expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 19 de abril de 2019

APOIO ÀS PESCAS – UM TESOURO À FLOR DO MAR - São Tomé e Príncipe e UE alcançam novo acordo de pesca para cinco anos avaliado em 7 milhões de euros – O petróleo está nos mais fundos abismos e tem encalhado em muitas falsas promessas para lá o irem extrair , que apenas tem engordado os bolsos de jogadores mas há que saber aproveitar a pesca e evitar a pirataria, seja disfarçada ou meia oficializada.



Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise

 

 Uma boa noticia para o desenvolvimento económico de STP, desde que salvaguarda a pesca tradicional e não seja esmagada pelos grandes "tubarões" pesqueiros - : 

Assim como um cais acostável para as empresas de pesca santomeses,   é importante desde que não sirva como plataforma para varrer a riqueza marítima envolvente e deixarem os tradicionais pescadores a resignarem-se à pesca do  peixe voador, sendo esse o seu único ganha-pão e quem ainda abastece o "povo piqueno" 

E há maus episódios, de barcos apreendidos que, impunemente, têm varrido estas águas por onde passam espécies migratórias, nomeadamente as baleias, tubarões e atuns, tão apetecíveis aos gostos orientais


03-09-2018  - São Tomé e Príncipe foi um dos países que se opuseram à criação de um santuário de baleias no Atlântico Sul, proposta apresentada e chumbada na 67.ª reunião da Internacional Baleeira (CIB) em Florianópolis, no Brasil.

Os países apoiaram o Japão na CIB, em acordo com as posições coordenadas através da Conferência Ministerial sobre a Cooperação no Domínio das Pescas entre os Estados Africanos https://www.plataformamedia.com/pt-pt/noticias/sociedade/interior/sao-tome-ao-lado-do-japao-contra-santuario-de-baleias-9842031.html
Semana Ilustrada - No período colonial - Revista angolana da qual era correspondente em STP

É  sabido, desde há muito tempo, que estes mares têm sido cobiçados sob várias formas: a pirataria no Golfo da Guiné, não se cinge apenas aos ataques à navegação


“ A Criação de legislação ainda é insuficiente para travar pirataria no Golfo da Guiné
Além da pirataria são desafios também a imigração e pesca ilegal e não reportada e problemas sérios do ambiente na região - De acordo com o secretário executivo adjunto da CGG, a cooperação entre os Estados da região do Golfo da Guiné é fundamental para a garantia de segurança naquela zona, mas “isso é o que geralmente não acontece https://observador.pt/2018/07/23/criacao-de-legislacao-ainda-e-insuficiente-para-travar-pirataria-no-golfo-da-guine/

BOA NOTICIA  - Mas não descurar a vigilância e deixar que sejam apenas os estrangeiros a fazer o que lhes apetecer


Refere a imprensa, que, os ataques de pirataria marítima mais do que duplicaram no Golfo da Guiné – Portugal tem participado, com outros países, com vista a treinar a operacionalidade entre os países africanos, europeus e americanos no combate à pirataria, ao narcotráfico e à pesca e migração ilegais. Com três navios, uma aeronave e 342 militares portugueses treinaram no Golfo da Guiné, entre os dias 21 e 28 de março, tendo em vista a promoção da segurança marítima global da região. https://www.emgfa.pt/pt/noticias/1167

Lusa18 Abr, 2019, 11:59 | Economia  A União Europeia e Governo são-tomense assinaram hoje um novo protocolo de parceria de cinco anos no domínio das pescas, avaliado em sete milhões de euros, disse o Ministro da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural, Francisco Ramos.
Este é o acordo possível, esta foi a quarta ronda negocial em que houve consenso de ambas as partes", disse Francisco Ramos que se manifestou "satisfeito" com os termos do protocolo.
O acordo no domínio das pescas entre São Tomé e a UE estava suspenso há mais de um ano por falta de entendimento com o governo do ex-primeiro-ministro, Patrice Trovoada sobre determinadas áreas.
Ao abrigo deste novo protocolo, cujo acordo final será assinado dentro dos próximos dois meses em Bruxelas, 34 embarcações da União Europeia, particularmente da Espanha e de Portugal estão autorizadas a pescar nas águas sob jurisdição são-tomense, 28 cargueiros e seis palangreiros, um tipo de pesca com anzóis.
"Conseguimos alguns ganhos, sendo que, pela primeira vez a União Europeia aceitou que 44 marinheiros do nosso país permaneçam, como observadores nos seus navios de pesca, durante os cinco anos de vigência do acordo", disse o ministro.
O governo dá-se por satisfeito por alcançar este acordo com a União Europeia que vai passar a pagar todos os anos a quantia de 1,4 milhões de euros, durante os próximos cinco anos.
Francisco Ramos referiu-se ainda sobre vários outros benefícios que constam do documento hoje assinado, tais como a elevação de 710 mil euros para 960 mil por ano, como contribuição da UE para a captura do pescado nos mares do arquipélago, bem como o aumento do apoio ao setor de pescas de 325 mil euros por ano, para 440 mil euros.
A delegação da União Europeia chefiada por Emmanuel Berck, que se deslocou a São Tomé e Príncipe para negociar o novo protocolo com as autoridades, foi recebida em audiência pelo primeiro-ministro e chefe do governo Jorge Bom Jesus.
Emmanuel Berck garantiu aos jornalistas, à saída do encontro, que a reativação deste acordo de pesca, "é importante porque vai permitir retomar o diálogo, ter uma nova atividade de pesca em São Tomé e continuar a apoiar os esforços das autoridades do país para fazerem uma gestão de pescas durável, sustentável e desenvolver o setor  https://www.rtp.pt/noticias/economia/sao-tome-e-principe-e-ue-alcancam-novo-acordo-de-pesca-para-cinco-anos-avaliado-em-7-milhoes-de-euros_n1142225


BARCO AFUNDADO PARA OCULTAR CONTRABANDO



O navio pesqueiro Thunder, que, aparentemente tinha naufragado de forma estranha, afinal, foi mesmo deliberadamente afundado pelo comandante, após uma perseguição de 110 dias, com uma carga de peixe ilegal nos interior dos porões - Mais pormenores neste site em 09/04/2015 Navio Pirata Thunder afundado ao som de c... - odisseias nos mares e ...

