expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Coligação PCD-MDFM-UDD vai disputar as eleições de 7 de Outubro - Tribunal Constitucional, liderado por juízes nomeados pelo partido de Patrice Trovoada, deixa cair a impugnação parlamentar aprovada pela ADI para mostrar que é credível e que não vai haver uma nova fraude –- As várias reações da oposição e o impacto da entrevista de um dos lideres da coligação PCD-MDFM-UDD, Carlos Neves, na TVS, afirmando que O que vai estar em jogo nestas eleições é a sobrevivência da democracia, terá contribuído para o inédito chumbo. Mas quem é que, atento ao autoritarismo do PT e suas cumplicidades, poderá acreditar numa justiça descontaminada?



Jorge Trabulo Marques - Jornalista  - Informação e análise


FRAUDE NAS ELEIÇÕES DE 7 DE OUTUBRO? CENÁRIO BEM  POSSÍVEL - DESESPERO DE UM DITADOR - ENCENAÇÃO ATRÁS DE ENCENAÇÃO MAS COM MUITOS TIROS NOS PÉS  - Coligação PCD-MDFM-UDD vai disputar as eleições de 7 de Outubro - Tribunal Constitucional, liderado por juízes nomeados pelo partido de Patrice Trovoada, deixa cair a impugnação parlamentar aprovada  pela ADI  para mostrar que é credível e que não vai haver uma nova fraude



As reações que seguiram a mais um afrontoso ataque às leis constitucionais e o impacto da  entrevista de  um dos lideres da coligação PCD-MDFM-UDD, Carlos Neves, na TVS a Conceição Lima, em pré-campanha eleitoral  - mera migalha comparativamente aos tempos de antena ocupados pela propaganda do regime - e posteriormente publicada no Téla Nón - a que nos referirmos em postagem anterior  -  afirmando que "o que vai estar em jogo nestas eleições é a sobrevivência da democracia", terá contribuído para o inédito chumbo. Mas quem é que, atento ao autoritarismo do PT e suas cumplicidades, poderá acreditar numa justiça descontaminada?

Mera fachada, obviamente, para disfarçar a fraude programada para 7 de Outubro,  uma vez que,  ambos os tribunais superiores, são inteiramente formados por juízes da confiança de Patrice

De resto, é também esta a interpretação da  referida coligação, segundo noticia divulgada pelo Téla Nón: Primeiro chumbo da ADI no período eleitoral não livra TC da desconfiança da oposição  - O partido no poder propôs ao Tribunal Constitucional, a anulação da referida coligação. Uma acção que poderia pôr fim a participação dos três partidos unidos nas eleições legislativas de 7 de Outubro próximo.

Nas diversas reacções que teve em relação ao processo submetido pela ADI ao TC, a coligação da oposição, considerou que a queixa do partido no poder não tinha qualquer cabimento. Isto porque os juízes do Tribunal Constitucional, já tinham analisado o processo da constituição da coligação, e aprovado em acórdão a nova identidade da mesma, ou seja,  tanto o símbolo como a sigla.

«Estou em crer que o ADI tinha certeza absoluta que esta impugnação não tinha pernas para andar. Mas é preciso credibilizar um Tribunal que eles criaram, e passar a mensagem de que este tribunal constitucional é imparcial. https://www.telanon.info/politica/2018/09/19/27785/primeiro-chumbo-da-adi-no-periodo-eleitoral-nao-livra-tc-da-desconfianca-da-oposicao/






DESESPERO DE UM DITADOR - PROMOVE ENCENAÇÃO ATRÁS DE ENCENAÇÃO MAS COM MUITOS TIROS NOS PÉS

Depois do cerco e da invasão  movida ao parlamento, há dois anos, por dezenas de policiais de intervenção rápida e a unidade de segurança dos dirigentes de estado, com a participação e a orientação da  tropa ruandesa, para intimidar e humilhar os deputados da oposição, aí estava novo e afrontoso ataque, perpetrado pelo partido ADI,   de Patrice Trovoada. impugnando a coligação PCD-MDFM-UDD, onde figurava o ex-Presidente Fradique Menezes – 

