expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sábado, 31 de março de 2018

PÁSCOA - TEMPO DE ORAÇÃO E REFLEXÃO - Com o Poema-Prece do poeta Manuel Daniel



E PORQUE É TEMPO DE ORAÇÃO E DE REFLEXÃO –
A PRECE DO POETA MANUEL DANIEL - Do seu Livro "Coração Acordado"




Prece ao Senhor Bom Jesus


"Ó Senhor Bom Jesus, Senhor dos Passos,
que vês, compadecido, a nossa vida
Nossa vida de sonhos e fracassos,
andamos pelo mundo de olhos baços,
rastejando na dor e na fadiga.

Na Tua procissão vai toda a  gente,
implorando  em silêncio o teu perdão.
O teu perdão suplica um penitente
e este outro, mais aqui, amargamente,
chora  por um momento de ilusão.

 

Tua imagem de mágoa e sofrimento
anda sempre connosco em cada dia.
Em cada dia ela nos dá alento,
à moribunda  dá sustento
e troca a dor mais funesta em alegria.

A Tua cruz pesada nos conforta,
da cor do fel amargo que trazemos.
Trazemos quando a alma, quase morta,
nem do mal  nem do bem  se não importa,
e mais mortos que vivos parecemos.

Tua coroa de espinhos, meu Senhor,
sinto-a cravada  em mim, no coração.
No coração  que às vezes, com amor,
espalha ódios e semeia a dor,
em vez de paz, sorrisos e perdão.




O Teu vestido roxo, de tristeza,
é um fiel espelho do que eu faço.
Do que eu faço nas horas de incerteza
em que tudo é banal e sem beleza,
em que só há neblinas e cansaço.

A corda que te prende na cintura
atrai-me à Vida Nova que nos dás.
Que nos dás, numa oferta da ventura,
uma vez que esta vida só perdura
quando é construída sobre a paz.

Ó Senhor Bom Jesus, meu Bom Senhor,
que aceitaste morrer por esta gente,
Esta gente te pede com fervor
que sejas sempre dela protector,
seus passos conduzindo eternamente.

Manuel Daniel  - In Coração Acordado


quinta-feira, 29 de março de 2018

PRÉMIO UNESCO-GUINÉ EQUATORIAL de Pesquisa em Ciências da Vida-2017 - Entregue em Malabo, em cerimónia presidida pelo Presidente Obiang Nguema Mbasogo.e do Director Geral da UNESCO, Audrey Azoulay – 100 mil dólares (85 mil euros) distinguem trabalhos do investigador português, da Universidade do Minho, Rui dos Reis, bem como de Ivan Antonio Izquierdo da Pontifícia, médico e neurocientista, especialista nos mecanismos da memória Universidade Católica do Rio Grande do Sul, assim como Organização israelense de Pesquisa Agrícola (O Centro Volcani)


Segundo noticia divulgada na página oficial do Governo da Guiné Equatorial, os atos que procedem a entrega da 4ª edição  do  Prémio Internacional Guiné UNESCO-Equatorial de Investigação em Ciências da Vida, tiveram inicio, ontem dia 28 de Março na cidade de Sipopo, em Malabo, capital deste país do Golfo da Guiné, com a presença do Presidente Obiang Nguema Mbasogo. do Director Geral da UNESCO, Audrey Azoulay e do o Chefe do Protocolo, Michel Toto .http://www.guineaecuatorialpress.com/noticia.php?id=11262
(Atualização )  Entretanto, em noticia posterior no mesmo site, é  referido,  ainda,  que, além dos 28 convidados especiais, membros da UNESCO, personalidades ligadas aos meios científicos, a cerimónia contou com representações de mais de meia centena de países, nomeadamente, Angola, Bangladesh, Benim, Burkina-Faso, Marrocos,  Venezuela, entre muitos outros. http://www.guineaecuatorialpress.com/noticia.php?id=11273

Os vencedores premiados vão dividir a importância de 100 mil dólares, equivalente a 85 mil euros, além de receberem um diploma nas mãos do Diretor-Geral da UNESCO , SE Obiang Nguema Mbasogo lhes dará uma estátua do falecido escultor equatoriano guineense Leandro Mbomio Nsue

O prémio distingue o investigador Rui L. Reis “pelas suas contribuições excecionalmente inovadoras para o desenvolvimento de biomateriais de base natural e suas aplicações biomédicas, incluindo engenharia de tecidos, medicina regenerativa, células estaminais e sistemas inteligentes

Rui L. Reis, diretor do Grupo 3B’s do Instituto de Investigação em Biomateriais, Biomiméticos e Biodegradáveis (I3Bs) e vice-reitor para a Investigação e Inovação da Universidade do Minho, é distinguido com Prémio Internacional UNESCO de Investigação em Ciências da Vida 2017.

