expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Mário Sousa, ex-director geral da Empresa de Água e Electricidade, EMAE – Acusado pelo Ministério Público de crimes de administração danosa e detenção de arma proibida – Já devia estar engaiolado há mais tempo

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise

Mário Sousa,  ex-diretor-geral da Empresa de Água e Eletricidade (Emae) de São Tomé e Príncipe, que havia sido   detido, em Maio passado, sob termo de identidade e residência no âmbito de um processo sobre a gestão da empresa, disse à Lusa fonte judicial, finalmente, é noticia de que, o  Ministério Público de São Tomé e Príncipe acaba de acusar Mário Sousa, ex-director geral da Empresa de Água e Electricidade, EMAE, de “um crime de administração danosa e outro de detenção da arma proibida” no quadro das “investigações sobre a manutenção dos geradores desta empresa, indica uma nota da Procuradoria-Geral da República enviada quinta-feira a STP-Press.


 CHARNEIRA DE PINTA CABRA NOS 4 ANOS DE SACANAGEM, - APONTADO COMO TENDO QUEIMADO DOCUMENTOS E DESVIADO MILHARES DE EUROS NUMA DESLOCAÇÃO A LISBOA

Denúncia nas redes sociais, em Dezembro passado  - "O Director Geral da EMAE  -  depois de fazer desaparecer e queimar documentos - viaja para Lisboa alegando problema de saúde e deixa o povo as escuras depois de ter na sua posse desde Janeiro €1.800 000, 00 para reparar e fazer manutenção dos grupos geradores

Até o diabo aborrece com tudo isto, e o Presidente da República nada diz, condena o povo por revoltar e não diz uma única palavra sobre a fuga de Patrice Trovoada".

SERÁ QUE VAI MESMO DE CANA? - OU É MAIS UMA ENCENAÇÃO? 

“ O Ministério Público deduziu acusação contra 1 arguido no quadro das investigações sobre a manutenção dos geradores da EMAE” – lê-se em comunicado que acrescenta que “ o arguido em causa ainda em prisão preventiva [Mário Sousa] foi acusado de um crime de administração danosa e outro de detenção da arma proibida”.

Apanhado a desviar documentos

“No decurso da instrução preparatória foram efetuadas diversas buscas, inquiridas mais de 15 testemunhas e recolhidas dados bancários, diz a nota da Procuradoria, sublinhando que “ foram igualmente recolhidas dados uma vasta documentação que em suporte de papel, quer digital”.
O comunicado acrescenta que “ o Ministério Público dá assim por concluído um processo de investigação de mais de 7 meses, levado a cabo pela direção de investigação e Acção Penal da Procuradoria de São Tomé”, salientando igualmente que “ o Ministério Público durante as investigações contou com apoio da Policia Judicial”.
Mário  Sousa foi a 5 de Maio último, levado para prisão na capital de São-Tomé, depois de audiência por um juiz de instrução criminal no âmbito deste processo criminal cuja investigação acaba de ser concluída pelo Ministério Público. http://www.stp-press.st/2019/07/26/ministerio-publico-acusa-ex-director-da-emae-de-crimes-de-administracao-danosa-e-detencao-de-arma-proibida/



Protestos nas redes sociais, em Dezembro passado   - "A desgraça energética tomou conta de todo o país, o apagão passou a ser moda e invade as habitações, as empresas e demais instituições, lesando os negócios, deitando à falência os privados que já levam vida difícil, alterando os estilos de vida dos santomenses e tingindo milhares de famílias dessa terra. População mais do que descontente, exige justiça. Exige responsabilidades



Nenhum comentário :