expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 17 de abril de 2019

SÃO TOMÉ E PRINCIPE - - Edifício da AGER -– Impróprio para os serviços da Autoridade Geral de Regulação - Dois milhões desperdiçados – E onde param os 26 milhões? Como foram aplicados? – Setembro 10 – 2016 O Banco Mundial e o Banco Europeu acabam de disponibilizar cerca de 26 milhões de euros para investimentos em Energias Renováveis em São Tomé e Príncipe. O acordo foi assinado no passado dia 22 de Agosto pelo Ministro das finanças santomense, Américo Ramos e a representante do Banco Mundial para São Tomé e Príncipe, Clara Sousa. – MAIS UM BURACO NEGRO DO UNIVERSO TROVOADA POR EXPLICAR - Antigas Casas do Patrão, das roças, Governo Português apoia a recuperação de nove

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise 


GOVERNO DE PATRICE TROVOADA RECEBEU O DINHEIRO, EM  22 DE AGOSTO DE 2016, E, UM ANO DEPOIS, RESPONDEU, EM DEBATE PARLAMENTAR, QUE AINDA NÃO TINHA FEITO AS CONTAS 




Milhões recebidos e  não aplicados – E que é dito que foi aplicado, está inutilizável    -  Em S.Tomé e Príncipe a responsabilidade pela regulação e fiscalização dos sectores e serviços de telecomunicações, correios, água e eletricidade são atribuídas a uma entidade multissectorial, a AGER - Autoridade Geral de Regulação, criada nos termos do Decreto-Lei nº 14/2005 de 24 de Agosto.

A AGER é tutelada pelo Ministério responsável pelas Telecomunicações, é dotada de personalidade jurídica, com autonomia técnica, administrativa, financeira e patrimonial.
“Autoridade Geral de Regulação de São Tomé e Príncipe funciona desde o seu nascimento num edifício arrendado. No ano 2018, com o aval do ex-ministro das Infra-estruturas, Carlos Vila Nova, a AGER recorreu a crédito bancário no valor de 2 milhões e 120 mil dólares” –
O dinheiro foi aplicado na compra do edifício para fixar a sede da AGER. O edifício de obras ainda inacabadas, foi visitado na terça – feira pelo novo ministro das obras públicas Osvaldo Vaz, que declarou publicamente ser inviável a fixação dos serviços da AGER, no edifício que custou mais de dois milhões de dólares. – Diz o Téla Nón - https://www.telanon.info/sociedade/2019/04/16/29037/escandalo-nova-casa-da-ager-custou-2-milhoes-e-120-mil-dolares-mas-nao-serve/
 ESCAPOU-SE COM MILHARES DE EUROS E DEPOIS DESCALÇOU A BOTA – TAL COMO O PADRINHO-MOR

Apanhado a desviar documentos
"O Director Geral da EMAE  -  depois de fazer desaparecer e queimar documentos - viaja para Lisboa alegando problema de saúde e deixa o povo as escuras depois de ter na sua posse desde Janeiro €1.800 000, 00 para reparar e fazer manutenção dos grupos geradores
Até o diabo aborrece com tudo isto, e o Presidente da República nada diz, condena o povo por revoltar e não diz uma única palavra sobre a fuga de Patrice Trovoada".

ONDE PARAM OS 26 MILHÕES DE  DÓLARES PARA O FINANCIAMENTO DAS FONTES DE RENOVÁVEIS DE ENERGIA E O FORNECIMENTO DE ELETRECIDADE  

Setembro 10 – 2016  O Banco Mundial e o Banco Europeu acabam de disponibilizar cerca de 26 milhões de euros para investimentos em Energias Renováveis em São Tomé e Príncipe. O acordo foi assinado no passado dia 22 de Agosto pelo Ministro das finanças santomense, Américo Ramos e a representante do Banco Mundial para São Tomé e Príncipe, Clara Sousa.

O acordo surge na sequência da aprovação do Conselho de Administração do Banco Mundial de uma concessão financeira da Associação Internacional de Desenvolvimento, IDA, do grupo Banco Mundial.

Esta decisão tomada a 5 de julho deste ano ganha agora consistência e faz avançar o objetivo de diversificar as fontes de energias renováveis no arquipélago e melhorar o sistema de fornecimento de eletricidade. Mais de 14 milhões de euros serão financiados pelo Banco Mundial e quase 12 milhões sairão dos cofres do Banco Europeu de Investimento.

O dinheiro será canalizado para reabilitar a central hidroelétrica do Rio Contador, melhorar o fornecimento de energia e atualizar a rede de distribuição e instalação de contadores (RFI) proporcionando um maior e melhor fornecimento de energia a cerca de 90 mil consumidores da rede da Empresa Nacional de Água e Eletricidade, EMAE.

O Ministro das Infraestruturas, Recursos Naturais e Meio Ambiente de São Tomé e Príncipe, Carlos Vila Nova referiu à Agência Lusa que “O primeiro troço e o primeiro investimento vai ser para a central de Contador. Hoje com 2 turbinas dá-nos 2 megawatts.

Com os novos equipamentos e o trabalho de investimento feito, a central vai dar 4 megawatts” (numa altura em que São Tomé e Príncipe consome 26 megawatts).
A meta ambiental deste arquipélago é ter em 2020 metade da produção de energia com recurso às energias renováveis. “Em 2020 prevemos ter uma penetração de energias renováveis na ordem dos 50%” disse o Ministro Carlos Vila Nova à Agência Lusa.
Esta meta inclui requalificar barragens hidroelétricas e expandir o número de painéis fotovoltaicos.

