expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 5 de junho de 2018

Guiné Equatorial – Comemorou hoje e em festa o 76ª aniversário do Presidente Teodoro Obiang Nguema Mbasogo - Em ambiente festivo e de paz social

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - informação e análise


Presidente Teodoro Obiang, Completou 76 anos - Salvou-me da forca - Não o posso esquecer

A Guiné Equatorial – Comemorou em festa e em paz o 76ª aniversário do Presidente Teodoro Obiang Nguema Mbasogo   

- Pese as pressões internacionais mais descabidas e desenfreadas e dos fracassados golpes de Estado, com o apoio do liberalismo selvagem europeu para fazerem o mesmo que sucedeu no Iraque e na Líbia, com as suas apregoadas "primaveras árabes democráticas, reduzindo cidades a escombros e a cinzas para facilmente saquearem os seus recursos petrolíferos, sim, não obstante a constante desinformação e manipulação da poderosa máquina dos média,  a Guiné Equatorial continua a ser dos raros países africanos mais desenvolvidos, onde a vida tem decorrido em paz e sem conflitos, à parte o habitual alarido da oposição e as suas cumplicidades com os jogos da cobiça externa,  sob o pretexto do desrespeito pelos direitos humanos, fechando os olhos aos atropelos das ditaduras orientais, que enxameiam o resto do mundo com os seus produtos. 

 

O Teodoro, guineense, reside em S. Tomé  e a sua linda bébé -

O aniversário do Presidente Obiang, foi assinalado, com várias manifestações populares, de apreço e com os  cumprimentos de saudações,  apresentados  por várias entidades do  seu Governo e diplomáticas.

Estoy aqui para agradecer publicamente al Presidente da República de Guinea Ecuatorial OBIANG NGUEMA Mbasogo, por haber-me salvado la vida hace 43 anod. Antes que fuera Jefe de Estado Haciendo el bien  y evitando el mal - Gracias por la generosidad de su corazón.


ESTES MERCENÁRIOS E OUTROS DA MESMA ESTIRPE DISFARÇADOS DE JUSTICEIROS - NÃO DORMEM NEM DESARMAM - Margaret Thatcher aprovou uma tentativa fracassada de usar um exército de mercenários para derrubar o presidente da Guiné Equatorial , de acordo com as memórias inéditas do principal protagonista da oferta, o ex-oficial SAS Simon Mann .  -O ex-primeiro-ministro, cujo filho, Sir Mark, foi condenado em um tribunal sudafricano de envolvimento na tentativa de golpe de 2004, alegadamente disse a Mann em uma reunião em sua casa de Belgravia: "Tenho certeza de que vai funcionar".Margaret Thatcher 'gave her approval' to her son Mark's failed coup 

 

Estive lá e vi o que a cegueira da rapina não quer ver
A tentativa de golpe de Estado contra o governo da Guiné  Equatorial em Março de 2004,“parece ter todas as características dos expedientes usados pelo colonialismo, com as principais potências desesperadas para controlar áreas com recursos estratégicos. Nessa parte do mundo, o petróleo superou os diamantes como fonte do conflito. Está claro que a Inglaterra e os EUA sabiam muito mais sobre o golpe do que divulgaram”, afirmou Alex Yearsley, do grupo inglês de direitos humanos Global Witness. A declaração foi citada em artigo publicado no último dia 28, pelo  jornal inglês The Observer, com novas denúncias sobre a tentativa de golpe contra o governo constitucional da Guiné Equatorial".

