expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Diplomacia do Brasil atenta em STP - Lar dos Pequeninos e Cruz Vermelha beneficiam da “festa Junina” – Louvável iniciativa dos nossos irmãos do maior pais da américa do sul – Com 200 milhões de habitantes falando a Língua Portuguesa .

 Jorge Trabulo Marques - Jornalista  - Informação e análise   UM PEQUENO PAIS DA CPLP, E O 2º MAIS PEQUENO DE ÁFRICA, PARA SALVAGURDAR A SUA INTEGRIDADE, TEM DE CONTINUAR A REFORÇAR A COOPERAÇÃO COM OS SEUS VERDADEIROS AMIGOS E NÃO EMBLAR DE TODO NO IMPERIAL CONTO DO VIGÁRIO


A embaixada do Brasil, em São Tomé e Príncipe, foi a primeira de 19 embaixadas instaladas pelo Brasil em África – Destacando-se em iniciativas de vária ordem, com assinatura dos mais diferentes  protocolos - económicos, culturais, militares e até a presença de “Grupos culturais brasileiros que trouxeram aos são-tomenses, as cores da identidade brasileira e descobriram as marcas da santomensidade. De um lado e do outro, os dois povos foram se conhecendo mais, as semelhanças e as diferenças impostas pela história” – Palavras, que aqui recordamos, pronunciadas pelo   embaixador  José Carlos Leitão,  proferidas, em Nov de 2016, antes da sua partida para Cabo Verde, depois de quatro anos  e meio de importante ação diplomática.

Pequeno comércio na Rua, orientais a dominar 
Concebido para faturar 

MANTER E REFORÇAR OS LAÇOS COM OS PAISES DE EXPRESSÃO PORTUGUESA    - E  ser cauteloso para com aqueles  que  unicamente, sob os mais encapotados disfarces,  visam a exploração neocolonial, impondo o seu comércio, as suas lojas, seja  de que forma for, explorando os recursos naturais ao preço da chuva .
Sem o menor respeito para com as suas tradições     – Veja-se o exemplo do monstruoso centro comercial, mesmo ao lado de uma das igrejas mais antigas e em pleno coração  do mais antigo e tradicional património arquitetónico santomense.

INCIATIVA LOUVÁVEL DA  EMBAIXADA DO BRASIL EM STP - NOSSOS IRMÃOS NA LINGUA E NA HISTÓRIA - DIPLOMACIA BRASILEIRA, INDEPENDENTEMENTE DAS SUAS LIDERANÇAS GOVERNAMENTAIS, CONTINUA A FAZER UM TRABALHO PROFICUO - É com estes laços, irmanados nas boas coisas e nas adversidades, de mais de v séculos, que se devem privilegiar as relações diplomáticas e os elos de cooperação e não com aqueles que apenas visam o esbulho golpista, hipócrita e sem escrúpulos  - Sem o menor respeito para com as suas tradições religiosas, históricas, culturais.   

É noticia de que “ A Casa dos Pequeninos e a Cruz Vermelha de São Tomé e Príncipe foram os destinatários do lado social da “festa junina”, realizada no pretérito 13 de Julho, ao receberem os alimentos não perecíveis arrecadados pela organização, no âmbito da festividade, na mão do embaixador do Brasil, Vilmar Coutinho Júnior.
Depois de cumprir com o sucesso a parte cultural e gastronómica da festa junina, esta quinta-feira, foi a vez do Centro Cultural Brasil São Tomé e Príncipe promover o lado social do evento, com a entrega dos alimentos da “cesta básica” arrecadados na celebração da 7ª edição da festa.

O acto que foi presidido pelo Embaixador do Brasil teve como o destinatário duas instituições que cuidam de pessoas mais necessitadas, Casa dos Pequeninos (crianças) e Cruz Vermelha (idosos).
Em nome do Lar dos Pequeninos, o Bispo da Diocese de São Tomé e Principie, Dom Manuel António, não escondeu a sua satisfação por este gesto nobre da instituição brasileira, lembrando sempre que é muito importante promovemos acções que visam este fim.
Por seu lado, em nome da Cruz Vermelha, Justino Lima, não se distanciou do líder católico, acrescentando que estes produtos irão levar alegria aos beneficiários.
Por fim, em nome da organização promotora, o diplomata brasileiro, Vilmar Coutinho Júnior, prometeu promover com regularidade a festa junina, que foi o mecanismo utilizado para angariar os alimento
s.
https://www.telanon.info/sociedade/2019/07/26/29734/lar-dos-pequeninos-e-cruz-vermelha-beneficiam-da-festa-junina/


Março 2016


MOMENTOS E IMAGENS NA VIDA DE UM GRANDE EMBAIXADOR QUE DEIXOU, EM STP, AS MELHORES RECORDAÇÕES -

t


TRANSIÇÃO PARA  CABO VERDE NÃO VAI AFETAR COOPERAÇÃO DO BRASIL COM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE


23 de Maio de 2014 - O Centro de Formação Profissional Brasil-São Tomé e Príncipe, construído na zona da Quinta de Santo António, pela cooperação brasileira, foi inaugurado na noite de quinta – feira, para dar futuro a juventude do arquipélago.
 Vários cursos estão a ser ministrados, nomeadamente construção civil, electrotecnia, hidráulica, manutenção industrial e mecânica auto, informática, betão armado, panificação, mecânica auto, electricidade etc Centro de Formação Profissional Brasil-São Tomé dá futuro a




Nas suas declarações à comunicação social, o diplomata brasileiro, voltou a sublinhar que a cooperação entre Brasil e STP não será afetada com o fim da sua missão em STP. 
“Com vários projetos em andamento e alguns concluídos, outros ainda em curso e sempre numa perspetiva de cooperação muito presente”
Destacou as áreas de cooperação impulsionadas nos últimos anos; a cooperação  naval, que considerou de muito importante, ; nomeadamente. os cursos ministrados aos oficias santomenses: 
Eu creio que o Centro Profissional do Brasil de S. Tomé e Príncipe. no Bairro de Stº António, também segue na sua plenitude, com centenas de alunos, já formados, os vários cursos profissionalizantes, com grande sucesso. O projeto artesanato, o projeto capoeira, seguem todos, não vai nada sofrer  solução de continuidade porque  esteja saindo, de maneira nenhuma: eles estão consolidados e estão em curso


Nenhum comentário :