expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sábado, 29 de junho de 2019

São Tomé e Príncipe –- A empresa marroquina, SOMAGEC, em projetos de cooperação portuários, aeroportuários e transportes marítimos com a Guiné Equatorial, disponibilizou um dos seus cargueiros para assegurar temporariamente a ligação entre as duas ilhas - De facto, o importante é a resolução imediata de um gravoso problema que não se compadece com esperas - Porventura, deverá ser a empresa com que a China quererá partilhar a construção do porto, em Fernão Dias e o alargamento do aeroporto santomense, dadas as parcerias que tem com Marrocos e noutros países africanos, além do novo edifício do Parlamento - talvez o ponto de partida da anunciada moderna capital santomense, com arquitetura mais europeia e americana, que africana, tal como sucedeu em vistosos bairros de Luanda, onde só uns quantos podem viver - Preferível era que se erguessem bairros sociais, erradicando miserváveis barracas e há bons exemplos que se podiam até copiar da própria Guiné Equatorial

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informção e análise 


Vista parcial do Porto de Malabo


Imagem - Fonte STP-Press
Aparentementte vai ficar a resolvida, pelos menos o transporte de carga, com a ligação marítima entre STP,  comprometida  em consequência da perda de duas embarcações nos últimos dois meses, por naufrágio do Amfrititi no dia 25 de Abril e por incêndio do navio Abijan no dia 21 de Maio, mas sobretudo pela tragédia que ocorreu com o navio "Amfitriti", com perdas materiais  e humanas -  ou seja, a morte de oito pessoas, quatro das quais crianças, e nove desaparecidos, além das 212 toneladas de carga  que foram engolidas pelo mar.


O Elobey VII, um dos barcos da empresa marroquina Somagec, cuja frota faz as ligações entre Malabo e Bata  e também com  rotas  às ilhas Elobey Grande, Elobey Chico , Corisco e Ano Bom, pertencentes à Guiné Equatorial,  além de outras viagens  com os países do Golfo da Guiné,  é  a solução encontrada, temporariamente, 
para o transporte de mercadorias entre as duas ilhas,  prevendo-se  para finais de julho a vinda de uma outra embarcação de cargas e passageiros que deverá permanecer por tempo indeterminado em São Tomé”

Diz a Lusa que “O governo da Guiné Equatorial cedeu” (ontem) “ a São Tomé e Príncipe uma embarcação com capacidade para mais de 300 toneladas para fazer a ligação entre as duas ilhas, devendo fazer ainda esta noite uma primeira viagem.
O "Eboley VII" está adaptado somente para transporte de cargas que, segundo o governante, é o que mais falta faz nesta fase, para abastecer o mercado da Região Autónoma. https://www.dn.pt/lusa/interior/guine-equatorial-envia-embarcacao-para-ligar-as-ilhas-de-sao-tome-e-do-principe-11058095.html
A mesma noticia é também destacada, pela STP-Press, com as imagens da embarcação e de entidades dos dois países, referindo que  O Governo são-tomense acaba de adquirir um novo barco para a ligação entre ilha de São Tomé e a do Príncipe através da cooperação com a Guiné-Equatorial envolvendo a equatoguineense SOMAGEC, detentora do navio “ELOBEY” já atracado no porto de São Tomé, devendo ainda hoje zarpar para Príncipe, -anunciou o ministro das Obras Públicas, Osvaldo d’Abreu.
Além de ter declarado que “ vamos continuar a insistir no transporte aéreo, tendo mesmo admitido um futuro acordo com Guiné Equatorial para as ligações áreas entre as duas ilhas. http://www.stp-press.st/2019/06/28/governo-ja-conseguiu-um-novo-barco-para-ligacao-inter-ilhas-por-cooperacao-com-guine-equatorial/?fbclid=IwAR2XyFvnkW4nG-XLZQtsDhmvOoEJib1IqHETfDGH_OiAC6pW7HL7TqqGDXE

SOMAGEC  é uma empresa marroquina que opera em Moçambique e em vários países  - Mas a SOACEC GE -  (tal como a sigla indica), é constituída também por  parecerias da Guiné Equatorial

O principal gestor da A Somagec Ge, dá a sua visão, classificando  “a empresa líder na África para projetos marítimos.
Com a sua experiência e conhecimento, apoiamos a Guiné Equatorial no seu desenvolvimento e prosperidade.
Somagec GE Demonstra sua cidadania corporativa e responsabilidade social através de uma variedade de ações, incluindo a transferência de tecnologia e know-how, treinamento e educação continuada de seus funcionários, transparência e rastreabilidade de projetos e documentos, implantação de laboratórios de controle em toda a Guiné Equatorial.

A INAUGURAÇÃO DO AEROPORTO E DO PORTO COMERCIAL, EM ANO BOM.  DUAS DAS OBRAS  DA SOMAGEC, PROJETOS CONCLUIDOS   COMO BANDEIRA DO PRESIDENTE  OBIANG PELA EMPRESA MARROQUINA

Assim o atesta esta noticia: "O aeroporto e o porto comercial de Annobon são dois grandes projetos de infra-estrutura de última geração que acabarão com o isolamento que sempre caracterizou a província da ilha. Antes da construção do novo aeroporto, a ilha tinha apenas uma pista curta que causava um risco significativo para a chegada de aeronaves. A pista agora foi ampliada para aproximadamente 600 metros para permitir que grandes vôos de passageiros e comerciais aterrissem com segurança na ilha. andamento. https://www.eturbonews.com/37283/president-obiang-opens-new-airport-annobon/
COMEÇAM A DESENHAR-SE OS CONTORNOS DE PROJETOS  JÁ BADALADOS A NÍVEL DAS INTENÇÕES:  

 "O Governo são-tomense está a trabalhar com a Guiné Equatorial na concretização de "uma aliança formal" entre as suas companhias aéreas, o que deverá levar à saída da portuguesa euroAtlantic da STP Airways.”

