expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 6 de junho de 2019

STP - REUNIÃO DO CONSELHO DE ESTADO - EVARISTO QUER FORÇAR A QUEDA DO GOVERNO - JORGE BOM JESUS NUM DERRADEIRO ESFORÇO, PROCURARÁ DE NOVO ACALMAR O ESPÍRITO SATANIZADO DO FORAGIDO PINTA CABRA, EM EVARISTO CARVALHO - O Presidente não quer estabilidade Governativa, segue orientações de PT, visa forçar a queda do Governo - "Falta consenso" entre dirigentes em São Tomé e Príncipe adverte ex-PM Maria das Neves, que reconhece que “o Governo liderado por Jorge Bom Jesus está ainda "a braços com a mobilização de recursos para poder implementar o seu Orçamento Geral do Estado, que já foi aprovado" - " As grandes divergências têm por base os grandes interesses políticos em jogo", afirmou, admitindo que o petróleo "pode ser um dos dossiês" na base das divergências. Isto, apesar de o petróleo "ainda não estar a jorrar" e de nem se saber quando poderá estar” - Recordemos-lhes, em dossier Petróleo, como, os Trovoadas, pai e filho, hipotecaram o futuro de uma pequena Nação.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista e Investigador



A linguagem de Evaristo Carvalho, segue a do estilo de quem fez estas acusações à justiça, enquanto a não filtrou e subverteu para branquear as suas golpadas – Sim, quando um PM diz –  que há uma máfia instalada nos tribunais do país de São Tomé e Príncipe”, o que se espera da respeitabilidade para com os órgãos de soberania e demais instituições democráticas? – https://www.voaportugues.com/a/ha-uma-mafia-instalada-tribunais-sao-tome-patrice-trovoada/4153925.html - Pois é justamente a linguagem prosseguida pelo antigo secretário colonial, o atual PR -
 
Patrice e Evaristo- A dupla Unida 
Evaristo Carvalho, de Pau-mandado, a fogareiro-mor  - Palavras como a "A nossa justiça está moribunda. Ninguém acredita mais nas decisões dos nossos agentes judiciários, ninguém compreende as atuações controversas, incluindo os magistrados, os advogados", ou "o País vive uma “premeditada tentativa de subversão da ordem constitucional”, proferidas pelo Presidente que, Patrice Trovoada, colocou no Palácio do Povo, através de monstruosa fraude,  mais de que venenosas e veiculadas de gravíssima má fé, de um propósito incendiário e desestabilizador, visam forçar a queda do Governo de Jorge Bom Jesus e promover o regresso das forças da rapina e da opressão às pacificas Ilhas Verdes do Equador

O EMPRESÁRIO VIAJANTE
O Conselho de Estado, agendado para hoje, conquanto, sem natureza vinculativa,  composto pelo presidente do Parlamento, primeiro-ministro, presidente do Tribunal Constitucional, procurador-geral da República, presidente do Governo Regional do Príncipe, antigos presidentes da República, três cidadãos idóneos designados por Presidente da República e três cidadãos eleitos pelo Parlamento, é, no entanto, a arma que, as forças desestabilizadoras, lideradas por Evaristo Carvalho, estarão a querer servir-se. Patrice Trovoada, quer em liberdade, um dos maiores cúmplices das suas misteriosas negociatas, entre os quais, a prisão do ex-ministro das Finanças, Américo Ramos, um dos assessores da presidência, cujo processo judiciário de detenção provocou em Abril último um clima de desentendimento entre Presidente República e o Governo com trocas de palavras entre os titulares dos dois órgãos da soberania – Refere STP-Press. http://www.stp-press.st/2019/06/05/presidente-da-republica-convoca-conselho-de-estado-para-esta-quinta-feira/

As últimas polémicas, têm-se centrado nos negócios da  Cervejeira Rosema, com labaredas e faúlhas, que se têm espalhado da politica à justiça, ateadas pelos irmãos Monteiro e suas cumplicidades,  que não querem perder a sua fonte amarela, mas há outro conflito, bem maior, que tem a ver com os misteriosos negócios do petróleo, por detrás do qual sempre esteve a iminência parda de Pinta Cabra 

O chamado ouro negro,  está demasiado profundo, a primeira gota ainda não foi produzida  mas tem servido de pretexto para o foragido, Patrice Trovoada, ter alavancado milhões e engrossado a sua fortuna pessoal.