Outro dos premiados é Iván Antônio Izquierdo é médico e neurocientista, especialista nos mecanismos da memória e reconhecido internacionalmente. Naturalizou-se brasileiro em 1981, pois nasceu em Buenos Aires, fez sua graduação e doutorado pela Universidade de Buenos Aires e pós-doutorado na Universidade da California em Los Angeles (UCLA). Foi professor da Universidade de Córdoba, na Argentina, e mudou-se para o Brasil em 1973, incorporando-se posteriormente à Escola Paulista de Medicina (hoje Unifesp) onde fundou um grupo de pesquisas em neurociência.

Durante mais de 20 anos, Izquierdo integrou o Departamento de Bioquímica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Na entrevista fala sobre os aspectos da memória, mecanismos bioquímicos da neurobiologia da memória, bem como de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e das principais ferramentas para manter a saúde da memória.https://netnature.wordpress.com/2012/09/27/canal-livre-entrevista-o-neurocientista-ivan-izquierdo-que-aborda-aspectos-da-neurofisiologia-da-memoria-e-do-alzheimer/
É também contemplada a  Organização de Pesquisa Agrícola, conhecida pelo Instituto de Agricultura Volcani (em hebraico : מנהל המחקר החקלאי מרכז וולקני ), anteriormente designado como a Estação de Pesquisa Agrícola da Agência Judaica para a Palestina , é um centro de pesquisa agrícola israelense, que serve como braço de pesquisa do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural do Estado de Israel e oferece oportunidades de pesquisa para cientistas locais e internacionais em nível de pós-graduação, bem como oportunidades educacionais para jovens, agricultores e cientistas israelenses e internacionais. A organização apóia a pesquisa agrícola israelense, concentrando-se em ciências de plantas, ciências animais, proteção de plantas, ciências do solo e ambientais, ciências de alimentos e engenharia agrícola. A organização foi fundada em 1921 em Ben Shemen , Israel, por Yitzhak Elazari Volcani, 

O prémio atribuído pela UNESCO, com o alto patrocínio do Governo da Guiné Equatorial, é um dos maiores a nível internacional na área das ciências da vida, com o objetivo de destacar a investigação neste domínio científico que tenha um forte impacto internacional.
De acordo com o programa, espera-se que os premiados seus discursos, bem como as palavras de boas-vindas do prefeito de Malabo, eo Diretor-Geral da UNESCO e do Chefe de Estado, S.E. Obiang Nguema Mbasogo.

O prémio foi criado em 2008 pelo Presidente da Guiné Equatorial, é e destiana-se a premiar projetos e atividades de um indivíduo, indivíduos, instituições, entidades ou organizações não-governamentais que trabalham na investigação científica nas ciências sabem a vida que leva à melhoria da qualidade da vida humana.

O INVESTIGADOR PORTUGUÊS SENSIBILIZADO COM A DISTINÇÃO

 Rui L. Reis, que, em Julho do ano  passado, na altura, em que foi informado da alta distinção, se congratulou nestes termos:  - "é um grande privilégio receber este importante prémio de natureza global, é mais um estímulo para todo o grupo de investigação que tenho o prazer de liderar e aceito-o em nome de todos os que de algum modo contribuíram para ele. É também um orgulho poder ver reconhecida a investigação que se faz na Universidade do Minho e que é cada vez mais relevante em termos internacion2ais.”
Foi então sublinhado, que é o terceiro grande prémio mundial que o investigador da Universidade dioMinho recebe no último ano, depois de ter sido distinguido com o galardão “Contribuições para a Literatura Científica” da Sociedade Internacional de Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa (TERMIS) e o “Harvey Engineering Research Award” da associação “Institution of Engineering and Technology” (IET), entregue na passada semana em Londres.
Rui L. Reis é um dos cientistas que a nível global tem mais artigos científicos e mais citações por outros autores nas áreas dos biomateriais, engenharia de tecidos humanos e medicina regenerativa.
O cientista tem mais de 1050 trabalhos listados na base “ISI Web of Knowledge” (com cerca de 26.500 citações), 980 na “Scopus” (cerca de 29.500 citações) e 1670 na “Google Scholar” (cerca de 41.000 citações). Destes, cerca de 900 são artigos em revistas internacionais com revisores.
Os vencedores do prémio tinham sido anunciados em julho de 2017 pela então diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova~




quarta-feira, 28 de março de 2018

Ilha do Príncipe – Viagem a um dos raros paraísos terrestres - Turismo de privilegiados - Causou curiosidade e surpresa o estacionamento, no pequeno aeroporto, um dos aviões mais surpreendentes da aviação civil – Rei de Marrocos, que acaba de separar-se da sua amada Lalla Salma, quem sabe se, quando arranjar nova noiva, ali não vá passar a sua lua de mel e então concretize o desejo que não logrou com o fracassado encontro com Ali Bongo e Patrice Trovoada, há um ano.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 

