expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

S. TOMÉ E PRÍNCIPE - GRANDE SUSTO DE AVIAÇÃO AO PRINCIPIO DA NOITE DE HOJE – MAS COM MUITA CORAGEM, FRIEZA E CALMA - GRAÇAS À PERÍCIA DO COMANDANTE TÓ TRINDADE, QUE EVITOU UMA TRAGÉDIA - A PEQUENA AERONAVE QUE LIGA AS DUAS ILHAS, FORÇADA A AFOCINHAR NA LINHA DE REBENTAÇAO MARITIMA, NO EXTREMO DA PISTA VOLTADA PARA SUESTE POR AVARIA DO TREM DE ATERRAGEM – Sofreu alguns danos mas a tripulação saiu ilesa.


Jorge Trabulo Marques - Jornalista 

Dornier com capacidade para 40 passageiros, forçado a uma "aterragem de barriga" quando regressava da ilha do Príncipe, "com alguns passageiros" a bordo, sem causar vítimas  

A LUSA, ENTRETANTO, VEIO DAR OUTROS  DETALHES  QUE JUNTÁMOS À NOSSA INFORMAÇÃO
 

Valeu pois a perícia, experiência, a lucidez e a serenidade evidenciada pelo comandante Tó Trindade, natural de S. Tomé




A informação está circulando pelas redes sociais, mostrando a imagem noturna no local, onde a aeronave acabou por ficar imobilizada, Inicialmente com escassos pormenores, dado o registo fotográfico ter sido obtido por detrás de uma rede de proteção da pista mas a que agora aqui lhe mostramos - de  Octávio Bandeira - já dá uma visão, mais detalhada, do estado em que ficou a aeronave, afocinhado sobre a  a espuma  de rebentação marítima, na ponta da pista voltada a sueste, com a Baía Ana de Chaves, ao fundo, que terá sido certamente o que o comandante procurou fazer para evitar o incêndio da mesma

Pilotada por Tó Trindade 
(filho do antigo piloto Trindade), a o co-piloto Mario Macedo e um Engenheiro Venezuelano

É  referido que "o avião teve dificuldades de aterragem tendo o piloto feito uma aterragem forçada de barriga depois de esgotarem o depósito de combustível para evitar danos maiores.

Felizmente não houve mortes nem feridos a registar.

O aparelho sofreu alguns danos no trem da roda"




ENTRETANTO, APÓS O NOSSO POST,   A LUSA VEIO DAR MAIS DETALHES - QUE TOMAMOS A LIBERDADE DE REPRODUZIR
Avião de passageiros faz aterragem forçada no aeroporto de São Tomé

Um avião de marca Dornier com capacidade para 40 passageiros fez hoje uma "aterragem forçada" quando regressava da ilha do Príncipe, em São Tomé, "com alguns passageiros" a bordo, sem causar vítimas, disse à Lusa fonte aeroportuária.



"O aparelho fez uma aterragem forçada na cabeça da pista e, por causa disso, sofreu ligeiros danos no trem de aterragem, nada mais do que isso, está tudo bem", disse a fonte, recusando-se a dar mais pormenores.

Entre os passageiros estavam três membros da tripulação, sendo dois são-tomenses, piloto e o copiloto, e um engenheiro de bordo, de nacionalidade venezuelana, segundo fontes aeronáuticas.

Do acidente não resultaram feridos.

Este é o segundo acidente que acontece na cabeça pista do aeroporto de São Tomé em menos de um ano.

Em finais de julho, um Antonov 74 de fabrico russo saiu da pista, quando se preparava para levantar voo. O aparelho transportava equipamentos para a Agência Espacial Norte Americana (NASA).

A bordo estavam seis passageiros, cinco dos quais tiveram ferimentos e receberam tratamento no principal hospital do país.



De recordar que, em 29 de julho de 2017,  o avião cargueiro Antonov 74TK100 da companhia ucraniana Cavok Air, matrícula UR-CKC, despenhou-se pelas 11h00 locais (mesma hora UTC) , no Aeroporto Internacional de São Tomé, na ilha do mesmo nome, na República Democrática de São Tomé e Príncipe

O avião quebrou em duas partes e ficou muito danificado, conforme se podem ver nas imagens que publicamos. Contudo, os tripulantes sofreram apenas ferimentos ligeiros, tendo sido assistidos numa unidade hospitalar da ilha.

Poucos detalhes sobre as circunstâncias surgiram, mas o vice-ministro ucraniano da infra-estrutura Yuri Lavrenyuk diz que o acidente ocorreu durante a decolagem, devido a um ataque de pássaros no motor da direita" e  que . "todos os membros da equipe estão vivos, mas feridos"

O vice-ministro da Infra-estrutura da Ucrânia, Yuri Lavrenyuk, informou que o voo estava tentando a descolagem quando, de acordo com informações preliminares, o motor da mão direita colidiu com pássaros, a decolagem foi rejeitada, a aeronave passou pelo final da pista.



 

Nenhum comentário :