expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 4 de março de 2019

Equipa da RTP-África recebeu dinheiro do ex-primeiro Ministro, Patrice Trovoada, para “pagamento da Produção/Divulgação de um Spot Publicitário das Ações do XVI Governo Constitucional no Programa SOU CAPAZ da RTP-África” – Governo Português cooperou com milhões de euros, em diversos apoios a STP, cujo orçamento depende 98% da ajuda externa, como é que se explica que, um canal público, não tenha arranjado dinheiro para financiar uma reportagem nestas Ilhas? – Obviamente que a explicação é outra: a de chorudas benesses concedidas a quem o bajulasse.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e Análise -A Estação Pública Portuguesa, como Órgão de Comunicação Social do Estado Português, deve promover a isenção critica e evitar a informação sectária e instrumentalizada 


A governação do ex-primeiro-ministro de STP, Patrice Trovoada,  durante os quatro anos de legislatura, foi marcada  por um desgoverno de falsas aparências, em perdulários  esbanjamentos, em centenas de passeatas, em fabricar estatísticas falsas, em  manipulação de informação, num estendal de vaidades, em ocultar a dura realidade,  em fabricar promoções, quer no controlo absoluto dos órgãos de comunicação do Estado, imprensa, rádio e televisão, quer nos seus comissários fora do país, num permanente  faz de conta de que em fazer  alguma  coisa em prol do progresso económico, da justiça social e do bem-estar do povo.

Já há muito se sabia, que , Patrice Trovoada, usava a media portuguesa para se promover: pagando viagens aos seus promotores e, naturalmente, outras generosas benesses – Muitas das quais através de sacos desconhecidos.

O caso, que aqui vimos apontar,  é mais um dos muitos exemplos, de promoções pagas – Mas desta vez a ousadia teve formalismos oficiais.   

PIPA DE MASSA OFERTADA POR PINTA CABRA À RTP-ÁFRICA PARA PROMOÇÃO DO GOVERNO, PAGANDO SALÁRIOS DE FOME  NA TVS E NA DEMAIS ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 

A denúncia foi feita por  Octávio Bandeira, EM INFORMAR COM VERDADE, devidamente documentada, através de dois ofícios, que aqui reproduzimos,  dizendo que, Patrice Trovoada, além de ter gasto uma fortuna em viagens"  ( Sim, basta lembrar que, em 2015, Patrice só cá esteve 75 dias em 2015- Viagens custaram 1milhão e oitocentos mil euros .    ainda se deu ao luxo de pagar  luxuosas alcavalas a quem o promovesse 
Tendo lembrado, no post que editou, que, "enquanto a TVS a estação de televisão do Estado e a Radio Nacional, caiam aos pedaços, por falta de investimentos, o senhor Patrice Trovoada esbanjava o dinheiro do povo ao seu belo prazer.
De recordar que nem viaturas em condições a TVS Estação Televisiva tinha para resolver os problemas nas deslocações para suas reportagens .
Uma aberração sabendo que RTP África tem correspondente em STP enviando com frequência reportagens e não só para Portugal.
Veja a nota do pedido. Além de viagens pagas aos Jornalistas da RTP ÁFRICA.
Resta saber se a Jornalista kadidja Pinto Monteiro declarou estes valores ao fisco Português.
DE SEGUIDA O TEOR DE DOIS OFÍCIOS PARA CONSUMO INTERNO, QUE AGORA FORAM DESLINDADOS
ASSUNTO – Deslocação de uma equipa da RTP-África a S. Tomé e Príncipe para intercâmbio no âmbito do programa Sou Capaz



O Governo da República Democrática de $.Tomé e Príncipe, reconhecendo o papel relevante que os meios de comunicação social, em especial os audiovisuais desempenham na promoção  e transfonação dos valores sectores-económicos e culturais dos povos; 


Per este facto. a RTP-África tem levado aos telespectadores, um programa denominado SOU CAPAZ, cujo objetivo é a identificação dos problemas existentes nos países de expressão Portuguesa, realçando a possibilidade de solução através de ideias, experiências, incentivos e opo unidades em várias instituições que trabalham em prol do desenvolvimento sustentável; 