REI DE MARROCOS DESQUITOU-SE MAS NÃO FOI AINDA DESTA QUE O SOBERANO MOHAMED VI LIVRE DO FARDO CONJUGAL, VOOU PRÁ ILHA DO PRÍNCIPE NUM AVIÃO ULTRAMODERNO ALI ESTACIONADO 


facebook - Aeroporto do  Príncipe 

Que avião será este e o que veio fazer à Ilha do Príncipe? - Era questão que se colocava, quer para quem o fotografou, quer para quem viu a imagem no Facebbok - Fomos fazer a nossa pesquisa e constatamos tratar-se do famoso o Falcon 2000S «Estacionou, junto à aerogare do aeroporto da Ilha do Príncipe: e é, sem dúvida, uma das maravilhas da tecnologia da aviação civil - A matricula, YO SWO, parece ser de origem Dinamarquesa

Nas suas caraterísticas técnicas, o Falcon 2000S é descrito como tendo a capacidade de pousar em velocidades mais lentas e seguras, com tanques de combustível quase cheios. E de poder lidar com pistas curtas em altas altitudes (mesmo em climas quentes) e voa mais longe daquelas aeroportos. O Falcon 2000S usa menos combustível do que muitos jatos médios e produz uma pegada de carbono modesta. Esta eficiência deve-se em grande parte ao design inovador da asa de baixa resistência ao ar. Que lhe permite voos transcontinentais até 7 horas de tempo de voo. Projetado com um luxuoso interior, esta aeronave tem a personificação do conforto para viajantes especiais.

Net
Aeroporto de S. Tomé
Tratar-se-á. naturalmente, de um voo turístico privado, muito especial; perfeitamente ajustado à extensão da nova pista, desconhecendo-se, porém, pormenores da sua aterragem e quantos passageiros trazia a bordo  - E com propósito bem diferente do  cargueiro russo, com a matrícula UL-CKC, que se despenhou, ao transpor a pista, em Julho do ano passado, embora tratando-se  de um avião, altamente sofisticado  Avião russo despenha-se no aeroporto de São Tomé





A bem dizer, a surpresa de um tal avião é perfeitamente compreensível: por um lado, como é reconhecido, o Príncipe, além de uma pequena ilha, continua a ser uma das áreas mais isoladas no oceano atlântico , onde são possíveis encontros fora dos holofotes da curiosidade mundana, considerada um dos raros paraísos tropicais terrestres, ainda não maculado pelo chamado turismo de massas: daí o fascínio que exerce para quem ali deseja ir – E, também, atendendo aos inventos que a celebrizaram, nomeadamente pelas observações realizadas, na Roça Sundy, a 29 de Maio de 1919 pelo astrónomo inglês Arthur Eddington,


Por outro lado, de recordar, há um ano, polémica suscitada pelo fracassado encontro do Rei de Marrocos, com Ali Bongo e Patrice Trovoada: pretendia-se que tudo decorresse com a máxima discrição e segredo mas este acabou por ser quebrado por via do movimento desusado, que antecederia a programada visita privada, por via de toda uma panóplia de viaturas e de aviões cargueiros militares de Marrocos, atestados de carga que de seguida era transportada para um conhecido hotel da Ilha Príncipe preparado para receber Rei Mohammed VI de Marrocos ...Mas tudo isso não foi além desse cenário
Agora, porventura, só talvez para uma próxima lua de mel de Mohamed VI, que acabou por se desquitar de Lalla Salma, quando ele arranjar uma nova noiva.
noticida separação é recente: - Sendo referido que, depois de 16 anos de casamento, a união dá lugar ao divórcio em Marrocos. Segundo avança a revista “Hola!”, Mohamed VI e Lalla Salma estão oficialmente separados.
22/03/2018  Há muito que se especulava sobre o futuro deste casamento. Em abril de 2017, depois de uma visita a Cuba e a Miami, Lalla deixou de ser vista com regularidade ao lado do rei e tudo fazia crer que o casal não estaria a viver dias felizes.
Recorde-se que este casamento, que agora termina, quebrou vários estereótipos e hábitos da cultura marroquina. Se, por um lado, o rei de Marrocos tomou a decisão inédita de ser marido de uma só mulher, Lalla optou por não usar o tradicional véu, tornando-a num exemplo de moda a ser seguido naquele país do norte de África.
A última vez que Lalla Salma exerceu funções de princesa foi em outubro do ano passado, quando participou na inauguração do Museu Yves Saint Laurent, em Marraquexe.https://www.n-tv.pt/realeza/divorcio-real-a-vista-rei-de-marrocos-separa-se-de-lalla-salma/


