expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 26 de abril de 2019

S. TOMÉ E PRÍNCIPE - NAUFRÁGIO DO AMFITRITI – Foram retomadas as buscas - Subiu para 8 o número de mortos - Quis Deus, um feliz acaso de sorte que a tripulação do barco Abjam, se apercebesse das balsas de salva vidas à deriva: de outro modo talvez não tivessem sobrevivido 55 pessoa que boiavam a espera de salvação. Hoje mesmo, na abertura do ano judicial, o Presidente Evaristo Carvalho, pediu um minuto de silêncio em honra as vítimas do naufrágio - Tragédia que talvez tivesse sido evitada se as ligações marítimas, entre as duas ilhas, fossem asseguradas com melhores e mais cuidadas embarcações "Onde param os cinco navios!" - comprados pelo anterior Governo há 3 anos?" - Ouça as perguntas, em debate parlamentar, que ficaram sem resposta. - Tal como ficaram, sem resposta, as traineiras madeirenses para uma empresa de pescas, em Neves, que não foram pagas e levaram sumiço.

 Jorge Trabulo Marques - Jornalista -

Carga em excesso e mal distribuída - Formação deficiente da tripulação - Que também não é estimulada para fazer melhor; com os habituais salários miseráveis Embarcação ao sabor do aventureirismo neocolonial dos armadores, é no que dá - Aparência externa bonita, como convinha,  mas, por certo, com máquinas já cansadas ou com deficiente manutenção, tal como o fundo do casco, conforme documentam as imagens, é no que dá  .

O naufrágio, que ontem, dia 25 de Abril,  provou a perda de oito vidas humanas,  entre as quais estão nove pessoas desaparecidas, incluindo crianças e adultos, do navio  "Amfitriti" já bastante velho e, por ventura sem os indispensáveis cuidados de manutenção,  usado para transportar pessoas e materiais de construção entre São Tomé e o Príncipe,  que adernou de bordo no alto mar, não longe das imediações do ilhéu Bonei de Jóquei, admite-se que devido a excesso de carga e à turbulência das águas, que geralmente ocorrem, naquela área, aliás como em todo o Golfo da Guiné, tragédia esta que  causou sentimentos de dor e de angustia, de profunda consternação nas pacificas e maravilhosas Ilhas Verdes do Equador, talvez pudesse ter sido evitado se, a anunciada  compra, há 3 anos, pelo anterior Governo de Patrice Trovoada, com foros de acontecimento mediático, de  catamarãs e de cinco embarcações modernas para ligar as duas ilhas e proceder à fiscalização marítima,  sim, se as mesmas não tivessem levado sumiço: tendo os catamarãs, que  negligentemente foram abandonados,  acabado por encalhar nas areias ou junto à orla, partidos e irrecuperáveis, e, quanto aos cinco navios, pese os pedidos de esclarecimento feitos, em debates parlamentares, por deputados do MLSTP-PSD e demais oposição,

De referir, que ao naufrágio poderia ter tido maiores consequências, se não se tivesse dado o acaso de sorte de, na  zona do naufrágio, estar a passar  a embarcação de nome Abjam, cuja tribulação se apercebeu  das balsas de salva vidas que se encontravam no mar onde as 55 pessoas boiavam a espera de salvação.
Infelizmente, tal com recorda o jornal Téla Nón, não é a primeira vez. Já se perdeu a conta das vezes que o povo do Príncipe chora sobre o pontão da ilha, pela morte dos seus ente-queridos, na travessia do mar que liga as duas ilhas.
Jorge Bom Jesus, que entretanto agendou a sua visita à Ilha do Príncipe, para amanha, endereçou sentimentos de pêsames às famílias enlutadas da ilha do Príncipe. Garantiu todo apoio do Governo Central ao Governo da região do Príncipe. Prometeu medidas, para esclarecer as causas do naufrágio. « Todas as medidas estão a ser tomadas para abertura imediata de um inquérito para apurar as causas deste trágico acontecimento e assacar as responsabilidades», afirmou o Primeiro Ministro.
Numa comunicação à nação, o Chefe do Governo, anunciou a convocação extraordinária do Conselho de Ministros, para analisar a situação de tragédia que mais uma vez se abateu sobre a ilha do Príncipe.

Por outro lado o Procurador Geral da República, Kelve Carvalho, também se pronunciou sobre a tragédia do Amfitrit. Num comunicado, o Procurador Geral da República anunciou, que «foi mandato instaurar o respectivo processo criminal para apurar responsabilidades».