Considerando que o referido programa pode ser um veículo de transmissão e divulgação dalgumas ações do XVI Governo Constitucional, vimos propor à Vossa Excelência se digne autorizar a deslocação â S.Tomé e Príncipe, no espaço temporal de 2 (duas) semanas a partir de 10 de Junho próximo, de uma equipa da RTP-Afica composta pela Senhora Jornalista Kadidja Pinto Monteiro- realizadora do Programa SOU CAPAZ, coadjuvado pelo Senhor Rui Martins Barai 


Neste sentido, sirvo-me da presente para propor à Vossa Excelência o seguinte:

1 • Que se digne autorizar o pegamento dois bilhetes de Passagem aéreo, no valor de STD· 61.985.000,00 (Sessenta e Um Milhões   Novecentas  e Oitenta e Cinco Mil Dobras) de conformidade  a factura à Agência  Mistral Voyages. 

Assunto: Pagamento da Produção/Divulgação de um Spot Publicitário das Ações do XVI Governo Constitucional no Programa SOU CAPAZ da RTP-África.

EXCELÊNCIA

A equipa do Programa Sou Capaz da R,TP-África representada pela Jornalista Kadidja Pinto Monteiro esteve em S.Tomé e Príncipe de 24 de Junho a 08 de Julho de 2016, com objetivo de produzir e divulgar um spot publicitário das ações do XVI Governo Constitucional no Programa Sou Capaz da RTP-África.

Durante a sua estada, a equipa teve a oportunidade de entrevistar os Dirigentes do Governo Central, Poder Local e Regional. Representantes das Nações Unidas. Missões Diplomáticas. Sociedade Civil, Empresários, e outros, para obter conteúdos necessários à produção do Programa, 

Para o efeito, vimos solicitar a Vossa Excelência, se digne autorizar o pagamento de € 15.000,00 (Quinze Mil Euros) para a produção do programa e sua divulgação 1 vez/semana durante 6 (seis) meses de exibição e outros 6 de repetição.

É tudo quanto cumpre-me propor à Vossa Excelência que, no seu douto critério, melhor decidira.   

S. Tomé, 19 de Julho de 2016

STPtv - A FABRICADA ESTABILIDADE - COM A BOA POMADA  -  NA MEDIA LOCAL E EXTERNA  



NÃO NOS ENGANÁMOS N QUE DISSEMOS NO PASSADO DIA 21 DE ABRIL  – http://www.odisseiasnosmares.com/2018/04/sao-tome-divida-de-400-milhoes-economia.htm

ERA MAIS DO QUE PREVISÍVEL QUE ISTO IA ACONTECER: OMS anuncia redução de ajuda para STP”
A Diretora Regional da OMS,  Matshidiso Moeti, na recente visita que efetuou a São Tomé, declarou no final de uma reunião  com a ministra da saúde Maria Trovoada e com o Primeiro Ministro Patrice Trovoada, que a OMS vai reduzir a ajuda para São Tomé e Príncipe. Tudo porque o país evoluiu e atingiu o patamar de “Desenvolvimento Médio”. «É um país que atingiu o nível de desenvolvimento médio. Isto significa que o apoio que vem dos doadores internacionais vai diminuir», assegurou Matshidiso Moeti. https://www.telanon.info/sociedade/2018/07/10/27375/oms-anuncia-reducao-de-ajuda-para-stp/

RDP E RTP - ÁFRICA - O CÚMULO DA PROMOÇÃO A PATRICE TROVOADA, AO PONTO DO OPINADOR-MOR, ABÍLIO NETO, TER CONSIDERADO JORGE BOM JESUS, COMO UM CANDIDATO FRACO"UMA LIDERANÇA DÉBIL : E, mais de que um MLSTP, novo,  demasiado novo”

Abílio Neto, habitual - opinador da RDP e RTP-África, no “debate africano”, ao mesmo tempo  o comissário-mor  na TVS e STP-PRESS  do governo de  Patrice Emery Trovoada, manifestou o seu incómodo pelo facto do Manuel Pinto da Costa, ter recebido grande aclamação, no Congresso  que elegeu o novo líder do partido fundador da pátria santomense: 