Entretanto, quem logrou saber alguns pormenores do inesperado avião, foi Herlmer Vera Crus Dias, referindo no facebook que, este avião que está estacionado desde ultimo domingo na placa, do nosso aeroporto da ilha de Príncipe é de um empresário inglês que esta de ferias com a família na ilha de papagaio. O empresário e a família estão alojados na estância turística de PRAIA SUNDY.
Ilha do Príncipe é Reserva da Biosfera mundial – Motivo de orgulho

 Foi  em Julho de 2012,  quando se comemoravam  os  37 anos de independência de São Tomé e Príncipe, que a UNESCO decidiu reconhecer,  a ilha do Príncipe, como Reserva da Biosfera Mundial.


Presidente do Governo Regional da Ilha do Príncipe, José Cassandra, exibindo o certificado daUNESCO World Biosphere Reserve! - Foto  de Island Biodiversity Race

O AEROPORTO DO PRÍNCIPE PASSOU A RECEBER AVIÕES DE MÉDIO PORTE EM OUTUBRO DE 2015 – Com a presença de  José Cassandra, Presidente do Governo da Região Autónoma do Príncipe. E do então Presidente da Repúbklica, Manuel Pinto da Costa
27 de Outubto 2015 - 47 anos depois da construção pelo regime colonial português, do pequeno aeroporto com uma pista de 1200 metros, a ilha do Príncipe, está pronta no século XXI para altos voos.
Tal como era referido pelo Téla Nón, “ o 26 de Outubro foi um dia histórico para a Região Autónoma do Príncipe. O poder regional e as duas empresas privadas envolvidas no projecto de alargamento da pista e d modernização do aeroporto regional, juntaram-se ao Presidente da República na inauguração da nova pista agora com 1750 metros.
Uma infra-estrutura que garante a aterragem de aviões de médio porte e em segurança. «Estamos em melhores condições hoje, mais do que ontem para continuarmos a trabalhar e consolidar o sucesso do caminho que escolhemos em prol de um Príncipe esperto, empenhado, confiante e solidário no contexto arquipelágico nacional de que fazemos parte», afirmou José Cassandra, Presidente do Governo da Região Autónoma do Príncipe.
As obras de extensão da pista, iniciaram de facto no ano 2010, após vários meses de atraso. José Cassandra. Realçou a parceria entre o seu Governo, e as empresas HBD do milionário sul africano Mark Shuttleworth e a empresa que opera os aviões da África Connexion do empresário holandês Rowmbont Swarbont, que resultou na ampliação da pista e na modernização do aeroporto
O Presidente da República Manuel Pinto da Costa destacou a importância da infra-estrutura, que permite levar a ilha do Príncipe ao mundo, e trazer o mundo a descoberta da ilha que é reserva mundial da Biosfera. «A pista agora substancialmente ampliada e com pavimento de boa qualidade corrige em boa medida os problemas de segurança para aterragem e descolagem de aviões. Ela promove o aproveitamento das potencialidades turísticas do Príncipe, amplamente internacionalizadas, desde que a UNESCO conferiu a região o estatuto de reserva mundial da biosfera», sublinhou Pinto da Costa. .https://www.telanon.info/sociedade/2015/10/27/20340/principe-ja-pode-receber-avioes-de-medio-porte/
O presidente do governo regional da ilha do Príncipe, em Tomé e Príncipe, recusa transformar o território num destino turístico de massas - E faz muito bem


Marcelo no Príncipe - Foto de Hibrahin Reis
"O presidente do governo regional da ilha do Príncipe, em Tomé e Príncipe, recusa transformar o território num destino turístico de massas A seguir Património colonial em São Tomé e Príncipe vai ter fundo de recuperação Mais vistas NETFLIX 65 originais Netflix numa lista do melhor ao pior VIAGEM 19 cidades mais baratas para um fim de semana na Europa EMPRESAS As 30 marcas mais desejadas (e falsificadas) do mundo TRANSPORTES CP volta a vender bilhetes Lisboa-Porto por 5 euros O presidente do governo regional da ilha do Príncipe, em Tomé e Príncipe, António José Cassandra, recusa transformar o território num destino turístico de massas, apesar dos apetites dos operadores internacionais. Atualmente com cem camas, o Príncipe é um alvo cada vez mais apetecível para o turismo internacional, depois de ter sido classificado como Reserva da Biosfera em 2012 e várias revistas da especialidade terem indicado a ilha como um dos últimos paraísos escondidos do mundo. https://www.dinheirovivo.pt/economia/presidente-da-ilha-do-principe-recusa-transformar-a-ilha-para-turismo-de-massas/
A  Visita de Marcelo Rebelo de Sousa - que encantou um Presidente e quem o recebeu

