expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 1 de março de 2019

O adeus a Josefina Bargão, a ''Madame Secretária'' da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe - A outra dedicada figura santomense, que faleceu em Portugal

A VIDA NÃO É ETERNA - "A VIDA É CURTA, A ARTE É LONGA - VITA BREVIS, ARS LONGA" - Ficam na memória coletiva "aqueles que por obras valerosas Se vão da lei da morte libertando": - E, pelo que depreendo das palavras, da poeta e jornalista, Conceição Lima, é o exemplo legado de Josefina Bargão - Cujo adeus recorda com estas singelas mas expressivas palavras
O adeus a Josefina Bargão, a ''Madame Secretária'' da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, numa comovente homenagem na sede do parlamento. Josefina Bargão foi assistente de quase todos os presidentes da Assembleia Nacional. Quarenta e um anos de uma discreta, eficaz e permanente presença. Condolências sentidas ao Dudú e a toda a família. Descansa em paz, Fina.


SENTIDA HOMENAGEM PRESTADA PELA ASSEMBLEIA NACIONAL DE STP

Segundo noticiava, a agência (STP-Press), cujo texto e imagens aqui tomámos a liberdade editar,  "a  Assembleia Nacional (Parlamento) de São Tomé e Príncipe rendeu, há dias, na Cidade de São Tomé, uma homenagem a Josefina Bargão, uma funcionária da instituição que faleceu em Lisboa, Portugal.



A cerimónia decorreu no Salão Nobre do Palácio da Assembleia Nacional, segundo órgão de soberania do país, sob a presidência de Delfim Neves.

Josefina Bargão serviu como secretária vários líderes deste Órgão de Soberania, incluindo o actual líder, Delfim Neves que também prestou na última quarta-feira, diante de trabalhadores e diferentes funcionárias da Casa Parlamentar a devida homenagem.

A malograda, que tinha 60 anos, faleceu em Lisboa, capital de Portugal, onde Assembleia Nacional (Parlamento) lhe havia enviado na perspectiva de receber assistência médica que lhe prolongasse a vida que a morte lhe tirou.

E pela ironia do destino, foi igualmente nessa mesma cidade onde foi enterrada.

Em referência a ocorrência, Conceição Lima, a conhecida poetisa e escritora São-tomense aludiu ao assunto na sua conta nas redes sociais, considerando-a de “Madame Secretária” da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe.

Relativamente a homenagem, a Poetisa, pontuou que tratou-se de uma “comovente homenagem na sede do parlamento”.

Segundo ainda Lima, aJosefina Bargão foi assistente de quase todos os presidentes da Assembleia Nacional, Sustenta que com os seus 41 anos de exercício profissional foi bastante “discreta, eficaz e permanente presença. Condolências sentidas ao Dudú e a toda a família”.




Nenhum comentário :