O Banco Mundial prevê um crescimento de -6% para a Guiné Equatorial em 2018
De acordo com as previsões, na Guiné Equatorial o ritmo de expansão vai de -8,5% registrado em 2017 para -6% em 2018. No restante dos países membros do CEMAc (Comunidade Econômica e Monetária da África Central) eles experimentam um crescimento moderado em particular Camarões com 4,1

Embaixador Tito Mba Ada
O autor destas linhas, na imagem ao lado, esteve na Guiné equatprial, em Julho do ano passado  - na qualidade decConvidado especial  em Bata e Malabo - Guiné Equatorial - 42 anos depois de ter sido encarcerado para ser condenado à pena de morte por Macias Nguema, na famigerada cadeia Central, por suspeita de espionagem, quando ali acostei a bordo de uma piroga, após 38 longos dias de naufrágio     - E libertado pelo então jovem comandante das Forças Armadas e Policiais,  Obiang Nguema Mbasogo, que três anos depois  derrubaria seu tio, em 3 de Agosto de 1979, através do chamado   Golpe de Libertad

Pormenores em  - http://www.odisseiasnosmares.com/2012/08/bioko-vista-ilha-do-diabo-francisco.html 

 es"

Conheci este homem, que hoje completou 76 anos,  há  43 anos - No dia 3 de Dezembro de 1976. Chama-se Teodoro Obiang Nguema Mbasogo - É o Presidente da Guiné Equatorial. Salvou-me de ser condenado pelo seu tio,  o auto-proclamado Presidente Vitalício Francisco Macias Nguema, que derrubaria em 3 de Agosto de 1979 - Depois de 38 longos dias à deriva numa piroga, acostei numa praia  deserta, orlada por vegetação densa e luxuriante, de Bococo.  Ilha de Bioko.  Durante algumas horas, ainda improvisei nas margens uma cabana para ali me deixar a repousar por alguns dias; pois não me faltavam cocos e raízes de mandioca


Mal me arrastava de fraqueza mas sentia-me como se estivesse a viver as aventuras de um inesperado Robinson Crusoe - E, mesmo ainda hoje, não sei se sentiria vontade de sair dali tão cedo. Porém, quando me apercebi de que havia um carreiro, muito batido, que ali desembocava e que poderia ser sinal de que a praia não era totalmente selvagem (de resto, pouco depois do nascer do sol e antes de a abordar, já ali tinha visto, na pequena língua do negro areal, um homem à cata de ovos de tartaruga) pelo que não tive outro remédio senão seguir aquele mesmo careiro, que me levaria a uma finca  - à sede de uma plantação de cacau.  Tal facto, ia-me custando a vida. 

Tomado por espião e depois de ter passado a primeira noite nos calabouços de uma esquadra, fui transferido algemado para a cadeia central, o famigerado  cárcere,  no qual foram encarcerados, torturadas até à morte  centenas de pessoas - Da minha miserável e nauseabunda cela, pessoalmente pude testemunhar os gritos lancinantes de sofrimento e de pavor de algumas dessas vitimas, ao serem espancadas  pouco antes de serem enforcadas, o que acontecia todos os dias a partir da meia-noite.



Sei, que este meu gesto, não vai ao encontro do chamado “politicamente correto”, do sectarismo imposto por certos analistas, que fazem tábua rasa do colonialismo europeu, que transformou o continente africano, numa manta de retalhos, não se importando da sua ancestralidade cultural e étnica, escravizando, retalhando, deportando, sem dó nem piedade, milhões de negros, fazendo deles párias nas suas terras de origem – Sim, omitem essa  tragédia, desviando as atenções da opinião pública mundial, desses hediondos crimes contra a humanidade – Por meu lado, não vou nessas modas, nesse juízo fácil e ao correr das modas, porque também fui uma das vitimas do colonialismo: não me mataram, porque não calhou - E aponte-se-me qual o governante, completamente  de mãos limpas e cofres vazios na Europa, na América, Ásia ou  Oceania?  - Só em África? - E o que se diz do atual liberalismo selvagem, neocolonial e  global?...


