expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

domingo, 31 de março de 2019

Jorge Bom Jesus, com Li Keqiang, dois anos depois da visita de Patrice Trovoada a Pequim: - Em Junho, 2018, refreada a irmandade : Depois de abandonar Taiwan, os novos amigos, fazem-lhe um manguito: "A cautela chinesa refreia as ambições de São Tomé e Príncipe - As autoridades chinesas continuaram com cautela em relação aos investimentos em infra-estrutura no país insular, apesar dos esforços do governo para ver alguns projetos em andamento durante um ano eleitoral. .Depois de formar o seu Governo em dezembro de 2018, com o apoio da coligação MDFM / PCD / UDD, o primeiro ministro Jorge Bom Jesus (MLSTP-PSD) “varreu” os conselhos de administração das entidades estatais mais importantes " - Será mesmo este o melhor Caminho, num país, tão pobre e pequenino?

Jorge Trabulo Marques - Jornalista  -  RECEBIDO EM MIL SORRISOS COMO UM PRÍNCIPE POR AFASTAR A FORMOSA DE STP PARA UM ANO DEPOIS SER  MARGINALIZADO COMO UM MOLEQUE COLONIAL - Tiraram-lhe o tapete  - Forçando a sua derrota - Pormenores mais à frente.

Jorge Bom Jesus, seguindo os passos de Patrice Trovoada, ao encontrar-se com o seu homologo Chinês,  comprometeu-se, igualmente,  a defender a China Imperial:"o princípio de uma só China, que serve de base política às relações bilaterais, disse Li, aplaudindo a constante confiança política mútua e realizações notáveis ​​de cooperação pragmática em vários campos desde que os dois países retomaram a diplomacia diplomática. laços em 2016."

Não vou fazer comentários,  deixo apenas o texto das noticias, para cada leitor fazer o seu juízo: até porque,  vou concluindo que é um desperdício de tempo, pôr de lado outras questões, mais de natureza cultural e histórica, que foi para isso que criei este meu site,  que perder horas infindas com a politica, onde as diferenças ideológicas  não parecem ser tão substanciais quanto isso e,   o  compadrio, entre comadres e compadres ou primos e primas, é endémico, seja qual for o partido.

   Li Keqiang encontra-se com  PM de Sao Tome e Príncipe

O primeiro-ministro chinês Li Keqiang reúne-se com o primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe Jorge Bom Jesus, que participa da conferência anual do Fórum Boao para a Ásia, em Boao, província de Hainan, 27 de março de 2019. (Foto: Xinhua)


A China está pronta para trabalhar com São Tomé e Príncipe para levar sua parceria cooperativa abrangente a um novo patamar, disse o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, em Boao, na província de Hainan.

Os comentários foram feitos quando Li se encontrou com o primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Jorge Bom Jesus, que participa da conferência anual do Fórum Boao para Ásia.
A China aprecia que São Tomé e Príncipe defenda o princípio de uma só China, que serve de base política às relações bilaterais, disse Li, aplaudindo a constante confiança política mútua e realizações notáveis ​​de cooperação pragmática em vários campos desde que os dois países retomaram a diplomacia diplomática. laços em 2016. 
Li disse que a China está pronta para trabalhar com São Tomé e Príncipe para fortalecer os intercâmbios bilaterais e a cooperação e fornecer ajuda dentro de sua capacidade para apoiar a busca de desenvolvimento sustentável por São Tomé e Príncipe, a fim de alcançar resultados ganha-ganha.

O primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe disse que o seu país e a China são próximos como irmãos. A retomada das relações diplomáticas entre os dois países em 2016 injetou nova vitalidade nos laços bilaterais amigáveis. São Tomé e Príncipe apoia firmemente o princípio de uma só China e está disposto a aprender com a experiência de desenvolvimento da China.

Ele disse que as empresas chinesas são bem-vindas para investir em São Tomé e Príncipe e esperam fortalecer a cooperação com a China em áreas como pesca, turismo e infraestrutura.
 http://www.globaltimes.cn/content/1143717.shtml


ENCONTRO COM PATRICE TROVOADA China pretende cooperação pragmática com São Tomé e Príncipe 13 Abril 2017

A China pretende adoptar um programa pragmático de cooperação com São Tomé e Príncipe a fim de abrir um novo capítulo no relacionamento bilateral, afirmou quarta-feira em Pequim o primeiro-ministro da China, escreveu a agência noticiosa Xinhua.

