expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 6 de março de 2018

Em S. Tomé - Ali Bongo, com Evaristo Carvalho - Para debater a segurança na sub-região - Encontrou-se hoje com o Presidente Evaristo Carvalho - No seguimento das vistas com os seus homólogos dos restantes países Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) - Depois do Gabão, a 6ª Sessão Ordinária dos Ministros da COPAX, decorrerá, em Angola, precedida da 20ª Sessão Ordinária da Comissão de Defesa e Segurança (CDS), no segundo semestre do ano 2018. – Bongo, receoso que a oposição obtenha apoios, faz périplo para dissuadir fantasmas ao seu regime

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 



Depois do Gabão, será a virada de Angola para sediar a 6ª Sessão Ordinária dos Ministros da COPAX, precedida da 20ª Sessão Ordinária da Comissão de Defesa e Segurança (CDS), no segundo semestre do ano 2018.


O Chefe de Estado do Gabão, que se encontrou, hoje de manhã, com  Presidente Evaristo Carvalho, no seguimento da ronda que efectuou pelo restantes países da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC). voltou a reafirmar a mesma preocupação, que  expressara nos encontros que manteve com os 
seus homólogos da CEEAC), nomeadamente no Ruanda e no Chade - Desconhecendo-se, porém que alvos pretendia atingir ou se não terá sido apenas o erguer de mais uns fantasmas, receando que a oposição ao seu regime, possa encontrar alguns apoios ou abrigos - Aliás, é essa análise que se depreende - Pormenores mais à frente 



A informação é veiculada pela Lusa, referindo que  "Certos países têm problemas de conflitos que são internos e outros que são provocados pelo exterior, como são os casos da República Centro-Africana e a República Democrática do Congo", disse Ali Bongo à imprensa no final de um breve encontro com o seu homologo são-tomense, Evaristo Carvalho, no palácio presidencial da capital são-tomense.

"Todas essas questões fazem com que concertemos uma posição, e consulto os meus colegas para que possamos reunir mais tarde e estudar toda a solução para o problema de crise na nossa sub-região", acrescentou.

Ali Bongo, atual presidente em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) não identificou os países que acusa de estarem a fomentar conflitos internos naqueles dois países africanos, lamentando também que o Chade e os Camarões estejam a "confrontar-se" com os problemas criados pela organização 'jihadista' Boko Haran.

O chefe de Estado do Gabão deslocou-se a São Tomé e Príncipe para uma curta visita de algumas horas, no âmbito da viagem que está a efetuar aos países membros da CEEAC que, disse, "vivem um certo número de problemas, designadamente da segurança".

"Realizámos em Libreville uma reunião do Conselho de Paz e de Segurança da África Central e os ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa reuniram para, justamente, estudar e fazer propostas aos chefes de Estados, com os quais reunirei mais tarde", adiantou.

O Presidente gabonês disse que os chefes de Estado africanos estão mais bem colocados para resolverem os seus problemas, destacando que "não devem contar com os outros",

Ali Bongo anunciou que o seu homólogo são-tomense Evaristo Carvalho o convidou a visitar oficialmente São Tomé e Príncipe.

"Um convite que evidentemente eu aceitei e nesse quadro vamos discutir as questões bilaterais", afirmou.

Nesse sentido, considerou a cooperação e integração sub-regional como "uma pista importante para desenvolver mais a economia e assegurar a paz na sub-região"

De referir que, nos encontro que, Ali Bongo, manteve com os Presidente do Ruanda e do Chade, expressara a mesma preocupação, sem, contudo, especificar quais os alvos - Mas é suposto que seja  a mensagem que o dirigente gabonês pretendera expressar aos países que apoiem  a oposição ao seu corrupto  regime 




De recordar que, Graves distúrbios no Gabão após a polémica reeleição de Ali Bongo marcaram as eleiçoes gabonesas, em 2016 – Onde a fraude, ao contrário do Ruanda e de S. Tomé e Príncipe,  foi mais subtilmente disfarçada - Mesmo assim, pese o banho de sangue, logrou perpetuar a sua dinastia. 

Ali Bongo pediu respeito para "o veredicto das urnas" e para as instituições do país, especialmente a Comissão Eleitoral Nacional (CENAP), que foi muito criticada pelo injustificado atraso em publicar a apuração.

A CENAP anunciou a vitória de Ali Bongo - com 49,8% dos votos, contra 48,23% de seu rival - e pouco depois milhares de simpatizantes de Ping foram para as ruas denunciando uma possível manipulação da apuração.

