expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

“Professores portugueses retidos em São Tomé sem visto” – Com o bilhete comprado para para passarem o Natal em Portugal - Embaixada Portuguesa e MNE só pensaram na campanha do Pinta Cabra e distrubuir fardamento militar, mesmo depois das eleições - ADI autoritária –- fez aprovar alteração da lei de isenção de vistos aos estrangeiros e deixou por resolver o passaporte a professores da cooperação portuguesa? – O ensino, nos últimos 4 anos, além da extrema desorganização de que foi alvo, ainda por cima sofreu um enorme retrocesso numa das maiores conquistas democráticas em STP.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 

"Desde que a EPST entrou em funcionamento, em 2016, que há problemas com a regularização dos professores lá colocados. Este ano, os 12 professores de quadro em mobilidade tiveram direito a "passaportes especiais". Os contratados têm de pagar a regularização do seu bolso, incluindo multas pelos atrasos na atribuição das autorizações de residência, o que ronda os 300 euros" JN. 

ADI aprovou a alteração da lei de isenção de vistos aos estrangeiros – Afinal, apenas para dar livre circulação ao tráfico de droga, contrabando e outros saques? - Esqueceu-se de resolver as questões mais importantes do país - Nomeadamente no ensino - As instalações das escolas degradaram-se; muitas das quais  onde as casas de banho deixaram de funcionar ou passaram a imundices.  - O acesso ao ensino superior limitado e cerceado no financiamento  - Bolsas de Estudo no estrangeiro apenas para alguns dos filhos, dos  mais felizardos do regime - Aprovação da lei do ensino Superior gerou acesa polémica - Mas a ditadura ADI fez prevalecer o seu autoritarismo 



HÁ QUATRO ANOS – Vídeo do ambiente alegre, descontraído e disciplinado, numa das aulas das várias salas do ensino primário, na  Roça Uba-Budo, em Outubro de 2014, com as crianças envergando suas batas azuis, um pouco a lembrar as batas azuis do tempo colonial, tal como eu as vesti na escola Primária, na minha aldeia, em Portugal, aos 7 anos, mas no tempo das reguadas e das chibatadas, que, em STP, se passaram também a usar com a escravatura nas roças – As instalações da famigerada Casa Grande, ou a Casa do patrão, eram quase esqueletos, tal como outros antigos edifícios, bem diferentes das que eu conheci quando ali fui empregado de mato, em 1963-64  - mas o ensino funcionava muito bem
Só que, a evolução nos vários ramos do ensino,  que, desde a independência, STP, havia conhecido, tornando o pequeno pais, num dos raros exemplos em África,  foi absolutamente subvertida nos últimos 4 anos  com o regime corrupto e autoritário do Governo de Patrice Trovoada
"Professores portugueses retidos em São Tomé sem visto  -Diz o Jornal de Noticias que, “Cinco professores contratados para a Escola Portuguesa de São Tomé, que integra a rede pública nacional de ensino, estão sem visto e passaportes desde setembro. O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras terá perdido toda a documentação entregue por uma das professoras.
 
De acordo com a informação enviada ao JN por professores, os serviços administrativos da escola têm esperança de que os passaportes e vistos possam ser levantados sexta-feira, sendo que os docentes têm bilhetes de avião comprados para o próximo fim de semana, para poderem passar a época natalícia em Portugal.


 A Escola Portuguesa de São Tomé (EPST) pertence à rede pública nacional de estabelecimentos de ensino. O concurso de recrutamento para professores é local mas idêntico ao de qualquer outra escola de Portugal em termos de legislação e os docentes integram a lista graduada nacional. 

A falta de visto foi relatada pelo JN, na sua edição impressa de sábado, 8 de dezembro: nesse dia, 35 professores contratados aguardavam pela documentação necessária para conseguirem viajar para Portugal na interrupção letiva. Apesar da escola ser tutelada pelo Ministério da Educação, os professores foram colocados e entraram em São Tomé com vistos de turistas. Entregaram passaporte e documentação para regularizarem os vistos em setembro mas a uma semana do fim do primeiro período ainda aguardavam as autorizações.


O Ministério dos Negócios Estrangeiros garantiu nessa altura ao JN estar a acompanhar a situação através da embaixada portuguesa mas que a entrega dos certificados de residência "é prerrogativa das autoridades são-tomenses". 

Desde que a EPST entrou em funcionamento, em 2016, que há problemas com a regularização dos professores lá colocados. Este ano, os 12 professores de quadro em mobilidade tiveram direito a "passaportes especiais". Os contratados têm de pagar a regularização do seu bolso, incluindo multas pelos atrasos na atribuição das autorizações de residência, o que ronda os 300 euros. 