No decurso de conversações com o primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada, que quarta-feira iniciou uma visita oficial de sete dias à China, Li Keqiang disse que os países, quer sejam grandes ou pequenos, devem respeitar os interesses e as preocupações dos outros e manifestou a expectativa de que São Tomé e Príncipe apoie de forma resoluta o princípio de uma única China.

O primeiro-ministro chinês disse ainda que a China pretende aprofundar sinergias com São Tomé e Príncipe ” a fim de abrir um novo capítulo no relacionamento bilateral que seja mutuamente benéfico.”


Os dois países assinaram acordos de cooperação económica e tecnológica, infra-estruturas e turismo, tendo a agricultura e pescas sido um sector igualmente identificado como sendo passível de cooperação bilateral.

Li Keqiang garantiu que a China irá criar oportunidades para que cidadãos de São Tomé e Príncipe possam estudar e receber formação profissional na China e mencionou igualmente o apoio que irá ser mantido com o envio de equipas médicas para o arquipélago.

Patrice Trovoada disse por seu turno que São Tomé e Príncipe olha com confiança para o futuro do relacionamento bilateral com a China e garantiu que vão ser criadas condições para que o investimento chinês no arquipélago possa vir a ser uma realidade.

A visita oficial de Patrice Trovoada à China surge alguns meses após São Tomé e Príncipe ter restabelecido as relações diplomáticas com a República Popular da China em detrimento de Taiwan.

Trovoada foi primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe de Fevereiro a Maio de 2008 e de 2010 a 2012, tendo iniciado essas funções pela terceira vez em Outubro de 2014, após o partido Acção Democrática Independente ter vencido as eleições parlamentares. (Macauhub) https://macauhub.com.mo/pt/2017/04/13/china-pretende-cooperacao-pragmatica-com-sao-tome-e-principe/

 GRANDE MANGUITO A QUEM TROCOU A DIPLOMACIA DA FORMOSA DE TAIWAN PELA DE PEQUIM - Confirma-se o que se vinha dizendo: que, ao mesmo tempo que se desfaziam em vénias e sorrisos com Patrice,  também o iam fazendo junto do líder histórico do MLSTP

"A cautela chinesa refreia as ambições de São Tomé - 24 de junho de 2018 - Mais de um ano depois de estabelecer laços diplomáticos entre a China e São Tomé e Príncipe, as autoridades chinesas continuaram com cautela em relação aos investimentos em infra-estrutura no país insular, apesar dos esforços do governo para ver alguns projetos em andamento durante um ano eleitoral. .


Quando o governo de Patrice Trovoada rompeu relações com Taiwan em dezembro de 2016, seu principal projeto era um grande porto de águas profundas. Esperava-se que o apoio financeiro e técnico de grandes empresas na República Popular da China estivesse por vir.

Como explicou à revista Macau em março de 2017, apesar do tamanho reduzido do mercado nacional, a lógica de investimento por trás de um projeto tão grande foi o transbordo para outros países da região muito populosa, como a Nigéria, a uma curta distância de São Paulo. Para mim.

Em dezembro de 2017, a Trovoada previa investimentos de US $ 200 milhões para o trabalho de expansão do aeroporto, além de US $ 800 milhões para o porto em águas profundas e US $ 100 milhões para modernizar a malha rodoviária.

Um acordo com a China foi assinado no mês seguinte, prevendo financiamento de US $ 148 milhões, abaixo da estimativa inicial do governo de São Tomé para o porto, e cancelamento de uma dívida de US $ 28 milhões ligada à construção de um centro de convenções. Também cobriu conselhos para planejamento e desenvolvimento econômico, estabilização macroeconômica e finanças públicas.

O financiamento a ser concedido pela China também considera fundos para apoiar a expansão do aeroporto de São Tomé (cerca de US $ 20 milhões), bem como outras infraestruturas.