OPINIÃO DE QUEM ALI SE ENAMOROU PELA BELEZA E BIODIVERSIDADE

Sorrisos calorosos inesquecíveis para quem os viveu
 Ilha do Príncipe acaba por nem ser bem África. É um paraíso, muito sinceramente. São 140 quilómetros quadrados de verde, muito verde… e mar, muito mar. Não há savanas, nem bichos grandes, nem tribos, mas tudo o que tem é muito especial.
Tens 7.000 pessoas a viver no centro e norte da ilha (2.000 na cidade e o resto nas comunidades), e o sul é virgem e inabitado. A floresta tem mais força que o homem, e isso é bonito de ver.
Acabo por ser uma privilegiada por viver numa África abençoada. Não há fome, não há doenças graves, não há miséria que choque. Há, claro, pessoas pobres, como no mundo inteiro, mas quando têm fome esticam a mão para uma árvore de fruta-pão, assam-na numa fogueira improvisada e têm uma refeição calórica e saborosa https://www.almadeviajante.com/viver-na-ilha-do-principe-sao-tome-estrela-matilde/


sábado, 24 de março de 2018

São Tomé e Príncipe – Dia Mundial da Tuberculose – A doença continua no topo das quatro doenças mais comuns no arquipélago: 2ª Malária; 3ª Cólera; 4ª A celulite necrosante Em 2017 – Registou-se um aumento de casos de malária- Tendo a OMS, alertado para o risco da perda de ganhos obtidos se o financiamento de campanhas governamentais contra a doença for comprometido. Segundo dados estípticos Em 2014 foram referenciados 158 casos. Em 2015, registaram-se 178. – Em 2017 – Perto de 200: ou seja 97 em 100 mil habitantes

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informaçao e análise


Povo sofre de doenças e de carências alimentares, enquanto isto, Patrice Trovoada, dá mais uma das centenas passeatas ao estrangeiro - Corre nas redes sociais que se encontra em Portugal desde Sexta-feira passada e no País ninguém sabe de nada.A TVS e a Rádio Nacional não noticiaram nada sobre esta deslocação do Primeiro Ministro ao estrangeiro. Porque será? - Pergunta-se:




"
HOSPITAL CENTRAL
"O objetivo deste dia mundial de combate à tuberculose é alertar a população sobre a doença e erradicar completamente a doença. Esta efeméride comemora-se neste dia já que foi a 24 de março de 1882 que Robert Koch anunciou a descoberta da causa da tuberculose – o bacilo TB – o que seria o início do diagnóstico e da cura da tuberculose. Assim, no centenário da data, em 1982, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a União Internacional Contra Tuberculose e Doenças Pulmonares decidiram criar o Dia Mundial da Tuberculose. https://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-da-tuberculose/

AUMENTO DA POBREZA. DAS DOENÇAS E ALCOOLISMO - TRISTE REALIDADE NUMA TERRA MARAVILHOSA E DE GENTE PACÍFICA - MAS DESGOVERNADA E A SAQUE

A pobreza conduz à degradação das condições de vida e propicia o aumento das doenças – E é justamente para onde apontam as estatísticas, em relação aos casos de tuberculose, que têm vindo a recrudescer, desde 2014

São Tomé e Príncipe registou em 2015 mais casos de tuberculose do que em 2014 – segundo então foi anunciado por fonte  sanitária, por ocasião da celebração do Dia Mundial de Luta Contra a Tuberculose.

Os dados foram então  avançados pelo coordenador do projeto nacional de Luta contra a Tuberculose, Gilberto Frota, que considera a possibilidade de aumento de casos face à introdução de novos equipamentos para deteção de casos da doença no país.  https://24.sapo.pt/noticias/internacional/artigo/sao-tome-e-principe-registou-aumento-de-casos-de-tuberculose-em-2015_20513995.html
Em 2014 foram referenciados 158 casos: em 2015,  as autoridades sanitárias são-tomenses registaram 178. - Em 2017 -  O aumento ainda é mais alarmante, já que passou para 97 casos em 100 mil habitantes, ou seja para perto dos 200 casos, uma vez que a população,  atualmente, já ascende acima dos 200 mil habitantes 