Ou ressabiado pelo facto de o ex-Presidente da República,  o ter criticado na altura da formação da referida coligação,  acusando-o de que “"prometeu e não cumpriu" ou, então - e este é um dos cenários mais prováveis - , para simular mais uma nova encenação  com os seus amigos no Tribunal Constitucional, tal como tem feito noutras cumplicidades, para este mostrar que, sim senhor! 

O Tribunal Constitucional vai ser absolutamente fiável e imparcial na aprovação das listas dos resultados eleitorais – Sendo certo que, quer a forçada demissão dos juízes do STP quer a constituição do Tribunal Constitucional, ambos estão feridos de gritantes atropelos às leis constitucionais:   Exoneração de juízes em São Tomé e Príncipe não tem base legal São Tomé e Príncipe: Oposição não reconhece Constitucional 

Patrice Trovoada quer manter-se no poder, custe o que custar, para além de 5 de Outubro: ele sabe que, se o seu partido for derrotado,  só tem um caminho a seguir: o de demitir-se, imediatamente e fazer uma viagem sem regresso, antes que fosse corrido pelos que lhe têm batido palmas



Ele que, nestes últimos quatro anos,  tem passado a maior tempo em centenas de passeatas,  esbanjando milhões de dólares, por mais que queira fabricar cenários e urdir golpaças, lá haverá de chegar o dia em que o nativo gabonês ou opta por voltar a recolher-se em Lisboa, onde a sua mulher gere importante  imobiliária ou  terá que regressar ao Gabão onde é possuidor de uma empresa aérea de jatos, sim, mas ele saberá, com certeza, que tem muito por onde escolher, em outros países, Texas, Paris, e por aí adiante, pois, as milionárias negociatas com as empresas petrolíferas, ter-lhe-ão proporcionado  avultado pé de meia, além do sumiço dos milhões que desapareceram nestes anos da sua governação,  sobre os quais se tem recusado a responder.

A Força da Mudança de Patrice
EM boa verdade, os vários cenários encenados por Patrice Trovoada, além da forçada demissão dos juízes do STP por juízes da sua confiança política, bem como a fundação de um Tribunal Constitucional, ambos unicamente constituídos por juízes serventuários ao seu regime, mais tarde ou mais cedo, também estes senhores juízes, ou terão que lhe ir fazer companhia para lhes assegurar um emprego nas suas empresas ou terão que ter a humildade de reconhecer que estão na profissão errada e que deverão ir procurar outra: ou não foi este o conselho dado pelo padrinho, Patrice Trovoada, quando, sob a capa de uma delegação judicial portuguesa, se instituiu uma encenada classificação de mérito? Sim, não esta a resposta que então deu? Patrice- “Juízes medíocres podem ser úteis noutros sectores”


Patrice Trovoada: "prometeu e não cumpriu" – Estas palavras do ex-presidente de STP, Fradique Menezes, foram o bastante para que, o atual PM, líder da ADI, seu antigo conselheiro  para os assuntos petrolíferos, mas que Fradique afastou sob suspeita de usar a sua posição em benefício próprio, sim, para que, o financiador do fracassado Golpe de Estado de 16 de Julho 2003, com o qual Patrice o visava assassinar,  assim como a Manuel Pinto da Costa e um militar, tomasse a prepotente atitude de inviabilizar a coligação da oposição liderada por Carlos Neves, ex-embaixador de São Tomé e Príncipe nos EUA, com vista às eleições de 7 de outubro

 EXCERTOS DA ENTREVISTA DIVULGADA PELO TÉLA NÓN -
COLIGAÇÃO CHUMBADA PELO REGIME AUTORITÁRIO ADI-PATRICE TROVOADA, JÁ EXPRESSOU  A SUA INDIGNAÇÃO

