expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 5 de março de 2018

Ali Bongo Ondimba, deverá chegar amanhã a S. Tomé, dia 6 no seguimento das visitas que o Chefe do Estado Gabão, tem vindo a fazer aos vários países membros da CEEA, na qualidade de Presidente da CEEAC, que terminou hoje, em Libreville com um Comunicado final do Conselho de Paz e Segurança da África Central (COPAX), emitido pela conferência dos ministros do Conselho de Paz e Segurança da África Central (COPAX)

Jorge Trabulo Marques - Jonalista
  


O Presidente do Gabão,, deverá visitar , amanhã, S. Tomé: os pormenores da vista ainda não foram oficialmente divulgados, porém, segundo as nossas fontes, a  deslocação de Ali Bongo Ondimba, enquadra-se no âmbito das visitas que recentemente  efetuou  a alguns dos países membros da organização para convidar pessoalmente seus pares para participar da cúpula COPAX.

Tendo visitado as capitais do  Ruanda, de Angola, Congo Brazzaville, da República Democrática do Congo (RDC), Guiné Equatorial e Chade, e, agora, a República Democrática de S. Tomé e Principe.

Comunicado final do Conselho de Paz e Segurança da África Central (COPAX)

 A 5ª Sessão Ordinária do Conselho de Ministros do Conselho de Paz e Segurança da África Central (COPAX) realizou-se em 03 e 04 de março de 2018 em Libreville, República Gabonesa, por convite de Sua Excelência Noël Noël MESSONE , Ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação, Francofonia e Integração Regional, encarregado do Gabão no Exterior, Presidente em exercício do Conselho de Ministros da COPAX.

Os seguintes Estados-Membros e organizações participaram no processo: República de Angola, República do Burundi, República dos Camarões, República Centro-Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, República do Gabão, República da Guiné Equatorial, República de Ruanda, República Democrática de São Tomé e Príncipe e República do Chade; a Secretaria-Geral da CEEAC, o Escritório Regional das Nações Unidas para a África Central (UNOCA), a Comissão da União Africana e o Colégio de Estratégia Avançada e Estudos de Defesa (CHESD) de Kinshasa.


O Conselho de Ministros acompanhou de perto a apresentação do Relatório da 19ª Comissão de Defesa e Segurança (CDS) elaborado por seu Presidente, o General do Exército Auguste Roger Bibaye ITANDAS , Chefe do Estado Maior Geral das Forças Armadas Gabonesa e tomou nota disso.

Reagindo de forma abrangente ao relatório do CDS, o Conselho de Ministros discutiu a situação política e de segurança na África Central. Apesar dos desenvolvimentos positivos em alguns aspectos, esta situação apresenta alguns pontos preocupantes que têm um impacto negativo na estabilidade e no desenvolvimento socioeconômico da sub-região. Ele enfatizou a urgência e a necessidade imperativa de reformar a COPAX, com o objetivo, entre outras coisas, de se reapropriar sua própria segurança e melhorar a eficácia da governança.

Por conseguinte, o Conselho decidiu convocar uma sessão extraordinária do Conselho de Ministros da COPAX precedida de um CDS para lançar uma reforma institucional, estrutural e funcional da COPAX com a participação de todos os Estados membros.

Do mesmo modo, o Conselho de Ministros exortou os Estados membros da CEEAC a implementar a solidariedade regional em ação, particularmente implementando o Pacto de Assistência Mútua e a implementação de uma política de defesa comum.

Em relação à situação no RCA e na República Democrática do Congo, o Conselho de Ministros reafirmou o empenho dos Estados Membros em contribuir para os esforços de pacificação e estabilização desses países, inclusive no que diz respeito à presença de seus contingentes nos diversos componentes MINUSCA e MONUSCO.

Referindo-se a questões eleitorais, o Conselho de Ministros expressou seu apoio aos Estados membros envolvidos em diferentes níveis nos processos eleitorais durante o ano de 2018, refuta qualquer interferência externa nesta questão que se enquadra na soberania dos estados e perguntou à Secretaria-Geral da CEEAC, em colaboração com a União Africana, para fortalecer o apoio aos Estados Membros envolvidos.

Abordando a questão do terrorismo e atividades desestabilizadoras na África Central, o Conselho de Ministros adotou a Estratégia para a Prevenção e Combate ao Terrorismo na África Central e tem:
condenou os atos de grupos terroristas, grupos armados e outras forças negativas na sub-região. Para o efeito, pediu à Secretaria-Geral que propusesse um mecanismo regional para identificar e classificar os grupos terroristas que operam na África Central;

condenou firmemente o mercenário e o crime organizado transnacional e, conseqüentemente, decidiu ativar a cooperação de segurança e judiciária na sub-região, particularmente em questões policiais e de inteligência;
encorajou os Estados membros que ainda não o fizeram a aderir a todos os instrumentos jurídicos internacionais relevantes na luta contra o mercenário, incluindo a Convenção da OUA de 1977 e a Convenção das Nações Unidas de 1989 (entrada em vigor em 2001);

encarregou a Secretaria-Geral de propor aos Estados membros a adoção de uma estratégia sub-regional para combater o mercenário e a criminalidade organizada transnacional na África Central, com base em instrumentos jurídicos internacionais relevantes nesta área;

O Conselho de Ministros instou os Estados membros a implementarem plenamente as Decisões resultantes da Sessão Extraordinária da Conferência dos Chefes de Estado da COPAX sobre Combate ao Grupo Terrorista Boko Haram, realizada em Yaoundé em 16 de fevereiro de 2015.
O Conselho de Ministros também expressou seus sinceros parabéns às repúblicas do Chade e dos Camarões pelo seu empenho na luta contra os grupos terroristas que operam na zona sahelo-sahariana e na África Central. Ele convidou os Estados membros a fornecer assistência de segurança aos Estados que assim o desejassem.