 Muito se escreveu sobre os escandalosos contratos das concessões  - Mas, ao que parece, com o tempo tudo se esquece e  já não faz mossa aos principais protagonistas das tais  falcatruas, que se encheram de milhões  os bolsos corruptos.

A antiga primeira-ministra de São Tomé e Príncipe Maria das Neves advertiu que "falta consenso" entre os dirigentes porque há "interesses políticos que não convergem", alertando para a necessidade de entendimentos para relançar a economia.
Neste momento, não se pode dizer que haja instabilidade política, mas falta consenso" entre os dirigentes, afirmou em declarações à Lusa Maria das Neves, antiga primeira-ministra de São Tomé e Príncipe, que foi várias vezes ministra em governos liderados pelo seu partido, o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP), atualmente no poder.
(,,,) São Tomé e Príncipe "decidiu seguir o exemplo de Portugal para constituir a sua `geringonça`, há cinco meses" e "ainda é muito pouco tempo para se poder fazer um balanço e chegar a algumas conclusões".
Porém, alertou, o Governo liderado por Jorge Bom Jesus está ainda "a braços com a mobilização de recursos para poder implementar o seu Orçamento Geral do Estado, que já foi aprovado".

(…) Maria das Neves recordou que foram lançados vários concursos públicos, e houve empresas que começaram a fazer a prospeção, mas os custos eram tão elevados que acabaram por desistir.
"Tudo indica que há petróleo, mas está em águas ultra profundas, o que exigiria equipamentos muito mais sofisticados, com custos acrescidos, e este é o problema", afirmou.
"Já se falou tanto de petróleo, que eu sou como São Tomé, prefiro ver para crer. (...) Já em tempos eu dizia que o nosso petróleo pode ser o nosso céu, o nosso inferno ou o nosso purgatório. Tudo depende da forma como as autoridades lidarem com este processo", considerou.

AS GRANDES FALCATRUAS DOS TROVOADAS - DO PAI E DO FILHO



"O acordo ERHC- São Tomé foi descrito como um dos piores da história do xadrez da indústria do petróleo", disse Hayman. "A ERHC obteve um arranjo incrivelmente lucrativo sob condições quase totalmente opacas". A implicação, claro, é que os Trovoadas receberam dinheiro dos nigerianos em troca das concessões e que tentaram comprar o Fradique, mas que ele não iria por isso. Até que surgiu o problema dos negócios do petróleo, Patrice Trovoada foi ministro das Relações Exteriores de  Fradique o demitiu


UMA DAS VÁRIAS EMPRESAS DE PATRICE TROVOADA E DA MULHER NO TEXAS - Nossa pesquisa

ACORDOS SECRETOS ASSINADOS POR PATRICE TROVOADA À REVELIA DE DO GOVERNO E DA PRESIDÊNCIA DE MENEZES  - O LIVRO, JADED TASKS—BRASS PLATES,BLACK OPS & BIG OIL -  COMO O SEGREDO DAS  MILIOINÁRIAS NEGOCIATAS, FORAM DESMASCARADAS

(…) Em 2003, revelou-se acidentalmente que Patrice Trovoada tinha assinado um acordo com a Energem Petroleum, com sede em Guernsey, dando a esta empresa  70% de todos os lucros obtidos com a revenda de petróleo bruto de outros produtores africanos. Este acordo foi assinado sem o conhecimento do presidente ou do primeiro-ministro, resultando em uma crise política. Quando o escândalo Energem foi revelado, Menezes recebeu um conselho externo da Columbia University Earth Institute, liderado pelo economista Jeffrey Sachs e financiado pelo bilionário George Soros, que chegou em 2003 e ofereceu seus serviços gratuitamente. Uma equipe de advogados de Columbia elaborou uma nova lei de gestão de receita de petróleo para São Tomé, com a colaboração do Banco Mundial, aprovada pela Assembleia