List of Countries with a Tuberculosis Incidence of 40 ... - NSW Healt

Pobreza e falta de proteção social afeta 70% das crianças de São Tomé

12/5/2016, Um relatório do Fundo das nações Unidas para Infância indica que mais de 70% das crianças são-tomenses são pobres e "apresentam maior vulnerabilidade relativamente a situação da proteção social"

Um relatório do Fundo das nações Unidas para Infância (Unicef) indica que mais de 70% das crianças são-tomenses são pobres e “apresentam maior vulnerabilidade relativamente a situação da proteção social”. https://observador.pt/2016/05/12/pobreza-falta-protecao-social-afeta-70-das-criancas-sao-tome/

 POVO JÁ REZA AO SANTO PADROEIRO ORAÇÕES DE DESESPERO E DE ESPERANÇA  

Ghislain Emmanuel, - Em S. Tomé - Téla Nón



É típico dos governos autoritários e das ditaduras, que, ao invés  de  contribuírem para  mostrar o pais real, em buscarem soluções para  resolverem os seus problemas,  enveredem por defender a sua pele,  em fabricar a imagem de que tudo vai bem, de mostrarem um pais ficcional através  da falsa propaganda dos órgãos de comunicação social, na qual detêm o controlo absoluto - O Povo Santomense é pacifico e ordeiro mas tem dirigentes políticos despudoradamente corruptos, arrogantes e incompetentes, aos quais - e pela primeira vez - o ato eleitoral havia declarado (através da fraude, compra de votos) a maioria parlamentar

"Povo Pequeno" sem dinheiro e sem assistência pronta e eficaz socorre-se da medicina tradicional, que neste caso, perpetua ou agrava mais e não resolv
S. Tomé e Princípio à recaída da malária
Em  Dezembro passado, a Organização Mundial da Saúde, OMS , referindo-se à recaída da malária, alertou que São Tomé e Príncipe corre o risco de perder os ganhos obtidos contra a malária se o financiamento de campanhas governamentais contra a doença for comprometido.

A variedade de frutos - Torna  a gente saudável
“O impacto da falta de financiamento é desconhecido. No entanto, se os atuais esforços para controlar a malária tiverem que ser reduzidos devido à falta de fundos, existe um alto risco de recaída ”, disse Rebekka Ott, representante do Fundo Global em São Tomé, à AFP.

O Fundo Global de Combate à AIDS , Tuberculose e Malária, uma fundação parceira da OMS , financia a maioria das medidas para combater a doença nas ilhas. A OMS informou recentemente que o Fundo Global pode ser reduzido em 50% e que São Tomé e Príncipe precisaria então de "mais ou menos US $ 5 milhões (4,2 milhões de euros) entre 2018 e 2021 para obter bons resultados

Medicina Tradicional - Uma das respostas
No final da década de 1980 e novamente em 2012-2013, a doença devastou o país devido a um déficit no financiamento e na disseminação da resistência a insecticidas.

Em 2005, a malária matou mais de 5 mil pessoas em cerca de 50 mil pessoas infectadas em São Tomé e Príncipe, de acordo com a OMS .

O clima tropical húmido das ilhas oferece um terreno ideal para os mosquitos fêmeas que carregam a infecção parasitária de uma pessoa para outra com suas picadas de sugadores de sangue.

"Nossa última morte foi em 2016. Foi um homem português que não tomou medidas de prevenção e tratamento", disse Hamilton Nascimento, coordenador do Programa Nacional de Luta contra o Paludismo ( PNLP ) em São Tomé.

As ilhas de São Tomé e Príncipe, que têm uma superfície terrestre combinada de 1.000 quilómetros quadrados, beneficiam da sua localização a oeste do Gabão e de uma pequena população de menos de 200.000 habitantes.

E ainda, como relata a OMS , existe um risco real de recaída. Além das lacunas de financiamento que o corte do Fundo Global acarretaria, o governo está preocupado que seus cidadãos começaram a se cansar das repetidas campanhas.

"O número de pessoas que abrem suas portas para os pulverizadores de mosquitos diminuiu", disse a Ministra da Saúde, Maria Jesus Trovoada, preocupada que essa recusa em participar "ponha todos os esforços do governo em perigo".

A decisão do governo são-tomense de cortar os laços com Taiwan em favor da China também corre o risco de ter um efeito negativo no que diz respeito à luta contra a malária. Taiwan pagou anteriormente mais de 30% do custo do combate à malária, mas os chineses que deveriam assumir os compromissos de financiamento estão apenas fornecendo “assistência técnica” em vez de ajuda financeira.