Entendeu o distinto escriba-comunicador, que a receção prestada ao líder histórico do MLSTP-PSD, que ali foi aclamado de forma apoteótica,  revelou uma nova liderança débil -  Tendo dito o sagaz comentador-comissário que  “devia começar forte e impositiva”, insinuando que, Pinto da Costa, “centralizou e monopolizou a dinâmica do congresso”, "depois há aqui outra coisa”  - voltando-se para o moderador: as imagens são brutais! As imagens têm um impacto brutal na mente das pessoas”…  a verdade é que houve uma entrada apoteótica…  e, num momento, em que a apoteose, devia ser de quem está a entrar ; não gostei dessa apoteose …. E, mais de que um MLSTP, novo,  demasiado novo”

APRESENTAÇÃO DA BIOGRAFIA DE PATRICE TROVOADA - COM A MAÇONARIA EM PESO -  UMA DAS  VARIADÍSSIMAS CENAS DO  MARKETING  EM  PROMOÇÕES DE LUXO E CAMPANHAS FAUSTOSAS E FRAUDULENTAS A PINTA CABRA



ARTIGALHADA DE ENCOMENDADA  CASEIRA  E FORA DE CASA - PARA QUE ESTES FACTOS NÃO CAIAM NO ESQUECIMENTO - AQUI OS LEMBRAMOS

Sabemos que, José Ribeiro e Castro, dirigente centrista,  já se confessou desiludido  com  as promoções que proporcionou a Patrice Trovoada, em todo o caso, foi um dos mais destacados promotores, quer na RTP-África, quer na imprensa

PÚBLICO  - “Não teríamos tanta corrupção se fizéssemos a reforma do sistema eleitoral” – Título de manchete   -  José Ribeiro e Castro considera urgente alterar a forma como se elegem os deputados para “devolver cidadania” e representatividade ao sistema político. E não está sozinho. Uma iniciativa legislativa de cidadãos está a ser ponderada pelos subscritores do Manifesto Por Uma Democracia de Qualidade.

Há quatro  anos, um grupo de 44 personalidades de diferentes quadrantes da vida política, económica e social lançaram o Manifesto Por Uma Democracia de Qualidadeque apontava para reformas consideradas prioritárias no sistema político em Portugal. Entre os seubscritores estão nomes como Luís Campos e Cunha (Sedes), Henrique Neto, Mira Amaral, José Manuel Roquette, Henrique Gomes, Pedro Sena da Silva, Patrick Monteiro de Barros ou José Ribeiro e Castro. Desde então, o tema deu origem a um livro, a uma associação e artigos de opinião semanais de vários dos subscritores. Agora já pensam numa iniciativa legislativa de cidadãos com vista à reforma do sistema eleitoral. Ribeiro e Castro explica o sistema misto proporcional personalizado que defendem. “Não teríamos tanta corrupção se fizéssemos a reforma do sistema eleitoral”




O QUE LEVA, JOSÉ RIBEIRO E CASTRO, A  CONTINUAR A  DESEMPENHAR O PAPEL  DE  CAVALO DE TRÓIA, DE PATRICE TROVOADA, LÍDER DA ADI E ATUAL PRIMEIRO-MINISTRO?  

AS BANHADAS NÃO AS FAZ O PATRICE - Diz o Ribeiro e Castro - "Depois há aquele fenómeno do banho, desagradável, que as autoridades têm combatido, mas que, aparentemente, não teve efeito nos resultados, tudo indica; até, se tiveram foi ao contrário de que aqueles que o promoveram e, o povo santomense, deu uma enorme demonstração de civismo"

OPINIÃO  - Ribeiro e Castro - S. Tomé e Príncipe: mudança e estabilidade  -São Tomé espera por nós e bem merece a nossa ajuda, compreensão e apoio, no quadro importantíssimo da região do Golfo. 6 de agosto de 2016,