«Pensamos que esta tragédia não pode ficar impune. Tem-se que fazer um inquérito profundo para apurar responsabilidades. Nos últimos 15 anos, o Príncipe vem perdendo famílias e a população da ilha cada vez mais pobre», reforçou o Presidente do Governo da Região Autónoma do Príncipe. https://www.telanon.info/politica/2019/04/25/29119/primeiro-ministro-promete-assacar-responsabilidades-pelo-naufragio-de-amfitrit/

Por sua vez, hoje mesmo, na abertura do ano judicial Evaristo Carvalho, pediu um minuto de silêncio em honra as vítimas do naufrágio do navio Amfitrit. No Cinema Marcelo da Veiga, o Chefe de Estado, endereçou condolências as famílias enlutadas. «As minhas primeiras palavras são de pesar, pelo trágico acontecimento de ontem que culminou uma vez mais com perdas de vidas humanas e que deixou o país estarrecido, e preocupado com as ligações marítimas entre as duas ilhas», afirmou o Presidente da República.
Enquanto Presidente da República, apelou para que o Estado aja no sentido de evitar que «situações similares sejam apenas memórias de um passado que apesar de doloroso, jamais se repetirá», frisou. https://www.telanon.info/politica/2019/04/26/29125/pr-abriu-ano-judicial-com-pesar-pelo-naufragio-que-para-ja-matou-7-sao-tomenses/

UMA BOA NOTÍCIA A CONTRASTAR COM O NAUFRÁGIO  DE ONTEM – Que roubou vidas humanas e bens, causou angústia e consternação geral:   “UE vem pescar em STP com 34 embarcações e paga 1,4 milhões de euros por ano – Três barcos comprados a empresa Madeirense, não foram pagos: um apareceu afundado frente à Baía Ana de Chaves e os outros dois, desapareceram

 Diz o Téla Nón,  “Hoje completa uma semana que a União Europeia e o Governo são-tomense assinaram um novo acordo de pesca  com duração de 5 anos. Pela captura do pescado são-tomense durante 5 anos, a União Europeia, paga ao país o valor de 7 milhões de euros. – Destaque do Téla Nón

EM S. TOMÉ

A imagem, que serve de manchete  refere-se a três barcos   comprados da Ilha da Madeira para uma frustrada empresa nas Neves, com capitais angolanos e familiares de PT e nunca mais foram pagos - Um deles apareceu afundado frente à Baia Ana Chaves e foi a marinha portuguesa que o foi lá retirar, os outros desapareceram  De facto, não se pode dizer que o acordo, seja de encher os olhos, contudo, sempre deverá ser melhor  que os habituais sacos de arroz dos orientais, que têm limpado estas águas, além de contribuírem para a fiscalização das mesmas
  Recorda, o Téla Nõ, que , Francisco Ramos, Ministro da Agricultura e Pescas, reconheceu que não foi fácil as duas partes chegarem a acordo. «Este é o acordo possível, esta foi a quarta ronda negocial em que houve consenso de ambas as partes», referiu o ministro.

A União Europeia que não conseguiu entendimento com o anterior governo, para pescar nas águas nacionais, ficou cerca de 1 ano sem enviar os seus navios para pesca no arquipélago são-tomense.Agora conseguiu entendimento numa reunião realizada em São Tomé. O acordo final será assinado dentro de 2 meses na sede da União Europeia em Bruxelas, capital da Bélgica.



Até 2024 pelo menos 34 embarcações de pesca dos países membros da União Europeia, com destaque para Espanha e Portugal, vão capturar pescado em São Tomé e Príncipe. Das 34 embarcações autorizadas, 28 são vocacionadas para pesca de cerco, e 6 outras são palangueiros.- Excerto de https://www.telanon.info/economia/2019/04/25/29109/ue-vem-pescar-em-stp-com-34-embarcacoes-e-paga-14-milhoes-de-euros-por-ano/?fbclid=IwAR0gNVtgppgFeHl-qTuNZ5iO5hqOCknpCBTcQpqoFOb2lsVJM3As_5er70w

QUEM SE RESPONSABILIZA PELO DESVIO DE TRÊS DOS MELHORES PESQUEIROS MADEIRENSE PARA S. TOMÉ? - QUE NEM SEQUER FORAM PAGOS - Afundaram um, à entrada da Baia Ana Chaves, que a Marinha Portuguesa teve que ir reflutuar e arrastar para o largo para evitar problemas com a navegação

ACORDOS COMO QUEM BARALHA UM JOGO DE CARTAS 



Não pagaram os barcos, serviram-se deles a seu belo prazer para depois um deles o adaptarem a transporte de carga, e, por fim, o deixarem afundado à entrada da Baía, carregado de arroz - Os outros dois, presume que terão ido para Angola ou sido afundados em águas mais profundas a - http://www.societe.com/societe/la-hacienda-dupont-trovoada-503025306.html



ZARPARAM COM OS BARCOS SEM OS PAGAREM  -Ilha da Madeira, lesada no seu património   pesqueiro


 30 ABR 2014 / .”Madeira perde três barcos de pesca para África Insolvência da ‘Sopeixe’ leva à venda dos três barcos de pesca de peixe-espada preto" DN - Madeira