A polêmica surgiu por causa dos resultados da província de Alto Ogooué, um bastião eleitoral onde o presidente reeleito do Gabão obteve mais de 95% dos votos com uma participação próxima aos 100%, enquanto no resto do país não chegou a 60%.
O acesso à Internet foi cortado e o contingente policial reforçado numa altura em que os confrontos entre apoiantes e opositores de Ali Bongo se estendem a diferentes bairros da capital.

Bongo que, neste escrutínio, vê renovado o mandato presidencial terá vencido o adversário por menos de seis mil votos.


A MENSAGEM DE ALI AOS SEUS AMIGOS  - Libreville - O presidente Ali Bongo Ondimba, presidente em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), na visita de trabalho e cooperação a N'Djamena, Chade, na segunda-feira, fez um balanço com a sua homóloga Idriss Deby Itno sobre a situação de segurança na África Central. 

A cooperação bilateral entre o Gabão eo Chade, a situação política e de segurança na sub-região, bem como a reforma institucional em curso da União Africana, têm sido de interesse para os assuntos discutidos entre os dois Chefes de Estado, de acordo com a direção da comunicação presidencial gabonesa. 

Além disso, os atuais presidentes da CEEAC e da CEMAC reafirmaram sua solidariedade para com os países em crise e sublinharam a necessidade de consultas no âmbito da COPAX com vistas a soluções pacíficas para a saída crise. 

"Estamos preocupados com questões de segurança e problemas de desenvolvimento. O que é importante para os líderes que estamos em desenvolvimento é que podemos criar empregos em nossos países e poder alimentar nossas pessoas.Portanto, esse desenvolvimento econômico baseia-se, antes de mais, na questão fundamental da paz e da estabilidade ", disse o número gabonês no final de sua sessão de trabalho com Idriss Deby Itno. 

Congratulando-se com as excelentes relações entre o Gabão eo Chade, o Presidente Deby Itno e o Chefe de Estado gabonesa manifestaram a firme vontade de aprofundar e fortalecer os laços entre os dois países através, entre outros, de abertura missões diplomáticas em cada uma das capitais. 

A MESMA MENSAGEM PASSADA NA VISITA QUE EFECTUOU AO RUANDA 

Kigali, 13 de fevereiro de 2018 - O Presidente da República, Excelentíssimo Senhor Ali Bongo Ondimba, reuniu-se hoje com o seu homólogo ruandês, SE Paulo Kagame, como parte de uma visita de trabalho a este país, irmão e amigo. 

Durante o início, os presidentes Ali Bongo Ondimba e Paul Kagame deram uma visão geral da situação do conjunto sub-regional do qual o Gabão e o Ruanda fazem parte, nomeadamente sobre a paz e a segurança. . A este respeito, os dois chefes de Estado discutiram a próxima cimeira da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) relacionada com questões de segurança. 

O fortalecimento da integração sub-regional na África Central também foi o cerne do intercâmbio entre os atuais presidentes da CEEAC e da União Africana (UA). Os dois homens enfatizaram a necessidade de criar uma nova dinâmica graças a iniciativas e projetos comunitários. 

No final da entrevista, HE Ali Bongo Ondimba e SE Paul Kagame, que compartilham uma convergência de pontos de vista sobre questões regionais e internacionais, discutiram a já excelente cooperação bilateral entre o Gabão eo Ruanda e expressaram seu firme compromisso de fortalecer os laços entre os dois países. Depois de Ruanda, o Presidente da República visitará Angola em 15 de fevereiro, a segunda etapa de sua turnê africana em quatro Estados membros da Comunidade Econômica e Monetária da África Central (ECCAS).




ATÉ ONDE VAI A DESFAÇATEZ DOS DITADORES AFRICANOS – NÃO FAZ A FRAUDE  POR MENOS Kagame ganha eleições no Ruanda com 98% dos votos
ATÉ ONDE VAI A DESFAÇATEZ DOS DITADORES AFRICANOS – NÃO FAZ A FRAUDE  POR MENOS Kagame ganha eleições no Ruanda com 98% dos votos



No poder desde 1994, Paul Kagame venceu as eleições presidenciais de sexta-feira no Ruanda com 98% dos votos e prepara-se para ficar mais sete anos à frente do país.

PUB

Os ruandeses foram às urnas, mas não havia grandes dúvidas sobre qual seria o desfecho das eleições, prevendo-se uma repetição do que aconteceu no escrutínio de 2010, em que o líder da Frente Patriótica Ruandesa (FPR) venceu com 93% dos votos. https://www.publico.pt/2017/08/05/mundo/noticia/kagame-ganha-eleicoes-no-ruanda-com-98-dos-votos-1781452






Nenhum comentário :