A euroAtlântic detém 40% do capital e a responsabilidade pela gestão da STP Airways, tendo igualmente um contrato de concessão do "handling" até 2020 e que o Governo quer separar do transporte aéreo.O Estado de São Tomé e Príncipe tem uma participação de 35% da STP Airwayshttps://www.dn.pt/lusa/interior/sao-tome-e-guine-equatorial-vao-avancar-para-alianca-formal-entre-companhias-aereas-


Pelos vistos, a ideia de interesses empresariais aéreos e marítimos e de outros projetos, envolvendo STP e alguns países do golfo, com acordos chineses pelo meio, já deveria estar a pairar ou a ser gizada aquando da anunciada visita privada de três dias à Ilha do Príncipe, em  07-02-2017, com a presença de Ali Bongo, que acabou por não ocorrer –.Dizia, então, José Cassandra, Presidente do Governo Regional “Penso que há a possibilidade de serem exploradas outras áreas de cooperação como turismo, educação e energia" – Considerava, então, José Cassandra, Presidente do Governo Regional

Esta era a noticia de há dois anos: A República Popular da China vai doar à República de São Tomé e Príncipe uma verba de 146 milhões de dólares a ser aplicada na construção de infra-estruturas, ao abrigo da cooperação económica bilateral, anunciou nesta terça-feira, dia 25 de abril, o primeiro-ministro Patrice Trovoada.
O governante santomense adiantou que a doação visa apoiar São Tomé e Príncipe na construção de projetos infra-estruturais, tendo dado como exemplos as obras de modernização do aeroporto internacional de São Tomé e a construção de um porto de águas profundas. https://newsavia.com/china-assume-ampliacao-e-modernizacao-do-aeroporto-de-sao-tome/

O RECENTE ENCONTRO. – STP-CHINA - TAMBÉM JÁ TERÁ SERVIDO DE PRTEXTO PARA ACERTAR ALGUNS PASSOS

É o que se depereende deste texto:   “Deputados querem casa nova e mais conforto”-  Era dito os seguinte: China enviou o vice-Presidente do seu parlamento, que visitou São Tomé e reuniu-se com o Presidente do parlamento nacional. Uma semana depois, Gaudêncio Mesu da Guiné Equatorial chegou a São Tomé, para aprofundar relação parlamentar entre os dois países.

Um dos vários bairros sociais de Malabo
A diplomacia do líder do parlamento de São Tomé e Príncipe(na foto) , já está a dar frutos. A Guiné Equatorial deverá financiar o novo edifício de 6 pisos e 75 gabinetes, para o parlamento são-tomense que até hoje funciona e bem, no edifício do Palácio dos Congressos. Um edifício construído pela República Popular da China nos anos 80 do século passado. https://www.telanon.info/politica/2019/06/25/29551/deputados-querem-casa-nova-e-mais-conforto/

A CONSTRUÇÃO DO NOVO EDIFICIO DO PARLAMENTO SERÁ O PONTO DE PARTIDA PARA A TAL PROMETIDA CIDADE AO ESTILO DO BAIRRO FANTASMA EM LUANDA?  - Onde a esmagadora maioria do povo tem de viver em miseráveis bairros de lata?

Era suposto o complexo residencial Nova Cidade de Kilamba - a cerca de 30 quilómetros de Luanda - estar por esta altura cheio de habitantes. Mas até agora não passa de uma cidade-fantasma.

As pessoas que aí conseguiram comprar um apartamento, vêem-se agora a braços com propriedades depreciadas.
A empresa China International Trust and Investment Corporation (CITIC) gastou 3500 milhões de dólares nesta urbanização que, uma vez completa, ocupará 5000 hectares. Em troca, Angola pagou este investimento com a sua matéria-prima mais preciosa: petróleo. - Excerto de 




PATRICE TROVOADA – TAMBÉM JÁ ANDAVA COM A IDEIA DE NEGÓCIOS AÉREOS  - A QUE NOS REFERIMOS  - E, PELOS VISTOS, É PARA ONDE ESTA COOPERAÇÃO SE ENCAMINHA


 - Era este o título de um poste neste site, há dois anos   - Voos aéreos para São Tomé e Príncipe  incendeiam  debate parlamentar –  Monopólio concertado do espaço Aéreo vai acabar e os preços vão baixar?... Bom era que fosse mas a gula privada é demasiado gulosa e há sempre quem esteja na fila dos oportunistas Patrice Trovoada faz drible no  Parlamento, com idêntica Lei aprovada, em 2009,  entre Portugal e STP para  abrir caminho  à Royal Air Maroc ou a  transportadoras aéreas dos países onde o empresário tem negócios  –- Jorge Amado,  líder parlamentar do MLSTP-PSD, questionou:  “Estamos a falar de uma lei de extrema importância para o país: que segredo há para fazer a sua aprovação na clandestinidade?.." - Revelamos-lhe alguns pormenores.  http://www.odisseiasnosmares.com/2017/05/voos-aereos-para-sao-tome-e-principe.html

Nenhum comentário :