Assinado em Pequim por Trovoada e seu colega chinês Li Keqiang, o acordo também prevê coordenação diplomática, assistência técnica em vários níveis e isenção de imposto de importação no mercado chinês para produtos originários de São Tomé e Príncipe.

Incentiva o sector privado chinês a investir no turismo e, especialmente, na construção de infra-estruturas turísticas, como hotéis e outros alojamentos, entre outras infra-estruturas, para ajudar a aumentar o número de turistas chineses que visitam o país.



O processo de cooperação começou de fato e algumas infraestruturas (estradas e prédios públicos) estão sendo restauradas com o apoio chinês, mas o principal projeto portuário em águas profundas está praticamente descartado devido à falta de condições técnicas e financeiras. Ainda não há perspectivas de começar a trabalhar para construir uma versão reduzida da infraestrutura.

Estudos técnicos preliminares indicam que navios grandes poderiam atracar se a água do cais tivesse de oito a nove metros de profundidade (a profundidade atual é de quatro a seis metros). Eles devem atualmente ancorar no mar e usar barcaças para descarregar.



No entanto, a conclusão ou lançamento de projetos semelhantes por outros países na região do Golfo da Guiné fez com que os parceiros externos (China e países ocidentais) tivessem reservas sobre a viabilidade da infraestrutura. Devido ao facto de a sua construção implicar um aumento exponencial da dívida pública de São Tomé.

As fontes consultadas indicam que o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial reservaram a possibilidade de financiar o projeto, enquanto a China expressou reservas.

A China Harbour Engineering Company (CHEC) está construindo um porto de águas profundas na Nigéria.

A viabilidade do porto de águas profundas também foi questionada em meio ao lançamento, por países vizinhos que possuem infra-estruturas tipo Panamax a serem concluídas em 2018-2019 (Kribi em Camarões, Badagri na Nigéria e Abidjan II na Costa do Marfim, entre outros).

Trovoada anunciou recentemente a intenção de substituir o porto de águas profundas por um porto comercial menor que inclui um cais de pesca estimado em cerca de US $ 70 milhões.



Fontes locais admitem que o financiamento do projeto vem da China. No entanto, em relação ao governo de São Tomé, funcionários diplomáticos e governamentais chineses indicaram que é improvável que tomem uma decisão no curto prazo.

De acordo com fontes do CLBrief, a diplomacia chinesa está aguardando cautelosamente as eleições de outubro, em um período marcado por maior instabilidade política, econômica e até de segurança.

Analistas locais também enfatizam a existência de alguma desconfiança entre a diplomacia chinesa e o governo de São Tomé, governado pelo partido ADI. Foi durante a presidência de Miguel Trovoada, pai do atual líder, que também foi seu assessor, que as relações diplomáticas foram cortadas com a China em 1997 e estabelecidas com Taiwan. Essa situação foi mantida até o final de 2016.



A China tem estado historicamente mais perto do MLSTP-PSD, agora o partido da oposição, e particularmente do líder histórico do partido, o antigo presidente Manuel Pinto da Costa.

Quando Pinto da Costa era presidente no final de 2013, dirigiu a ministra das Relações Exteriores, Natália Umbelina, do governo então liderado por Gabriel Costa, para assinar um acordo para restabelecer os laços com a China através da Fundação Manuel Pinto da Costa.

As expectativas do primeiro-ministro Patrice Trovoada e sua comitiva imediata de impulsionar a economia e, assim, beneficiar a imagem do governo antes das eleições de 2018, devido ao acesso ao financiamento para lançar projetos de infraestrutura por meio de acordos de cooperação com a China, foram frustradas por demandas de medidas de austeridade pelos principais parceiros internacionais, particularmente o FMI.

Apesar do crescimento econômico, o governo foi forçado a adotar medidas de austeridade em 2017 depois de enfrentar o escorregamento do déficit orçamentário e um nível de endividamento que se aproximava de 100% do PIB.

O governo está agora a procurar aceder a fundos do Fórum de Macau da ordem de 100 milhões de dólares e nomeou um jovem funcionário do Ministério das Finanças, Gualter Vera Cruz, como seu representante no Fórum.