Na terça-feira, dia 11, 30 dos professores a quem foram renovados os contratos em julho puderam, finalmente, ir levantar passaportes e vistos. Mas o SEF informou a escola que terá perdido a documentação de uma das professoras. 
"Estamos a trabalhar para o Estado português", insurge-se um dos professores que não compreende como os vistos não são acautelados antecipadamente. Os docentes receiam ficar retidos em São Tomé, sem passaporte e vistos para viajarem antes do Natal. https://www.jn.pt/nacional/interior/professores-portugueses-retidos-em-sao-tome-sem-visto-10310681.html


25-07-2018 - “São Tomé e Príncipe vai "dar um salto qualitativo" na Educação" – Mas não era com o regime de Trovoada que ia no bom caminho  - Livro do escritor Luís Neto – publicado, no passado dia 25 de Julho, à LUSA disse que  "A evolução não tem sido como nós desejávamos", , referindo que São Tomé e Príncipe ainda não conseguiu dar resposta a todos os atuais "constrangimentos", como a necessidade de formação dos professores, a falta de infraestruturas e o elevado número de jovens no país, que segundo o Fundo de População das Nações Unidas representam quase metade da população, estimada em cerca de 200 mil habitantes.


No entanto, Neto Amado assegura que, apesar da falta de grandes avanços no setor da Educação ao longo dos 43 anos de independência, São Tomé e Príncipe encontra-se no "bom caminho", procurando paulatinamente responder aos desafios, garantindo que o país "vai dar um salto qualitativo" nos próximos anos”  https://www.dn.pt/lusa/interior/sao-tome-e-principe-vai-dar-um-salto-qualitativo-na-educacao---escritor--9637376.html

 


UM PARTIDO QUE FEZ TERRORISMO DE ESTADO - ADI invadiu o Parlamento com Tropas do Ruanda e aprovou a alteração da lei de isenção de vistos aos estrangeiros – Afinal, apenas para dar livre circulação ao tráfico de droga, contrabando e outros saques?

Em meados de Agosto,  a maioria parlamentar da ADI, aprovou na generalidade, o diploma proposto pelo Governo que  altera a lei em vigor que isenta visto para cidadãos estrangeiros que visitam o país. de 15 dias.
A proposta de alteração que foi aprovada com 31 votos da maioria parlamentar, estende o tempo de permanência dos cidadãos estrangeiros que entram em São Tomé e Príncipe sem visto de 15 dias para 6 meses.
Os 3 partidos da oposição, nomeadamente o MLSTP, o PCD e a UDD, consideram a proposta do governo de suspeita, uma vez que a alteração da lei, é realizada nas vésperas das eleições locais e legislativas marcadas para 7 de Outubro próximo. https://www.telanon.info/politica/2018/08/16/27599/adi-aprovou-a-alteracao-da-lei-de-isencao-de-vistos-aos-estrangeiros/

06/08/2018  São Tomé e Príncipe pode transformar-se em "porto de abrigo" para criminosos e terroristas - oposição

O principal partido da oposição são-tomense acusou hoje o Governo de pretender transformar o país "num porto de abrigo a malfeitores e organizações criminosas e terroristas" com um novo regime jurídico que isenta cidadãos estrangeiros de vistos de entrada.
O país não dispõe de uma polícia de migração de fronteiras capaz de controlar, de forma eficaz, a permanência de todos os que vão estar nessas condições e São Tomé e Príncipe poderá transformar-se num porto de abrigo a malfeitores e organizações criminosas e terroristas, pondo em causa a segurança nacional, até dos países vizinhos", disse Elsa Pinto, em declarações a jornalistas https://www.dn.pt/lusa/interior/sao-tome-e-principe-pode-transformar-se-em-porto-de-abrigo-para-criminosos-e-terroristas---oposicao-9685441.html

Aprovação do Ensino Superior – PCD, faz críticas à "ditadura" ADI





Na sessão parlamentar da Assembleia Nacional, Partido  Convergência Democrática (PCD), fez severas criticas à maioria parlamentar, que acusou de procedimento ditatorial, acerca da votação final, global das propostas de Lei nº13/2016, Regime Jurídico das instituições do Ensino Superior de São Tomé e Príncipe,

(...) Não nos parece pactível, que as Universidades, mesmo a pública. estejam em condições de possuir em  pleno funcionamento dois cursos técnicos laboratoriais: a esse respeito, nós gostaríamos de lembrar que, a situação do curso de informática.MSP, ainda não foi resolvida.