Quaisquer que sejam os obstáculos, a OMS anunciou em abril de 2016 que 21 países no mundo podem eliminar a malária até 2020. Seis desses países estão na África: Argélia, Botsuana, Cabo Verde, Comores, Suazilândia e África do Sul.

UM PAÍS POBRE E DESCAPITALIZADO – NÃO OBSTANTE RECEBER MILHÕES DE FUNDOS INTERNACIONAIS, QUE DESAPARECEM NÃO SE SABE COMO




A vida do dia a dia do “Povo Pequeno” de S. Tomé e Príncipe” já conheceu melhores dias: mesmo para quem tem de se conformar com o ordenado mínimo de 45 euros mensais, arranjar meios para  garantir o sustento  é um tremendo calvário! Que só quem tem de arrostar com essa pesada  cruz, é que poderá compreender o que é esse tão penoso sacrifício diário.: ”Temos  empresários descapitalizados; temos médicos descapitalizados!... As pessoas não têm dinheiro!... Nós sabemos que todos os países atravessam uma situação de crise mas nós estamos numa situação péssima!!...  Essa crise não tem limite em S. Tomé e Príncipe?!...  As pessoas não estão a morrer na rua por ser um pais agrícola! – Desabafo de um dos deputados da oposição”, no aceso e polémico debate preliminar que antecedeu a aprovação do projeto de lei sobre o futuro funcionamento do Tribunal constitucional – Até porque, como dizia outro deputado, nesse mesmo período parlamentar, “Hoje o Governo tem a mão de tudo! Até dos Tribunais!”

As quatro doenças mais comuns em São Tomé e Príncipe
0
POR AANCHAL NAGPAL EM 8 DE OUTUBRO DE 2017SAÚDE GLOBAL

Povo pequeno, negligenciado  pelas autoridades ,apela a Deus 
SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE - Uma ilha ao largo da costa da África Ocidental, São Tomé e Príncipe é um país bastante remoto, com uma população pequena. No entanto, o tamanho do país não desvaloriza a vida dessas pessoas nem os riscos que podem prejudicar sua saúde. Com uma maior compreensão das doenças comuns em São Tomé e Príncipe, aqueles com os recursos para ajudar as pessoas necessitadas podem obter uma visão sobre quais ações tomar e que tipo de apoio dar.
Aqui está uma lista de quatro doenças comuns em São Tomé e Príncipe.

1. A tuberculose (TB) é uma doença bacteriana facilmente transmissível nas primeiras semanas de sintomas visíveis.

Esses sintomas incluem tosse com sangue, dor no peito, fadiga, febre, preenchimentos, suores noturnos e perda de apetite. A tuberculose também pode afetar outras partes do corpo, incluindo os rins, coluna ou cérebro. Cerca de noventa por cento das pessoas com a doença têm infecção latente por TB e não apresentam sintomas. As bactérias podem permanecer inativas por muitos anos e a chance de desenvolver TB ativa diminui com o tempo.

No entanto, as pessoas HIV-positivas são mais propensas a contrair a tuberculose devido ao seu sistema imunológico enfraquecido . Em áreas empobrecidas, como a África Ocidental, a pobreza impede que muitas pessoas tenham acesso aos cuidados médicos necessários para diagnosticar e tratar a tuberculose. Graças aos esforços humanitários na região, não houve recentes grandes surtos de tuberculose em São Tomé e Príncipe.

2. A malária, disseminada por mosquitos, é endémica para a maioria dos países africanos empobrecidos, incluindo São Tomé Príncipe.

Embora os sintomas não complicados da malária, como os da gripe, geralmente durem de seis a dez horas, as pessoas pobres tendem a ver complicações mais graves associadas à malária, que podem levar à falência de órgãos ou mesmo à morte. Uma vez que a malária não é apenas uma das doenças comuns em São Tomé e Príncipe, mas em todo o continente africano, organizações e governos têm proporcionado mais opções de tratamento e prevenção às populações vulneráveis.

3. A cólera é ativamente transmitida em muitos países empobrecidos, incluindo São Tomé e Príncipe.

Cerca de um em cada dez casos de cólera resulta em sintomas graves, incluindo diarréia freqüente, vômitos, cãibras musculares e pressão arterial baixa. Pessoas com cólera grave podem desenvolver insuficiência renal aguda, desequilíbrios eletrolíticos graves e coma. Se não tratada, a desidratação grave pode levar rapidamente ao choque e morte em horas. Comunidades sem condições de vida sanitária e riscos de saúde de qualidade, expondo-se às bactérias causadoras de doenças através da comida e da água.
O último grande surto de cólera em São Tomé ocorreu em 2005, e desde então, o UNICEF enviou remédios orais para reidratação e mobilizou trabalhadores comunitários para difundir uma maior consciencialização sobre a cólera e fazer campanha para construir mais banheiros no país.
4. A celulite necrosante é uma doença rara, mas um surto no início deste ano deixou São Tomé e Príncipe vulnerável.