Recebido pelo Secretário-Geral do PDGE
Recebido pelo Secretário-geral do Partido Democrático da Guiné Equatorial, Jerónimo Osa Osa Ecoro, na véspera do VI Congresso Ordinário do Partido Democrático da Guiné Equatorial (PDGE), acompanhado pelo Embaixador da Guiné Equatorial da CPLP, em Lisboa, Tito Mba Ada, a quem devo o amável e honroso convite,  que diligenciou a  minha deslocação, a fim de ali poder apresentar, numa das intervenções do Congresso, o  público testemunho do meu reconhecimento por tão  corajoso e nobre gesto humanitário, muito antes de ascender à Presidência, contrariando as ordens recebidas do então auto-proclamado presidente vitalício, que insistia no meu enforcamento, não obstante o seu barbeiro pessoal - um santomense que enviou ao meu cárcere - lhe ter mostrado uma mensagem do MLSTP, que se destinava ao Povo Povo Brasileiro, caso concretizasse a travessia oceânica pela corrente equatorial, antiga rota da escravatura - Mesmo assim, ainda mais  desconfiado  ficou



NO PAIS ONDE AS BARRACAS  DERAM LUGAR A ORDENADOS E AMPLOS BAIRROS SOCIAIS

De referir, que, ontem mesmo, o  FMI aprovou um programa importante, denominado Programa Monitorado pelo Pessoal Técnico (PMP) ajudará a construir um registro adequado de desempenho para um possível programa apoiado financeiramente pelo Fundo.

O programa visa reduzir ainda mais o déficit fiscal, aumentar as receitas não petrolíferas e abordar as fraquezas críticas da gestão financeira pública, protegendo ao mesmo tempo os gastos sociais. 

O objetivo do programa será estabelecer as bases para melhorar a governança e a transparência na administração pública e no setor de hidrocarbonetos.

Em 10 de maio de 2018, o Diretor Administrativo do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou um PMP para a Guiné Equatorial (GE), cobrindo o período de janeiro a julho de 2018. Um PMP é um acordo entre as autoridades do país e o pessoal do Fundo para monitorar a implementação do programa econômico das autoridades. O MTP não implica endosso pelo Conselho Executivo do FMI. 

Os principais objectivos do PMP na área das finanças públicas são reduzir ainda mais o défice fiscal, aumentar as receitas não petrolíferas e abordar as fraquezas críticas da gestão das finanças públicas (GFP), protegendo simultaneamente os gastos sociais. O PMP também contempla medidas para melhorar o clima de negócios e incentivar a diversificação econômica. Além disso, o programa terá como objetivo estabelecer as bases para a melhoria da governança e transparência na administração pública e no setor de hidrocarbonetos. 

O programa também fornecerá uma estrutura para fortalecer a capacidade do setor público por meio da prestação de assistência técnica pelo FMI. Além disso, o PMP ajudará a construir um registro adequado de desempenho como base para um possível programa apoiado financeiramente pelo FMI no segundo semestre deste ano. 

Desde o final da década de 1990, quando a produção de petróleo começou, a GE passou por um longo período de crescimento econômico. O boom elevou a renda per capita na GE de um nível muito baixo para um nível de renda médio alto. Esse processo foi acompanhado por uma crescente dependência da produção de petróleo e gás, que em 2013 representou cerca de 90% das exportações e receitas do governo, um dos níveis mais altos da África. O boom permitiu um aumento forte e sustentado do investimento público que levou a um alto grau de desenvolvimento de infraestrutura, o que pode ser crucial para diversificar a economia. Durante os anos de expansão, vários amortecedores macroeconômicos foram desenvolvidos, incluindo altos depósitos governamentais, enquanto a dívida externa e pública permaneceu muito baixa. No entanto, esses buffers não foram suficientes para resistir à queda dos preços do petróleo ocorrida em meados de 2014. 

Em 2014, como em outros países da CEMAC, a GE foi duramente atingida pela queda nos preços do petróleo. Desde então, os preços deste produto se recuperaram parcialmente, mas isso foi parcialmente compensado por um declínio na produção de hidrocarbonetos, que atingiu o pico em 2008. Além de enfraquecer o setor externo e as finanças públicas, fatores, somados às deficiências do ambiente de negócios e restrições de financiamento, levaram a uma contração prolongada do PIB. Ao mesmo tempo, as deficiências na GFP reduziram a eficácia das respostas das políticas macroeconômicas. 