Plano de estudo de doutoramento,   para ficar em 4 anos: outra grade incongruência: quem forma doutores são doutores com graus de experiência elevada, para a nossa realidade, convenhamos. Por outro lado, o PCD subscreve na íntegra, o apelo unânime das três instituições de ensino no sentido de termos mais tempo para a devida análise do documento, tendo em conta que dele depende o futuro dos descentes, e, se quisermos o futuro de São Tomé e Príncipe. Daí termos votado contra, porém, deixamos a nossa disponibilidade para contribuir uma melhoria do presente diploma, caso a maioria entender, como necessário, num futuro mais breve.   

Lei do Ensino Superior – Debate na A.N. -  MLST-PSD – Defende discussão mais alargada
Para o MLSTP- PSD  - A Lei como está não se adapta à nossa realidade  A lei não prevê, em nenhum articulado, a sua composição e o prazo  Defende uma discussão mais alargada e aprofunda com todas as partes a que a lei diz respeito

 ESTAS AFRONTAS NÃO PODEM CAIR NO ESQUECIMENTO  - 2016


“O Primeiro Ministro, durante esses dois últimos anos, vem sustentando a sua governação, com mentiras e promessas falsas, e colocando a família santomense umas contra as outras. Hoje, no nosso país instalou-se o medo, onde algumas pessoas não ousam contestar o Senhor Patrice Trovoada porque no dia seguinte é posto fora do trabalho. As promessas com que o Primeiro Ministro vem enganando o Povo pequeno continuam por cumprir. 

Com efeito, aonde está o arroz de 13 contos que na realidade o povo vem pagando 20 a 25 contos? Aonde estão os barcos que iam ajudar a transportar os passageiros para a ilha do Príncipe? Aonde está a eletricidade resolvida, quando com populismo e propaganda deram-se ao luxo de paralisar o trânsito para fazer transportar os grupos de geradores que até hoje não dão resultado nenhum, pois a EMAE continua a promover constantes cortes de luz e em contrapartida vem aumentando a fatura de energia.

A maioria absoluta do ADI quando deveria constituir oportunidades propícias para uma governação sem sobressaltos, transformou-se numa ditadura sem precedentes.

A TVS e Radio Nacional e não só, já não são órgãos públicos, mas sim rádio e televisão do senhor Patrice Trovoada e do seu ADI. Os profissionais trabalham com medo, e não falam porque têm medo de ficar sem o seu pão de cada dia. A radio e a televisão tem que estar ao serviço do povo para que através deles, todo o santomense possa saber o que realmente se passa."

DIPLOMACIA PORTUGUESA DE AUGUSTO SANTOS SILVA - APOIOU O CRIMINOSO PATRICE TROVOADA E A SUA CORJA, ATÉ AO ÚLTIMO FÔLEGO - APOSTOU SEMPRE NA CONTINUAÇÃO DO BANDIDO FORAGIDO  - 




Veja-se o descaramento e a falta de sentido de Estado : vão entregar ao Ministro da Defesa, Arlindo Ramos, de  um governo demissionário, uma  enorme quantidade de fardamento e de equipamento militar - Embaixador Português, em STP Luís Gaspar da Silva, viaja propositadamente para o Algarve para apadrinhar o brinde oferecido ao regime liderado pelo foragido Patrice  Trovoada 

1500 PEÇAS DE VESTUÁRIO OFERECIDAS NO ALGARVE, NO PASSADO DIA 20 DE NOVEMBRO, AUTÊNTICA PROVOCAÇÃO -  MEMBRO DE UM GOVERNO DEMISSIONÁRIO - SAUDAÇÃO OPORTUNISTA E TARDIA - DE QUEM SEMPRE ANDOU COM O PATRICE AO COLO E DAR-LHE MILHÕES


GNR: Doação de 1500 peças de fardamento às Forças de Segurança de S. Tomé e Príncipe - 
Guarda Nacional Republicana, no dia 20 de Novembro, realizou uma cerimónia de entrega de fardamento doado às forças de segurança de São Tomé e Príncipe.

A cerimónia, onde foram doadas quase 1 500 peças de fardamento para equipar a Polícia Nacional e a Polícia Fiscal e Aduaneira, contou com a presença do Ministro da Defesa e Administração Interna da República Democrática de São Tomé e Príncipe e do Embaixador de Portugal.

A doação efetuada à Polícia Fiscal e Aduaneira surgiu na sequência de uma ação de formação ministrada pela GNR em maio deste ano em São Tomé, sendo o corolário do reforço da cooperação existente entre as duas forças de segurança.
No caso da Polícia Nacional, para além das peças de fardamento foram ainda entregues capacetes para motociclistas.

Na cerimónia, foi destacado o importante contributo de Portugal e, em particular, da Guarda Nacional Republicana, no apoio às forças de segurança Santomenses. https://maisalgarve.pt/noticias/internacionais/13918-gnr-doacao-de-fardamento-as-forcas-de-segurancas-de-s-tome-e-principe~



Nenhum comentário :