O COMANDANTE DO PETROLEIRO DISSE  QUE SABIA QUEM LHE HAVIA  DADO  AUTORIZAÇÃO ...MAS NÃO QUIS FAZER A REVELAÇÃO NO TRIBUNAL   - E POR QUE RAZÃO ESCONDEU A VERDADE? ...

Nessa altura, Patrice Trovoada, encontrava-se ausente do pais, devido ao seu afastamento politico, o que certamente  não impediria de movimentar as suas influencias e cordelinhos nas ilhas, como, aliás, se provou com a sua reeleição por maioria absoluta 
Durante o julgamento o comandante do Barco afirmou que tinha autorização de uma alta entidade nacional para fazer transbordo de combustível na nossa ZEE. O Juiz insistiu que dissesse o nome dessa entidade, mas ele recusou – Por sua vez, o Sargento da marinha que comandou a lancha na operação, testemunha ocular dos facto, quando chegou a sua vez de falar, não disse nada, ao ponto do Advogado  Posser ter que berrar com ele porque era a peça chave como testemunha, mas não disse quase nada. Conclui-se ai que havia trabalho nos  bastidores e silêncio absoluto -




HÁ IMAGENS QUE VALEM POR MIL PALAVRAS- Desde navios que desaparecem sem dar rasto, a outros que acabam encalhado nas areias e abandonados,  não obstante terem custado milhões 

O NAVIO SANTO ANTÓNIO, COM OITO TRIPULANTES A BORDO - Desaparecido sem deixar rasto A embarcação, que fazia a ligação de  S. Tomé ao Príncipe, levava consigo 8 tripulantes e transportava cerca de 87 toneladas de carga diversa, com destaque para bidões de combustíveis  Mais um navio desaparece na ligação entre São Tomé e Príncipe ..

-TUDO NÃO PASSOU DE UM VENDAVAL - Onde se meteu o foguetório  empresa, Geo-Pesca, em Neves?  A tal que garantia 40 postos de trabalho e milhares de toneladas de pescado?!...  ASSUNTO ESQUECIDO ASSUNTO  ARRUMADO - Para quem se desfaz de  milhões, como quem joga a feijões, a constatação destas jogadas são ações perfeitamente normais 

"Pesca semi-industrial começa a dinamizar economia na cidade de Neves  14 Mai 2013  -(..)Desde Abril último que 3 barcos da Geopesca, entraram em acção. Cada um captura cerca de 3 toneladas de pescado por semana


(…)Os barcos de pesca garantem directamente mais de 40 postos de emprego, sobretudo marinheiros. Homens que deambulavam em Neves, sem hipóteses de ganhar sustento para a família. Como José Casemiro, que enalteceu a iniciativa do Estado e do grupo privado, pela oportunidade de emprego que lhe permite colocar comida na mesa para a sua família. Por sua vez João Madaleno, enquanto representante da Geopesca, fez saber que o crescimento da actividade do grupo, vai implicar que o número de postos de emprego duplique.. Pesca semi-industrial começa a dinamizar economia na cidade de

Imagem  - Jornal Téla Nón
PROMESSAS FALACIOSAS  -  em 11/03/201311 - Um grupo luso/angolano vai investir cerca de quatro milhões de Euros num projecto de pesca sim -industrial em S.Tomé e Príncipe. De acordo com a televisão pública local (TVS), citando Victor Madaleno, o grupo que já dispõe de três barcos apropriado no arquipélago prontos para iniciar a faina piscatória, viabiliza com este projecto seis dezenas de postos directos de emprego para santomenses. http://www.scoop.it/t/sao-tome-e-principe/p/3998183360/2013/03/11/geo-pesca-vai-investir-4m-us-em-sao-tome-e-principe Desde Abril último que 3 barcos da Geopesca, entraram em acção -João Madaleno, administrador da empresa luso-angolana, confirma que o mar de São Tomé e Príncipe tem enorme riqueza.. Pesca semi-industrial começa a dinamizar economia na cidade de ...

EMPRESÁRIOS, SEM ESCRÚPULOS, TRAVESTIDOS DE POLÍTICOS: DE GOLPADA EM GOLPADA

S. Tomé - Neves - Agro-Pesca -14-05-2013 - Foto - Téla-Nón

Empresa madeirense desfez-se de três barcos, de pesca de peixe-espada preto ‘Pico Alto’, ‘Pico Dourado’ e ‘Pico Douro’através de alegado fretamento - Um dos quais já havia recebido vários milhões de euros de apoios comunitários  



Não pagaram os barcos, serviram-se deles a seu belo prazer para depois um deles o adaptarem a transporte de carga para destinos desconhecidos,
e, por fim, o deixarem afundado à entrada da Baía, carregado de arroz - Os outros dois, presume-se  que terão ido para Angola ou sido afundados em águas mais profundas Empresa Luso-Angolana pretende desenvolver a Pesca em São ..

Nenhum comentário :