Amanhã, 7 de Agosto, Evaristo Carvalho deverá ser eleito Presidente da República de São Tomé e Príncipe. É a consolidação de uma mudança de ciclo, facto da maior relevância a que as autoridades portuguesas deverão dar o melhor acolhimento e destaque. Evaristo Carvalho não é novato nestas andanças, mas um dos mais experientes políticos são-tomenses. Começou com Miguel Trovoada, um dos dois grandes nomes históricos da política do país. E seguiu longa e dedicada carreira: deputado, ministro, duas vezes primeiro-ministro, Presidente da Assembleia Nacional. – Excerto de https://www.publico.pt/2016/08/06/mundo/noticia/sao-tome-e-principe-mudanca-e-estabilidade-1740452





Publicado a 17/10/2014 -Um grupo de deputados portugueses esteve recentemente em São Tomé e Príncipe para acompanhar o líder da ADI, Patrice Trovoada, no seu regresso ao país, após dois anos de ausência por razões politicas.

Uma visita que não foi vista com bons olhos pelas autoridades de São Tomé e Príncipe, ao ponto de serem acusados pelo próprio Presidente da República, Manuel Pinto da Costa, de ingerência nos assuntos internos do país. 

“Como políticos sem escrúpulos em Portugal se prestam a trabalhos de spin doctors para governantes africanos duvidosos “ –  Titulo de um artigo de Alberto Castro, publicado a 23 de Outubro de 2014, em  Vitrina
Como políticos sem escrúpulos em Portugal se prestam a trabalhos de spin doctors para governantes africanos duvidosos

Alberto Castro*, Londres
Um artigo de opinião de José Ribeiro e Castro na edição online do diário luso ''Público'' no passado dia 10 de Outubro, vésperas de eleições em São Tomé e Príncipe, com o título ''São Tomé, à porta do futuro'' exemplifica bem a prática de legitimar e promover a imagem de governantes africanos duvidosos. Comum na política ocidental, o trabalho de spin doctor (especialista em relações públicas e comunicação política capaz de manipular a opinião pública) tornou-se numa grande fonte de rendimentos para vários políticos e também jornalistas, autênticos mercenários de cifrões guiados por cinismos e hipocrisias a que convenientemente chamam realpolitik, por eles feitas no seu pior sentido: o da política sem ética.

(…) Ribeiro e Castro foi um dos quatro políticos portugueses que, fora do quadro de observadores da UE e da CPLP, acompanhou Patrice Trovoada, o candidato que volta ao cargo de primeiro-ministro em São Tomé e Príncipe numa altura de plena campanha eleitoral. De acordo com o África Monitor, AM, a presença de quatro deputados portugueses, entre eles Ribeiro e Castro, na comitiva de regresso de Trovoada à STP, teve como propósito o tentar dissuadir, por meio de sua presença, eventuais ''procedimentos'' das autoridades contra o ex-novo primeiro-ministro. Os referidos ''procedimentos'' relacionam-se com suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais que pesam contra o dirigente santomense enquanto primeiro-ministro numa anterior legislatura.
Curioso é que a viagem em jatinho particular (a noticia não informa quem a custeou) teve escala em Luanda onde Trovada se encontrou, segundo a AM, com figuras fortes do regime como o vice-presidente Manuel Vicente e o tido como todo poderoso ministro de Estado e chefe da Casa Militar da Presidência da República, general Hélder Vieira Dias ''Kopelipa'', com o objetivo de vincar a importância que atribui a Angola como parceiro." - 


JOSÉ RIBEIRO E CASTRO 10/10/2014 - 03:25 É importante que as eleições sejam um virar de página, gerando uma maioria estável e duradoura e um novo clima de relação entre as principais forças e actores políticos.São Tomé, à porta do futuro - PÚBLICO

MERCENÁRIOS SEM ESCRÚPULOS E SEM VERGONHA 

É simplesmente vergonhoso, que, um destacado militante do Partido do Centro Democrático Social (CDS-PP) de que também já foi seu dirigente, entre outras altas funções que  tem desempenhado na atividade partidária, governativa e na  comunicação social,  não tenha o mínimo de decência, decorro e respeito, para com a figura,  ainda em exercício, mais representativa da Nação Santomense, e use a sua página pública, do facebook para exprimir palavras de um pretenso humor, sem piada e mau gosto, que não sejam movidas por manifestos sentimentos de ódio  e de rancor, nestes termos:


É, não é, é, não é, é, não é...É uma pena ver um antigo Presidente da República (ainda o actual) e uma antiga primeira-ministra a alimentarem, de modo deliberado, a confusão contra as instituições democráticas do país.” :
O Povo de S. Tomé e Príncipe, sofreu muito ao longo de séculos - Pelos vistos, há gente que desconhece essa memória e que tem saudades de antigamente, juntando-se aos novos neocolonialistas e seus propagandistas, disfarçados de Messias - Veja-se este documento dos anos 50, que defendia à entrada da Piscina Municipal, uma tabuleta para vedar a entrada a negros e até a alguns brancos http://www.odisseiasnosmares.com/2015/01/sao-tome-39-anos-depois-memoria.html


Patrice Trovoada, o censor-mor da inquisição politica e religiosa em S. Tomé e Príncipe, não é digno de continuar a desempenhar o alto cargo de Primeiro-Ministro, nestas Ilhas Abençoadas pela Mãe-Natureza – É um perigo  para  a evolução do pensamento democrático, o controlador e castrador do pluralismo dos órgãos de comunicação social e da livre expressão consagrada  na Declaração Universal dos Direitos Humanos –

 O dirigente corrupto e corruptor, que se recusa a prestar contas  do destino  dos milhões de  fundos que o Governo recebe da comunidade internacional mas que depois se desconhece como e onde  são  aplicados. O dirigente  que passa a maior parte da Governação fora do pais, em viagens de costas voltadas às dificuldades e aos problema reais da sacrificada população, envolvendo avultadas despesas e, mais das vezes, sem se saber, em concreto, com propósitos ou finalidades – Em 2015 só esteve no país 75 dias que custaram perto de 2 milhões de euros -.Patrice só cá esteve 75 dias em 2015-1 , em 2016, também pouco mais tempo esteve – E, em 2017, vai pelo mesmo caminho
 O assumido e deliberado fomentador da intriga e da calúnia, fazendo acusações levianas, que não justifica e se recusa depois a provar. Sim, o apóstolo da intolerância para uma saudável convivência  politica e cívica e religiosa, que não nasceu em S. Tomé nem nunca aqui fez questão de criar  laços afetivos, quer desde quando aqui veio, já adulto, quer mesmo com as suas ligações politicas e governativas. 

MORDAÇA DO DITADOR  À RADIO JUBILAR - VOZ DA IGREJA CATÓLICA EM S. TOMÉ E PRÍNCIPE

LUSA - 20-08-2017 "O realizador Waldiner Boa Morte e apresentador do `Resenha da Semana´, programa de maior audiência da emissora católica são-tomense (Rádio Jubilar), acusou hoje o governo de ter feito várias pressões, obrigando-o a suspender o seu programa.

 20-08-2017 - Já não me sinto motivado para continuar a fazer o programa, tendo em conta um conjunto de situações e muita pressão. Sabemos que este programa não agradava o governo que desde há muito tempo tem pressionado sobretudo a igreja católica» para o fechar, disse o jornalista Waldiner Boa Morte. – Excerto  http://portocanal.sapo.pt/noticia/131094/

Sabendo das pedras que, Patrice Trovoada,  dispõe na rádio e na televisão estatal do seu pais, tal como sucede no estrangeiro, nos órgãos de comunicação social que se  confinam a difundir a propaganda governamental,  a chamada noticia positiva, estou certo que, a notícia, em epígrafe, divulgada pela Lusa e depois replicada por vários órgãos da Comunicação Social Portuguesa e outros - dificilmente teria dado o brado que deu.


O meu muito obrigado.
Car@s amig@s, comunico o fim do Programa Resenha da Semana na Rádio Jubilar( Todos os sábados), por razões pessoais. Um especial obrigado ao Liberato Mata Moniz que desde o primeiro momento aceitou caminhar junto comigo nesta maratona, e o resto da equipa, meu muito obrigado.
Foram 5 anos, momentos que simplesmente guardarei sempre, aos ouvintes deste programa, meu muito obrigado.


