expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

domingo, 14 de janeiro de 2018

Robert louis Stevenson "Se pudesse soltar amarras e zarpar / Sobre as planícies da noite e do dia" - Tributo a um grande poeta



Nas minhas orações prefiro estes altares aos construídos pelas nossas mãos 
Tributo a um grande poeta


"Se pudesse soltar amarras e zarpar
Sobre as planícies da noite e do dia,
Chegaria por fim a uma terra
Onde todos os nossos pecados e mágoas já não existiriam
Nem os Dez mandamentos.
Não posso dizer o nome dessa terra;
Verde é a erva e fresco o poço;
Fácil é encontrar e conservar, a virtude
E o pecador pode dormir a seu bel-prazer
Com os Dez Mandamentos.
Bens e honra, glória e ouro
Florescem mas matas do mundo inteiro;
E se o homem sentir remorsos
Poderá comer da dourada urze,
E mandar ao inferno os Dez Mandamentos
Vai à igreja ao domingo com as melhores vestes;
Come e bebe com todo o prazer;
E quer viva no céu ou no Inferno
Isso para ele é mais do que podemos afirmar;
Ele aboliu os Dez Mandamentos

Robert louis Stevenson


QUEM É  ROBERT LOUIS STEVENSON?

Robert Louis Stevenson (Edimburgo, Escócia, 13 de novembro de 1850 — Vailima, Ilhas Samoa, 3 de dezembro de 1894), tendo nascido Robert Lewis Balfour Stevenson, foi um influente novelista, poeta e escritor de roteiros de viagem britânico, nascido na Escócia. Escreveu clássicos como A Ilha do Tesouro, O Médico e o Monstro e As Aventuras de David Balfour.
Considerado um dos mais importantes escritores britânicos do século XIX, está entre os autores mais traduzidos em todo o mundo.[1] Foi, em vida, também um ferrenho ativista político, crítico social e humanista.[2]
Robert Louis Stevenson aos sete anos.
Robert Louis (originalmente Lewis) Balfour Stevenson nasceu em Edimburgo, capital da Escócia. Filho de médico, era pressionado pelo pai a seguir mesma carreira, mas a saúde debilitada e a fraca inclinação para a área fizeram com que decidisse por uma carreira alternativa. Em 1866 entrou para a faculdade de Direito de Edimburgo. Lá, escreveu durante 1871 e 1872 para o jornal universitário, o Edinburgh University Magazine (Revista Universidade Edimburgo), revelando seu gosto e talento para a arte e literatura.

No ano de 1873, após concluir a faculdade, Robert mudou-se para a cidade de Londres, Inglaterra, pois sentia-se deslocado no ambiente familiar, marcado por um clima coercitivo e pela inexorável moral e religiosidade puritanas. Em sua curta estadia na cidade, passa a frequentar os salões literários para, algum tempo depois, partir numa longa viagem pela Europa.

O ano de 1876 é importante na sua vida particular, pois, nesse ano, conhece uma mulher norte-americana dez anos mais velha, na França, chamada Fanny Van de Grift Osbourne, com a qual se casa em 1880, em São Francisco, Estados Unidos. Volta à Inglaterra e traz consigo esposa e um enteado, chamado Lloyd Osbourne. No ano seguinte é internado na cidade de Davos, Suíça, para tratar sua tuberculose, da qual sofria há anos. Publicou seu primeiro livro, que consistia em uma narrativa de viagem, em 1878.

Conhece a notoriedade artística ao escrever, em 1886, The Strange case of Dr. Jekyll and Mr. Hyde (O Médico e o Monstro), um de seus maiores sucessos literários. Com a morte do pai, em 1887, Stevenson retorna aos Estados Unidos, onde volta a tratar de sua tuberculose. No ano seguinte aventura-se num veleiro em diversos arquipélagos do Pacífico-Sul, junto com a esposa e o enteado. Apaixonado pela paisagem paradisíaca, se estabelece definitivamente em Apia, nas Ilhas Samoa, em 1889.

Morreu prematuramente, em 3 de dezembro de 1894, aos 44 anos, enquanto escrevia sua obra-prima inacabada, Weir of Hermiston, vítima de uma hemorragia cerebral. Encontra-se sepultado em Stevenson Family Estate Grounds, Vailima, Tuamasaga em Samoa. - Excertos de 

Robert Louis Stevenson – 




Nenhum comentário :