expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 6 de março de 2019

Professor Luís de Albuquerque - As confissões que me fez - Uma das figuras mais notáveis da Cultura de Portugal - Nasceu a 6 de Março de 1917, Lisboa – Faleceu em 22 de Janeiro de 1992 - Entrevistei-o dois anos antes da sua morte. .


Jorge Trabulo Marques - Jornalista  - Há ainda outra parte da entrevista por editar 
 

As confissões que me fez, o distinto professor universitário de matemática e de engenharia geográfica e historiador dos descobrimentos portugueses. Uma referência à militância cívica e à idoneidade intelectual. Autor de uma extensa bibliografia, com mais de 200 trabalhos publicados nas áreas da matemática e da historiografia e  também um bom conversador, um homem culto e generoso, com um grande sentido de humor.

Se fosse vivo, hoje completaria 102 anos . Mas deixou-nos em 22 de Janeiro de 1992  - Recebeu-me em sua casa – Na qual me deu  o  prazer  a  honra  de me conceder uma  interessantíssima  entrevista,  cujo registo sonoro fui hoje recuperar   do meu vasto arquivo de repórter da  antiga Rádio Comercial-RDP e com a qual aqui desejo prestar o meu singelo tributo, nesta data, 

"Os  Portugueses foram, sem sombra de dúvida. Pioneiros, definiram uma das mais importantes viragens da história da humanidade. o mundo do conhecimento começou então a alargar-se a limites inimagináveis  e o da convivência a quebrar fronteiras pra chegar hoje a todo o  planeta em que vivemos: as transformações  então operadas foram irreversíveis” 

Sem incluir as actividades  dos Portugueses desse  tempo quaisquer excertos duvidosos  ou pouco credíveis, podemos dizer, com orgulho  que cada um por isso queira sentir  que eles foram os primeiros   e, sem dúvida, os principais artífices  de tal alteração. E, se quisermos descer ao pormenor , devemos então aludir à evolução da náutica, de uma arte que era para uma técnica, transformação que eles foram capazes  de realizar” – Escreve em “DÚVIDAS NA HISTÓRIA DOS DESCOBRIMENTOS PORTUGUESES
 
Os Descobrimentos Portugueses  Contribuíram Para o Conhecimento do Mundo


 
 
Dada a extensão da entrevista, a mesma foi dividida em duas partes  Neste vídeo, Luís de Albuquerque, falou-me da importância da viagem de Vasco da Gama à India, da chegada de Colombo à América, que considera ter sido descoberta  por um acaso, visto o objetivo de Espanha,  ser o de procurar a  via mais fácil e direta de atingir igualmente a Índia, sem ter que descer ao fundo do continente africano,

Tendo então sido nomeado, Presidente do Conselho cientifico  das Comemorações dos descobrimos, previstas para 1998, revelou-me algumas das intenções como se previa assinalar tão importante efeméride, que acabaria por decorrer  no Parque das Nações, construído propositadamente para  dar expressão a esse importantíssimo  evento
 
 DADOS BIOGRÁFICOS 
 
Luís Guilherme Mendonça de Albuquerque. Nasceu em Lisboa, em 06.03.1917. Licenciado em Ciências Matemáticas (1939) e em Engenharia Geográfica (1940) pela Universidade de Lisboa. Ingressa no corpo docente da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra em 1941, como assistente do 1.º grupo (Análise e Geometria) da 1.ª secção.

Aprovado por unanimidade no concurso para Professor de cadeiras e cursos anexos de Desenho na Faculdade de Ciências (provido em 11.01.1949).
Em 1959/1960 estuda Métodos Estocásticos na Universidade de Göttingen (Alemanha Federal) com uma bolsa do Instituto de Alta Cultura, seguindo os seminários do Professor Konrad Jacobs. No regresso à Faculdade é-lhe entregue a cadeira de Álgebra; virá a ser um dos impulsionadores da mais tarde chamada Escola Portuguesa de Álgebra Linear, que alcança grande prestígio internacional.