Abaixo-assinado – Divulgado pelo Téla Nón -  “O primeiro-ministro, Patrice Trovoada, determinou a extinção do programa ‘’Resenha da Semana’’, da Rádio Jubilar, Emissora Católica de São Tomé e Príncipe.
Acabaram-se os debates, acabou-se o exercício do contraditório no país.
Os são-tomenses vão aceitar, conformados, que se instale esse total vazio?
Os subscritores devem registar o nome, o número do BI e a profissão.

CARTA ABERTA DE CONCEIÇÃO DE DEUS LIMA A PATRICE TROVOADA  - Mais de que a denúncia  ao descarado mentor e protagonista, useiro e vezeiro a cercar a voz a quem não lha  faça o jogo, é o grito inconformado, consciente e amargurado de uma distinta cidadã santomense, também ela já alvo de outros saneamentos e machadadas pela arrogância do mesmo impostor, sim, que não se resigna ao aviltamento pela  prepotência e o arbítrio de um comerciante vaidosos e ambicioso,  que usa  a politica como alavanca promotora dos  seus das suas negociatas pessoais.
Conceição Lima, jornalista, poeta e escritora, que,  nas maravilhosas ilhas do equador é mais conhecida por São de Deus Lima creio que em resultado da  admiração, do carinho e da popularidade, que goza no seu país, é o nome mais traduzido da literatura são-tomense, nomeadamente nas línguas alemã, árabe, francesa, italiana,  galega, espanhola, inglesa, servo-croata, turca e shona - 

Carta Aberta a Patrice Trovoada
Senhor primeiro-ministro:
na irrevogável condição de cidadã são-tomense, venho afirmar a minha mais inequívoca indignação perante o fim do programa ‘’Resenha da Semana’’ da Rádio Jubilar, Emissora Católica de São Tomé e Príncipe.
A extinção, todos o sabem, teve, em Vossa Excelência, o mentor e o mandante primário.

Há cinco anos que o programa vinha sendo semanalmente apresentado pelo jornalista Waldyner Boa Morte, um profissional íntegro, cujos convites nunca haviam sido regateados por altos dirigentes  do actual partido no poder, enquanto opositores. Os rótulos de ‘’agente político’’ e de ‘’agente provocador’’ só saltaram para a praça pública quando o ADI regressou ao governo, trazendo de volta, como principal distintivo, uma implacável repressão da agenda informativa e noticiosa dos órgãos estatais de comunicação social. De canal pluralista e jornalista necessário, a Rádio Jubilar e Waldyner Boa Morte transformaram-se em instrumentos da oposição e “dos seus ocultos desígnios”. - Excerto de A subscritora: Conceição de Deus Lima








O Sr. Tem vários compromissos connosco!... O Sr. disse-nos que, depois do Senhor estar no poder – e nós apoiámos o Senhor para estar no poder – nos iria dar a parte dos negócios: aqueles negócios que nós poíamos fazer! E o Senhor não cumpriu!

O Sr. tem que lembrar… O plano do Sr. depois do Golpe de Estado era para assassinar o ex-presidente Fradique Menezes! … Às ordens do Sr.tem que lembrar que tem compromissos connosco a dizer para nós assassinarmos o Óscar de Sousa! – O que nós negámos



S. SÁO TOMÉ – (1) VIOLAÇÃO DA LEI ELEITORAL – A DESMONTAGEM DE GIGANTESCA FRAUDE NO DIA DO ESCRUTÍNIO – PATROCINADA PELO PODER GOVERNAMENTAL (video alargado, além de dois mais à frente - Um deles abreviado)

      Artigo 133.º Deveres dos Profissionais de Comunicação Social) Os profissionais de comunicação social que, no exercício das suas funções, se desloquem às assembleias de voto não podem: Colher imagens e aproximar-se das câmaras de voto de forma que possam comprometer o segredo de voto; Obter outros elementos de reportagem no interior da assembleia de voto ou no seu exterior até à distância de 500 metros que igualmente possam comprometer o segredo do voto; De qualquer outro modo perturbar o acto eleitoral.

AFINAL DONDE VIERAM AS MASSAROCAS?  Donde  vieram os milhares de  euros ou de dólares para se pagarem tais luxos? …. De generosos bolsos privados ou do esbanjamento de dinheiros públicos?  