2017-04-19 - NOTOU ALGUMA DIFERENÇA, DOIS ANOS DEPOIS?  2017/04 República Popular da China vai disponibilizar a São Tomé e Príncipe “verbas importantes” ao longo dos próximos cinco anos, anunciou o primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada, em entrevista à televisão do país, a TVS.
Trovoada sublinhou tratar-se de “um montante bastante importante que demonstra a vontade da China em cooperar” no processo de desenvolvimento do arquipélago e adiantou que a ajuda pode ser desagregada em donativos, apoio ao Orçamento de Estado e perdão “da dívida antiga que nós tínhamos para com a China.”

O primeiro-ministro, citado pela agência noticiosa STP-Press, disse que além das infra-estruturas, como o porto em águas profundas, aeroporto, estradas, cidade administrativa e turismo, a cooperação com China vai ainda abranger as áreas da agricultura, pesca, questões ambientais, segurança marítima e formação de quadros.

Além do Acordo Geral de Cooperação assinado na passada quarta-feira em Pequim, Patrice Trovoada referiu-se ainda a promessas do governo da China de apoio ao executivo são-tomense e a empresas privadas na obtenção de créditos junto de instituições financeiras chinesas.
“Esta nova era de cooperação com a China visa transformar São Tomé e Príncipe e o compromisso entre as partes é que pelo menos um grande projecto possa ter início ainda este ano”, concluiu.
São Tomé e Príncipe e a República Popular da China restabeleceram relações diplomáticas em Dezembro de 2016 na sequência de corte de relações com Taiwan. (Macauhub)

19/02/2019 - Novo governo significa nova liderança para empresas e agências estatais em São Tomé e Príncipe

Mantendo a tradição política de que um novo Governo em São Tomé e Príncipe substitui a liderança de empresas e agências estatais, o executivo do MLSTP-PSD, que substituiu o de Patrice Trovoada, instalou rapidamente executivos da sua confiança e, em muitos casos, políticos família.

Depois de formar o seu Governo em dezembro de 2018, com o apoio da coligação MDFM / PCD / UDD, o primeiro ministro Jorge Bom Jesus (MLSTP-PSD) “varreu” os conselhos de administração das entidades estatais mais importantes, incluindo as do National Instituto de Aviação Civil (INAC) e Agência Geral de Regulação (AGER), bem como a Agência Nacional de Petróleo (ANP), onde Olegário Tiny substituiu Orlando Pontes.


A primeira onda de substituições, logo após a inauguração do novo governo, alcançou a cobiçada, apesar de deficitária, empresas estatais, a saber: Empresa de Água e Eletricidade (EMAE), Empresa de Navegação Aérea (ENASA) e Administração de Aeroportos e Portos. Empresa (ENAPORT).

A substituição do governador do banco central (BCSTP) Hélio Almeida por Américo Barros, um dos vice-presidentes do MLSTP-PSD, gerou uma disputa com o presidente Evaristo de Carvalho (CE), que atrasou a promulgação da resolução do governo (veto implícito ).


O governo reagiu publicando uma resolução que nomeou e inaugurou o novo governador, e a equipe de administradores foi posteriormente investida, levando o presidente a acusar o governo de usurpar seus poderes, evitando assim as reações já tensas com o presidente, eleito com o apoio de ADI.

Embora muitos dos membros do conselho tenham sido removidos pertenciam ao ADI, o partido de Patrice Trovoada que perdeu as eleições de 2018, muitos dos que agora são indicados são militantes, simpatizantes ou figuras ligadas aos partidos que compõem a nova maioria.

A mídia pública foi um dos setores que a oposição acredita estar mais sob controle de Patrice Trovoada, e o novo diretor da Rádio Nacional (RNSTP), Silvério Amorim, é um militante do MLSTP-PSD.

Além das substituições nas primeiras posições, as nomeações estão ocorrendo nos níveis departamental e inferior.


O novo presidente da Assembléia Nacional, Delfim Neves, surpreendeu ao manter a equipe de seu antecessor José Diogo, incluindo o secretário pessoal e chefe de imprensa Swaílis Dendê, muito próximo do ex-primeiro-ministro e mestre de cerimônias em seus comícios de campanha.