A central hidroelétrica de Bombaim também irá ser reativada proporcionando depois 4 megawatts.
Quanto à produção fotovoltaica para já há um acordo assinado com um consórcio escocês no sentido de se proceder à produção de 4 megawatts através de painéis fotovoltaicos colocados nos telhados.

Prevê-se ainda a construção de centrais a gás natural, ainda que segundo o próprio ministro este seja um objetivo mais difícil de atingir já que o atual sistema de abastecimento energético está muito debilitado.

São Tomé e Príncipe consegue desta forma responder aos efeitos das mudanças climatéricas e proporcionar um desenvolvimento sustentável aos seus habitantes.


934273 7GOVERNO DE PATRICE TROVOADA RECEBEU O DINHEIRO, EM  22 DE AGOSTO DE 2016, E, UM ANO DEPOIS, RESPONDEU, EM DEBATE PARLAMENTAR, QUE AINDA NÃO TINHA FEITO AS CONTAS 


Tal a leviandade e a falta de rigor, como as questões do Estado eram encaradas pelo Governo de Patrice Trovoada, que nem sequer soube explicar,  em debate paarlamentar,  o montante exato dos apoios recebidos


Na  sessão plenária extraordinária realizada no Palácio dos Congressos, e Março de 2017,   os partidos da oposição, a questionaram a mesa da Assembleia, para que fossem esclarecidas as várias dúvidas suscitadas, sobre a aprovação do  projeto de financiamento para a reabilitação do sector da energia, em ambas as ilhas,  nomeadamente no volume do montante, dada a discrepância dos números expostos, se traduzidos em dólares ou euros -   A  sua resposta foi evasiva, argumentando que ainda não teve tempo de fazer as contas.

PEDIDO DE AUDITORIA INTERNACIONAL À ESTRADA DA CORRUPÇÃO NO SECTOR ENÉRGÉTICO , EM MARÇO DE 2017 - 




Cooperação portuguesa constrói central termoeléctrica de 5,2 milhões de euros em São Tomé, para pouco tempo depois a deixarem a explodir por negligência, tal como tem acontecido com barcos, que se afundam e  noutras coisas: dinheiro que vem de esforço acaba em saco roto.



ONDE ESTÃO ESTAS OBRAS? - "Governo vai construir pólo administrativo e 120 casas aos funcionários públicos."

1 Aug 2015 O governo são-tomense anunciou a criação de um “Fundo” visando a construção de 120 casas para funcionários públicos bem como um “Polo Administrativo” para albergar os serviços da administração central do Estado, - Soube-se hoje de fonte governamental
Esta decisão do executivo de Patrice Trovoada se enquadra num “programa de reabilitação urbana dos bens patrimoniais do Estado” face a situação da Administração Pública e os factores que condicionam o seu desempenho actual e a sua eficiência – acrescenta o comunicado governamental. Governo vai construir polo administrativo e 120 casas aos 

AO MENOS SOUBESSEM APROVEITAR O PATRIMÓNIO QUE  A HERANÇA COLONIAL DEIXOU - MAS NEM ISSO 

Sou autor deste artigo - De importante empreendimento
CENTRAL DE DISTRIBUIÇÃO ELÉTRICA  – EM PIOR ESTADO QUE NO TEMPO COLONIAL - Espera-se que, entretanto, o Governo de Jorge Bom Jesus, consiga alterar o rumo do caos, que ali se tem verificado  Nem é preciso lá entrar para ver o que vai lá dentro: basta ver o enorme capinzal que envolve o edifício e o estado em que se encontra as paredes  

Muitos de geradores, que chegam a S. Tomé e Príncipe, já deviam estar no ferro  velho mas são importados como novos  - Claro para justificar fundos milionários, cujos milhões são repartidos pelos comissários que os assinam, testas de ferro das  empresas multinacionais e a escumalha politica que os recebe.  – Obviamente que não é São Pedro que despeja das nuvens o cifrões mas os contribuintes nos seus impostos, que têm que andar a alimentar toda uma cambada de malfeitores

De volta e meia, as costumeiras avarias do desleixo e da irresponsabilidade – Por um lado, por via da importação de equipamento de duvidosa qualidade, que poderá servir negócios obscuros, e, por outro, o abandalhamento e a irresponsabilidade governativa

APOIO PORTUGUÈS VAI AJUDAR A REABILITAR ANTIGAS “CASAS   GRANDES DO PATRÃO ” EM NOVE ROÇAS

É notícia de que a “Ministra do Turismo, Cultura, e Indústrias, anunciou que assinou um protocolo com instituições portuguesas no âmbito do programa “Revive”.
O Programa em causa visa a reabilitação de pelo menos 8 casas coloniais das roças, para servir ao turismo.
A Ministra Maria Graça Lavres, que participou na Bolsa de Turismo da Lisboa, falou para a imprensa e garantiu que as 8 casas de “Patrão” a serem reabilitadas já estão identificadas. O projecto piloto arranca numa ainda este ano numa das roças identificadas. Abel Veiga  https://www.telanon.info/turismo/2019/04/15/29029/recuperacao-de-8-casas-de-patrao-com-apoio-de-portugal/

Nenhum comentário :