Mais de 1.300 casos de celulite necrosante, uma grave infecção cutânea conhecida por dores intensas e tecidos inchados, foram relatados desde setembro de 2016. Até o momento, todos os distritos de saúde do país relataram casos, e os 190.000 habitantes do país estão em risco. Os casos têm aumentado, mas nenhuma morte diretamente ligada à doença foi registrada.

O tratamento envolve a remoção da pele morta, que às vezes requer cirurgia extensa e administração de antibióticos intravenosos. O Ministério da Saúde e a OMS estão trabalhando para conter o surto através de campanhas de vigilância e informação. Com assistência e apoio em todo o mundo, esperamos que as autoridades de saúde possam identificar a causa e tratar as pessoas infectadas de acordo.

Mais uma vez, as doenças comuns em São Tomé e Príncipe reflectem muito as pessoas presentes em toda a África, pelo que os líderes mundiais da saúde não devem negligenciar o auxílio a esta nação insular nos seus esforços humanitários.Uma pessoa doente em São Tomé e Príncipe não é menos do que uma pessoa doente em qualquer outro país - assim, o alcance global da saúde deve estender-se a todos.

MORTALIDADE EM 1954  - Tuberculose, paludismo e mortalidade infantil - Entre os casos de morte mais frequentes - Obviamente, fora o número que as estatísticas não referiram

"ZONAS  MÉDICAS DE ASSISTÊNCIA AOS TRABALHADORES INDÍGENAS"

Atualmente, quase 200 mil habitantes (187.000 no censo de 2012) - Houve uma grande evolução, como se poderá verificar pelas estatísticas, que aqui lhe mostramos, comparativamente à mortalidade verificada, por exemplo, em 1954,  com uma população, em S. Tomé, constituída por  23.329 indivíduos e 883 no Príncipe.

Relatório do Inspector do Ministério do Ultramar - (...) A fiscalização por parte do Estado, no que diz respeito aos Serviços Médicos, exige a criação de um lugar   de médico-inspector, só com essas funções. É que, mesmo com todas as unidades médicas, o actual quadro é pequeno para permitir uma eficiente fiscalização.

6 – Prospecção e Profilaxia


Hospital  de S.  Tomé - 1954
"Manteve-se o trabalho de despistagem da tuberculose pela rádio foto-miniatura e pelos testes de tuberculina e manteve-se a vacinação pelo B.C.G.

O número de casos identificados tem aumentado muito, como consequência da prospecção feita pelo Dispensário Anti-Tuberculoso e foi criado o problema da hospitalização dos doentes, agora resolvido com a construção do novo pavilhão hospitalar

Os elementos estatísticos obtidos não permitem  grandes conclusões. Dispomos só de um mapa de mortalidade geral, elaborado segundo a lista abreviada de 50 rúbricas e de um mapa de moralidade hospitalar mais reduzido ainda – só de 20 rúbricas

Do mapa de mortalidade  geral constam 629 casos de morte por senilidade e causas mal definidas e desconhecidas, num total de 1.386, o que deve corresponder na maioria a óbitos sem assistência.

No mesmo mapa constam 100 casos por várias doenças e outros seguintes números mais definidos

Paludismo, 71 casos; Tuberculose do aparelho respiratório, 71 casos; Anemias, 71 casos; Doenças da primeira infância e imaturidade não qualificada, 64 casos;  Gastrite, Duodenite, enterite e colite, excepto a diarreia do recém-nascido, 64 casos; Outras doenças infecciosas e parasitárias, 45 casos; Pneumonia 40 casos: outras doenças do coração, 30 casos.
O número alto dos casos de tuberculose deve estar relacionado com o trabalho de despistagem realizado pelo Dispensário Anti-Tuberculoso.
Do mapa de mobilidade e moralidade hospitalar poucas ou nenhumas conclusões se podem tirar, devido ao facto de estar só reduzido a 20 rúbricas.

MORBILIDADE HOSPITALAR

Doenças indeterminadas, 697 casos; Doenças da gravidez, parto e estado puerperal, 450 casos; Doenças do aparelho digestivo,393 casos; Doenças infeciosas e parasitárias, 359 casos; Paludismo,  286 casos; Doenças do aparelho respiratório não designadas como tuberculosas, 213 casos; Acidentes, 177 casos; Doenças do aparelho urinário   (não venéreas) 156 casos; Doenças do sistema nervoso e dos órgãos dos sentidos, 98 casos