Carlos Filomeno Azevedo Agostinho das Neves, historiador e diplomata, que desempenhou as funções de embaixador  de STP, junto à Organização das Nações Unidas em Nova York,  nomeado pelo então Presidente Manuel Pinto da Costa

AFIRMANDO:  «O que vai estar em jogo nestas eleições é a sobrevivência da democracia» - Um dos líderes da coligação PCD-MDFM-UDD, Carlos Neves alega que o ADI impugnou a sua coligação ‘’porque está com medo’’ e acusa o partido do governo de ter desencadeado a destruição do sistema democrático. O ex-embaixador em Nova Iorque diz que a restauração das bases democráticas é uma prioridade e define o emprego juvenil, a educação e a saúde como sectores-chave. O restabelecimento da hora abolida pelo governo de Patrice Trovoada seria uma das primeiras medidas de um governo da coligação.
Entrevista conduzida por São de Deus Lima


«O que vai estar em jogo nestas eleições é a sobrevivência da democracia»

– Como reagiu a coligação PCD-MDFM- UDD ao pedido da sua impugnação, introduzido no tribunal pelo ADI?


R. – A primeira reacção da coligação PCD-MDFM-UDD foi de estranheza. Como é que um partido como o ADI, que neste momento tem uma maioria absoluta na Assembleia Nacional, se pode comportar desta forma? Comportar-se como quem reage de forma desnorteada e está com medo, avançando com um pedido de impugnação sem qualquer sentido? A questão foi colocada por parte do tribunal, fomos ver e não vemos nada que possa funcionar como justificação. Aliás, há muita confusão no que o ADI diz, não há cabimento. Mas, no momento certo, nós daremos a resposta ao Tribunal Constitucional que nos pediu a nossa opinião. Contudo, da parte do ADI, é um desnorte total. O ADI está com medo, receia que a coligação PCD-MDFM-UDD venha a ter uma grande adesão popular e verifica que está a perder terreno. É mais um tiro nos pés, depois de muitos outros e só revela isso mesmo: medo.

P – A coligação está confiante no desfecho?


R – Achamos que o Tribunal Constitucional não tem matéria para impugnar seja o que for, nós estamos cobertos por posições legalmente estabelecidas. Antes de termos avançado com as nossas listas, quer para as eleições autárquicas, quer para as legislativas, solicitámos ao Tribunal Constitucional que validasse a nossa coligação. Indicámos o nome da coligação, a sigla e o símbolo e tudo isso no decurso do mês de Agosto. A 22 de Agosto, o Tribunal Constitucional, no seu pleno, achou que não havia nada contra a nossa coligação pelo nome, sigla e símbolo e deferiu o nosso requerimento, mandando registar e publicar. Tanto é que quando introduzimos a lista para as autárquicas, ainda em Agosto, ela foi imediatamente aceite pelo tribunal comum, primeira instância, foi aceite e validada e o resultado da nossa lista foi publicado, pelo que a lista se tornou definitiva. Note-se que, na sua petição, o ADI pede a impugnação da coligação, quer nas autárquicas, quer nas legislativas e regional. Ora, qualquer impugnação relativa às eleições autárquicas ultrapassou qualquer prazo, eventualmente, estabelecido. Estamos conscientes da nossa razão, não há qualquer facto novo que possa perturbar a nossa coligação, estamos calmos e tranquilos. Pedimos aos nossos militantes que estejam calmos e tranquilos, que continuem a trabalhar com mais afinco ainda, porque notamos que o nosso adversário está com muito medo.


P-O que vai estar em jogo nestas eleições?

