo e seguir as vias diplomáticas http://www.odisseiasnosmares.com/2016/03/portugal-e-stp-presidente-marcelo.html


Site da PR - Portuguesa 
Primeiro-ministro, Patrice Trovoada,  fez o anúncio, dessa intenção, em declarações à RDP África, antecipando-se ao Presidente Santomense,, após a audiência privada concedida por Marcelo Rebelo de Sousa. - Afirmando que O Presidente português tem muitas saudades de São Tomé e Príncipe e faremos tudo para que possa visitar o país. É alguém que conhece perfeitamente a realidade são-tomense. É uma personalidade que, estou convencido, irá permitir que as relações entre os dois países possam desenvolver-se ainda mais", sublinhou.

MAS, AFINAL, QUEM CONVIDA O PRESIDENTE PORTUGUÊS? - É PINTO DA COSTA OU PATRICE TROVOADA? - Esta a questão que então colocávamos

Referindo-se ao encontro com Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro são-tomense especificou mesmo ter convidado "o Presidente português a visitar o arquipélago, numa data ainda por definir". - Segundo noticia da Lusa, desenvolvida em  Nome do futuro secretário executivo da CPLP s


Como se compreenderá,  o convite só poderia ser dirigido pelo Presidente da República Manuel Pinto da Costa, ao seu homólogo português, através dos canais diplomáticos   - Segundo noticia divulgada pelo site da Presidência da República Portuguesa, "no  mesmo dia, o Presidente falou também telefonicamente com o Presidente da República de São Tomé e Príncipe, Manuel Pinto da Costa" – Admite-se que terá sido para lhe comunicar esse desejo e evitar eventuais conflitos institucionais, depois de tomar conhecimento das declarações públicas  de Patrice Trovoada. http://www.presidencia.pt/?idc=10&idi=104098..

QUANDO MARCELO VISITAR, AS ILHAS MARAVILHA, OPTARÁ PELO MERGULHO NAS ÁGUAS AZUIS E QUENTES DO EQUADOR OU SUBIRÁ TAMBÉM UM COQUEIRO, TAL COMO FEZ CAVACO SILVA? – Por certo, não deixará de surpreender

É sobejamente conhecido o estilo extrovertido ou inesperado  de Marcelo Rebelo de Sousa, tanto na forma de comunicar, como de intervir – Que irá ele fazer, para singularizar a sua estadia nas Ilhas Verdes do Equador, quando ali se deslocar em visita oficial?... Irá subir a um coqueiro, como fez Cavaco Silva, na visita que ali efetuou, em 1990 ou surpreenderá os media e a comitiva de uma forma ainda mais surpreendente e extravagante?! – Claro que não é suposto que fique apenas pelos discursos de circunstância: Marcelo é um fazedor de novos factos, um grande criativo e improvisador,  com  forte veia de animal politico e de ator nato de alto gabarito.

Por isso, sendo ele um exímio criador  e humorista  de altas performances, obviamente  que não é suposto que vá imitar Cavaco Silva, a subir um coqueiro, sim,  a menos que seja para o fazer  ainda de forma mais hábil e lesta, mas, obviamente, que, os santomenses., que também são por natureza alegres e extrovertidos, não deixarão de ter a oportunidade de sorrir ou de se divertir  com algumas das suas palavras de humor e de otimismo ou inesperadas ações.

Naturalmente que o  elevado nível de notoriedade de Marcelo Rebelo de Sousa,  atualmente dispensa qualquer tipo de ações extravagantes ou espetaculares para chamar a atenção de qualquer intervenção de  sua autoria – Todavia, quem se esquecerá  - pelo menos desse tempo – do célebre  mergulho no Tejo?

Corria o ano de 1989, “o estuário que banha Lisboa era um dos mais poluídos da Europa, com os esgotos de toda a cidade e dos seus arredores a desaguarem diretamente ali sem qualquer tratamento. Se agora mergulhar no Tejo parece uma ideia perigosa, na altura era uma ideia louca. Mas foi o que Marcelo Rebelo de Sousa fez para lançar a sua candidatura à Câmara Municipal de Lisboa, inaugurando assim a mais inusitada campanha de que há memória em Portugal – com direito a um dia passado a conduzir táxis, uma noite com o camião do lixo, corridas em Monsanto e noites animadas” – Observador – 2014 Há 25 anos Marcelo deu o mergulho que quase lhe valeu 

Por sua vez, em Janeiro de 1990, Cavaco Silva, na visita que efetua  a S. Tomé e Príncipe, na qualidade de Primeiro-ministro, é surpreendido pelo fotógrafo Expresso, Fernando Gaspar,  a subir a um coqueiro – Considerada, até hoje,  “imagem mais excêntrica do Presidente da República cessante, Aníbal Cavaco Silva. Ágil, atlético, aventureiro e em calções de banho e óculos escuros, o então primeiro-ministro, de 50 anos, subiu a um coqueiro em São Tomé e Príncipe como se toda a vida tivesse andado a subir a árvores exóticas” – Visão - Visão | Afinal, Cavaco estava a subir ou a descer o coqueiro

Por seu turno, Mário Soares, também não  lhe ficaria atrás, na visita presidencial que efetuou à India  - “O único estadista português a visitar a Índia
 “Uma civilização mais antiga que a helénica, a maior democracia do Mundo, a glória da expansão portuguesa, a joia da coroa dos imperialismos europeus. Conhecedor destes simbolismos, em Janeiro de 1992 Mário Soares deixava-se fotografar, em Jaipur, a andar de elefante e com turbante de marajá. Era o primeiro estadista português a visitar oficialmente a Índia – Excerto do  DN – 2007 Soares foi o único estadista português a visitar a Índia 

BIOGRAFIA  OFICIAL

Marcelo Nuno Duarte Rebelo de Sousa nasceu em 12 de dezembro de 1948.
É católico, participou em vários movimentos da Igreja.
Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa com a classificação de dezanove valores.
Doutorado em Ciências Jurídico-Políticas em 1985, com Distinção e Louvor por unanimidade.
Professor Catedrático de nomeação definitiva em 1992, por unanimidade.
Depois de ter iniciado a sua carreira docente na área das Ciências Jurídico-Económicas, regeu todas as principais disciplinas do Grupo de Ciências Jurídico-Políticas
Presidiu aos Conselhos Científico e Pedagógico e ao Instituto de Ciências Jurídico-Políticas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.
Pertenceu, por inerência, a diversos órgãos, como o Senado Universitário e integrou o júri do Prémio da Universidade de Lisboa.
Em representação da Faculdade de Direito da U.L., presidiu à delegação que celebrou o primeiro acordo para a Faculdade de Direito de Bissau, e lecionou nas Universidades Agostinho Neto, Eduardo Mondlane e da Ásia Oriental.
MAIS PORMENORES EM  http://www.presidencia.pt/?idc=3

Nenhum comentário :