"Madeira perde três barcos de pesca para África "- Diário de Notícias - da Madeira

EM S. TOMÉ
Na Madeira

"A frota de pesca da Madeira está mais pobre, com o mais que provável abandono definitivo da actividade na Região dos três barcos da ‘Sopeixe’, que presentemente se encontram em África. A empresa de Câmara de Lobos arrasta-se há ano e meio numa situação de insolvência e na semana passada os credores decidiram pela alienação do património, cujo principal activo eram precisamente os barcos de pesca de peixe-espada preto ‘Pico Alto’, ‘Pico Dourado’ e ‘Pico Douro’.ar a venda. - Madeira perde três barcos de pesca para África - Diário de Notícias




O NAVIO SANTO ANTÓNIO, COM OITO TRIPULANTES A BORDO DESAPARECIDO - SEM DEIXAR RASTO  DESDE O PASSADO DIA 22 de Junho 2017 - 

A embarcação, que fazia a ligação de  S. Tomé ao Príncipe, levava consigo 8 tripulantes e transportava cerca de 87 toneladas de carga diversa, com destaque para bidões de combustíveis  Mais um navio desaparece na ligação entre São Tomé e Príncipe ..



SÓ UM MÊS DEPOIS - POR FORÇA DAS PRESSÕES DOS FAMILIARES DA TRIPULAÇÃO E DA OPINIÃO PÚBLICA  _ Quem é que agora poderá encontrar o paradeiro do barco, após 60 dias do seu desaparecimento?

Embarcação madeirense, posta a reflutuar pela Marinha Portuguesa 

28/07/2017  - O governo são-tomense tem sido confrontado com várias críticas e acusações de que "não tem feito nada" para esclarecer o desaparecimento do navio Santo António durante uma ligação entre as duas ilhas. – Lusa –  – em Portugal ajuda São Tomé a localizar embarcação desaparecida há  mais de um mês  http://www.jornaltransparencia.st/b43.htm

Empresa madeirense desfez-se de três barcos, de pesca de peixe-espada preto ‘Pico Alto’, ‘Pico Dourado’ e ‘Pico Douro’através de alegado fretamento - Um dos quais já havia recebido vários milhões de euros de apoios comunitários  


Não pagaram os barcos, serviram-se deles a seu belo prazer para depois um deles o adaptarem a transporte de carga para destinos desconhecidos, e, por fim, o deixarem afundado à entrada da Baía, carregado de arroz - Os outros dois, presume-se  que terão ido para Angola ou sido afundados em águas mais profundas Empresa Luso-Angolana pretende desenvolver a Pesca em São ..

Argumenta-se, como causa do afundamento, uma tempestade - Para estas coisas, a natureza é sempre a culpada ou a justificar a golpada . Ao menos agora a Marinha Portuguesa, que pôs o barco a flutuar, investigue as causas ou, então, se assim o entender, que entregue o caso às autoridades ou à Interpol - .Era o que navegara com passagem pelo Gabão, com destino a São Tomé - Presume-se que do sócio da Geo-Pesca, Yuri Trovada, atual sócio-gerente da imobiliária - 
http://www.societe.com/societe/la-hacienda-dupont-trovoada-503025306.html

Levou sumiço em S. Tomé  -  "Baia dos Juncos" - Sopeixe - Madeira
ZARPARAM COM OS BARCOS SEM OS PAGAREM  -Ilha da Madeira, lesada no seu património   pesqueiro 30 ABR 2014 / .”Madeira perde três barcos de pesca para África Insolvência da ‘Sopeixe’ leva à venda dos três barcos de pesca de peixe-espada preto" DN - Madeira

"Madeira perde três barcos de pesca para África "- Diário de Notícias - da Madeira -MIGUEL FERNANDES LUÍS /30 ABR 2014

 "Pico Alto" e "Pico Dourado" - Sópeixe - Na Madeira
A frota de pesca da Madeira está mais pobre, com o mais que provável abandono definitivo da actividade na Região dos três barcos da ‘Sopeixe’, que presentemente se encontram em África. A empresa de Câmara de Lobos arrasta-se há ano e meio numa situação de insolvência e na semana passada os credores decidiram pela alienação do património, cujo principal activo eram precisamente os barcos de pesca de peixe-espada preto ‘Pico Alto’, ‘Pico Dourado’ e ‘Pico Douro’.