O Conselho de Ministros condenou fortemente as tendências secesionistas nas regiões Noroeste e Sudoeste da República dos Camarões e apoiou plenamente as autoridades camaronenses.


No que diz respeito à transumância, o Coelho de Ministros decidiu a organização de uma conferência regional para a adoção de um regulamento comunitário sobre pastoralismo na África Central.Nas Armas Leves e Leves, o Conselho de Ministros tomou nota da entrada em vigor desde março de 2017 da Convenção de Kinshasa, aprovada em 30 de abril de 2010. Ele felicitou os Estados membros que já ratificaram a Convenção. Kinshasaet convida outros a fazê-lo. Em matéria de segurança marítima, o Conselho de Ministros convidou o Presidente do Conselho de Ministros da CEEAC a convocar uma reunião de Ministros a cargo dos Assuntos Marítimos e das Finanças, acompanhada por Conselhos de Operadores, Organismos de Gestão de Portos , a Comissão do Golfo da Guiné (CGG), a Organização Marítima da África Ocidental e Central (MOWCA) e parceiros estratégicos, para financiar a Arquitetura de Segurança e Segurança Marítima 

.O Conselho de Ministros encarregou a Secretaria-Geral de elaborar e apresentar, o mais rapidamente possível, um regulamento comunitário que obrigue todos os navios que entram na área marítima da CEEAC a adquirir e manter o Sistema de Identificação. Automático (AIS).O Conselho de Ministros encarregou a Secretaria-Geral de criar um grupo de especialistas de todos os Estados membros para realizar um estudo de viabilidade sobre o apoio que a Agência Gabonaise de Estudos e Observações Espaciais (AGEOS) e o potencial de observação espacial do sistema de satélites da República de Angola pode fornecer à Comunidade dados sobre o monitoramento dos recursos naturais da África Central. 

No que diz respeito ao exercício comunitário, o Conselho de Ministros decidiu adiar o presente exercício e encarregou os Chefes de Estado-Maior de organizar uma reunião sobre a sua reprogramação e a definição dos meios a eles relacionados. Nesse sentido, o Conselho de Ministros encarregou o Presidente do Comitê de Direção Ministerial (COPIL) sobre a reforma institucional para estabelecer três contas especiais para o financiamento das atividades da COPAX, a reforma COPAX e o Exercício Comunitário FOMAC. . As modalidades de gestão desses fundos foram definidas pelo Conselho de Ministros da COPAX.O Conselho de Ministros encarregou o Presidente do Comité de Direcção Ministerial (COPIL) sobre a reforma institucional da CEEAC para assegurar o reexame do convite à apresentação de propostas para o recrutamento de uma empresa responsável pela realização deste estudo técnico, por recursos de contribuição e conhecimentos relevantes disponíveis na sub-região.Informado do problema de segurança no parque de Minkébé, o Conselho de Ministros aprovou a medida tomada pelos três países (Gabão, Congo e Camarões) para criar uma equipe multidimensional de especialistas envolvendo a Secretaria-Geral da CEEAC para analisar em profundidade este problema e parar um plano de ação comum. Ele permanece confinado à questão.

O Conselho de Ministros manifestou a sua satisfação na sequência do regresso de Ruanda à CEEAC e congratulou-se com o pedido de adesão ao Estado-Maior Regional da FOMAC e encarregou a Secretaria-Geral de tomar todas as providências necessárias permitem que esse Estado-Membro seja representado nesse órgão da Comunidade.

O Conselho de Ministros manifestou a sua satisfação na sequência do regresso de Ruanda à CEEAC e congratulou-se com o pedido de adesão ao Estado-Maior Regional da FOMAC e encarregou a Secretaria-Geral de tomar todas as providências necessárias permitem que esse Estado-Membro seja representado nesse órgão da Comunidade.

O Conselho de Ministros tomou nota da candidatura da República de Angola, que aprovou para sediar a 20ª sessão ordinária do CDS no segundo semestre de 2018, e também decidiu realizar a sua sexta reunião. sessão ordinária nesse país  Finalmente, o Conselho de Ministros agradeceu sinceramente aoExcelentíssimo Senhor Ali BONGO ONDIMBA , Presidente da República Gabonesa, ao Governo e a todo o povo gabonês pela recepção fraterna, a calorosa hospitalidade e todas as marcas de atenção de que Cada delegação foi o objeto durante sua permanência em solo gabonesa.

Communiqué final du Conseil de Paix et de Sécurité de l'Afrique ...

www.gabonactu.com › Afrique

Traduzir esta página


Nenhum comentário :