- Pergunta que, naturalmente,  carecia de ser respondida, que então ficou sem resposta, e que, hoje mais de que nunca, se justificaria  ser dada, justamente, numa altura em que, na derradeira semana da  campanha eleitoral para a eleição do Presidente da Republica Democrática de São Tomé e Príncipe, com um único candidato na corrida, da confiança do Governo de  Patrice Trovoado, e ADI, partido que o apoia, com maioritária parlamentar, protagonizando uma campanha do candidato Evaristo de Carvalho, que, segundo declarações de Manuel Pinto da Costa,   foi clara e manifestamente conduzida pelo Primeiro-ministro e Chefe do Governo, tendo este subido ao palco por diversas vezes, apelando ao voto a favor do candidato do seu partido, chegando mesmo ao ponto de dizer que os elementos das outras candidaturas queriam derrubá-lo para assumir o seu lugar, no comício realizado na Região Autónoma de Príncipe.

Denuncia ainda o artigo de Alberto Castro - "Ora, qualquer observador minimamente atento à politica em Portugal e nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) sabe perfeitamente que Ribeiro e Castro sempre foi um apoiante aberto da UNITA de Jonas Savimbi e que, tal como o seu correligionário Paulo Portas, mudou completamente de opinião quando Savimbi desapareceu de cena e, com ele, provavelmente a fonte que sustentava o lobby em favor do movimento do Galo Negro em Lisboa. Passaram a tecer rasgados elogios ao governo angolano e ao presidente José Eduardo dos Santos, a quem Portas qualificou como ''um dos estadistas de África  mais respeitado e experimentado.''


(…) Com o cheiro a petróleo nas ilhas fica agora a suspeita de que não foi inocente a estratégia montada com a criação da STPtv, um projeto de televisão online da Companhia de Ideias, a principal produtora, via RTP África, de conteúdos para os países africanos lusófonos.  Oficialmente lançado em Novembro de 2013 e tendo as ilhas prodigiosas como foco principal, a STPtv conta na sua grelha de programação com um segmento semanal ancorado por Abílio Neto (analista e crítico feroz da política nas ilhas no programa ''Debate Africano'' da RDP África), tendo Patrice Trovoada como comentador residente. Ribeiro e Castro foi ele mesmo um dos convidados para falar das relações de Portugal com os PALOP. Acessando as emissões do canal durante o período de campanha eleitoral em STP, nota-se uma inequívoca cobertura do mesmo em apoio à candidatura da Acção Democrática Independente (ADI) de Patrice Trovoada. 

Esses desenvolvimentos mostram que são fundamentadas algumas das críticas mais viscerais que surgem das capitais africanas lusófonas apontando no sentido de Lisboa como um centro de conspirações por excelência contra os PALOP. E de grandes negociatas também, com empresários, políticos e advogados corruptos disputando sem escrúpulos a sua parte nas chorudas ''gorjetas'' proporcionadas por seus pares africanos não menos corruptos.




Artigo, esse, que começava com este reparo: “Um artigo de opinião de José Ribeiro e Castro na edição on line do diário luso ''Público'' no passado dia 10 de Outubro, vésperas de eleições em São Tomé e Príncipe, com o título ''São Tomé, à porta do futuro'' exemplifica bem a prática de legitimar e promover a imagem de governantes africanos duvidosos.
E acrescenta: “Ribeiro e Castro foi um dos quatro políticos portugueses que, fora do quadro de observadores da UE e da CPLP, acompanhou Patrice Trovoada, o candidato que volta ao cargo de primeiro-ministro em São Tomé e Príncipe numa altura de plena campanha eleitoral. De acordo com o África Monitor, AM, a presença de quatro deputados portugueses, entre eles Ribeiro e Castro, na comitiva de regresso de Trovoada à STP, teve como propósito o tentar dissuadir, por meio de sua presença, eventuais ''procedimentos'' das autoridades contra o ex-novo primeiro-ministro. Os referidos ''procedimentos'' relacionam-se com suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais que pesam contra o dirigente santomense enquanto primeiro-ministro numa anterior legislatura.

Nenhum comentário :