A administração pública é a principal fonte de emprego no arquipélago e as nomeações nesta esfera representam frequentemente uma forma de recompensar a lealdade partidária e o compromisso nas campanhas eleitorais.

A mais recente distribuição de cargos tem sido criticada por militantes da ADI, mas Trovoada foi um dos principais promotores da realidade da distribuição de cargos públicos por líderes partidários e militantes.


Os governos de Trovoada também introduziram práticas anteriormente não observadas, como a exigência de um cartão militante de um candidato para uma função de administração pública, inclusive no nível mais básico.

O número de quadros do serviço público é desproporcional à população do arquipélago, e as posições de liderança são relativamente poucas para alta demanda, levando cada novo governo a remover funcionários anteriormente colocados por outros partidos.

Em seu discurso sobre o Estado da Nação, Bom Jesus anunciou que a Administração Pública conta atualmente com cerca de 11.000 pessoas. Em 2014, quando o governo de Gabriel Costa cessou funções, o número de funcionários públicos era de cerca de 6.000.

A situação de clientelismo político está na falta de um setor privado capaz de gerar oportunidades de emprego, bem como de uma efetiva diversificação da economia.

O MLSTP-PSD, partido de independência de São Tomé e Príncipe, tem laços históricos estreitos com o Partido Comunista da China.

A cena política de São Tomé e Príncipe, o mais jovem membro do Fórum de Macau, foi determinada essencialmente por duas famílias políticas, muitas vezes em contradição - a do antigo presidente e líder histórico do MLSTP-PSD Manuel Pinto da Costa, um aliado próximo da China, e a do pai de Patrice, Miguel Trovoada, ambos os quais estavam por trás da criação de um novo partido, a ADI.

Foi durante a presidência de Miguel Trovoada - e enquanto Patrice foi conselheiro do presidente - que os laços diplomáticos com a República Popular da China foram cortados (em 1997) e estabelecidos com Taiwan, uma situação que durou até o final de 2016.

Prefeito de Xangai, Ying Yong, e Jorge Bom Jesus,
Novamente sob a influência direta de Patrice, os laços com a China foram restabelecidos em 2017, mas, de acordo com nossas fontes em São Tomé, a relação entre o ex-primeiro ministro e a diplomacia chinesa era de baixa confiança.

O resultado eleitoral positivo alcançado pelo MLSTP-PSD foi mais de deméritos da ADI e menos de seus próprios méritos: o clima de insatisfação popular marcado por restrições cada vez mais severas ao fornecimento de energia, mas também pela escassez de commodities (arroz) no mercado, também desfavorecida A ADI e o governo - geralmente considerados responsáveis.

A decisão do governo de Patrice de restaurar as relações diplomáticas com a China foi tomada sob pressão pela difícil situação econômica e financeira do país, fato reconhecido pelo próprio Patrice Trovoada.


Em 2017, Patrice esperava impulsionar a economia com o apoio financeiro chinês para o lançamento de projetos de infra-estrutura, investimentos de US $ 200 milhões para expansão de aeroportos, US $ 800 milhões adicionais para o porto de águas profundas e US $ 100 milhões para reabilitar a rede viária.

Mas essas expectativas foram frustradas logo após a assinatura do acordo de cooperação com a República Popular da China em abril de 2017, com uma abordagem chinesa mais cautelosa do que a esperada, em relação às aspirações iniciais do governo.

Segundo Osvaldo Abreu, o novo ministro de Obras Públicas e Infraestrutura, as negociações estão muito avançadas com as empresas chinesas para a construção de um porto comercial na região de Fernão Dias, em cooperação não só com a China, mas também com o Banco Mundial e o FMI .

Citado por Macauhub, Abreu disse que o projecto para o “porto comercial multifuncional” permite a incorporação de um componente de pesca, bem como comercial e contentores, e até mesmo a produção de energia.

Este novo tipo de infra-estrutura é, segundo Abreu, adaptável às realidades de São Tomé e ao seu posicionamento comercial na costa africana (CLBrief).

Nenhum comentário :