Em 1961 surge a Série de Separatas do Agrupamento de Estudos de Cartografia Antiga da Junta de Investigações do Ultramar (JIU), que é inaugurada pela Secção de Lisboa do Agrupamento com um trabalho de Teixeira da Mota, e pela de Coimbra com o seu estudo Os Almanaques Portugueses de Madrid.


Com a publicação de O Livro de Marinharia de André Pires, em 1963, é lançada a Série Memórias da JIU, fruto do trabalho desenvolvido nas duas  secções do AECA.
Aprovado no concurso para Professor Catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra (9 de julho de 1966).Exerce então as funções de Secretário da Faculdade de Ciências da sua Universidade até 1968, retomando-as no biénio de 1970-72.
Em 25 de Abril de 1968 foi nomeado Professor Catedrático em comissão de serviço na Universidade de Lourenço Marques (Estudos Gerais Universitários de Moçambique), situação em que se manteve até 1970.
Assume a presidência do Conselho Diretivo da Faculdade de Ciências de maio a setembro de 1974.
Em 1974-76 é Governador Civil do Distrito de Coimbra, único cargo de natureza política que ocupará alguma vez.
De 1976 a 1978 desempenha novamente as funções de Presidente do Conselho Diretivo da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, e desta última data a 1982 as de Vice-Reitor da Universidade.
Diretor da Biblioteca Geral da Universidade desde 1978 até à data da jubilação.
A partir de 1979 colaborou na criação da Escola Superior de Formação de Professores de Cabo Verde, onde profere vários ciclos de conferências sobre Matemática e História.
Nos anos letivos de 1980-81 a 1982-83 lecionou o seminário "História da Cultura Portuguesa - O Renascimento" na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Nos anos subsequentes lecionará outros cursos relativos à temática da sua especialização histórica nesta mesma Faculdade, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e na Universidade Autónoma de Lisboa.
Integra a Comissão Consultiva da XVII Exposição Europeia de Arte, Ciência e Cultura (que tem lugar em Lisboa no ano de 1983), dirigindo o núcleo dos Jerónimos desta Exposição e o respetivo catálogo.

Doutor Honoris Causa em História pela Universidade de Lisboa em 1985.

Em 1986 foi Diretor de Estudos Convidado na École des Hautes Études en Sciences Sociales da Sorbonne.
Em 1986 e 1987 publicam-se os dois volumes do Livro de Homenagem intitulado A Abertura do Mundo. Estudos de História dos Descobrimentos Europeus em Homenagem a Luís de Albuquerque.
Jubilação universitária em 1987. Profere a última lição na Universidade de Coimbra e são-lhe dedicadas diversas cerimónias de homenagem em Lisboa e Coimbra.

No ano seguinte é assinado com o Círculo de Leitores o contrato de edição do Dicionário de História dos Descobrimentos Portugueses, que todavia só será publicado como obra póstuma.
Com data de 1989 vem a público o maior projeto editorial que dirigiu: os seis volumes da obra coletiva Portugal no Mundo. Paralelamente publica-se a coleção Biblioteca da Expansão Portuguesa, cinquenta volumes com edições em versão atualizada de fontes, e reedição ou mesmo edição de trabalhos historiográficos sobre a História dos Descobrimentos e da Expansão. Planeia, dirige e coordena ambas as séries, tendo escrito para elas algumas dezenas de textos.
A 2 de junho de 1990 inaugura-se a Exposição "Portugal-Brasil. A Era dos Descobrimentos Atlânticos", na The New York Public Library. É um dos Curadores desta Exposição de grande impacto internacional, e colabora ativamente no Catálogo com a Introdução escrita em parceria com Max Justo Guedes, um ensaio, um apêndice, e a autoria de boa parte das 161 legendas de peças.
Em outubro de 1991 é hospitalizado em consequência de um acidente cardiovascular, de cujas sequelas não se recomporá. Morre em Lisboa, em 22.01.1992, no Hospital de Marinha. 




 ersidade de Coimbra, com a dissertação Sobre a Teoria da Aproximação Funcional.

Nenhum comentário :