P.Trovoada não tem esta vida
R –Nós entendemos que o que vai estar em jogo, sobretudo, é a sobrevivência da democracia. Nós, em 1991, fizemos a mudança do regime, passando do regime monopartidário para o regime pluripartidário. Começámos a lançar as bases de uma democracia digna e durante vinte e tal anos, convivemos com o novo regime, com alguns sobressaltos, é certo, próprios de uma democracia em construção, mas respeitando os pilares e as bases do sistema. Mas, nos últimos 4 anos, sentimos que a democracia estava em perigo. O ADI, ao ganhar as eleições legislativas com maioria absoluta, em 2014, começou a tentar destruir os alicerces do regime democrático. Com a vinda das tropas ruandesas que assaltaram a Assembleia Nacional de forma inadmissível e inaceitável, nunca vista num regime democrático. Fazer vir tropas estrangeiras e impedir os deputados nacionais de entrarem na sala;

O ADI veio com a história do Tribunal Constitucional, instituição cuja implementação nunca pusemos em causa. O que dissemos foi que a forma de eleição de juízes não estava conforme a lei. Dissemos isso e eles passaram por cima…MAIS PORMENORES EM  «O que vai estar em jogo nestas eleições é a sobrevivência da ...
ou em https://www.telanon.info/politica/2018/09/15/27764/o-que-vai-estar-em-jogo-nestas-eleicoes-e-a-sobrevivencia-da-democracia/

ESTA É A FORÇA TRANQUILA DE PATRICE TROVOADA - POVO SACUDIDO À BASTONADA -  PROMETEU 45 EUROS DE ORDENADO MÍNIMO, NAO FOI ALÉM DOS 40 - Quem conseguirá viver com tão miserável migalha? - Vai resistindo - sabe Deus como! - o tão sacrificado santomense, porque a natureza é fértil e generosa.


PATRICE DISSE QUE SÓ PRECISAVA DE 250 MILHÕES DE EUROS POR ANO PARA MUDAR O NÍVEL DE VIDA DOS SANTOMENSES - QUANTAS CENTENAS DE MILHÕES ELE JÁ NÃO RECEBEU? - VEJA-SE A MUNDANÇA TRANQUILA:  a do Povo Pequeno  ser atacado à bastonada por forças policiais e pela tropa ruandesa

Patrice Trovoada : « Pour bien vivre à São Tomé, il ne nous faut que 250 millions de dollars par an » Patrice Trovoada: "Para viver bem em São Tomé, precisamos de apenas 250 milhões de dólares por ano"

Nascido em Libreville, no Gabão, chamado Patrice Emery em homenagem a Lumumba, orgulhoso de suas raízes Bantu, casado com um malês, um muçulmano em um país onde mais de 70% da população é católica, ele é ambicioso e se levanta toda vez ele tropeça. Patrice Emery Trovoada, 54 anos, é o primeiro-ministro pela terceira vez desde 2008. Presidente da Ação Democrática Independente (ADI) e vencedor das eleições legislativas em 2014, ele tem até outubro de 2018, data da próxima renovação da Assembleia Nacional, para transformar seu país e sair da pobreza.

Um salário mínimo foi estabelecido [em vigor desde 1 de janeiro, é de 1,1 milhão de Dobras, cerca de 45 euros para o setor público, 35 euros para o setor privado e 53 euros para as grandes empresas]. Resta iniciar reformas e criar uma economia produtora de riqueza. Patrice Trovoada : « Pour bien vivre à São Tomé, il ne nous faut que


ESTAS DESPÓTICAS AFRONTAS NÃO PODEM CAIR NO ESQUECIMENTO






crianças soldados nas fileiras do exército do Ruanda 

(...) O líder parlamentar do MLSTP diz ter sido "barrado" ao tentar entrar nas instalações do parlamento "por um grupo de militares que estavam sob orientação de instrutores do Ruanda". "Disseram-me que se quisesse entrar tinha que deixar ser revistado, eu e a minha viatura, não aceitei e entramos em discussão", explicou.
Jorge Amado acrescentou que depois de cerca de 15 minutos de discussão e após os militares que barravam a sua entrada "terem consultado o instrutor ruandês", foi autorizado a entrar no recinto do Parlamento, onde tinha uma reunião com outros membros da bancada do seu partido.