A  DiamondWorks teve ligações passadas com  a África do Sul a  empresas mercenárias, algumas das quais estavam ligadas ao golpe de julho de 2003 contra de Menezes - Revela  Patrice Trovoada, filho do ex-presidente de São Tomé Miguel Trovoada, também foi a favor do acordo Diamond-Works Diz Menell. "Há algumas histórias desagradáveis ​​sobre o antigo DiamondWorks, com mercenários e coisas, mas isso é completamente irrelevante e não tem relacionamento com nenhum dos aspectos dos Recursos Energem". A Teixeira alcançou uma certa notoriedade quando foi condenado pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Peter Hain, no Parlamento britânico como comerciante em diamantes angolanos ilegais em nome do movimento rebelde UNITA - à qual, como é do conhecimento público, esteve ligada Miguel  Trovoada e o seu filho Patrice Trovoada - Menezes, disse que o golpe de 16 de Julho de 2003 em São Tomé foi levado a cabo por "as mesmas pessoas envolvidas no caso [posterior] da Guiné Equatorial.

"Patrice Trovoada, o consultor de petróleo presidencial, exigiu uma percentagem mais elevada para Equator Exploration, a companhia de seu amigo negócios Chcrwayko, ln resposta, o presidente Menezes demitiu Trovoada de seu cargo, alegando que ele havia abusado de sua função para fazer negócios privados Além disso, Menezes foi forçado a demitir Meira Rita, em seguida, o chefe do gabinete presidencial, do Conselho Nacional de Petróleo e do JMC. A nomeação de Menezes de Rita na TBE dois corpos era uma clara violação da Lei de Gestão das Receitas Petrolíferas LHE, porque, como ERHC acionista que tinha interesses conflituantes"


Tinha razão quem escrevia O “sonho do petróleo” pode estar a chegar ao fim em São Tomé e Príncipe” Há 4 anos a companhia francesa Total anunciou a retirada da sua operação de prospeção de petróleo em S. Tomé e Príncipe, que concluiu ser inviável. E a Oranto Petroleum Lda também já deu de frosque - Pelos vistos, a Patrice, de pouco ou nada têm valido os apertos de mão com o presidente nigeriano Muhammadu Buhari

"O petróleo pode ser uma benção ou uma perdição para um país", disse Sachs."A teoria era ajudar São Tomé a evitar a maldição dos recursos". As coisas, no entanto, não funcionaram desse jeito.

Sr. Cherwayko, um canadense de origem ucraniana, que fez sua fortuna nos negócios do petróleo Africano, em cumplicidade com políticos santomenses (Patrice Trovoada, um dos citados) foi  condenado a  21 meses de prisão

Há vinte anos “Os geólogos encontraram sinais de que um dos países menos conhecidos da África, a pequena nação insular de São Tomé e Príncipe, poderia reter o resgate do rei no petróleo.

A primeira gota de óleo ainda não foi produzida. Mas São Tomé pode ter atraído um amplo suprimento de algo mais, sugerem pesquisas federais - corrupção relacionada ao petróleo.

A recente acusação do Departamento de Justiça de William J. Jefferson, um representante democrata da Louisiana, afirma, por exemplo, que ele exigiu um suborno de uma empresa que procurava sua ajuda em conexão com uma disputa relacionada ao petróleo envolvendo São Tomé. Scent of oil may have brought corruption to a tiny African country - ThNo Oil Yet, but African Isle Finds Slippery Dealings - The New York

NUM DOS VÁRIOS DOSSIERS QUE ESTE SITE AQUI EDITOU

 

 

Nenhum comentário :