S. Tomé - Neves - Agro-Pesca -14-05-2013 - Foto - Téla-Nón
Na assembleia de credores realizada na última quarta-feira no Tribunal Judicial do Funchal, os credores aprovaram a venda mas também deixaram no ar a dúvida se alguma vez vão ver o dinheiro dessa transação. É que supostamente um dos barcos está no Gabão e os outros dois encontram-se ao serviço de uma empresa de Angola e não há garantias de que as sociedades a quem foram cedidos por afretamento vão concretizar uma opção de compra. Também não há garantias de que, em caso de frustração do negócio, as embarcações voltem à Madeira e sejam reintegradas na massa insolvente. Dúvidas que os credores colocaram ao administrador da insolvência. Este, no entanto, disse que as negociações estão em curso e que dentro de dias parte para Angola para procurar concluir a transacção. Para já, a juiz Sara Ferreira deu um prazo de 60 dias para concretizar a venda. - Madeira perde três barcos de pesca para África - Diário de Notícias

BARCOS MADEIRENSES  DESVIADOS  PARA S. TOMÉ - ATRAVÉS DO GABÃO - TENDO NA ESTEIRA  UM PROCESSO DE INSOLVÊNCIA SUSPEITO

Empresa madeirense desfez-se de três barcos, através de alegado fretamento - Um dos quais já havia recebido vários milhões de euros de apoios comunitários
Um parte  para o Gabão, os outros dois dão meia volta por Angola mas com destino a S. Tomé; agora em nome da empresa luso-angolana  GEO-PESCA.para ali tentarem novas jogadas de mais  uns milhões de subsídios estrangeiros ou do orçamento público, até  darem de frosque, lançarem ao fundo um dos barcos, junto à entrada da Baía Ana de Chaves, que agora a Marinha Portuguesa, ali veio  remover  para não colocar em risco a navegação à entrada da mesma

AINDA O OVO ESTAVA NO RABO DA GALINHA -  NA MADEIRA JÁ HAVIA FALÊNCIAS À VISTA, DE CONTORNOS DUVIDOSOS, PARA TRAZEREM OS BARCOS PARA S. TOMÉ 

Diz-se que a Geo-Pesca tinha como sócio o irmão do atual Primeiro-Ministro - E um tal angolano, Victor Madaleno - Muito famoso este apelido, com muitos negócios e muitas polémicas em Portugal e até no futebol - Bom, mas isso são outras histórias e talvez até outras famílias, desconhecemos

TUDO NÃO PASSOU DE MERO FOGUETÓRIO 

Pesca semi-industrial começa a dinamizar economia na cidade de Neves Publicado em 14 Mai 2013

Téla Nón  (..)Desde Abril último que 3 barcos da Geopesca, entraram em acção. Cada um captura cerca de 3 toneladas de pescado por semana, para o abastecimento do mercado nacional. João Madaleno, administrador da empresa luso-angolana, confirma que o mar de São Tomé e Príncipe tem enorme riqueza.

(…)Os barcos de pesca garantem directamente mais de 40 postos de emprego, sobretudo marinheiros. Homens que deambulavam em Neves, sem hipóteses de ganhar sustento para a família. Como José Casemiro, que enalteceu a iniciativa do Estado e do grupo privado, pela oportunidade de emprego que lhe permite colocar comida na mesa para a sua família. Por sua vez João Madaleno, enquanto representante da Geopesca, fez saber que o crescimento da actividade do grupo, vai implicar que o número de postos de emprego duplique.. Pesca semi-industrial começa a dinamizar economia na cidade de

PROMESSAS FALACIOSAS  -  em 11/03/201311 - Um grupo luso/angolano vai investir cerca de quatro milhões de Euros num projecto de pesca sim -industrial em S.Tomé e Príncipe. De acordo com a televisão pública local (TVS), citando Victor Madaleno, o grupo que já dispõe de três barcos apropriado no arquipélago prontos para iniciar a faina piscatória, viabiliza com este projecto seis dezenas de postos directos de emprego para santomenses. http://www.scoop.it/t/sao-tome-e-principe/p/3998183360/2013/03/11/geo-pesca-vai-investir-4m-us-em-sao-tome-e-principe Desde Abril último que 3 barcos da Geopesca, entraram em acção -João Madaleno, administrador da empresa luso-angolana, confirma que o mar de São Tomé e Príncipe tem enorme riqueza.. Pesca semi-industrial começa a dinamizar economia na cidade de ...

Imagem  - Jornal Téla Nón

Onde se meteu a  empresa, Geo-Pesca?  A tal que garantia mundos e fundos! 40 postos de trabalho e outras maravilhas mais! - E um  tal Madaleno, por onde anda agora? – (…) 13/03/2013 -A empresa  já tem no país três embarcações,  e está a espera de luz verde das autoridades nacionais, para arrancar com as actividades piscatórias, cuja mão-de-obra será na sua maioria são-tomense. - Os barcos denominados de Pico Alto, Pico Dourado e Pico Douro  já se encontram atracados no porto da cidade de Neves  para dar inicio a um projecto considerado de bastante viável para o arquipélago. Empresa Luso-Angolana pretende desenvolver a Pesca em São ...

Nenhum comentário :