"Ao entrar na Assembleia Nacional dei conta que lá dentro estavam pelo menos 60 outros militares, 40% deles devidamente equipados e fardados com coletes à prova de bala, outra parte estava a paisana, mas armados de pistolas", acrescentou.
"Acho esse ato bastante preocupante, e quando acontece numa casa parlamente constitui ameaça a integridade física dos deputados, é algo com a qual a sociedade não pode conviver", salientou o líder da bancada parlamentar dos sociais-democratas em conferência de imprensa, em que estavam presentes representantes de todos os partidos da oposição, com e sem assento parlamentar.

Tropa Ruandesa em S. Tomé
(…) Danilson Cotu não aceitou a revista e teve que ficar na rua. Jorge Amado, que chegou mais tarde, também foi impedido de entrar no recinto parlamentar. «Fui barrado na porta de entrada. Os portões estavam acorrentados. Apareceu um militar a paisana, que me disse que eu não poderia entrar sem ser devidamente revistado, tanto eu como a minha viatura. Eu recusei, e disse-lhe que sou representante do povo e como representante do povo estou entrando para a minha casa, e que não posso ser revistado ao entrar para minha própria casa. Além disso não reconheço neles nenhuma legitimidade, uma vez que a Assembleia Nacional, tem um corpo de seguranças que está aqui para fiscalizar, proteger e defender a Assembleia Nacional. E não indivíduos fardados com um uniforme que não é usual na nossa força armada», explicou o líder da bancada parlamentar do MLSTP.. http://www.telanon.info/politica/2017/09/02/25185/treino-ruandes-no-parlamento-provoca-incidentes/








Presença de uma musculada milícia do Ruanda, em S. Tomé, causa medo e é tomada como um ato terrorista pela oposição - Patrice Trovoada, financiador e mandante assassinatos políticos do Golpe de Estado de 16 de Julho 2003 – Acusa operacional no facebook - Como é que podemos conviver com esta situação? Quando, abertamente, publicamente! Aparece alguém a dizer  que foi convidado para assassinar o Presidente Fradique Menezes? Como é que podemos conviver com isto?  - Questionava, entre outras preocupantes observações,o líder da bancada do MLSTP, Jorge Amado, que, entre outras questões, colocadas

Patrice Trovoada: Um apaixonado por desportos de combate Convertido ao islamismo, influenciado por Ali Bongo – Mas Governar não é um jogo de bóxeres, nem S. Tomé o Gabão onde foi parido e crescido.  

Eis o que foi dito de Patrice Emery Trovoada, 25-11- 2014 no seguimento da sua coroação como Messias depois do Empresário misterioso se ter posto em fuga para não ser preso, na legislatura anterior  - Agora mercê de uma bem organizada banhada de votos – Até porque como ele diz: A corrupção é uma tradiçao e comprar votos faz parte dos jogos - 18-04 -2008

Patrice e Ali Bongo
Num pais dos mais pobres de África, a demagogia e as fraudes dos ditadores,  são determinante na coroação destes impostores – Era então referido: - “Muçulmano convicto, converteu-se ao islamismo em Paris em 1984, incentivado pelo amigo Ali Bongo, filho de Omar Bongo, ex-Presidente do Gabão, país onde nasceu e onde passou a adolescência.

«Tínhamos namoradas nos mesmos círculos. Durante as férias escolares, corríamos a cidade de motos (…) eu ia com o Ali Bongo no seu Maserati...», descreveu, no posfácio da sua biografia autorizada, «Patrice Trovoada – Uma voz africana», de Carlos Oliveira Santos, lançada em setembro.
 http://www.africa21online.com/artigo.php?a=7222&e=Pol%C3%ADtica
















Nenhum comentário :