Em 2017, os desequilíbrios macroeconômicos diminuíram consideravelmente e o ritmo de contração econômica desacelerou. Impulsionada por uma forte redução nos gastos de capital e maiores preços do petróleo, a situação fiscal melhorou acentuadamente em 2017, com um déficit que caiu para 3% do PIB. Em 2017, estima-se que o PIB real tenha diminuído 3%, causado pela redução contínua da produção de hidrocarbonetos, mas o PIB não hidrocarboneto aumentou (1,2%) pela primeira vez desde 2013. No entanto, as condições Os desafios macroeconômicos continuam difíceis, e o país precisa fortalecer ainda mais suas finanças públicas, reconstruir os amortecedores macroeconômicos e melhorar suas perspectivas de crescimento econômico. O PMP ajudaria as autoridades a atingir esses objetivos. http://www.asodeguesegundaetapa.org/la-directora-gerente-del-fmi-aprueba-un-programa-monitoreado-por-el-personal-tecnico-pmp-para-la-republica-de-guinea-ecuatorial-fmi/


A Guiné Equatorial , localizada na África central, tem uma área de 28.050 km 2 com o que está entre os menores países.


A Guiné Equatorial, com uma população de 1.221.490 pessoas, está na posição 157 da tabela da população, composta de 196 países e tem uma densidade populacional moderada, 44 habitantes por km 2 .


A sua capital é Malabo e sua moeda CFA Franco da África Central.

A Guiné Equatorial é a 137ª economia em volume do PIB . Sua dívida pública em 2016 era de 4.407 milhões de euros, , com uma dívida de 47,92% do PIB. Sua dívida per capita é de 3.608 euros por habitante, US .


A última taxa de variação anual da CPI publicada na Guiné Equatorial foi dezembro de 2017 e foi de -0,2%.



O PIB per capita é um indicador muito bom do nível de vida e no caso da Guiné Equatorial, em 2016, foi de € 7.528, € , com o qual ocupa o 73º lugar no ranking e os seus habitantes têm um baixo nível de vida em relação ao resto dos 196 países no ranking do PIB per capita. https://translate.google.com/translate?hl=pt-



1771 - Ano Bom
Fernando Pó - 1771
Embaixador Tito Mba Ada: “Portugal é um dos países que beneficiou da integração da Guiné Equatorial na CPLP, em termos de negócios”. “Temos muitas ligações antigas com Portugal, e a Comunidade é uma prioridade para a Guiné Equatorial, e queremos que todos os dias venham portugueses conhecer este belo país Três séculos, possessão portuguesa, que o tratado de El Pardo separou contra a vontade do povo nativo: “convocando o Capitão Mor da sobredita Ilha, e alguns negros mais principaes, lhe propus as ordens de Sua Mag, dizendo lhes hera preciso jurarem obediencia a El Rey Catholico, me responderão que não, e que elles não conheciao senão a El Rey de Portugal, e que do de Espanha nunca ouvirão falar; ao que se sseguio hum motim geral de Homens e/ Mulheres”


Jorge Marques  com o Embaixador Tito Mba Ada

“Cremos que muitos portugueses não conhecem a Guiné Equatorial. Têm que vir conhecer a Guiné Equatorial, investir na Guiné Equatorial, conhecer os guineenses, e trabalhar juntos, porque juntos somos mais fortes e competitivos” – Declarou-me,  o Embaixador Tito Mba Ada, numa honrosa e interessante entrevista, que me concedeu  no Centro de Conferências de Ngolo, em Bata, no encerramento do VI Congresso Ordinário do Partido Nacional Democrático da Guiné Equatorial, que decorreu, na primeira semana de julho, em ambiente de calorosa e significativa participação,  com transmissões diretas da televisão nacional e   das várias cadeias estrangeiras,   sob o Lema A Renovação Continuidade



Nenhum comentário :